"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Fetiches de uma CEO


autor: Srta. A
publicado em: 23/05/15
categoria: hetero
leituras: 3063
ver notas


Natilie jamais imaginava que sua vida iria virar de cabeça para baixo. Em um momento estava feliz em seu casamento com o homem que amava e sendo das maiores CEO’s de Seattle. Agora estava indecisa e distraída. De uns tempos para cá seus sentimentos andavam duvidosos e tudo por culpa de um par de olhos azuis claros que cruzou seu caminho.

Brian era o tipo de homem que qualquer mulher imploraria por uma noite de sexo. Simplesmente sedutor, ele despertava o pior lado que uma mulher possa ter. Seu andar firme e sua pose confiante só faziam aquele charme que ele tinha se elevar. A fragrância marcante de seu perfume despertava os piores e consumados desejos de seu corpo que chegava a ser compulsivo. As vezes se pegava tendo sonhos quentes, outras se masturbava e chegava a seu ápice em sua banheira pensando de como seria aquelas mãos calejadas e grandes sobre si. Aquele pensamento simplesmente a excitava. Ela precisava parar de pensar nisso. Estava ficando louca.

Uma batida e ouvida e logo um corpo aparece entre a porta. Natalie pode sentir seu coração palpitar, junto com sua intimidade que se aperta. Ali estava ele, todo elegante e gostoso a sua frente. O terno escuro constatava os músculos esculpidos de seu corpo. Um sorriso sedutor estava em seus lábios. Ela paralisada. Uma gota de suor desde de seu pescoço em direção ao discreto decote de sua camisa.

— Posso entrar? — pergunta educadamente. Natalie balança sua cabeça. Precisava parar com aquilo.

— Claro Sr Connor em que posso ajuda-lo? — pergunta tentando fazer sua melhor voz séria.

— Já disse que pode me chamar de Brian Srta Wilmer! — diz sorrindo de lado. Natalie viu seu ar se perder naquele instante. Porque ele tinha de ser tão quente?!

— Tudo bem Brian... — sorri sem fôlego — o que queria?

— Preciso que revise os formulários que me pediu para tirar cópia para você sobre a compra do terreno em Washington. — diz com sua voz grossa. Natalie cruza suas pernas desconfortável deixando uma pequena parte de sua pele a mostra. Ela estava fervendo por dentro. A presença daquele homem em sua sala a causava excitação.

Brian não pode deixar de notar aquela parte desnuda de sua pele. Aquilo era como um imã para seus olhos. Ela era uma mulher insana e deliciosa. Sentia uma atração fora do comum por sua chefe. Ela tinha uma beleza rara, capaz de deixar qualquer homem louco de tesão. Ele a queria, a desejava. Queria a pegar em seus braços e fode-la em cima daquela mesa ate se sentir saciado. Mas precisava se manter calmo, ele sabia que não tinha chances com sua chefe.

— Obrigada Brian pode deixar em cima de minha mesa. Irei analisar ainda hoje e te passarei tudo. Deseja um café? — pergunta simpática e se levanta. Brian acompanha sua chefe indo ate a cafeteira sem deixar de perceber o sensual movimento de seu quadril. Ela estava deliciosa sobre aquela saia cinza que marcava completamente seu bumbum avantajado e empinado. Ele passa a língua pelos lábios completamente excitado.

Natalie estava o provocando. Ela já não aguentava mais a excitação que pairava sobre seu corpo. Ela desejava aquele homem como jamais desejou outro. Estava sedenta por saber o quanto ele era quente entre quatro paredes. Queria sentir seu membro dentro de si a deixando entorpecida. Ela precisava daquilo, necessitava.
Ela sente mãos fortes e quentes agarraram sua cintura. Seu corpo se choca sobre uma superfície dura e máscula. Ela pode sentir uma respiração em sua orelha. Ele estava excitado, podia perceber isso atravéz de seu membro que se estava colado em seu traseiro. Uma boca quente raspa em sua orelha. Sua pele se arrepia e ela pode sentir sua calcinha úmida.

— Eu quero você Natalie! — sussurra rouco em seu ouvido. Ela fecha seus olhos completamente inebriada. Sim ela também o queria. Precisava disso.

