"Os mais excitantes contos eróticos"

 

6- Despedida de Solteira


autor: bernardo
publicado em: 25/07/16
categoria: hetero
leituras: 4067
ver notas


Andréia tem 25 anos, casada há dois anos, morena, 1,72mt de altura, 62kg, olhos castanhos e cabelos pretos, e um corpo muito bem feito, cheio de curvas e sem celulites, fruto de hora de malhação. O que ela me pediu para relatar neste conto, começou um mês antes do seu casamento, quando algumas amigas a convenceram a dar uma festa de despedida de solteira.- Andréia, os homens fazem isso... por que nós também não podemos?? - elas disseram. Esse argumento a convenceu e ela se deixou levar. Combinaram que seria na sexta-feira anterior ao casamento. Saíram para se divertirem, jantariam fora e depois iriam numa boate ver um show de striper masculino, para no fim irem a uma balada dançar um pouco. O jantar correu bem. A conversa, claro, foi sobre homens. Uma das amigas, a Joana, a convenceu que ela estava tomando a decisão certa, outras, pelo contrário, tentaram convence-la a não se casar, pois com tanto homem à solta, para quê ficar com um apenas. Saíram do restaurante, algumas pegaram um táxi, outras no carro da Joana e foram ver o show de strip-tease. Claro que todas já tinham tomado uns copos de bebida a mais e, por isso, estavam um pouco mais desinibidas. Ao começar o strip, umas gritavam e outras chamavam os rapazes para mais perto delas. O local estava uma loucura. Antes de sair, Andréia, teve direito a um show privado com um dos stripers, mas nada aconteceu, a não ser ele roçar seu pau todo nela. Mas, como ela ia se casar, e não estava a fim de trair o seu noivo não se permitiu ir além disso. Dentre os stripers havia um negro sarado, um deus de ébano que as mulheres presentes atacavam, agarravam e o chupavam, delirantes. Como suas amigas estavam mais para curtir, elas aproveitaram a ocasião e tiraram uma casquinha dele. Andreia confessa que ficou excitada ante a visão daquele homem sendo assediado pelas mulheres. Mas ela ficou no seu canto, sem nenhuma manifestação de entusiasmo, embora no fundo desejasse muito se atracar com aquele negão gostoso. Quando saíram para a balada, duas das amigas ficaram, e disseram que iam um pouco mais tarde. E na balada estava tudo bem, até que meia hora depois, chegaram muito sorridentes, dizendo que tinham convidado alguns dos stripers para virem com elas. Não demoraram muito e os caras chegaram e começaram a dançar juntos. No fim da noite, quando saíram, cada uma foi para sua casa, menos Andreia e Joana, pois ela ia dormir na casa dela, já que seus pais estavam viajando. Como ela estava com um dos stripers, ele a levou até a casa dela (no carro dela) e Andreia foi com eles. Durante o caminho eles não paravam de perguntar se Andreia tinha gostado da sua despedida de solteira, e se ela não queria que chamassem alguém para passar a noite com ela, pois, como só estavam os três, ninguém saberia. - Você ficou louca, Joana?? Vou trair meu noivo não! Meu deussss!!! Me caso amanhã! - falou, tentando encerrar a conversa. Os dois insistiam e perguntaram se ela tinha gostado de algum amigo dele em particular, pois ele ligaria e pediria para ele vir. Mas ela dizia sempre que ela não estava interessada. Quando chegaram na casa da Joana, o cara que estava com ela foi telefonar para alguém vir busca-lo mais tarde, já que Joana disse que ele não podia dormir lá. Andreia foi tomar uma ducha e logo foi para a cama. Quando ela já estava deitada, não pode deixar de ouvir os sons de gemidos da Joana que vinham do outro quarto. Nossaaaa!!! Aquilo estava deixando-a bastante excitada e sem sono nenhum. Logo ouvi a companhia tocar. Como ninguém foi abrir, se levantou, colocou o roupão sobre a camisola e foi abrir a porta. Meu deussss!! Quando abriu a porta estava aquele negro