"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Da internet pra realidade com Matheus


autor: rerodrigues
publicado em: 04/08/16
categoria: hetero
leituras: 1888
ver notas


Desde meu único relacionamento que durou 3 anos e 8 meses, eu nunca fui de usar aplicativos de paquera, mesmo se a intenção fosse apenas de amizade.
Com o término do meu namoro, resolvi baixar pra ver como funciona, acabei criando uma conta, publiquei duas fotos e fui dormir, afinal, era de madrugada e dali há algumas horas, eu estaria de pé.

Um pouco mais tarde, abri o aplicativo, e pra minha surpresa, tinha MUITAS mensagens e solicitações de amizade pendentes, muita delas com foto de perfil pornográficas que acabei excluindo. No meio delas, um perfil me chamou atenção, e assim que eu aceitei a solicitação, começamos a conversar:

- Oi, boa tarde. Prazer, Matheus!
- Tudo bem?
- Tudo bem sim, e você?
- Tudo ótimo.
- Que bom. Fala de onde?
- SP, e você... ES?
- Isso, mas já morei em SP.

Conversamos durante aquela tarde, como eu estava em horário de trabalho, demorei algumas vezes pra respondê-lo, mas quando cheguei em casa, continuamos a conversa e fomos nos conhecendo mais. Ele me disse o período em que morou aqui em SP, no que trabalhava, sua idade, namoros, etc. Retribuí a atenção e tinha dito que tinha saído de um relacionamento duradouro, e até pedi desculpas se a intenção dele naquele aplicativo fosse diferente da minha.

- Desculpa Matheus, estou aqui apenas pelo bate papo. Amizade quem sabe...
- Tudo bem, só de ter sua atenção já está ótimo, você é muito simpática!

Conversamos durante toda a madrugada e fomos dormir.
No dia seguinte, retomamos a conversa e assunto é o que não faltava entre nós, era bom, não era uma conversa monóloga e o assunto fluía naturalmente.
Cheguei em casa pela noite e perguntei se ele usava skype pois eu ia colocar o celular pra carregar e ficar pelo computador. Ele respondeu que não mas logo tratou de baixar e criar uma conta. Em 10 minutos estávamos no skype teclando.

Conversa vai, conversa vem, e entramos no assunto de webcam.

- Eu não tenho aqui no computador, desculpa.
- Sem problemas. Mas quer me ver?
- Não to te atrapalhando?
- Nunca me atrapalha.
- Sendo assim, pode ser, mas rapidinho pra eu não gamar.

Ele ligou a webcam e realmente era muito bonito, homens de barba me chamavam a atenção, e ele tinha um sorriso encantador, meio tímido.
Entramos no assunto de academia e ele elogiou meu corpo, dizendo que estava tudo em forma. Perguntei se ele malhava, e pra minha surpresa, ele disse se eu queria comprovar. Ele se levantou ficando de frente pra webcam e levantou a camisa, exibindo seu corpo. Era magro definido, peitoral formado e 6 gomos em sua barriga. Respondi dizendo que era melhor ele parar.

- theus, melhor parar, não estou numa situação muito confortável, se é que me entende...
- Não, é? Conte-me mais.
Ele ainda estava em pé, de frente pra webcam e sem camisa.
- Estou há um tempinho sem... sexo, então qualquer faísca, eu acabo me alterando. -Respondi com um pouco de timidez.
- E se você se alterar, o que acontece?
- Bom, se eu me alterar, eu vou acabar... enfim, você sabe!
- Sei não. Me conta, re.
- Besta rs vou acabar me tocando se eu ficar muito alterada.

Não pude ver sua reação, pois sua webcam mostrava de seu pescoço pra baixo, mas logo ele abaixou mais um pouco e pude ver seu short. Era um short de jogar bola, tecido fino, então pude ver o volume que se formava nele. Ele apoiou a webcam do celular em algum lugar, deixando suas mãos livres, e ameaçou abaixar o short. Fiquei ofegante com a situação, na hora que ele abaixou o short ficando apenas de cueca box, automaticamente minhas mãos subiram levemente pelas minhas coxas de encontro a minha calcinha. Ele ficou de lado exibindo seu volume, apertando na cueca e deixando bem visível o formato da cabeça que se formava abaixo.

- 17cm. - Ele mandou uma mensagem.

