"Os mais excitantes contos eróticos"

 

7 - Freira tarada por sexo


autor: bernardo
publicado em: 28/07/16
categoria: hetero
leituras: 10883
ver notas


O que passo a relatar a seguir, a pedido de Edson, ocorreu há uns seis meses atrás, com ele, na contratação de um orçamento para reforma de um porão em um convento. Edson, é engenheiro civil, casado a 13 anos. Jamais, nesses anos de casado havia tido qualquer experiência fora do casamento, pois é evangélico.Sempre foi um homem sério, dedicado a esposa e filha.

Por esses motivos, o que houve, apesar de haver se envolvido completamente, o faz sentir com uma sensação incomoda de culpa pecaminosa, mas ao mesmo tempo, o seu pensamento libidinoso não o deixa esquecer.

Ele tem um escritório de engenharia onde trabalha com outras cinco pessoas, sendo ele o engenheiro que executa projetos e construções. Em um sábado pela manhã, recebeu um telefonema de um convento, pois a madre superiora queria orçamento de reformas a serem feitos no porão do convento. Madre Tereza, disse que ele estivesse no convento pelo final da tarde de sábado, devido aos seus compromissos. Era o destino preparando a peça que iria lhe aplicar.

Chegando no local, a madre Tereza o atendeu:- Doutor! Pode ir ver o porão que eu estou ocupada, indicando o caminho. Demorou uns trinta minutos, e a madre, estava no porão junto com ele, lhe perguntando se achava o lugar apropriado para fazer um arquivo morto. -“Sim, madre pode ser feito, mas teremos que deixar o lugar bem iluminado, pois a luz existente é muito fraca e a ventilação e inadequada ao uso, muito abafado”, -disse-lhe Edson.

"-Pode me chamar só de Tereza, que eu te chamarei de Edson, tudo bem"? - disse-lhe a Madre.

"-Ok". -respondeu-lhe Edson, acrescentando que teria que fazer algumas medições, e que levaria alguns minutos, e que ela poderia sair, pois, estava muito abafado além de que poderia se sujar. Surpreso, Edson a ouviu dizendo:

-" Ficarei junto contigo e lhe ajudarei a medir. Ele respondeu: - "tudo bem, mas daqui um pouco estaremos suando muito"... mas mesmo assim começaram a medir, e de repente ela disse que estava com muito calor, e que iria tirar o véu de sua cabeça. Edson ficou perplexo com a beleza do seu rosto, a boca, os cabelos, além de ser de uma simpatia contagiante, e ficou a admira-la.

Ela lhe perguntou: -"O que foi Edson"? Ele disfarçou e voltaram a medição. Edson reparou que quanto mais eles mediam mais suavam e a irmã Teresa começou a olhar diferente para ele. De repente ela diz:

-"Sabia que você tem um belo corpo, Edson"?

-"Como assim, Tereza? O que você quer dizer"? Perguntou-lhe o engenheiro.

-"Sabe, Edson... eu tenho desejos como toda mulher, tenho fantasias..." e passou a dizer coisas sobre o corpo dele, principalmente suas costas, pernas e bunda, dizendo também que a esposa dele devia estar bem realizada sexualmente com ele. Edson ficou assustado, sem reação ao ouvir aquelas palavras. Jamais se imaginou naquela situação. Talvez pensando que seu silêncio era de aprovação ela passou a fazer afirmações mais arrojadas, dizendo que se masturbava muito pensando em um homem com ela ali no porão do convento:

“-Várias vezes, quando venho aqui, me masturbo, penso em ser possuída por um homem de várias formas e jeitos”. Ele permanecia imóvel, somente a escutá-la. Completamente perplexo com aquela situação e o tesão já visível tomando conta do seu corpo, pois era nítido pelo volume que se formara na sua calça.

-"Edson, se você quiser eu não falo mais nada e nós dois saímos daqui como se nada tivesse acontecido. Só lhe peço que não conte sobre o que aconteceu aqui para nenhuma pessoa". Pediu-lhe a Madre Teresa.

-"Está bem, Tereza. Você sabe aonde isto pode acabar, que significa tudo o que está me dizendo". Disse o rapaz nitidamente com tesão pela situação criada.

-"Certo, Edson, mas é importante para mim terminar de falar sobre isso. Me liberar dessa fantasia, principalmente o que significa depois de uns trinta anos, sem ter nenhum tipo de sexo, pois tenho hoje, quarenta e nove anos. Desculpa, mas tenho que dizer: tudo em você me dá um “tesão” incontrolável...A tua boca, seu peito....tua língua molhando o meu corpo, suas mãos me agarrando com força... ". Disse-lhe a Madre.

- "Tereza, você está me deixando louco..." - murmurou, o engenheiro.

- Edson, muitas vezes me imaginei chupando um pinto aqui no porão, acariciando suas pernas, sua bunda e gozo demoradamente sentindo minhas mãos tocarem minha vagina, quente e latejante, sedenta por um pênis suculento e gostoso. Imagino uma boca me chupando, me chamando de puta, vagabunda, freira, putona me chupa, muitas vezes murmurei baixinho: "-eu vou realizar minha fantasia, mas para isso eu preciso escolher a pessoa correta", e você, é esta pessoa, esse homem, gostoso, que vai me possuir, hoje, de todas as formas e maneiras, me come, me fode, faça de mim uma puta, por favor"!!!.

