"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Casadas carentes, Putas Calientes 2.1


autor: Chronos
publicado em: 28/07/16
categoria: romance
leituras: 1184
ver notas


Para quem está chegando para ler esta história, eu me chamo Mauro, tá!? Me chamo Mauro. Vendo jornais numa enorme banca do Centro da cidade, pereré pão-duro...rsrsrs.

Para entender o contexto da história vai lá pro início em Casadas carentes, putas calientes 02. Leia sem pressa, que essa história vai esperar você acabar lá, eu não vou apagar ela, não, kkkkkkkkkk



Vamos continuar de onde parou o meu relato. Estávamos na parte gostosa, hehehe, já provando da boquinha gostosa e carnuda da Scarlet... Véio, que boca deliciosa, cara, eu até imaginei que por se tratar de uma senhora de 55 anos o beijo fosse mais educado, mas ela tava pegando fogo, uma delícia. Mal podia esperar para o dia seguinte.

E tava viúva, mano, viúva há pouco tempo, por sinal. Ligou o botão de foda-se pra sociedade e foi ser feliz, aí que o tesão aumentou de verdade, ô delícia!

Scarlet: Pena que daqui a pouco você tem que ir embora, né!

Eu: Pois é... Mas vou dormir feliz pois eu reencontrei você, que bom que sua vida está melhorando. Senti uma vontade de poder cuidar de você, poder ter sua companhia, você me faz muito bem.

Scarlet: Eu agora vou aproveitar o melhor que essa vida tem pra mim. A gente já vive pouco, e tanto estresse, eu que fui uma idiota perdendo meus melhores anos com quem não me valorizava.

Eu: Mas não pense assim, Scarlet. Você amou de verdade, você foi boa, deu seu melhor.

Scarlet: Mas o que recebi em troca, não é Mauro!? Anos de sofrimento interior, me sentindo pra baixo, gastando dinheiro com remédio,enfim...

Eu: Olha, Scarlet, não tem resposta fácil para isso. Você não perdeu nada a meu ver sendo amável, gentil, carinhosa, dedicada. A gente ama e ponto final. Quem entra em nossa vida sabe o valor que a gente tem, e sai porque é idiota o bastante por achar que nunca vai perder. No caso do seu marido, talvez passe o resto da eternidade se lamentando pela pessoa maravilhosa que deixou. E cá pra nós: No que depender de mim, em mãos muito boas.

Scarlet: Por isso gosto de você! Você vê tudo com otimismo, é tão seguro de si. Queria ser assim!

Eu: E você vai chegar lá, tem muito caminho pela frente, e ser feliz, e que bom que ajudei um pouco em sua caminhada.

Scarlet: Você me fez sentir desejada, cobiçada outra vez, Mauro. Então você gostou do resultado?

Eu: Antes de qualquer coisa, amei seu coração. Você poderia ter gordinha, magrela, nada do que você é se resume a um rótulo. Agora esqueça o passado, esqueça o que sofreu, deixe eu ser teu presente, seu amanhã, e depois de amanhã.

Scarlet: Eu tô me sentindo uma adolescente perto de você, querido! Isso me faz tão bem!

Mergulhei nos seus lábios num beijo bem gostoso e profundo. Só sei dizer que fui embora me sentindo nas nuvens, olha só: Um negão de 34 anos apaixonando-se por uma mulher como um garotinho!

Scarlet: Tenho que ir agora, meu anjo, vou passar no mercado e comprar algumas coisas pro nosso encontro. Amanhã eu devo ter um dia corrido, mas eu esperarei você. Toma um banho lá mesmo, sei que voltar a sua casa será um enorme contratempo...

Eu: Ok, mas não tem problema, não, eu troco de horário com o Henrique.

Scarlet: Ótimo. Eu te espero, ok!?

E assim, nos despedimos com um beijo bem profundo... Cara, eu não resisti e dei uma apalpada naquele glúteo, ela sorriu enquanto me beijava.

Scarlet: Apressadinho, você hein!? Hahahaha, gostou!?

Eu: Você é linda do jeito que é, e cada minuto que passa mais desejada ainda.

E saiu bem envaidecida pra sua casa.

A manhã do dia H passou feito um relógio parado, mas cada momento que parava e lembrava do seu toque, seu perfume, seu beijo, tudo isso me enlouquecia. Henrique me pegou com uma cara abobada, perdida em meus pensamentos e começou a rir:

Henrique: Essa cara não é de tesão pelo trabalho, com certeza,rs. Quem é a garota, fala pra mim!?