Coloquei minha mão por baixo do short do pijama e comecei a me acariciar por cima da cueca feminina que eu estava usando. Ele foi abaixando sua cueca e de repente seu pau saltou diante dela, exibindo seus 17cm, grosso, cabeça rosadinha e seu saco inchado. Pelo que pude ver, estava latejando muito, ele ficou exibindo de lado e de frente, batendo uma punheta bem lenta pra eu apreciar cada cm do seu pau.
Ele acelerou o ritmo, se masturbando com mais intensidade e dessa vez minhas mãos estavam por baixo da calcinha. Abaixei meu short e a cueca feminina até meus joelhos e comecei a me tocar. Estava muito apertada e a entradinha dela estava bem babadinha, bem lubrificada, comecei colocando um dedo massageando ela e logo estava com dois, forçando todo meu dedo e acelerando o ritmo na mesma intensidade em que Matheus se masturbava. Depois de alguns minutos, ele mandou outra mensagem.

- Nossa, que delícia rê, ta gostando?
- Muito! Meu dedo ta todo melado, to muito afim de gozar.
- Vamos gozar então?
- Vamos. Juntos. Quando eu ver você gozando, eu gozo. Sinto na entradinha já, to me segurando aqui.
- Então vem.

Nos masturbamos com mais intensidade, fui apreciando cada momento de prazer que ele me dava mesmo virtual, e quando vi seus primeiros jatos de porra, não consegui me segurar, comecei a gozar. Ele jorrava muito forte, deixando escorrer porra pela cabeça e eu me deliciava, sentia minhas pernas trêmulas, enfiava bem fundo meus dedos e ficava toda melada, escorria, fiquei me tocando até a última gota, estava ofegante, cheia de tesão. Eu precisava desse rapaz!

Fomos nos limpar, e quando voltamos, conversamos mais um pouco. Ele me disse que teria um evento na minha cidade e que passaria dois dias na casa de seus tios. Me perguntou se eu queria me encontrar com ele, respondi dizendo que estava cedo ainda, mas dependendo do decorrer daquela semana, poderia pensar no assunto.

Depois daquele dia do que aconteceu no skype, conversamos pelo aplicativo, e no dia seguinte ele estaria vindo pra esse evento na minha cidade, eu ainda não tinha a resposta e nem tocamos no assunto.

No dia do evento, quase não entrei no aplicativo, como ele não tinha me mandado mensagem, imaginei o mesmo.
De noite, fui para o evento com alguns amigos, como estava bem calor, fui de vestido.
Foi se passando algumas horas, de vez em quando eu olhava ao redor tentando encontrá-lo e pensando se realmente ele teria vindo, e pra minha surpresa:

- Rê?
Quando me virei, ele estava de pé em minha frente, sorrindo de canto e seus olhos brilhando. Fiquei mais tímida do que de costume.
- Oi, the-theus. - Cumprimentei ele, gaguejando.

Fiquei pensando se ele estaria esperando eu ficar sozinha pra vir até mim. Caminhamos durante o evento, conversando, era bem visível como eu estava tímida, ele um pouco menos do que eu.
Esbarramos com meu ex-namorado, me perguntando com quem eu estava e pra minha surpresa, Matheus segurou em minha mão e entrelaçou seus dedos nos meus, dizendo que eu estava com ele. No momento em que sele segurou minha mão, senti uma corrente elétrica percorrendo meu corpo, e não perdeu a oportunidade de tocar no assunto do skype, perguntando se eu tinha gostado. Quando respondi e perguntei o mesmo, ele me disse: Olha pra minha calça rapidinho. Quando olhei, ele estava de pau duro, um volume bem grosso e visível para o lado, e ele tentando disfarçar. Rimos da situação e ele me disse:

- Quer ir pra outro lugar? A casa dos meus tios fica aqui próxima, há duas quadras.
- Vamos, mas não posso demorar, tá?
- Beleza.

Ele segurou em minha mão e fomos de encontro a casa de seus tios. Não era longe, somente duas quadras, e da casa mesmo dava pra ouvir o barulho do evento. A luz estava acesa, tinha alguém em casa e tentamos pensar em algum lugar, onde ele me conduziu até a garagem que era fechada.

Estava um pouco escuro, mas logo ele me conduziu um pouco mais pra trás e me encostei na parede, minha respiração estava ofegante e ele ficou em minha frente, podendo sentir minha respiração próxima a dele. Não demorou muito até iniciar um beijo bem gostoso, matando aquela vontade de sentir ele bem próximo de mim, ele me pressionava contra a parede, seu corpo colado ao meu, entrelaçando nossas línguas e eu chupando sua língua sempre que ele me dava. Eu sentia sua excitação, deslizei minha mão de seu peitoral até chegar em sua calça, apertando seu pau que estava bem duro sobre ela, e o volume estava bem grosso. Nos beijamos ofegante, ele ainda me pressionava contra a parede e intercalava seus beijos nos meu pescoço quando comecei a desabotoar sua calça e descer o zíper. Ele me ajudou a deslizar sua calça de suas pernas, ficando só de cueca e mordendo minha orelha, falando putarias em meu ouvido enquanto suas mãos me alisavam por baixo do vestido.

