"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Meu vizinho virgem


autor: Sibila Markis
publicado em: 28/02/15
categoria: virgindade
leituras: 49940
ver notas


Havia no condomínio da Avenida Principal onde morava dois prédios, um de frente pro outro, da janela da sala do meu AP eu via as janelas dos APs do prédio do frente, a entrada pra garagem passava entre os dois prédios e de frente pra rua tinha um pequeno jardim, com alguns bancos, ali que a galera do condomínio se encontrava pra trocar ideia e apelidaram esse espaço de “play”, eu quase não participava mas morria de vontade.

Na minha casa só eu e minha mãe, que era enfermeira chefe de UTI, trabalhava uma noite e folgava duas, além de ser gerente de um postinho de saúde, por isso ficava muito sozinha, minha irmã era casada há muito tempo e meu pai se foi quando tinha 16 anos, eu tinha acabado de fazer 18.

Era meu primeiro ano na faculdade, meu curso era noturno, chegava em casa tarde, os trabalhos eram muitos e os livros também, passava as tardes estudando, ficava exausta, mas o tesão continuava o mesmo, o sexo sempre foi uma tentação permanente na minha vida e essa foi uma época marcada pelas deliciosas siriricas, sem namorado, só me restava fazer amor com a pessoa mais tesuda que tem...Eu mesma...

Num dia desses de muito estudo no meu quarto, escutei as gargalhadas da cambada do condomínio lá embaixo, o barulho animado era um convite:

-Vem Sibila!...vem vagabundar Sibila!!...vem logo, larga tudo e vem menina!!!....Ahhh!...

Não resisti mesmo, larguei os livros, coloquei meus chinelos, prendi os cabelos num rabo de cavalo comprido até perto da cintura, vesti um short curto e apertado que não só destacava o “capô de fusca” como também mostrava as polpas da bunda empinada, um top mostrando a curva perfeita da minha cintura um piercing de pedrinha branca no umbigo e desci pro “play” feliz da vida.

Cheguei lá, estavam os irmãos Rafael e Rafaela que moravam no AP a cima do meu, eu morava no primeiro andar, o chato do Canaó no térreo do prédio da frente, Traíra gatíssimo que pegava geral, Natália apaixonada por Traíra que só a pegava quando ninguém via, Lucian era uma mona loira maravilhosa, divertidíssima, do terceiro andar e um garoto que não saiba o nome, mas que oconhecia de vista, pois ele morava há pouco tempo no condomínio.

Eles zuavam uns aos outros, riam pra cacete, se divertiam, quando me viram chegando pro bate papo ficaram até surpresos, e Lucian disse:

-Eita que quem é vivo sempre aparece heim!!

Eu:- pois é! Estava estudando mas gargalhas me perturbaram tanto que resolvi descer pra rir também ué...

Traíra:- gostosa demais, gata, chega aí...

Falou isso me zuando e veio pro meu lado me pegando e eu o empurrei pra trás dizendo:

-Ehhh, sai fora, sua namorada aí!...cria vergonha nessa cara assume logo, Nat é linda e tu gosta da menina...

Virei pra Natália e disse:

-Nat, se eu fosse você botava de castigo, tá merecendo... O Canaó sem noção, sacaneou o garoto que eu ainda não conhecia e disse aos berros:

- Caraca maluco!! Tu ficou mudo?!...Oh Fred! Fala pelo menos um oi pra menina ae pow...Sibila num morde não cara...dá um chiclete pra ela aí....

Eu: - Opa!!... pode me dá um que eu quero!!...

Cheguei perto e o garoto desviou o olhar, e enfiou a mão no bolso da calça, tirou um chiclete todo amassado e me deu, peguei e agradeci, o moleque ficou com vergonha até de me cumprimentar, mas mesmo assim eu fiz questão de dar os dois beijinhos nele ao me apresentar.

Daí o Canaó pra sacanear o garoto mais ainda, disse:

- olha o a cara ae!!...tá viajando na menina...tira o olho que essa gostosa num vai te dar mole não!!!... o rapaz ficou muito sem graça, não demorou muito se despediu e foi embora e o papo continuou até na hora da “facul.”

