"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Respondendo um anuncio


autor: Grisalho43
publicado em: 01/08/16
categoria: hetero
leituras: 1463
ver notas


Certa vez, entrei no site de uma famosa casa de swing e por curiosidade li um anuncio com fotos de um casal, pela descrição ela uma loira de 42 anos um pouco acima do peso, seios fartos e firmes, bunda firme, pernas grossas, totalmente depiladinha, usava apenas sandálias de salto alto, aquela imagem me deixou louco de desejos e o texto era mais ou menos assim:
“Casal do interior de São Paulo procura homem acima de 45 anos, para iniciar minha esposa para transar na minha frente com ou sem minha participação”
Respondi ao anuncio sem muita expectativa de resposta pois existia inúmeras respostas para aquele anuncio, uns com palavras muito chulas e com erros de português grotescos, passado uma semana mais ou menos recebe um email com a resposta do casal.
“Olá amigo, me chamo Jorge e minha linda esposa Ana Maria, somos de uma cidade distante da capital uns 400km, e sempre que transamos eu imagino Ana transando com outro homem na minha frente, no inicio Ana achou um absurdo, mas com o passar do tempo ela começou a entrar na fantasia e gozava com muito mais intensidade, o problema amigo é que precisamos convence-la a porem pratica essa minha fantasia, por favor se não for pedir muito, poderia encaminhar algumas fotos sua para que Ana veja como você é?”
Respondi ao email e mandei algumas fotos que recentes que estavam em meu computador, e também passando alguns detalhes sobre mim, dois dias após quem reponde é a própria Ana.
“Olá, gostei muito de suas fotos e estou tomando coragem para iniciar nesse mundo liberal, confesso que sinto uma mistura de medo, e muito desejo pois você é um homem muito atraente, bonito e elegante, e como estou fora de forma não me sinto tão confortável assim, quero deixar claro para você que não sou puta, meu marido não é corno e não gosto de vulgaridades, espero estar sendo clara o suficiente para que caso aconteça nosso encontro você vir a falar que não tinha conhecimento dessa regra.”
E foram trocados inúmeros emails por quase 4 meses, e a cada email percebia que Ana estava cada vez mais solta, e ainda não havia mandado nenhuma foto do casal, no ultimo email passaram um data em que estariam em São Paulo, a chegada deles estava prevista para sábado por volta das 15H.
No sábado combinado estava de plantão quando recebi um whats do casal informando que estavam na estrada e que deveriam chegar a SP por volta das 18, e só assim recebi as fotos dela, o local escolhido para o encontro foi um Shopping da zona norte de SP, mais especificamente em um café, mandei pelo whats como estaria vestido e que chegaria com alguns minutos de atraso, durante o percurso ele ligou dizendo que estava a minha espera e que Ana estava muito nervosa, que minha abordagem deveria ser muito light para não assusta-la.
Chegando ao ponto marcado vi uma mulher muito bonita, cabelos loiros, um vestido solto, amarelo com algumas estampas salto alto, um ligeiro decote bem provocativo, estava sentada com as pernas cruzadas olhando para os lados creio que a minha procura, como estava só achei que fosse a mulher errada, quando um homem se aproxima se apresntando.
- Boa noite sou o Jorge, como você esta?
- Boa noite Jorge, vou bem, fizeram boa viagem?
- Sim, Ana esta muito nervosa, vá com calma.
- Vamos nos sentar e você faz as apresentações?
- Cara, estou ansioso para vê-la com você.