Ainda encostada na parede, comecei a mordiscar seu pescoço, ele estava muito ofegante e cheio de tesão, deslizei um pouco mais pra baixo até alcançar seu peitoral e passei a ponta da língua no bico de seus mamilos deixando-o arrepiado. Beijei cada um deles e fui deslizando a ponta da língua explorando cada parte de sua barriga, passando ao redor de seu umbigo e mordendo de leve cada gominho dela, deixando bem babadinha.

Me ajoelhei em sua frente, ele se apoiando com as mãos na parede e segurando em minha cabeça esfregando sua cueca na minha boca, eu podendo sentir seu volume bem gostoso e um pouco melada a ponta fazendo eu passar a língua, deixando ele louco de tesão.

Segurei na lateral de sua cueca e fui abaixando aos poucos, deixando saltar pra fora seu pau e eu segurando bem firme em seus 17cm. Estava bem grosso na minha mão, deixei bem arregaçadinho com a cabecinha pra fora e passei a ponta da língua por cima fazendo ele suspirar. Ambos estávamos muito excitados, ele afastava meus cabelos pro lado enquanto eu ia deslizando minha língua pela lateral do seu cacete até chegar em suas bolas. Estava inchada de porra acumulada, e não demorei até alisar cada uma delas com a ponta da minha língua até por fim colocar as duas na minha boca e chupar seu saco, deixando babadinho. Fiquei chupando suas bolas por alguns minutos e subi de volta minha língua até chegar na ponta do seu cacete, lambendo a babinha que a cabeça ia soltando até encaixar na minha boca. Comecei agasalhar seu pau com a minha boca e colocando cada cm dentro dela, estava muito grosso e imaginei que não caberia tudo, mas tentei ao máximo até sentir a cabeça tocando minha garganta me fazendo engasgar e deixei seu pau todo babado.

Comecei um boquete bem lento e bem gostoso, me deliciando com cada cm da sua rola que estava pulsando na minha boca. Como eu estava de joelhos contra a parede e ele em pé, ele forçava mais pra dentro, movimentando a cintura como se tivesse metendo em mim, e ficou dando algumas estocadas, gemendo baixinho e acelerando o ritmo das metidas que ia dando na minha boca. Tirei seu cacete da minha boca e voltei a chupar suas bolas, batendo uma punheta bem gostosa pra ele e esfregando seu pau em meus lábios, aquela cabeça bem grossa que não parava de babar e eu lambendo tudo sem deixar uma gota.

Depois de alguns instantes, ele me levantou e me beijou novamente, suas mãos por baixo do meu vestido afastando minha calcinha pro lado e seus dedos me acariciando na entradinha me fazendo arrepiar e gemer entre o beijo. Ele ficou me dedando, sentindo ela retrair com seus dedos todo melado e eu abrindo minhas pernas. Estava muito excitada, eu sentia ela apertadinha e piscando com seu dedo me tocando, colocando dois, ele gemendo próximo de meu ouvido e me dedando com mais intensidade, dizendo baixinho:

- Nossa rê, ta bem babadinha, do jeito que eu gosto. Vai deixar eu meter?
- Quer meter? Não to me aguentando de tesão, theus, você é muito gostoso!
- Que gostosa! vem rebolar na minha pica então, fica de costas.

Fiz o que ele pediu e me virei de costas, as mãos apoiadas na parede e eu empinando minha bundinha pra ele de pernas abertas. Ele se ajoelhou atrás de mim, levantando meu vestido e afastando minha calcinha pro lado. Quando ele passou a ponta da língua por cima dela, me tremi da cabeça aos pés, minhas pernas ficaram trêmulas e minha respiração mais ofegante. Ele encaixou sua boca na minha bucetinha e ficou me chupando, metendo sua língua bem fundo até o talo e lambendo o melzinho que ia saindo dela. Na mesma intensidade que ia me chupando, ele ia me dedando, e sua língua me chupava de cima abaixo, subindo levemente até chegar em meu cuzinho onde ficou massageando a entradinha dele e voltando a cair de boca na minha xota, lambendo toda a babinha dela.