Deixei em suspense. " Em breve eu te conto. Primeiro tem que acontecer!"

Já à noite, bem vestido com um blaze preto, uma camisa branca social muito bem passada, calça jeans, sapato bem engraxado marrom e perfumado com 212, fui ao encontro da minha musa Escarlate.

Não costumo dar bolo em horário, cheguei até cinco minutos adiantado ao condomínio dela. E não fui de mãos vazias, não: Sou meio desajeitado, mas dessa vez fui clássico. Levei um buquê de rosas escarlates, só pra abusar na entrada, e uma caixa de Kopenhagen. Então, que vocês acham!? Fui exagerado ou gostam desse jeito, hein meninas!?

Eu acho que ela curtiria isso, se não curtisse, pelo menos valeu a intenção. Ao abrir a porta, um doce aroma inebriante toma conta do ambiente. E como ela estava bonita, meu Pai: Um clássico vestido preto, um pouco acima do joelho, decote bordado, um salto não exagerado e um batom carmesim que dava vontade de avançar e degustar cada centímetro daquela boca! E para completar, o ambiente bem sóbrio, com luzes escuras, um som ao fundo de Kenny G, e um delicioso prato já posto aguardando o ilustre jornaleiro, bem barbeado, cabelo aparado, ela ficou boquiaberta com o visual:

Scarlet: Uau, você tá divino... E como você é delicado, meu anjo, obrigada!

Recebeu as flores com um imenso carinho, mas não fez cerimonia, fez questão de me receber com um beijo bem apaixonado.

Scarlet: Senti tanta saudade de você, mas não pude sequer parar nem para respirar hoje, correndo com um monte de coisa para resolver. Eu fiquei bem!?

Eu: Modestamente falando, você está divina, e estou lisonjeado, um pouco sem graça.

Gente, eu realmente estava muito tímido, mas fui me soltando, as palavras foram aparecendo, nossas conversas foram fluindo, ficando cada vez mais gostosas, envolventes, e o cansaço do dia... Que cansaço!? Eu tava era pegando fogo!

O que posso falar do jantar!? Véio, eu nunca tinha comido um contrafilé tão delicioso. Aliás, permita-me dizer, um senhor prato viu!?

Filé ao molho de pimenta verde com cream cheese, acompanhado de um delicioso macarrão ao alho e olho. Para a entrada uma bebida bem relax: Um vinho chileno Sauvignon Blanc, bem suave para quem não costuma beber, esse deixou o ambiente bem mais descontraído, alegre, mas aquele vinho tava me ligando, parceiro, e Scarlet não parava de esbanjar sensualidade o tempo inteiro inteiro. O decote bordado dela chamava a atenção que nosso jogo de olhares estava muito mais intenso até que o de palavras. Procurei não exagerar na bebida, porque como convidado e como pretendente não podia fazer feio, pois era o primeiro encontro. Após o jantar, que tava delicioso, fomos para o sofá ao som do saxi magistral de Kenny e já numa taça de Shiraz, um vinho rosé argentino.

Scarlet: Tô amando sua companhia, Mauro, qualquer lugar onde você chega com esse sorriso se ilumina. Eu jamais pensei, te juro, que fosse me envolver e me sentir tão ...

Eu: Desejada!?

Scarlet: Rs, também. Mas principalmente valorizada, como posso dizer? Alguém que me olha de igual pra igual, sabe quanto tempo que eu não tinha essa sensação!? Nossa...

Eu: Scarlet, olha pra esse vinho. Ele está delicioso, não está!? Eu quase não sei sobre vinhos, mas alguém me disse uma vez que as uvas mais doces são aquelas que dão nas terras mais ácidas. Imagine o processo que este vinho foi preparado? Ele antes de ser vinho foi uma uva que foi pisada, esmagada, passou por um processo de fermentação e sabe lá quantos anos ficou guardada até atingir esse sabor...

Scarlet fitava nos meus olhos e admirada, somente edcutava:

Eu: Scarlet, o nosso valor não é provado pelo que temos, nem pelo nosso histórico. Todo dia morremos um pouco, somos esmagados, pressionados, pisados, agora... A diferença está em o que fazemos com o que a vida nos dá. Se ela te dá limões, você pode fazer uma limonada com ela, se você é esmagado, pisado no meio da multidão, aquilo que você perde no caminho pode ser visto somente como tragédias, ou... Você pegar isso e trabalhar para ficar tão doce e gostoso como esse vinho. Eu não sei bem usar as palavras, mas... Quando olho pra você, o que vejo é exatamente alguém doce como o vinho, e cada dia que passa fica ainda melhor. Melhor é o fim das coisas que o início delas. Não lamente pelo passado, sobre como eram as coisas. Tudo nessa vida passa por três transformações: Forma, cheiro e sabor. E posso garantir a você, minha princesa: Você é melhor que o vinho, mais deliciosa que a carne, mas afrodisíaca que a pimenta...