Jorge foi na frente e na hora que fui me aproximando Ana começou a ficar corada, não sei se foi de vergonha, nervosismo ou tesão, ela me mediu de cima em baixo, estava usando um sapato de camurça sem meias, calça jeans aquelas com rasgos, camisa branca, e um blazer da cor dos sapatos, e modéstia a parte Ana gostou do que viu, pois seu marido era um homem grande e obeso, Ana se levantou e pude ver melhor aquela mulher bem de perto, nos apresentamos com dois beijos, aquela pele macia branquinha, maquiagem suave, e perfume bem suave já me deixou em ponto de bala, sentamos e pedi um café e água para ter motivos de ficar na mesa e ter algo para consumir, Jorge por sua vez já estava apresando para sairmos de lá e ir direto para o motel que ele havia escolhido, fiquei menos de 10 minutos na mesa e saímos, Ana saiu com Jorge e eulogo atrás para ver aquela mulher de costas, que visão, o vestido era ligeiramente transparente e a marca de sua calcinha era explicita, bem pequena e enterrada em sua bunda, Jorge se vira pra mim e diz:
- Viu que bunda maravilhosa ela tem? Que linda ela é?
Concordei balançando a cabeça sem dizer uma única palavra, do lado de fora do shopping, sugeri que Ana viesse comigo em meu carro e Jorge com o dele sozinho, Jorge concordou mas Ana recusou na primeira vez, com a insistência do marido ela cedeu e foi no meu carro, como bom cavalheiro que sou vi que Ana estava com frio e tirei meu blazer e coloquei em suas costas e quando cheguei em meu carro abri a porta para entrar, ponto para mim, quando entrei no carro era só elogios e agradecendo a delicadeza em oferecer meu Blazer, começamos a conversar e ela estava muito nervosa, com as mãos geladas, disse que não queria mas por tanto Jorge insistir ela começou a ceder e depois de analisar vários emails ela escolheu o meu por varias razões, mas a principal a colocação das palavras quando me referia a ela, e ainda diz:
- Estou muito nervosa, não sei se vou conseguir, caso não se concretize por favor entenda minha situação.
- Não se preocupe com isso Ana, entendo perfeitamente sua situação, no motel eu peço um vinho e caso não aconteça nada pelo menos vamos beber e nos conhecer melhor.
- Não se preocupe com nada disso, Jorge comprou três garrafas de vinho, uma tabua de frios e queijos, trouxemos taças, outros petiscos, vou pedir que vc aguarde ou no carro ou na sua suíte e quando estiver tudo pronto Jorge liga para você entrar, trouxe algumas lingeries e outros itens para apimentar a brincadeira.
- Perfeito, deixo você na sua suíte e aguardo na minha.
Pegamos suítes coladas uma na outra, e como prometi Ana foi para sua suíte, e eu para minha, a demora foi tanta que eu já estava achando que não ia rolar mais nada quando toca meu celular e Jorge diz:
- Pode vir
Poucos metros nos separava mas parecia uma longa caminhada, quando cheguei no quarto a mesa estava arrumada com tudo aquilo que Ana disse e mais um pouco, Jorge estava de banho tomado, usava um roupão e não estava vendo Ana, poucas luzes acesas um luz bem baixa no quarto e iluminação direta sobre a mesa, nisso aparece Ana, usava um vestido branco muito delicado e transparente, sandálias de salto alto, uma maquigem bem suave, sem sutiã, quando chegou a mesa me levantei, tentei um selinho mas não permitiu, ao fundo uma musica muito chata, um volume médio para alto, havia apenas 2 cadeiras na mesa e Jorge correu pegar um banquinho para ele, puxei a cadeira de Ana para ficar ao lado da minha, e Jorge ficou sentado em nossa frente, soltando elogios e pilhando a mulher para que ela relaxasse e aproveitasse, ele encheu nossas taças e brindamos ao primeiro encontro, e quis mais uma vez selar com um beijo em Ana mas nada aconteceu, reclamei do volume e da musica que era muito chata com o propósito de Ana tentar achar uma estação, Jorge entendeu meu recado e sugeriu para que ela procurasse uma musica bacana, quando Ana se levantou uns segundos depois eu me levantei e disse para Jorge:
- Deixe nos a sós e aconteça o que acontecer não vá ate lá, ok?
