"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Casal paulista – Praia, prosseco e pic


autor: Publicitario45
publicado em: 28/07/16
categoria: hetero
leituras: 1459
ver notas


No domingo fui acordado com uma mensagem do Tiago perguntando se a noite anterior tinha sido boa (está tudo explicado no conto anterior) e junto com a pergunta um convite para passar o dia na praia com eles. O sol estava rachando, a temperatura beirava os 36º em Vila Velha.

Pedi um tempo, tomei um café, um banho, juntei algumas coisas e disse que passaria na porta do prédio deles em 15 minutos. Chegando lá Tiago e Amanda já estavam na porta do edifício me esperando, assim que parei o carro, Tiago abriu a porta de trás e entrou deixando o banco do carona livre para Amanda.

Tiago como sempre de bermuda, camiseta e chinelo. Usava óculos escuros e boné. Amanda por sua vez usava uma saída de praia branca, bordada e um biquini azul claro bem pequeno. Para se proteger do sol chapéu e óculos escuro com um espelhamento azul.

- Bom dia! Pra onde vamos? Perguntou ela após me dar um beijo no rosto.

- Vamos para Bacutia, uma praia famosa que fica depois de Guarapari

A Bacutia é a praia dos corpos sarados, homens e mulheres que passam o ano cuidando do corpo para desfilarem na praia o verão inteiro. Em compensação, é uma praia de aguas tranquilas e de fácil acesso.

Assim que pegamos a estrada, Tiago começou a falar sobre a noite anterior. Pra mim ficou claro que ele sabia que a esposa dele tinha dado pra mim e o melhor, estava de pleno acordo. Amanda também comentava sobre até que Tiago resolveu ser mais direto.

- E ai, gostou da minha esposa amigo?

- Sim, uma companhia agradável.

- To perguntando se ela te deu direito?

- Ele sabe de tudo.

- Bom, já que você sabe e até agora não pulou no meu pescoço, deu sim.

Tiago deu uma gargalhada e eu continuei.

- Eu que não devo ter comigo direito, pois fiquei com receio de você acordar.

Neste momento Amanda pegou no meu pau e falou em alto e bom som.

- Comeu sim, gozei como uma cachorra no cio e hoje eu vou querer mais.

Meu pau endureceu na hora e ela passou a massagear minha pica enquanto seguíamos pela rodovia do sol. Tiago parecia ser um excelente voyeur, pois não tirava os olhos da esposa me punhetando.

Chegando na praia todos ficaram encantados. Amanda disse que estava se sentindo no paraiso, nunca tinha visto tantos homens sarados na vida e Tiago não conseguia disfarçar os olhares para as meninas saradas da praia. Arrumamos tudo, cadeiras, cangas, sombrinhas e eu disse que tinha uma surpresa para eles. Fui até o carro e peguei uma caixa térmica e dentro quatro garrafas de prosseco e duas taças. Abri a primeira garrafa e servi meus amigos e em seguida sentamos. Amanda tirou sua saída de praia mostrando que estava em forma, Tiago resolveu ficar apenas de bermuda. O local onde nos acomodamos era mais distante, menos barulhento, assim,
Amanda tratou logo de deitar na sua canga e aproveitar o sol. Eu e Tiago sentamos em nossas cadeiras de praia e começamos a jogar conversa fora.

- Amor, passa protetor em mim?

Tiago mais que rapidamente abriu o frasco, se ajoelhou do lado da esposa e começou a espalhar creme por todo corpo de Amanda.

Confesso que aquela cena me deixou de pau duro que latejava por baixo do tecido da sunga. Assim que terminou, Tiago voltou pra cadeira e voltamos a beber e conversar.

Passado alguns minutos Amanda pediu para que Tiago fosse com ela na água. Ele disse que não iria pois a agua estava meio fria e sugeriu que eu fosse com ele. Meio sem graça, ainda excitado, me levantei e fui com Amanda até a agua que realmente estava fria. Entramos e fomos caminhando mais para o fundo até que a agua cobrisse nossos corpos. Amanda então se aproximou com uma cara de quem queria mais.

- Acordei com a boceta ardendo. Vontade de dar pra você de novo.

- Se seu marido deixar...

- Ele deixa, mas ele disse que quer ver desta vez.

- Voce quer que ele veja?

- Quero! Gozo muito quando vejo ele sentindo prazer assim.

Amanda se aproximou e enroscou as duas pernas em volta da minha cintura e começamos a nos beijar. Sua boceta esfregava no meu pau e minhas mãos massageavam sua bunda debaixo da agua. Sua boca estava quente, seu coração acelerado e a respiração descompassada.

Após alguns minutos voltamos pra agua e eu com o pau cada vez mais duro. Sentamos e Tiago disse que se ela quisesse passar óleo bronzeador, teria que pedir a mim.

- Voce passa?

- Sim, é só pedir.

- Então vem.

Me ajoelhei do lado e comecei a derramar o óleo pelas costas dela.