Ele se levantou e ficou atrás de mim, roçando bem gostoso deixando eu sentir sua rola tocar em minha bunda. Com uma mão segurando em minha cintura, a outra ele segurou em seu cacete e deixou encostado na entradinha da minha buceta. Foi empurrando bem de leve sua cabeça bem grossa, e quando eu senti deslizar pra dentro, soltei um gemido bem gostoso e minha buceta pisou apertando seu pau e fazendo deslizar mais pra dentro, sugando bem de leve enquanto eu ia gemendo baixinho sentindo cada cm entrar bem gostoso e ele colocando com calma. Seu pau era muito grosso, eu sentia uma dor misturada com tesão e queria mais, até que senti ele dar uma última estocada fazendo cravar sua rola na minha bucetinha e deixou pra eu me acostumar. Quando ele percebeu que eu dei uma rebolada, começou a bombar bem de leve, tirando até a cabeça e ela piscando, voltando a colocar tudo.

Ele segurava na minha cintura com as duas mãos, me conduzindo fazendo eu rebolar e kickar no seu pau. Ficava parado enquanto eu ia rebolando, aumentando a velocidade e controlando o ritmo por causa do barulho que suas bolas faziam ao bater na minha bunda. Ele ficou metendo por alguns minutos, seu pau estava mais inchado e tinha engrossado na minha xota, estava bem cravado. Ele me abraçou por trás e meteu mais um pouco, seus gemidos baixinho no meu ouvido me deixando mais excitada e o melzinho da minha buceta ia deixando seu pau mais melado, fazendo entrar mais gostoso.

Ele tirou seu cacete da minha xota, me virou de frente e me colocou em seu colo, encostando no carro que estava ali do lado e fiquei de costas para a janela lateral, envolvendo meus braços ao redor de seu pescoço enquanto ele voltava a encaixar seu pau na minha xota, empurrando até entrar bem gostoso e começando a bombar mais forte. Nessa posição, parecia que seu pau tinha engrossado e crescido mais. Eu me controlava pra não gemer mais alto enquanto ele ia socando mais forte, com mais intensidade e bombando bem gostoso, ficava louco de tesão quando minha bucetinha apertava seu cacete dentro. Eu não me aguentava mais de tesão, ele era muito gostoso, seu pau estava me deixando louca de prazer, até que falei:

- aaahh, aahh theus caralho que delícia, vou gozar no seu pau, vou gozar theus, aaaiin continua metendo vaiiii aaaiiin aaaahhh vaiii theusss AAAHHHH vou gozaa-a-a-arrrr

Quando ele deu uma estocada mais forte, não aguentei me segurar e comecei a gozar com seu pau dentro dela. Escorria muito gozo e deixava seu cacete todo melado, ele ficou louco de tesão com a situação e me comia mais gostoso ainda, metendo mais rápido enquanto chupava meus seios passando a língua no biquinho que estava bem durinho. Depois de algumas metidas, ele me disse entre gemidos:

- vemmm amor, ajoelha e abre a boquinha, vem tomar leitinho vemm

Ainda ofegante, ele se afastou um pouco e me ajoelhei, ele mesmo batia uma punheta bem gostosa e bem rápida, eu com a boca aberta e a língua pra fora esperando leitinho. Ele batia com a cabeça na minha língua e na hora de gozar, colocou seu pau na minha boca me fazendo pagar um boquete até sentir seus jatos de porra encher minha boca, e fazendo engolir sua porra quentinha e bem grossa, segurando na minha cabeça e deixando seu pau todo cravado dentro dela e eu engolindo enquanto sentia escorrer seu gozo na minha boca até a última gota. Seu pau ainda estava bem duro e latejando de tesão, eu limpava sua rola com a minha língua, passava na cabeça, descia pela lateral e voltava a lamber suas bolas.
Estávamos ofegante, ele beijando meu pescoço enquanto seus dedos voltavam a alisar minha xota e sentia ela meladinha ainda, bem excitada.

Nos arrumamos por ali mesmo, ou tentamos, pronto pra voltarmos pro evento novamente e combinamos mais vezes, dessa vez pensando em outro lugar mais inusitado.

Ele me ganhou com sua simpatia, era um garoto de bom coração, simpático, atencioso, educado e carismático. Quando aconteceu o lance da webcam no skype, provavelmente foi o melhor orgasmo que eu já tive porque a adrenalina é maior de alguém acabar levantando, e ele me fez ter esse prazer.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.