"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Mamando nos peitões da amiga


autor: Prof_Mg
publicado em: 03/08/16
categoria: hetero
leituras: 3235
ver notas


Conheci a Marina durante a faculdade. Nos víamos no mesmo xerox da esquina da faculdade e entre uma cópia e outra, começamos a conversar. Ela era menina de tudo, estatura de baixa para média, magra mas muito bonita. E eu não era um exemplo de alguém que chamava interesse pelo físico. A partir disso criamos uma amizade gostoso a, horas e horas no msn, passeios de ônibus pela cidade e investidas frustas das minha parte. Até que um dia, na formatura dela, eu cheguei nela de verdade e levei fora! Assumo que tinha boas intenções, ela era uma menina de bons princípios e boa família, e fiquei chateado quando ouvi a boa e velha frase "só te vejo como amigo". O tempo passou, nos afastamos um pouco por motivos da vida, mas há poucos anos nos cruzamos num barzinho de BH. E nossa! Que mulher era aquela que Marina tinha se tornado? Me bateu uma saudade boa das sensações que haviam ficado...e percebi que não foi só em mim esta saudade. Passamos a noite conversando e combinamos de nos reencontrar no final de semana seguinte. Durante a semana, a conversa fluiu muito fácil e as indiretas picantes foram aumentando. Eis que chega o esperado dia! Nos encontramos num barzinho mais discreto e começamos a beber vinho. Nos sentamos lado a lado. Ela usava um vestido preto e justo com um decote ousado mas os braços cobertos por um paleto claro. Conforme conversávamos, meu pau ia ficando duro e molhando minha cueca conforme eu olhava pro seu decote. Imagino que ela tenha percebido pois enquanto acariciava sua orelha e jogava o seu cabelo para trás, e depois de cochichar no seu ouvido que ela estava muito sensual e provocante, ela colocou bem os lábios no meu ouvido e disse: "estou sem calcinha...". Nesse momento o meu pau latejou e senti a cabeça do meu pau super inchada. Suavemente desci a mão pela parte de dentro da sua coxa e subi até na virilha...e ela realmente estava sem calcinha! Quando toquei de leve sua bucetinha já úmida, ela fechou os olhos e mordeu os lábios deliciosamente. Terminamos os vinhos da taça e saímos daquela mesa em penumbra do barzinho. Ela me entregou a chave do seu carro novo, na época um carro de teto solar novinho, e me cochichou que adorava ser chupada e queria estrear o carro novo! Percebi que não aguentaria chegar até um motel e durante todo o caminho, como se nada tivesse me falado ao ouvido, tirou o paleto e sentou-se de lado e exibiu-se com seus seios fartos. Me olhava como a menina que conheci na faculdade, mas com olhos de desejo. Após rodar um pouco, paramos em umas ruas que sabia serem escuras e começamos nossas carícias. Ela virou-se de costas no banco do acompanhante e pediu para que eu massageasse suas costas...e aí eu comecei a agir! Minhas mãos estavam quentes e acariciava seus ombros lentamente enquanto beijava atrás da sua orelha e mordia de leve. Minha vontade era arrancar aquele vestido e rasgá-lo de uma vez para dose-lá toda! Mas achei melhor eu me conter e ser mais carinhoso...o que aconteceria já estava certo, era so ter paciência e curtir o momento, deixando-o excitante para os dois. Conforme continuava com a massagem, puxei-a para mim, segurei seu rosto por trás e beijei seu pescoço vagarosamente. Ela gemia baixo e meu pau ia estourando minha calça. Nos beijamos de um jeito muito gostoso, com prazer e carinho juntos, e o beijo foi esquentando...a começar por uma mordida leve, mas firme, no seu lábio. De costas ainda para mim, puxei seu cabelo com firmeza e mordia de leve o pescoço dela, depois o beijava. Desci vagarosamente minhas mãos pela sua cintura e depois as subi até seus seios enquanto nos beijávamos na boca e mordíamos nossos lábios. E que seios grandes! Mal cabiam nas minhas maos. Lentamente fui colocando minha mão por dentro do vestido enquanto a outra ia puxando o vestido para cima. Logo senti aquele peito bicudo e durinho ao mesmo tempo que sentia aquela bucetinha lisinha molhada e com tesão. Ela estava nitidamente louca pra me dar e soltava gemidos enquanto a tocava. Até que ela virou, abriu o teto do carro, virou-se para mim e me disse abrindo as pernas: "quero que me chupe enquanto eu olho pra essas estrelas todas!". Aí eu cai de boca sem pudor algum naquela bucetinha gostosa! Comecei passando minha língua de baixo para cima e chupei seu clitoris durinho...enfiava minha língua o máximo que eu podia e sentia aquele gostinho tesudo! Estava tão lisinha que a língua deslizava muito fácil, de um jeito que meus lábios carnudos não encontravam a menor resistência naquela bucetinha melada! Conforme chupava, ela me espremia entre suas pernas me puxando pelos cabelos. E assim fui fazendo até senti-la se contraindo toda e aumentando os gemidos até gozar na minha boca. Uma gozada deliciosa. Longa. Molhada. Enquanto ela se recuperava subi entre as pernas dela e ela abriu minha calça e colocou a mão na minha cueca que já estava molhada demais. A cabeça do meu pau saltava pra fora da cueca. Ela colocou sua mão pequena por dentro da minha cueca e começou a me punhetar rápido segurando forte meu pau. Eu subi até seu decote e o coloquei de lado... e mamei forte naqueles peitões. Chupei aqueles bicos durinhos, beijei do lado ao mesmo tempo que o segurava com vontade. O tesao transbordava! Até que me arrisquei e a chamei para sair do carro...queria comê-la no capô do lado de fora! Ela me olhou com olhos de safada e me chamou de "mandão". Mas sem hesitar, abriu a porta do carro e saímos, todos desajeitados, e a encostei no carro! Sorte que estacionei sob uma arvore....a joguei sobre o capô e abri suas pernas! Ela tirou meu pau pra fora da cueca, me abraçou e disse: "Pára de me fazer esperar, coloca tudo que quero sentir você dentro de mim". Puxou meu cabelo pra ela, os lábios na minha orelha e pescoço e eu soquei com força e meu pau entrou que tudo de uma só vez até o talo. Eu meti com força enquanto ela gemia baixo no meu ouvido. Ela jogou o corpo pra trás como se oferecendo para que eu mamasse naqueles peitos que me enchiam de tesao. Pegou uma das minhas mãos e passou entre teus seios e me mandou senti-los! Aqueles peitos durinhos, gostosos! Fui socando com mais força, o corpo dela se contorcia! Percebendo que ela estava quase gozando, meti mais forte, os gemidos já nao tão baixos, pra que gozassemos juntos. Até que subiu aquela onde de calor e prazer e gozamos juntos! Ela me abraçou forte, arranhando minhas costas, mordeu minha orelha e deu um gemido delicioso! Em êxtase! Jorrei jatos grossos de porra quentinha no fundo daquela bucetinha molhada...e relaxamos abraçados. Nos abraçamos alguns instantes e entramos correndo pro carro após sermos surpreendidos por gotas geladas de uma chuvinha macia! No carro, rimos da situação e conversamos como velhos amigos! Uma noite inesquecível!




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.