Minhas mãos foram de encontro ao seu corpo e eu tratei de desfazer o lacinho que prendia a parte de cima do seu biquíni. De bunda pra cima comecei a deslizar minhas mãos do pescoço até a cintura. Amanda permanecia quieta, parecia se concentrar para não temer a cada toque das minhas mãos no seu corpo. Passei o óleo em toda extensão das suas costas, desci e fui direto para sua batata da perna. Tiago me olhou e sorriu e eu resolvi ousar um pouco mais. Coloquei mais óleo nas mãos e comecei a massagear as pernas de Amanda, depois as coxas e por fim a sua bunda deliciosa. Ai ela arfou, abaixou a cabeça entre os braços e ficou ali sentido o toque das minhas mãos. Como o local era mais afastado, comecei a massageá-la pela patê interna das coxas, ela abriu um pouco as pernas deixando o caminho livre.

Com o vai e vem das minhas mãos eu toquei de leve sua bocetinha por cima da calcinha do biquíni, Amanda soltou um gemido e eu fui além... coloquei sua calcinha de lado, ela entendeu, abriu mais as pernas e deixou sua boceta exposta. Com os dedos melados de óleo comecei a massagear seu grelo, tocava de leve no seu clitóris, ela remexia lentamente e um dedo entrou na sua boceta melada. Tiago apenas olhava a cena e acompanhava o movimento das pessoas que nada percebiam. Ai ele resolveu participar da brincadeira e puxou a calcinha deixando seu cuzinho totalmente descoberto. Ele passou óleo nos dedos e enquanto eu massageava o grelo da sua esposa ele começou a meter o dedo no cuzinho dela que em poucos minutos gozou e teve que abafar o gemido entre seus próprios braços.

Ficamos cerca de 3 horas na praia, depois fomos para um restaurante comer uma moqueca capixaba e retornamos pro apartamento onde o casal estava hospedado.

Chegando em frente o prédio Tiago me convidou para tomar uma cerveja com ele já que por causa da estrada eu fui o único que não tinha bebido na praia. Aceitei o convite e subimos para o apartamento.

Amanda resolveu tomar um banho e nós fomos para a varanda.

Ficamos ali conversando por uns 30 minutos até que ela veio toda linda dentro de um vestido amarelo bem solto. Nas mãos ela trazia uma toalha, pediu que eu fosse tomar um banho.

Fui em direção ao banheiro e eles ficaram na varanda. Dentro do box estava sua calcinha de biquíni, não resisti e peguei, cheirei e pude constatar que ela ainda estava meio melada devido ao orgasmo na praia. Sai do banho, me enrolei na toalha e fui pra varanda.

Chegando lá Tiago estava deitado na Chaise e Amanda lhe pagava um delicioso boquete. Ela lambia o pau do marido de cima até embaixo, mordia a cabeça de leve e massageava suas bolas. Tiago apenas gemia de olhos fechados enquanto a esposa tratava de engolir sua pica com vontade. Ela acelerou o movimento da cabeça e Tiago soltou um gemido enchendo sua boca de porra. Uma pequena quantidade escorreu pelo canto da boca mas o resto ela sorveu por completo.

Quando eles terminaram me viram em pé na porta e perguntaram se eu tinha gostado da cena. Respondi que tinha adorado e Tiago disse que iria tomar banho e que eu deveria cuidar bem da esposa dele.

Tiago saiu e eu sentei. Amanda veio com a boca cheirando a porra a tirou minha toalha, meu pau já estava latejando da cena anterior. Ela deu uma bela chupada fazendo pressão na cabeça do meu pau. Depois passou a língua atrevida em volta dela, desceu até meu saco e retornou colocando o meu cacete na boca. Sua chupada era alucinante, sua boca era extremamente quente e molhada.

Depois de me chupar ela veio e já foi sentando na minha rola. Sua boca agora tinha uma mistura de sabores de duas picas. Ela não se fez de rogada e me beijou enquanto sentia meu pau preencher sua boceta quente e melada. Amanda rebolava, subia descia, pedia para apanhar, quicou no meu pau e pediu para ser fodida de quatro.

Coloquei meu pau na portinha da boceta e entrei novamente, comecei a meter com mais força, segurava pelos cabelos enquanto a outra mão lhe dava tapas na bunda arredondada e queimada de sol. Ela rebolava, me provocava dizendo que aguentava mais que isso, continuei socando com força e ela gozou. Amanda fazia carinha de choro toda vez que gozava.

- Agora eu quero seu cuzinho, vira, ele é meu.

Amanda riu e se virou de novo. Pediu para eu ir devagar pois, apesar do pau do marido dela ser grande era bem fino.

Coloquei a cabeça na porta e fui forçando. Ela arfou mais uma vez, respirou fundo e pediu para eu continuar. O pau foi sendo engolido pela sua bunda e os movimentos foram ficando mais rápidos. Voltei a segurar Amanda pelos cabelos e o pau entrou todo. Ela gemia, pedia para apanha, queria ser chamada de puta, vadia vagabunda. Gemia alto quando o marido chegou na varanda e ofereceu o pau pra ela chupar. Amanda caiu de boca na pica do marido enquanto era currada por mim. Os gemidos dela foram ficando mais intenso e ela gozou novamente, depois foi a minha vez e ela continuou chupando o pau de

Tiago até levar uns jatos de porra na boca. Depois desta trepada fomos os três tomar banho. Amanda pagou boquete pra nós dois, bebeu porra de novo. Em seguida fomos pro quarto e adormecemos e só acordamos as 2h da manhã onde voltamos a trepar novamente.

Beijos a todos e obrigado pelos elogios.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.