lindo, enorme, com um grande sorriso e um ramo de flores, só com uma sunga que mal cobria o seu sexo. - Oi, eu sou a surpresa da noite para a noiva!! - ele disse, rindo de orelha a orelha. Andréia ficou ruborizada e para que ninguém na rua o visse naquele estado, mandou-o entrar e ele foi logo agarrando-a e a beijando. No princípio ela resistiu um pouco. Mas naquela altura, com o tesão que estava de ouvir a Joana sendo fodida pelo outro cara lá no quarto dela, ela viu que não dava mais e se deixou levar para o quarto. Mal entraram no quarto ele a jogou na cama, subiu em cima dela e tirou a sua camisola, seu sutiã e a calcinha. Que loucura!!! Ele a beijou da cabeça aos pés e ela ficou praticamente louca nas mãos daquele negão safado.- Suas colegas me contrataram para sua despedia de solteira, morena... e eu vou fazer o serviço completo. Nossaaaa!!! Quando ele falou isso Andréia se arrepiou todinha, louca de tesão. Foi pra cima da rola dele. Ela queria ver o tamanho daquele pau, queria chupar, mamar, beijar e babar nele todinho. Se ajeitou na cama para chupa-lo. Era um pau preto, bonito, grande, grosso, brilhante, com a cabeça enorme e veias salientes. Sem perder tempo ele começou a roçar a pica no seu rosto, lábios, olhos e cabelos. E, de repente, começou a dar batidinhas no seu rosto com aquele pau enorme. - Me dá... deixa eu chupar... deixa... deixa eu mamar nessa pica, seu safado!!! - Andréia falava e tentava abocanhar aquele pau a todo custo. Quando ela ia segurar a rola dele, ele a proibia de fazê-lo, e dizia que era para ela usar apenas a boca e a língua. - Lambe, sua safadinha... putinha gostosaaaaa... lambe bem essa rola antes de se casar... o pau do seu noivinho é desse tamanho também, é? - aquele negão gostoso falava e a bucetinha dela ficava cada vez mais meladinha. Lambeu desesperada a cabeça da rola dele. Tentou chupar a pica, mas com o tamanho que ela tinha e sem a ajuda das mãos, era uma tarefa impossível. Por isso se limitou apenas lamber e dar beijinhos naquele pau cheiroso. Ela olhava nos olhos dele e via seu tesão aumentar a cada segundo. Logo ele segurou a sua cabeça e a forçou a abrir a boca para enfiar o seu pau. De início ele foi cuidadoso, mas quando ela já estava acostumada ao tamanho daquela rola na boca, ele forçou mais um pouco, o que a deixou um pouco agoniada e sem fôlego. Mas como estava com muito tesão nem ligou pois, o seu objetivo era apenas que ele gozasse na sua boca, para ela beber o leitinho quentinho daquela linda piroca. Mas ele tinha outros planos. - Noivinha... agora eu quero comer a sua buceta... vem... dá essa prexequinha bonita para mim.... dá!! - ele falou, arrancando o pau da boca dela. Meu deussss!! Que cara mais tarado!! Ela nem teve tempo de falar nada. Ele a pegou no colo, a deitou na cama e começou a chupá-la com tanta força que ela teve um orgasmo logo ao fim de umas duas ou três chupadas. Depois de gozar ela ficou estirada na cama, um pouco tonta, vendo estrelas. Ele foi e se encaixou no meio das suas pernas e começou a esfregar seu pau na boceta. Ela sentia a cabeça da rola dele passando entre os lábios da xoxotinha, provocando-a. Não demorou muito e ele conseguiu o que queria. - Mete... seu gostoso... mete esse pau dentro de mim... quero ele pra mim... me dá ele... deixa eu ser sua mulherzinha hoje... mete, safado... meteeeeee!! – falou entre gemidos. - Então peça mais alto... mais alto... para que sua amiga e meu amigo ouçam você pedindo pica, noivinha... peça... bem alto!! - ele falou. Andréia, naquele momento, não queria saber de mais nada e pediu, bem alto. Pediu pra ele a foder bem gostoso. Aí ele enfiou logo metade de uma vez o que provocou uma dorzinha na perereca. Mas ela não importava, pois o que ela queria mesmo era que ele a fodesse até não poder mais. E foi assim