Fred tinha 18 anos, mais ou menos 1,80 m de altura, olhos castanhos, covinha no queixo, uma boca linda e um sorriso maravilhoso, o físico atlético, loirinho lindo!! Me atraia com seu jeito calado, observador, me intrigava saber o que se passava na mente daquele menino lindo, ahhhh... Quando ele falava...

Sua voz era suave gostosa de ouvir, mas falava tão pouco, às vezes nossos olhares se cruzavam eu tremia, estava doidinha pra dar uns beijos naquela boca gostosa, sentir suas mãos me acariciando, e percorrer com minhas mãos e boca em seu corpo todo, dos pés a boca... Minha nossa!! Só de pensar...Que tesão!!

Meus pensamentos indecentes eram todos daquele gotoso, me obrigando a atender meu vício devasso e naquela noite, deitada na cama de camiseta e calcinha, abri minhas pernas, enfiei minha mão por baixo da calcinha, esfreguei vigorosamente meu grelo, a princípio com movimentos circulares, à medida que o prazer ia aumentando, movia meus dedos com mais rapidez, abrangendo toda a minha xoxota, friccionado com mais intensidade e ampliando os estímulos do grelo inchado a entrada da minha vagina quente, molhada, fazia isso sem gemer, quietinha, ouvia apenas minha respiração rápida e curta e os barulhinhos dos meus dedos esfregando a buceta, até que uma overdose de sensação inundava minha xota, detonando as contrações mais intensas e deliciosas, as pernas tremiam e o orgasmo que tive foi de proporções absurdas, nessa hora eu não resistia aos gemidos... Que gozada forte!!.. Demais!!...depois dormi feito um anjo...

Dias depois Nat foi no meu AP me chamar pra descer pro play, estava almoçando quando ela chegou e logo perguntei sobre Frederico:

-Nat, o que você acha do Fred?... Tô tão afim...

- já percebi que quando tu num tá olhando, ele te seca, viaja em tu, Sibila...


- é...poxa, sei que ele fica diferente perto de mim...cheguei a pensar que não gostasse de mim, o garoto nem fala comigo direito pow...

- Sibila...ele é outra pessoa quando tu está mesmo, fica quieto...

- Pow...será então que ele não gosta de mim?

- Sibila, eu acho que gosta sim, Traíra já me falou que ele te acha muito gostosa, que você é muito linda, viaja na tua bunda, nos teus peitos e tals

- Caraca !! por que então ele num toma uma atitude menina??

- Traíra falou também que ele é virgem...me disse Nat.

-O quê?!... Não a c r e d i t o!!.. sério mesmo que ele falou isso?
- falou sim, o Fred não sai de casa, a vida dele é estudar e jogar vídeo game, adora ficar na net...num come mulé minha filha...

- Ahhhh, então é isso... além de tímido é virgem, preciso resolver isso amiga...Deixa comigo!! Vou inaugurar aquele gato lindo... ai que delícia!!...vou arregaçar aquele cabresto no dente...

-Coitadinho Sibila...

Coitadinho nada!!...ele aguenta...to brincando Nat...Arregaçar no dente! Vou fazer gostoso com ele e a partir de hoje não vamos mais pro play amore!! Vou descer contigo mas volto com o vizinho gato. Vamos!

Levei Frederico pro meu AP pra jogarmos vídeo game, e muito mal intencionada, fui pro meu quarto e vesti um pijama curtíssimo de malha lilás e por baixo: nada, nem calcinha nem sulitã, voltei pra sala e sentei ao lado dele no sofá, então comecei a apelar.

Não demorou muito e levantei do sofá, espreguicei, ergui os braços, segurei as mãos bem no alto, movimentando todo o meu tronco de um lado por outro dando uma reboladinha de leve, empinei bem a bunda pra trás, na cara do gostoso, depois enfiei os dedos pra tirar do rego a costura do shortinho de pijama, sem calcinha a costura entra e incomooodaaaaa...

E fui na cozinha buscar um suco, quando voltei, abaixei na frente dele pra colocar a jarra e os copos no chão, a blusa do pijama abaixou junto comigo, mostrei meus seios rijos, bicudos, com mamilos rosados e que estavam ao alcance de seus lábios, era só ele querer.

