"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Aula especial para professora gostosa 3


autor: Chronos
publicado em: 19/07/16
categoria: hetero
leituras: 2109
ver notas


Porra, o dia tava demorando a passar. Tinha feito tudo o que precisava para encontrar Amanda, tava pronto para me encontrar com ela, mas ainda eram 19:00h! Pra quem tava desdenhando do produto, agora pagar caro para sair com uma professora incrivelmente gata, eu não me reconhecia mesmo.

Recebo um toque do celular. Era Lúcia, um rolo meu lá de Paciência. Quando tiver tempo conto pra vocês. Ligou me chamando para um churrasco lá com a galera da família dela. Declinei, ela ficou chorando, dizendo que queria me ver, aquela chantagem toda, mas... Mandei ela passear.

Daqui a pouco outra ligação. Era o Rato, um parceiro que toca comigo na abertura de alguns shows de cabeças do Pagode como Péricles, Belo, Nosso Sentimento, a gente faz uma passagem rápida para divertir a galera, pois cantar no mesmo palco que o Belo já é una honra, quanto mais receber um aperto de mão , um elogio. Sempre lançava uma canção minha nos shows, para poder vender, ganhava meu trocado para zoar a noite, e pegar algumas garotas, porque cantar bem, e ter boa aparência, você pode até dizer que não, mas dá um status. E já peguei muita mulher assim.

" Ah, mas tão novo! Devia estar se preparando para algum concurso público, ou então pré-militar !". Poderia, concordo, mas nasci para ser músico. Sabe quando Papai do Céu aponta o dedo para alguém e diz: Tu é o cara!? Pois é, uns são formados, outros tem o talento. E eu tava usando muito bem os meus. E queria mais.

Mas agora não tem talento e frieza que me tire a ansiedade que to sentindo. Rato tava combinando um ensaio comigo na tarde de sábado, mas dispenso também .

Outra ligação. Eu já tava puto, já de ficar atendendo ligação chata.

Mandy: Oi, querido. Já saiu de casa!?

Eu: Não, aguardando dar a hora. Por quê!?rs.

Mandy: Ah, eu já to pronta, se quiser vir me buscar, estou à sua disposição.

Primeira mulher que me fala que tá pronta antes da hora. Era organização demais ou ansiedade, também!? Rsrsrs.

19:30h, vamos que vamos. Ela não mora longe de casa, peguei um táxi, e a corrida foi tranquila. Quanto a chegar ao local de destino, não tava esquentando, tinha feito reserva e tava tudo certo, só buscar a Amanda e meter o pé. Ô, friozinho na barriga! Tava lembrando dela na sala hoje, mais cedo. Cara, como ela é gostosa. Não usou de vulgaridade, não fez nada de devassa para chamar atenção para si. Foi mulher: Feminina, sedutora de forma inteligente... E agora, caidinha por mim!

Envolto nesses pensamentos, nem senti o tempo passando. Cheguei rapidinho ao endereço, dei un toque de leve na campainha. Quando ela abriu... Caralho, como tava linda! Mandy se superando cada vez mais, agora num vestido que... Mano, era coincidentemente semelhante ao vestido do sonho! Uau! Seria premonição!? Um salto absurdamente fino e longo, tava mais alta que eu! A descrição batia exatamente como a do sonho.

Mandy: E aí, como é que eu tô!?

Eu: To de queixo caído... Sensacional!!!

Mandy: Jura!?( deu um sorriso de menina sapeca. Ela olhou de relance pra abaixo da minha linha da cintura, e olhou de volta pra mim. Ela sabia que eu tava alterado, se é que vocês me entendem, rs.

Trocamos três beijos, o ultimo foi bem próximo da boca. Nossa, a fragrância dela enchia o lugar. Mas era gostosa, suave, docinha.

No meio do trajeto, eu a fiz rir demais, cantei algumas canções, as primeiras à capela mesmo, para ela ir conhecendo o que eu pensava da vida. Rimos muito, sem fazer menções aos momentos chatos, a noite era para relaxar e gozar. Literalmente, kkk.