— Eu também o quero Brian... — diz com o fio de voz que lhe faltava.

Era tudo que ele precisava ouvir. Ele a vira abruptamente em sua direção e a agarra com força. Natalie não tem tempo de raciocinar e logo já sente aquela boca macia e gostosa sugando seus lábios com desejo. Ela direciona suas mãos ate seu cabelo e os puxa com força. Brian geme sobre seus lábios. Ele direciona suas mãos abaixo de sua coxa e a ergue em seu colo a sentando sobre a mesa. Ela ergue suas mãos em direção ao paletó e o tira com pressa. Ela alisa aquele corpo másculo sobre o tecido fino de sua camisa e imediatamente suas mãos trabalham em abrir os botões. Ela contempla aquele peito nu que sempre desejou ali a sua frente. Arranha aquela parte desnuda com desejo e o beija com mais volúpia. Ela estava completamente excitada.

Brian estava perdido naquela intensidade. Suas mãos apossam do do corpo de Natalie com luxúria. Sentir aquele corpo a sua mercê o deixava completamente insano. Num ato impulsivo, ele arranca a camiseta da mulher a sua frente, estourando todos os botões. Ele admira completamente excitado aqueles seios perfeitos e fartos cobertos por um sutiã vermelho rendado. Ela era linda, mais perfeita do que já tinha imaginado. Sua boca começa a fazer um caminho tortuoso do pescoço ate se colo. Natalie arqueia seu corpo empinando ainda mais seus seios. Ela queria mais daquelas carícias. Brian direciona suas mãos em direção ao feixe do sutiã e o tira. Os seios de dela saltam sobre o tecido. Sem perder tempo, sua boca já se apossa de um. Ele suga o mamilo extremamente sensível e o puxa entre os dentes. Os gemidos de la aumentam assim como seu tesão por aquele homem. Brian era quente, delicioso. Ela precisava de mais.

....

As roupas se encontram espalhadas pela sala do escritório. O comodo cheirava a luxúria e êxtase. Natalie estava deitada em sua mesa enquanto sentia Brian estocar sem do nem piedade em sua intimidade latejante e úmida. Suas mãos arranhavam seu peito com força enquanto o sentia estocar com mais força. Eles estavam perdidos, completamente excitados. Brian agarra os seios dela e o aperta forte, ouvindo um gemido de dor e prazer sair dos lábios daquela mulher selvagem. Num ato impulsivo, ele a vira deixando aquele corpo perfeito sobre si. Natalie já sabia o que aquilo significava. Ela também adorava ficar no comando. Ela espalma suas mãos sobre aquele peito firme e logo começa com seus movimentos de vai e vem. Brian agarra seu quadril e a ajuda. Seu membro se choca forte sobre sua intimidade indo cada vez mais fundo dentro de si. Ela joga sua cabeça para trás e aumenta cada vez mais suas investidas sobre aquele pênis majestoso e grande. Seus gemidos viam em sincronia e cada vez mais altos. Natalie se lembra da sorte de ter sua sala ser a prova de som. A velocidade de seu movimento aumenta e ela pode se sentir quicando sobre aquele membro. Uma sensação boa se espalha pelo seu corpo. Ela já sabia o que aquilo significava. Com mais alguns movimentos ela sente seu orgasmo vim de forma violenta e forte. Seu corpo estava dormente e cansado, mas ela sabia que Brian precisava de mais. Depois de mais alguns movimentos, ela sente o corpo de Brian se arquejar. Ela sente aquele jato quente lhe invadir. Seu corpo desaba sobre aquele peitoral musculoso. A respiração de ambos estava ruidosa. O suor escorria pelas suas peles. Ela não evita de sorrir discreta. Finalmente aquele desejo sobre si estava saciado. Ela ergue seu rosto e vê a expressão de satisfação e safadeza no rosto de Brian. Naquele instante ela ainda saberia, que aquele romance proibido só estava começando.

Se ela se importava ou estava arrependida com tudo aquilo? A resposta era uma simples palavra que definiria tudo...

Não! Jamais se arrependeria.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.