- Tudo bem amigo
Ana estava sentada na cama procurando uma musica agradável quando me ajoelhei diante dela para auxiliar, ela olhou diretamente para mim e pude perceber o quanto estava tremula, nervosa e com a respiração alterada.
- Ana, fique calma também estou nervoso, vamos errar e acertar juntos, você é uma mulher muito bonita atraente e bem sexy (escolhia as palavras para não ser chulas)
- Me desculpe, eu não....(nesse momento roubei um beijo, puxando-a pela nuca)
Pronto ficamos nos beijando apertava seu corpo contra o meu, e Ana estava gostando, queria que ela se sentisse segura, cheia de tesão para poder atacar e judiar dela com as caricias e preliminares, estava tudo indo bem quando percebo Jorge agarrando Ana por trás e abrindo afoito seu vestido, Ana ficou apenas de calcinha bem pequena e de salto alto, Jorge jogou seu roupão no chão e eu ainda estava vestido, Ana me beijou mais ainda e acariciei seus seios e senti o quanto firmes e gostosos eles eram, bicos durinhos, rosados escuros, beijei e mordi seus bicos arrancando gemidos e suspiros, Ana segurava seus seios e levava em direção a minha boca, suas pernas estavam ligeiramente abertas quando minha mão entro dentro de sua calcinha, ela estava toda ensopada, molhada, encharcada, buceta totalmente depilada, coloco ela deitada na cama e caio de boca para chupar aquela delicia, sua calcinha ela afastou de lado para que pudesse chupar aquele grelinho delicado e rosado, o perfume e o gosto daquela mulher era incrível, adoro um bom oral não tenho pressa em satisfazer uma mulher com uma boa chupada e linguadas, bastou poucos minutos e Ana começou a gozar timidamente e Jorge beijando seus seios e sua boca, meu dedo entrou em seu cuzinho e sentia ele pulsar de tesão, virei Ana de bruços e arranquei sua calcinha e voltei a chupa-la agora seu gemidos eram mais altos, mais intensos e rebolava sua bunda na minha cara, começou a falar:
- Não para, estou quase gozando novamente, enfia sua língua no meu rabinho, como chupa gostoso.
Jorge vendo Ana se contorcer e gemer despudoradamente coloca seu pequeno pinto para ela chupar, ela gritou e gemeu quando gozou, minha calça estava quase rasgando por conta do tesão que estava sentindo, Ana senta-se na beira da cama e quase rasga minha camisa com pressa de tira-la, desabotoa minha calça e vê o volume do meu pau sobre a cueca branca que estava usando, conforme baixa minha cueca meu pau salta em direção a seu rosto, segura minha pica dura e latejante e começa a brincar esfregando em seu rosto, beijando e por fim abocanhando, sua língua passeava pela cabeça, e voltava a engolir, fazia esforço para colocar tudo na boca mas não cabia, sugava, babava, e gemia, sua boca era aveludada, chupava com talento único, Jorge ficava ao lado dela beijando sua nuca, seu rosto e falando:
- Sou o homem mais feliz do muito, te amo meu amor, esta gostando?
- Muito, que pau delicioso ele tem, é grande, grosso e cheiroso.
Ana me puxa para a cama me deita de costas e segurando meu pau beija meu saco, sugando uma das bolas sem machucar, pelo espelho vi aquela mulher de 4 com a bunda bem empinada pronta para levar a vara de Jorge, Jorge por conta de seu tamanho quase não conseguia comer Ana, foram poucas estocadas para ele logo gozar em sua coxa, dava para ver a insatisfação de Ana com Jorge pois alem do pau pequeno ele não conseguia controlar seu gozo, Ana colocou meu pau em sua boca e eu forcei para que tudo coubesse dentro, ela não resistiu e pelo jeito gostou pois repeti algumas vezes sem reclamação e sem qualquer manifestação de ânsia, Jorge quis registrar mas Ana não permitiu, se levantou da cama e me levou ate o banheiro onde a banheira já estava cheia e com a temperatura da água ideal, entramos e ficamos nos beijando, e Ana sussurra em meu ouvido:
- Delicia que você é, faça o que quiser comigo na frente de Jorge, mostre para ela como deve tratar uma mulher.