Em meio às risadas de causos, chegamos com folga ao Sheraton. É, mano, nada de boate, nada de barulho na minha cabeça. Lugar tranquilo, boa música... Mais ou menos! A mulher que estava cantando com o grupo dela era bom, mas o pessoal que entrou depois... misericredo! Fraquiiiinho... Olha a porra do sonho de novo, se confirmando. Foi uma premonição, só podia ser! Mandy tava deslumbrante, apesar de toda aquela chatice de música. Pedi um prosseco, gosto muito, para acompanhar a refeição. Ela tava achando tudo muito lindo. E minhas " aulas " de sedução estavam apenas começando. Entre uma risada e outra, uma pegada de mão, uma troca de olhares mais lasciva, um comentário mais picante. Ela me olhava com um jeito que já começava a esquentar o clima. Depois de duas taças, ela já estava mais solta, e... Rolou um carinho mais forte: Peguei a mão dela, dei um beijo e uma leve roçada de língua entre os dedos dela. Mandy mordeu levemente os lábios acompanhando meus gestos.

O que estragava era a porra da música, mesmo. Mas por quê!? Tava sendo cantada mecanicamente, grupo fraco, aqueles de início de carreira, tinha um cara de sax que até tocava bem, um bom bom violonista, percussão dava pro gasto, mas o vocalista, puta merda!

Aí, veio o momento que deu ignição a fase final do meu plano: O vocalista, para tentar entreter o publico, que estava se lixando para eles, falava com o publico tentando animar, pedindo que escolhesse uma música, podendo dedicá-la a alguém presente. Pedi licença à Mandy.

Mandy: Onde você vai!?

Eu: Dar um tempero à nossa noite.

Mandy: Chama o garçom, querido!

Eu: Eu vou ser o garçom agora!

Os momentos que sucedem aqui, vocês que leram o sonho já tem idéia: Dei o tom para os músicos, a canção eles já tinham ouvido na rádio, pedi o cavaco e o violão, e todo mundo parou para me olhar. Cantei a mesma canção que ela ouvira no Colégio. Podia ver o brilho nos olhos dela , sabia que aquilo estava tocando de fato, caprichei nos falsetes e dediquei a música a todos aqueles que estavam em busca de um recomeço para serem felizes. Todos aplaudiram, foi muito bonito. Retirei-me para meu cantinho de sedução com a Mandy, e a vi levantar do seu lugar, caminhar até mim, e despojadamente, porém com toda feminilidade dela, me abraçar e beijar com um toque tão sensual digno de ser ovacionado. Nossa, como ela era delicada, como seus lábios falavam coisas pra mim naquela hora. Aquilo seria o momento chave que me mostraria para ela o rumo para sua felicidade. Nao por minha causa. Quero dizer, também era, mas ela decidiu ser feliz e se amar. E estava se reerguendo com classe. E quanto a mim, rs, o que posso dizer a você é que minhas barreiras para controlar meu instinto já tinham ido pro brejo, rsrsrs.

Fechei a conta, dei uma gorjeta pro André, o garçom que nos atendeu com muita competência e fomos rumo a...a...a rsrsrs! Um dos quartos do hotel! Lógico, pow! Tava tarde, não me arriscaria me embrenhar nessa noite afora para deixar ela em casa, não sem meu carro!

Ela tava encantada com tudo: A,recepção, a comida, o vinho, que estava na nossa mão também, é , manos! E minhas forças para me conter foram pro espaço quando a Mandy entrou comigo no elevador e envolveu meu pescoço e deu aquele beijo lascivo, violento, vindo de um abismo chamando outro para conjugarem numa tórrida paixão que estava nascendo.

Mandy: Ai, Lipe, amei tudo! Retiro oficialmente tudo que pensava sobre você: Você é um homem cavalheiro, sabe como tratar uma mulher, sabe como enlouquecer sendo engraçado, despojado, e com um coração nao,de ogro... Mas sensível! Você é um príncipe por dentro e por fora!

Eu ia falar o que!? Apertei a cintura dela em minhas mãos e lancei um beijo tão intenso, lascivo, devasso como ela havia feito.

Chegamos ao nosso andar e entramos num senhor quarto top de linha. Descrever aqui para vocês vai ficar brabo mas os banheiros tinham torneiras folheadas a ouro, até os lugares que estavam estendidas as toalhas.