que aconteceu. Por uns 30 minutos ele meteu a vara em várias posições e a fez gozar deliciosamente. Andreia deu pra ele com muita vontade mesmo. Era a primeira vez que um negão safado a pegava, e ela não ia perder aquela oportunidade. Ela praticamente jogava a bucetinha na piroca dele, que metia fundo e com força. Meu deusssss!!! Achou que eu ia morrer de tanto dar. Quando ele finalmente tirou a rola pra fora e quis gozar na barriga ela não deixou. - Gozaaaaa dentro... gozaaaa dentro, amor... enfia de novo e goza dentro de mim... deixa porra dentro da minha bucetinha.... deixa!! - falou entre gemidos. Era tudo que ele queria. Ela sentiu a pica dele entrar de novo, bem fundo. Ele deu mais umas cinco bombadas e gozou como um louco, enchendo-a de porra. - Ohhhhhhh... noivinha... que putinha mais deliciosa... gostosa... safada... que gozada mais gostosaaaaaa!! - ele falou no seu ouvido enquanto ela o abraçava bem apertado. Ficaram uns bons minutos abraçadinhos. Ela, já tonta e frágil, debaixo daquele negão enorme. Mas ele não estava nem aí. Deixou a pica dele dentro dela até começar a murchar. Nesse momento ouviu um barulho e ficou assustada. O amigo dele estava em pé na porta, filmando tudo com o celular. Provavelmente devia ter filmado boa parte da foda. Na hora ela pediu para ele parar de filmar e ele parou, lhe garantindo que ia apagar. E a safada da Joana agachada na frente dele, chupando seu pau. Que loucura!! Nunca sentiu tanta vergonha na vida. Era a primeira vez que ela dava na presença de outras pessoas. Se levantou e começou a vestir a calcinha, agradecendo ao negro por ter sido tão generoso com ela e disse a ele que aquela tinha sido a melhor foda da sua vida. Mas que agora ela precisava dormir e descansar para o seu casamento aconteceria dentro de poucas horas. - Nada disso, Andréia! Ainda não acabei com você! - o negro a segurou pelo braço. - Hoje é sua despedida de solteira e vamos aproveitar mais! Você tem que ir para o seu casamento sem te faltar nada. Meu deusssss!! Ela estava fraca demais para argumentar. Parecia que já estava dormindo e sonhando com aquilo. Sua amiga já estava de quatro na cama, bem ao seu lado. E o outro cara metia na buceta dela sem dó. E ela ali, vendo-o ser fodida. O negro a segurou pelos cabelos e a mandou limpar seu pau com a boca. A rola dele ainda estava toda lambuzada do mel da sua buceta. - Noivinha... agora é que vamos começar pra valer! - ele falou. - Chupa essa pica e deixa ela bem limpa... não quero cheiro de puta branca no meu pau. Ela lambeu e chupou a rola dele bem gostoso. Não demorou e seu pau já estava bem duro novamente, apontando pro teto. Nossaaaa!! O outro cara metia na sua amiga e ela gemia bem gostoso. E ele com o celular na mão, filmava de novo. Novamente ela pediu pra ele parar de filmar e ele só deu uma disfarçada. - Agora vou meter na sua amiga um pouquinho! - o negão falou e já foi pra cima da Joana. Ele mandou ela ficar deitada de bruços e se deitou em cima dela, fodendo a buceta sem dó nem piedade. Ela gritava de dor e prazer ao receber aquela pica preta e grossa em sua bucetinha. E o outro cara só filmando. Que saco!! Mas ela não queria brigar com ele. Mais tarde ela daria um jeito de pegar aquele celular e quebrá-lo. - Chupa, Andréia... chupa... sente o gosto da sua amiga na minha rola!! - o negão falou, tirando o pau de dentro da Joana e levando até a boca da Andréia que chupou o pau e bebeu o leitinho da buceta da amiga, que tinha lambuzado aquela pica preta. O gosto era diferente, pois ela nunca tinha feito algo assim antes. Mas seu tesão estava a mil. E nem se importou. De novo o negão veio pra cima dela. Em um gesto rápido ele a colocou na posição de frango assado e meteu a rola na xoxota. Meu deusssss!! Ele enterrou tão fundo que seu pau bateu no fundo do seu