"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Punheta nos peitos da prima


autor: Prof_Mg
publicado em: 02/08/16
categoria: hetero
leituras: 3246
ver notas


A história que vou contar se passou no interior de Minas Gerais, logo no inicio da minha faculdade, há quase 10 anos. Há alguns anos moro sozinho, adquiri minha independência cedo. Nasci no interior de Minas mas mudei-me para a capital, onde arrumei um emprego e consegui começar uma faculdade! Trabalhava o dia todo e de noite estudava. Belo Horizonte é uma cidade muito procurada por nós mineiros, seja para compras, seja para estudo ou festas. Como minhas condições financeiras não eram das melhores, não saia muito, ficava mais em casa. Certo dia, tive a grata notícia de que uma prima iria até BH realizar um curso durante um final de semana, todo mês. E eu adorava está minha prima, tinhamos pouco contato na infância, até mesmo na adolescência, mas após um encontro de família, houve um contato maior, com mensagens e ligações. Era uma menina adorável, alegre, esforçada e que me fazia muito bem saber que ela estava "ali perto", apesar da distância. Falavamos de tudo, até mesmo sobre relacionamentos e algumas aventuras, mas falar sobre sexo ainda era um pequeno tabu. Crescemos e nos tornamos jovens bonitos. Ela não era alta, devia ter seus 1,60m, no máximo 50kg, olhos cor de mel, cabelos castanhos e curtos, pele bem lisa e clarinha...e um corpinho que sempre me fazia deslizar os olhos pelos contornos! E quando soube que ela viria, assumo que fiquei muito feliz pela companhia que teria em alguns finais de semana, sem pensar na parte de ficar a sós com ela na minha kitnet, só que também tinha uma curiosidade de como seria! E para a família dela, ela ficaria na casa de uma amiga durante o final de semana do curso. Minha kit era pequena, mas confortável, e só tinha espaço para minha cama, sem sofá e sem quartos. A primeira vez que ela foi fazer o curso e ficar em casa, saímos pra comer e voltamos para a kit. Deitamos juntos, apenas um abraço e nada de mais. Só que aquela presença despertou em nós dois algumas curiosidades e entre uma ida e outra dela, as conversas iam ficando mais íntimas, ousadas e deliciosas! Não demorou muito para começarmos a trocarmos mensagens mais calientes e a próxima data do curso dela ficava sendo aguardada com uma boa expectativa. Apesar de toda a provocação, fotos sensuais, nuas, vídeos e até mensagens de voz com gemidos e palavras de desejo, quando estávamos cara-a-cara havia um pouco de timidez...mas também de desejo. Até que certo dia, quando deitamos juntos, o clima começou a esquentar. Começou com um abraço em conchinha...e não demorou para que meu pau endurecesse e começasse a cutuca-lá pelo shorts finos de nossos pijamas. Como não uso cueca para dormir, era nítido o volume que se levantava. E ela percebeu. O clima de tesao ia aumentando e fui subindo minha mão até alcançar seus seios, de uma volume gostoso e bem pontudos. A princípio ela resistiu, tirou minha mão, mas percebendo que não havia muito o que fazer, lentamente foi cedendo. Pedi para segurar meu pau e ela negou. Puxando-a pra mais perto de mim e tentando provocá-la com uma encochada mais forte, pedi de novo...mas dessa vez ela negou de forma menos decidida. Até que peguei em sua mão e a coloquei por cima do meu shorts....e este momento foi delicioso. Por mais que ela negasse e ainda resistisse, segurou o meu pau e depois colocou a mão por dentro do meu shorts que já estava todo molhado. Com sua mão pequena, unhas bem feitas que me enchiam de tesão, ela foi punhetando devagar o meu pau molhado...e aos poucos ela ia soltando alguns gemidos que me excitavam demais! Meu pau não é muito grande, tem seus meros 17 cm, mas é grosso, com uma cabeçona bem roxa e bem definida. Fui beijando-a no pescoço devagar enquanto ela me punhetava e eu segurava seus peitos com vontade. Adorava encher minhas mãos com aqueles peitinhos pontudos. Conforme beijava seus pescoço e lambia sua orelha devagar, a punheta se intensificava e eu ia descendo minha mão pela sua barriguinha lisinha até chegar por cima do shorts dela por entre suas pernas. Tentei colocar minha mão por dentro da calcinha dela mas ela não deixou. Mas deixou que eu tirasse sua blusa e chupasse aqueles peitos gostosos. Imagino que ela nunca pensou chegar a este ponto com um primo, e por isso não quis transar comigo naquele momento apesar de estar com bastante tesao. Mas eu não me aguentava e virei-a de barriga para cima e abaixei meu short. Percebendo que naquela noite eu não conseguiria ir mais além, e por não querer forçar algo que pudesse estragar nossa amizade, decidi não insistir...só que não deixaria por tão pouco. Sentado sobre ela e vendo aqueles peitinhos deliciosos, coloquei-os todinhos na minha boca e chupava a pontinha deles e passava meus lábios carnudos sobre eles...ela já não resistia neste momento. Então comecei a bater uma punheta gostosa enquanto ela me olhava. Descia com minha mão até embaixo, meu pau molhado e latejando, ora devagar, ora rápido, e me excitava ver a carinha dela se enchendo de tesão em ver aquela cena. Não demorou muito até que acelerei a punheta e gozei nos peitos dela! Uns jatos longos e cheios de porra acumulada, lambuzando todos seus peitos. Naquele momento a feição dela era outra totalmente diferente da prima que conhecia, o tesao saindo pelos olhos e a boquinha aberta como que se pedisse mais. Por mais que vínhamos nos provocando por mensagens nesse tempo todo, aquele ainda não era o momento para que rolasse o que queríamos...mas que ela foi dormir molhada, isso foi! Dormimos a noite toda depois disso, nos dia seguindo ela foi para o curso...e só voltaria no mês seguinte! Mal sabia eu o que estava guardado para nós no mês seguinte...




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.