Entramos aos amassos, beijos, mordidas no pescoço e Mandy suspirando já muito excitada. Ela começa a tirar minha roupa de uma forma até agressiva, mas eu gostei disso. Tava com fome de pau, devia estar em uma abstinência aparentemente calma até ser despertada e emergir com furor. Desci a alça do seu vestido e pela primeira vez, via além do decote uma beleza digna de cair de boca e sugar com lascívia e puro instinto carnal. Como são fartas aquelas montanhas dela! Só falando assim, cara, ela tinha um corpo( tinha não, tem! ) um corpo maravilhoso. Suguei aqueles enormes e duros seios com vontade. Ela já estava gemendo de tesão e com as mãos em volta do meu pescoço me puxando pra cima dela , pedindo para ser sugada, tomada, violada.

Desço pelo seu corpo, retirando o vestido que mal cobre agora sua intimidade e vejo apenas a parte de baixo da lingerie, preta, e sua calcinha tomada do seu mel. Continuo a descer beijando a sua barriga, seu umbigo, usando movimentos circulares com a língua naquela taça cheia de prazer sufocado. Deito-a delicadamente sobre a cama e inverto o progresso das carícias: Tomo seus pés, levando em direção a minha boca,,beijando cada um de seus dedos, causando arrepios em sua pele. Vou subindo pelas pernas, coxas, e finalmente chego ao seu sexo: Como o aroma é intenso, e gostoso! Retiro a ultima parte que a cobria deixando linda, do jeito que veio ao mundo. Como aquela calcinha tá encharcada, mano! Provo do seu mel e sinto uma dor latente na virilha, e o coração quase saindo pela boca de tão forte que batia. Ela começa a se tocar na minha frente, redescobrindo o prazer que há tanto tempo nao sentia consigo. Quanto mais ela se toca na sua buceta, mais encharcada fica. Pego seus dedos delicados e levo-os a minha boca, absorvendo mais daquele mel com sofreguidão.

Ela geme, se contorce, morde o inferior dos lábios e pede:

Mandy: Vem, Mel, me fode, vem! Acaba com essa agonia! Sssss, ta uma,delícia, vem, gostoso!

Seu desejo é uma ordem, rs. Inicio uma doce tortura caindo de boca naquela buceta linda, pequena, apertadinha, com sessões de chupadas e sugadas primitivas no seu grelo. Ela começa pedir mais, toma minha cabeça em suas mãos e sincroniza com os movimentos da minha língua, rebolando na minha cara com vontade.

Acabo-me num longo e gostoso sexo oral que rompe a primeira barragem que já estava enfraquecida pelo seu tesão e ela goza abundantemente na minha cara.

Mandy: Aaaaaaaaaaaaaaaah! Meu Deus, que delícia de boca, ssssss... Ai, caralhooooooo! Isso, isso, aiiiiiin!

Eu: Escuta, sua vadia! Eu te trouxe aqui para te mostrar o lado bom da vida que você desconhece. Isso é ser mulher, isso é vida! Agora, seja uma boa putinha e mama no meu pau, vem! Abusa e usa de mim, sua puta!

Mandy: Sou a puta mais feliz desse mundo, seu ordinário, putão delicioso! Que vontade de você...

E agarrou meu pau com uma pressão que me levou às nuvens! Bateu uma punheta um pouco desajeitada, mas vigorosa. Peguei na sua mão, mandei que não apertasse tanto, pois se não eu gozaria na hora. Ela diminuiu a pressão, do jeito que gosto de curtir, e em seguida deu um beijo sofrido na minha glande, como se tivesse vendo um caralho pela primeira,vez.

Eu: Isso... Aaaaaaah! Delícia de punheta! Uau, que gostoso! Agora seja uma boa menina: Enterra ele devagarinho na sua boca, vai, como uma boa boa puta!

E ela mamou com uma vontade, gente, que tive que me segurar. Que boca carnuda de puta! Enterrou devagarinho minha pica naquela boca, mamou minhas bolas deixando bem meladinhas, depois tornava a mamar na pica levando-a até a garganta. Uiiiii, delícia!

Conforme eu mandava, ela alternava a velocidade do boquete: Lento, moderado, rápido, alucinado, depois voltava a calma, e tudo isso olhando para mim, com o olhar de uma escrava faminta. Do jeito que eu gosto.

Continua.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.