- "O que você quer que eu faça, Tereza"? Perguntou-lhe o engenheiro.

Seus olhos brilharam...e ela disse: “-como eu gostaria que nós dois, tirássemos todas as nossas roupas, e nos amassemos, Edson... me fode gostoso, por favor, me ajuda a realizar minha fantasia”!

Ela parou de falar e se pôs a tirar a roupa um pouco trêmula, deixando aparecer seus seios pequenos e brancos juntamente com todo o seu corpo, igualmente branco, coberto a anos por um hábito preto que agora jazia no chão. Nuazinha com seios pequenos e firmes, pelos na vagina, demonstrando que não tinha o costume de depilar-se, aproximou-se do rapaz que estava estático, cariciou-lhe a face, passando o dedo polegar em seus lábios e como uma loba faminta, começou a lamber o seu rosto, a forçar o seu corpo contra o corpo dele, e com uma rapidez enorme, agarrou o seu membro duro que nem uma rocha, por sobre a calça enquanto beijava-lhe a boca carnuda.

De repente abaixou-se, abriu o zíper da calça e tirou o pau dele para fora e disse: -"nossa, Edson, como ele é grande! e perguntou, com voz de cadela no cio: -"Posso"? Sem falar nada, ele fez sinal com a cabeça que sim, deixando a calça cair por completo juntamente com a cueca. Quando sua boca encostou na cabeça do pau, ela exclamou: -"uau, meu sonho estava sendo realizado". Por alguns segundos ela continuou a chupa-lo, em um delicioso boquete. Sua língua passeava pela cabeça do pau, ia e vinha e tentava engoli-lo todo.

Era uma sensação incrível para ambos, e ele estava a ponto de gozar em sua boca, tamanha era a força com que ela chupava, ela olhou para o seu rosto e perguntou-lhe com cara de puta safada:- -"Dói, Edson?" -"Não..". ele respondeu com voz trêmula, quase gozando.

Depois de se esbaldar na vara do engenheiro, ela se levantou e sua boa foi ao encontro da boca dele beijando-o sofregamente de uma maneira que jamais havia beijado alguém. Foi um beijo demorado e ardente. Apenas, por uns segundos, ele pode tocar em seu corpo carnudo, macio, cheirando a sexo.

-“Tereza...eu sou evangélico, isso que estamos fazendo é pecado...”. Disse-lhe o engenheiro.

-"Fique calmo, Edson... deixa eu fazer carinho nas tuas pernas e na tua bunda, se deite por favor, pois quero te chupar todinho...." Disse-lhe Teresa.

Ele obedeceu prontamente e sem hesitar, fizeram um 69. Sua vagina, estava bem lubrificada, com uns pentelhos bem grandes, e o cuzinho bem peludo, pois nunca tinha se depilado. A buceta era suculenta, carnuda, e o cuzinho rosado, tudo ali a disposição dele, e ela o chupava como uma desesperada. Ele sentia-a totalmente à vontade, então passou a colocar um dos dedos em seu cuzinho, e a força-lo para dentro, enquanto ela gemia gostoso dizendo: “-Edson, que gostoso, aiiii....meu Deus.... que coisa mais boa....aaaiii, você vai me levar à loucura...” e enquanto gemia, chupava o pênis do Edson como se fosse uma bezerra desmamada.

Ele disse: -"Tereza.... eu vou gozar..." Ela respondeu: -"Goza na minha boca meu machinho, quero sugar toda a sua porra, meu evangélico gostoso, safado, tarado, quero ser sua puta". E entre gemidos e sussurros, Edson jorrou seu néctar na boca de Tereza que sentia todo o gozo do seu homem lambuzar sua boca e seu rosto, enquanto rebolava como uma doida e gritava anunciando que também iria gozar na sua boca. E ele sentiu também o seu gozo, -"aiiiii, que gostossssssso, você é uma mulher muito gostosa".

Depois disso, ficaram quietos imóveis, sem nenhum barulho ou movimento, para aproveitarem o momento especial que estavam vivenciando, principalmente para ela que esperou muitos anos por isso. Não demorou muito para Edson perceber de que ela queria muito mais que aquilo, ela desejava ser uma mulher completa e teve certeza disso quando a ouviu pedir: -"Edson, sabe porque estou fazendo isso. Jamais segurei ou olhei um pênis que não fosse o do meu tio, desde que eu fui abusada, violentada por ele quando tinha 14 anos de idade, e você está sendo tão importante para mim, para eu deixar de guardar esse trauma dentro de mim desde adolescente".