- Tudo que eu quiser?
- Sim tudo, tudo mesmo, se quiser pode me tratar como puta, mostre como você trata uma vadia.
Ficamos na banheira quando Jorge entra trazendo duas taças de vinho e sentando na beirada apreciando sua linda esposa segurando em meu pau e beijando minha boca, Ana estava tão safada que solta para Jorge:
- Era isso que você queria? Quer ver a vadia que tem dentro de mim? (causando nítido espanto em Jorge)
- Amor se você quiser repetir mas apenas vocês dois fecho aquele hotel que ficamos na Paulista e ele te pega no aeroporto numa sexta e devolve no domingo, você quer?
- Jorge é muito cedo para qualquer plano, ainda nem transamos para ver se aprovo ou sou aprovada (e ri em seguida e me beija novamente)
Ficamos tempo suficiente na banheira para Ana ficar excitada novamente, pediu que saísse do banheiro que me esperasse no quarto que tinha uma surpresa, levei minha taça e Jorge disse que queria uma dp na esposa (pensei comigo como seria possível), alguns minutos depois Ana aparece com uma lingerie vermelha, corpete e uma calcinha fio dental que amarra na lateral, entro caminhando de salto em minha direção e engatinhou sobre a cama e começou a beijar minhas pernas, minhas coxas ate chegar em meu pau, gulosamente ele começa com movimentos lentos com a boca e aos poucos aumentava quase me fazendo gozar, virei aquela bunda deliciosa e fizemos um 69 maravilhos, soltei os laços de sua calcinha para deixar tudo exposto para mim, quando minha língua chegava próximo ao seu cuzinho ela gemia e movimentava aquela bunda para que minha língua penetrasse em seu cu, estava louco pra fuder aquela mulher quando Jorge entrega para a esposa uma camisinha que já estava fora da embalagem e Ana faz questão de colocar, quando meu pau estava devidamente vestido, Ana sentou em meu pau lentamente não precisava de gel, ela estava tão molhada que entrou direto, ela começa a cavalgar e me beijar na boca, seus movimentos eram tão cadenciados que tinha certeza que gozariamos juntos, Jorge vendo sua eposa comigo começa a se masturbar e ficar louco de tesão quando sua recatada esposa fala em tom autoritário:
- Assim que vc queria me ver? Bem puta se acabando com uma rola gostosa?
Jorge apenas balançava a cabeça e ouvia sua esposa comigo
- Esta gostando de fuder uma esposa na frente do marido?
- Sim, hoje vou te mostrar como se fode uma vadia
- Me fode gostoso, faz o que quiser comigo
Socava sem do naquela bucetinha apertada, dei uns tapas em sua bunda que fez ela arrepiar de tesão, mordia seus seios e ela pedia mais, mais forte, ela cavalgou gostoso e arqueou seu corpo para trás apoiando suas mãos em meu joelho, depois virou de costas para mim deixando aquela bunda gostosa, que levou mais tapas.
- Bate mais forte, mais forte, fode sua vadia, goza em mim gostoso, goza
Jorge nem piscava, ele tentou colocar seu pau naboca de Ana mas ela o empurrou, Ana ficou de quatro pra mim, quando comecei e colocar meu pau, ela gemeu e gritou, não demorou muito a gozar novamente agora sentia a contração de sua buceta fazendo chegar próximo do meu gozo, arranco a camisinha e coloco-a de frente;
- É porra que você quer safada, então toma, esta vendo Jorge sua mulher como é safada?
Segurei pelo seu queixo e soltei toda minha porra em vários jatos abundantes, em direção a sua boca, cara, e seios, esfregava meu pau pelo seu rosto espalhando toda a porra em sua cara, Jorge se aproxima da mulher toda largada na cama e com as mãos espalha ainda mais minha porra em seus seios.