útero, fazendo-o gritar de dor. Ela pediu que ele tirasse pois nessa posição estava doendo muito. Então ele parou, se deitou na cama e a mandou então subir e cavalgar no seu pau, o que ela adorou, pois assim ela controlava a penetração. Quando ela estava quase tendo mais um orgasmo ele me sacaneou. Me segurou firme pela cintura e me puxou-o pra baixo, forçando a engolir todo o seu pau, bem no fundo da sua prexequinha já tão castigada, gemeu, gritou, xingou, reclamou, babou em cima dele e gozou deliciosamente. Quando gozou, sua cabeça rodou e ficou muito tonta. Ele então a puxou e a fez deitar em seu peito, ainda com a pica enterrada nela que fechou os olhos por uns segundos, mas nem deu tempo de reagir. Seu amigo veio por cima deles e encostou a cabeça do pau na entradinha do seu cu. Na hora gelou e pediu pra ele não fazer aquilo, que comesse a sua amiga e que deixasse ela transando apenas com o negro. Mas ele não lhe deu ouvidos. Passou cuspe no seu ânus e foi com tudo. - Ahhhhhhhhhhhhhh... nossaaaaaaaaa... não aguento isso... por favorrrrr... devagar!! - chorou de verdade quando sentiu a pica invadir seu rabinho.Agora o negro a fodia por baixo, dando umas espetadas violentas na buceta e seu amigo por cima, no seu cu. Quando ela tentava fugir da rola do negão seu amigo aproveitava e enfiava fundo no cuzinho. Ela já não sabia mais o que era dor e o que era prazer. Só sabia que sofreu naquela dupla penetração por uns 20 minutos, até que gozou e implorou pra eles pararem de meter nela. Depois que a deixaram bem fodida, pela frente e por trás, resolveram foder a amiga, que tinha armado tudo. - Você não vai ficar de fora, Joana!! - o negro falou e já partiram pra cima dela. A coitada tentou reclamar, disse que nunca tinha feito com dois e tal. Mas não teve jeito. O outro cara colocou Joana por cima dele. Depois que ela já tinha engatado a buceta no pau dele, o negão foi por trás. Os olhos da Andréia estavam quase fechando mas ela conseguia ver lágrimas saindo do rosto da amiga quando os dois começaram a fodê-la bem forte. O de baixo beijava a boca dela, lambia e chupava seus seios, enquanto o negão lambia as costas e falava besteiras em seu ouvido. Era demais pra Andreia que rolou na cama e ficou de bruços, tentando não ver mais aquilo. Nem bem fechou os olhos uma rola deslizou de novo pra dentro do seu cu. O negão já estava em cima dela novamente. Ela já estava tão fraca, tão arrombada, que nem falou nada. Deixou ele meter à vontade. Logo a sua amiga estava de bruços do seu lado. O outro cara veio por cima dela e meteu também. Os dois ficaram revezando nas duas bundas durante um bom tempo, até que gozaram como dois cavalos, xingando-as, puxando seus cabelos e dando fortes tapas nos seus traseiros. Andreia já estava pra gritar por socorro. Não aguentava mais dar seu cu e a buceta para aqueles dois tarados. Finalmente os dois falaram que já estavam satisfeitos e que iriam embora. Só lhes deram beijinhos no rosto, vestiram suas roupas e saíram rapidinho. Joana os levou até a porta, enquanto Andreia ficou na cama, toda arrebentada. Quando voltou, Joana pediu desculpas, pois ela não sabia que iam ser fodidas daquela forma. Ficaram as duas chorando um bom tempo na cama. O quarto estava impregnado do cheiro de buceta, suor, pica, esperma, perfume e gozo. Por um momento Andreia pensou se ainda dava tempo de desistir do casamento. Mas casou-se assim mesmo e esta muito feliz com seu esposo. Só espera que o marido não encontre, em algum site de vídeos pornôs, a filmagem que o filho da puta do striper fez. E ai, Gostou? Se excitou? Poderia me dar uma nota antes de sair? Se desejar podemos conversar sobre o assunto. Skype: bernard.zimmer3 ou e-mail. bernard3320@live.com ou WhatsApp: 11944517878



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.