Veio um beijo. E outro. E outro. Sua língua agora temperada com sabor do vinho e da pimenta, agora caça alucinadamente a minha. Seu beijo fica profundo, e a medida que passa sua respiração fica mais forte e rápida. Scarlet passa a mão sobre a minha coxa e sente o volume do meu membro latejando entre seus dedos.

Envolvo-a com meu braço e puxo sua cabeça pela nuca e com a outra mão sua cintura. Ela avança sobre mim e fica deitada sobre meu corpo, e uma violenta onda de feromônios toma todo o ambiente. Desabotoa lentamente minha blusa e beija meu peitoral passando a língua sobre o bico dos meus seios. Ela é delicada, olha com muita sensualidade e sofreguidão, pedindo para avançar centímetro por centímetro sobre mim. Desce beijando meu abdome, dá leves mordiscadas em minha barriga saliente, rs, arranca meu cinto e baixa lentamente minha calça, me deixando somente de cueca box azul-marinho.

Meu membro rijo e grosso é massageado pelas suas mãos pequenas, mas ainda não é sacado de dentro do último tecido que encobre das suas vistas. Mas afasta-se de mim e pede um momento para ir ao quarto.

Parece que é minha primeira vez, véio, rs. Quando ela retorna, cinco minutos mais ou menos depois, está trajada numa linda lingerie vermelha rendada e um extravagante decote em V. Seu corpo é lindo, e causa-me arrepios ainda mais lancinantes.

Scarlet: Hora da sobremesa gostoso, preparei com muito amor durante esse mês pra você e tô louca pra ser provada. VEM!

Quando me levanto e fico de frente pra ela, conduz-me de uma forma primitiva a altamente sensual: Saca meu mastro e vem me puxando por ele até o seu quarto, que está caprichosamente iluminado por velas aromatizantes, uma delícia, gente. Na mesinha de cabeceira um vinho tinto num balde de gelo. Era um Malbéc argentino. Ainda bem que fomos bem moderados, sorvemos uma taça de cada. Mas aquele, pelo visto, era algo bem mais potente, e notei durante o papo que cada dose diferente aumentava a receptividade e a libido dela. Esse último era o melhor vinho da noite, e como não havia taças no quarto, era perceptível quem era a sobremesa e qual seria a calda, rsrsrs.

Ainda em pé, ela assentou-se em sua cama e de frente para meu pai iniciou uma doce massagem por toda a sua extensão, e sua boca carmesim bem próxima a ele expirava um hálito quente e enchia-se de saliva. Lambeu por todo o comprimento dele, e com as duas mãos aplicava uma pressão alucinante na minha glande.

Deu um beijo, depois massageou minha glande com sua língua antes de finalmente enterrá-lo em sua boca para o melhor sexo oral que já recebi na minha vida.

Eu: Oh, Scarlet, que delícia...

Mas ela sugava com uma força, trazendo todo meu prazer retido quase à tona, tive que me segurar para meu leite não banhar seus lábios. Com uma mão sincronizava junto com o vai-e-vem de sua boca e a outra... Passeava sobre todo o meu corpo e apertava meus glúteos. Coloquei um dos pés sobre a cama e estoquei lentamente na boca da minha anfitriã, que agora era uma puta insaciável. Trocávamos olhares lascivos, ela me olhava como uma escrava disposta a satisfazer qualquer desejo meu. E punhetava meu pau e lambia minhas bolas. Naquela hora, desprendi-me de qualquer limite e me entreguei inteiramente ao gosto dela. Ela por sua vez, deixava que eu penetrasse e aumentasse o ritmo em seus lábios. Curvei-me sobre ela e arrebatei-a num beijo sôfrego e ainda mais intenso. E deitei-a para então deliciar-me da farta sobremesa.

De joelhos, e envergado sobre ela, abusei das caricias com minha língua em seu pescoço e seios, massageando também seu grelo e lábios já encharcados com uma das mãos. Paulatinamente, despi seu corpo de cada peça que impedia-a de ser provada como queria. Quando finalmente seus enormes seios ficaram livres, abri a garrafa do vinho, dei-lhe um gole abundante , deixando que um pouco escorresse pelo canto dos lábios e arrebatei aquelas gotas teimosas com meus lábios provados no dela.