Fizemos uma pausa para um banho, e comer alguma coisa, Ana estava marcada em sua bunda, sua buceta estava vermelha e inchada, Jorge de tanto bater punheta não consguia mais gozar, Ana saiu da mesa nua e vai ate o banheiro, quando volta vestida de enfermeira, ela não estava satisfeita ainda, dançou, rebolou, provocou Jorge e falou:
- Agora quando for dar para você vou me lembrar de pau gostoso dele me fudendo, viu só que pau lindo ele tem.
- Você gostou amor?
- Jorge você ainda tem coragem de perguntar?
- Você quer ele em nossa casa?
- Ficarei sozinho com ele aqui, lembra o que você falou?
- Hum, hum
Ana pede para que me deite de um lado da cama e Jorge do outro, ela deitou-se entre nos e olhando para o espelho ela se via segurando dois paus:
- Quando via fotos nesses sites achava que jamais faria isso, vejam vocês sou PUTA (riu)
Ela se vira e me beija, e coloca minha mão entre suas pernas, estava ainda com muito tesão, a safada não sentia prazer a muito tempo, ela segurando meu pau e começa a chupar novamente acariciava meu saco e Jorge olhando a linda Ana se deliciar me ninha rola que ja estava dura e pronta para satisfaze-la só que agora meu objetivo era seu apetitoso cuzinho, Ana fica entre as pernas de Jorge empinada chupando o pintinho de seu marido, sua fantasia de enfermeira já estava incompleta sem a calcinha para facilitar a brincadeira, beijei demoradamente aquele cuzinho deixando bem lubrificado com minha saliva, coloquei meu pau na entrada e fui colocando aos poucos ela para de chupar Jorge e diz:
- Ele esta comendo meu cu, esta me rasgando
- Quer que ele pare?
- Não, não para vai devagar esta gostoso demais.
E assim enfiei meu pau todinho naquele cuzinho apertado, Jorge beijava sua mulher e sussurrava palavras que não consegui entender, os movimentos se tornaram mais ritimados e Ana rebolava e se masturbava ao mesmo tempo, cheguei a tirar minha vara dentro dela para ver como estava seu cu, estava arrombado, tão largo que enfiei tudo de uma vez ouvindo Ana gemer e gritar de tesão, as estocadas eram tão fundas que meu saco batia contra sua buceta e sentia o quanto ela estava excitada e molhada, não demorou muito ela explode em gozo gemendo e gritando de prazer, suas mãos apertavam o lençol, Jorge força Ana para que ela cavalgue nele pouco tempo depois Jorge goza e Ana se deita ao seu lado, estava louco para gozar e levo meu pau ate a boca daquela safada, ela chupa, dixa meu pau todo molhado e pede para gozar sobre eles, ela abraça Jorge e fala:
- Goza em nos, goza gostoso
Não demorou muito e o primeiro jato vai em direção ao rosto de Ana, que num impulso beija Jorge sem manifestar qualquer resistência, os jatos foram no casal como ela tinha pedido, e sua cara de satisfação era tanta que a impressão que passou é que ela queria coroar seu marido como corno participativo, a nosso brincadeira durou até quase 4h da manhã, Ana ainda tomou um banho comigo antes de ir embora, me arrumei e me despedi do casal, ambos fizeram questão de descer até a garagem onde estava meu carro, Ana usando o roupão saca do bolso um cartão e quando me beijou colocou em meu bolso e disse:
- Me ligue quando puder, não diga para Jorge que você tem telefone.
- Pode deixar.
- Tenho mais uma surpresa para você
Tira seu roupão e fica totalmente nua na porta da garagem não se importando com os carros que passavam por lá, foi uma noite maravilhosa e nossos encontro se tornaram freqüentes graças a uma grande obra que Jorge é responsável e fazendo de suas vindas a São Paulo rotineira.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.