Ouvindo tal confissão, Edson se sentiu importante e segurou a cabeça dela e puxou-a de encontro ao seu ombro, e sentiu suas lágrimas caírem dos seus olhos, meigos e sinceros. Então ele pode entender que Deus tem os seus propósitos e o dele, era dar o maior prazer para aquela mulher, naquele momento: -"Tereza! Você é uma pessoa especial, e se depender de mim, vou fazer com que você esqueça esse trauma e se torne uma verdadeira mulher e sabe de uma coisa? estou morrendo de tesão, ... fique de quatro... por favor pois quero te mostrar todo o meu sentimento de tesão por você. O que está acontecendo aqui é a realização de um sonho mais impossível....do meu desejo mais louco... eu queria possuir outra mulher, que não fosse a minha esposa, e você, é demais..."

E ficando de quatro arrebitando sua bundinha branquinha balbuciou: “...me fode, Edson... me fode meu macho, meu homem...me fode... me fode, coloca tudo... coloca bem fundo...me arromba com essa vara deliciosa". E rapidamente Edson começou a penetra-la, com o seu membro duro, quente e latejando, naquela vagina, maravilhosa. Pela primeira vez na vida ele estava penetrando uma buceta que não fosse da sua esposa que se casou virgem com ele. Pela primeira vez seu pau era engolido com tamanha vontade por outra mulher, onde sentia os músculos vaginais dela apertarem o seu membro, dando-lhe uma sensação gostosa, e começou um vai e vem alucinante, onde ela rebolava e gemia como uma louca. Os movimentos foram ficando alucinados, até que em uma estocada mais forte ele soltou um urro: -"huunnrrr... Tereza...eu tô gozando...”. E ela respondeu incentivando-o: “Goza, Edson...goza tudo dentro de mim.... não pára... não pára... mais...forte..." E assim ele sentiu a ejaculação inundando dentro dela, e ao mesmo tempo, ela se contorceu em um orgasmo forte e demorado chegando a escorrer liquido pela sua vagina.

No silêncio do porão pairava uma cumplicidade muito grande, um cheiro gostoso de sexo, é certo, como disse no início, o sentimento, de culpa aparece, mas é certo também, que Edson conheceu sensações que jamais imaginou existirem. A luxuria, a volúpia e a libidinagem tomam conta dele, que pediu à Tereza: -"Quero que você, chupe o meu pinto, deixe-o bem duro, pois vou comer o seu cuzinho, está bom, minha puta gostosa"?

Sem qualquer timidez, ou repulsa, ela abocanhou o seu membro, e começou uma chupeta que o deixou muito louco. “-Por favor, Edson! Seja bem carinhoso, comigo, pois o meu cuzinho é intacto...!!!!!!" Disse-lhe Tereza.

Ele não pode se conter de tesão, e com um movimento ficou sentado no chão, e pediu para ela se sentar no seu membro duro como ferro em riste. Ela tentou sentar-se, mas reclamou: -"Edson, vai doer muito, assim não!!!!!". -"Tereza, sua puta, fique de quatro então, que eu vou passar um pouco de cuspe, na entrada do seu cuzinho". E assim fez, cuspiu e colocou o seu dedo indicador inteiro dentro, começando um vai e vem, enquanto ela pedia entre gemidos: -”Edson, põe tudinho agooorrrrrra.......põe o teu pinto agora.” Ele deu uma lambuzada com o pinto na buceta dela, e mandou brasa forçando-o para dentro. Como era apertado, parecia que estava sendo rasgado, ela se contorcia e gemia: -“Aiiiiiii, devagar..., está bom, mais devagar...”

Ele foi estocando cada vez mais forte até que começou a sentir uma certo relaxamento muscular de seu cuzinho, como se estivesse se acostumando com o seu membro dentro, ao mesmo tempo que ela se masturbava com uma de suas mãos. -“Edson, está ficando gostossssssssooooooo........, me fode, com mais força.....vai.....força...mais rápido, eu vou gozar.....goza dentro do meu cuzinhoooooooo!!!!!!!!" Ela pedia com insistência. E ele dizia: -"rebolar cadela, minha puta, freirinha putinha, galinha, vadiaaaaaaaaaaa, rebola pois vou gozar!!!!!!! Ahhhhhhhhhhh..........." Foram momentos de quietudes mais incríveis da vida de Edson, sentindo suas bolas doerem.

Se recomporam e se vestiram. Ele deu-lhe um belo beijo na boca dizendo: -"Tereza, você é uma mulher extraordinária.." e ela: "-Edson, é você que é maravilhoso. Muito obrigado. Não vou esquecer este dia nunca mais".

Passaram-se algumas semanas e ele foi lhe apresentar o orçamento da reforma do porão, ela por sua vez disse: -"Doutor, Edson! Eu estive conversando com as demais irmãs, e elas acharam melhor, o Senhor dar o orçamento total para a reforma do convento inteiro.

Muito bem meus amigos e caros leitores, Tereza não só é uma ótima mulher, mais uma excelente cliente e uma Madre Superiora muito bondosa que se preocupa por demais com o bem estar e felicidade das suas co-irmas, principalmente com as noviças e as meninas do internato e, assim, Edson conseguiu unir o útil ao agradável.

E ai, Gostou? Se excitou? Quer ver onde vai dar essa história toda? Peça-me a continuação antes de sair. Se desejar podemos conversar sobre o assunto. Skype: bernard.zimmer3 ou e-mail. bernard3320@live.com ou WhatsApp: 11944517878




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.