O que se seguiu então a deixou duplamente mais excitada e molhadinha: Derramei o Malbéc sobre seus seios e chupava, causando-lhe arrepios. Derramei em seu umbigo vários goles , sorvendo lenta sofregamente para seu delírio. E por último, deixei escorrer vinho pela sua vagina e bebi junto com seu mel. Dei a ela o melhor sexo oral que ela jamais provou. Gozou muito, mano, dessa vez eu abusei das sugadas, chupadas. Que mulher espetacular, cara. A sua maturidade lhe conferia uma foda inesquecível, e quanto mais era explorada, mais sedenta e insatisfeita era.

Scarlet: Me possui, me fode gostoso, vem! Enche minha buceta de pica , não aguento mais!

Então coloquei-a de 4 e introduzi meu pai lentamente, começando um vai-e-vem explorando cada polegada daquelas cavernas de luxúria. Ela gemia alto, agora. Exaltava a dureza do meu membro, e estava duro mesmo, mais que qualquer outra ocasião que eu tenha alguma recordação agora para lhes contar, aquela mulher me enlouqueceu de uma forma que eu queria violá-la até a alma, como se ela ainda estivesse selada.

Eu: Quanto mais velho o vinho, mais gostoso , mais gostoso ele é, minha rainha. Assim é você. A vida preparou para este momento nosso tudo que há de melhor em nós. Sou todo seu!

Scarlet: Então me toma inteira, meu ébano, fode sua putinha, quero ser tua todo dia!

Aquelas palavras cheias de devassidão enlouqueciam-me a ponto de eu sentir vontade de surrá-la de paixão até ela chorar. E foi o que eu fiz. Chorava e ria, olhando pra mim como quem dissesse: " só isso, baby!? Me sodomize sem pena", e dava tapas fortes na sua bunda, deixando-lhe marcas, ela respondia rebolando e pedindo mais força. Que puta ensandecida, véio! Só que ela esqueceu que sou um negão com preciosos anos a meu favor.

Aumentei a velocidade e a força , e ela encharcou meu pai com sua essência... E queria mais! Desabou de bruços sobre a cama, para recuperar suas energias, e mergulhei no seu enorme traseiro dando-lhe um sodômico beijo grego. Foi à loucura.

Scarlet: Aiiihhh, seu animal, gostoso, você não tem limites! To ficando dependente de você, sabia!?

Eu: Quero te sodomizar, foder-te até a alma, te dar tudo que te provaram de sentir até hoje. Somente um desejo teu, serei escravo e darei tudo que pedir!

Scarlet: Então libera essa fera, vai! Meu macho, meu homem, meu galudo!

Introduzi meu membro rijo em seu íntimo secreto paulatinamente para não machucá-la. Aquela pressão sobre meu caralho era alucinante. Nem a dor a fez pedir que parasse. Ela gritava, mas se lançava em direção a meu corpo, e pedia para estocar com força. Atendi o desejo de minha anfitriã e castiguei-a até gritar de prazer e encharcar seu lençol num novo orgasmo.

Que mulher é aquela, parceiro! Preenchida, violada e totalmente satisfeita, pediu minha essência toda em sua boca. Quase não consegui levar-lhe tudo que estava carregado dentro de mim. Mas ela bebeu quase tudo.

Scarlet: Nem te conto há quanto tempo não tenho uma experiência dessas! Bens a Deus, que presente que ganhei....

Eu: Te quero, Scarlet! Quero cuidar de você, quero que seja minha!

Scarlet: Lindo... Claro que aceito!

Minha primeira namorada em seis anos solteiro! Essa me conquistou de todas as formas que jamais alguém tinha feito.

Quando seu filho veio visitá-la e soube da notícia, teve aquele ciúme básico no início, mas ficamos muito amigos depois.

E de lá para cá, minha companheira de todas as tardes nunca mais me deixou sozinho na banca. Aprendi a cozinhar muitas coisas deliciosas com ela, e ela aprendeu a experimentar muitas outras coisas comigo.

Emagreceu mais uns quilinhos, mas eu não deixei ela ficar abaixo do peso, não, gosto dela gordinha. E o melhor de tudo: Nunca mais precisou de tomar antidepressivos para bombardear seu corpo. Está bem nutridinha, hehehehe.

Espero que tenham gostado da minha história, pessoal.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.