O danado, não demonstrou reação, fiquei doida.Chegou a hora de ir pra faculdade, tive que me despedir, acompanhei o garoto até a porta, em silêncio me olhou nos olhos por um tempo, olhei pra aquela boca linda se aproximando da minha, ele me puxou pela cintura e me abraçou forte, e com corpo dele colado no meu, me beijou, um beijo molhado, demorado, ardente de paixão, foi um agarro delicioso, o gostoso roçou o pau dele na minha xana, que tesão louco!!

Deu muita vontade de matar aula e trepar com ele, mas minha mãe estava por chegar tivemos que parar por ali...uma pena!!No dia seguinte, levei um colchonete de casal coloquei sobre o tapete da sala, passava de 1h da tarde e entrei pro banho, Frederico chegou, bateu na porta, eu gritei do banheiro:

- Pode entra depois trancar a porta... já to saindo...

Saí enrolada na toalha e fui pra sala, o menino só de bermuda e sem camisa sentou no colchonete e encostou-se sofá, ficou doido quando me viu, sorriu com cara de safado, amei, cheguei mais perto dele e virei de costas, abri os braços segurando a toalha pelas pontas, rebolei, fui levantando a toalha bem devagar revelando toda a minha bunda redondinha e empinada.

O danado aproveitou um momento de distração e puxou de uma só vez a toalha, me deixando completamente nua, virei rapidamente tentei tapar os seios e a xota com as mãos, rimos, foi só um charminho, depois aproveitei pra me exibir, dei uma voltinha, deslizei as mãos pelo corpo, cintura, seios, xereca, ensaiando uma dança sensual, rebolei até o chão, ficando agachada e arreganhando bem a buceta lisinha pra ele, enfiei o dedo, molhei no melzinho e passei na cara dele, na boca, nariz e disse:

- sinta o cheiro, o gosto...ela é sua...agora deita ae...e perguntei com jeito de cachorra:

- vc é uma piscininha?

Ele: -ahmm?!!...mergulhei...

Caí por cima dele e rolamos no colchão, paramos na posição papai mamãe, eu nua, ele ainda de bermuda, agente se beijava com esganação, entrelaçando, chupando, língua um do outro, que beijo maravilhoso! eu rebolava embaixo dele roçando a xota no pau duríssimo dentro da bermuda, a buceta latejava e o safado chupava meus peitos desesperadamente, e falei sussurrando bem baixinho:

-toque “nela’...enfie seus dedos...sinta, abre e olha... é sua, faça o que quiser, do seu jeito... não falou nada, só obedeceu.

Quando o garoto, abriu a buceta... que tesão!!!

Examinou cuidadosamente a xoxota rosada de grelo pequeno, passou a mão nela toda, sentiu cada detalhe, quando enfiou o dedo... minha nossa!!...pedi:

- ahhhh, me lambe...chupa vai...quero sentir sua língua... por favor, chupa...

A língua do menino safado experimentando, lambendo desordenadamente minha xota foi gostoso demais aí coloquei meu dedo no grelo e disse:

- lambe aqui...isso...dá uma linguada agora, gostoso!!... enfia dois dedos e soca, vai... ahmm que delícia!!...O prazer que o taradinho sentia estava demais, me ver descontrolada o deixou nervoso!!...o jeito que me masturbava, com vontade, com gana, me devorando...parou, olhou pra mim e disse:
-
“Ela” é uma piscininha?

- hummm... e dei uma risadinha sacana

Ele:- quero mergulhar meu pau na sua buceta gostosa, quero agora, tá me deixando louco...Por favor!... não to aguentando, meu pau parece que vai explodir, tá duro demais, latejando...

Logo arrancou a bermuda e a cueca, pude ver o que já tinha sentido roçando na minha xota, que pica magnífica!! imponente, grande e grossa, uma perfeição, o menino veio sobre mim na posição papai mamãe, e desajeitadamente foi procurando encaminhar seu mastro rígido na portinha da xereca encharcada, e sem saber, pincelou maravilhosamente minha xota, que tesão desgraçado pqp!!..

Depois empurrou seu pau que entrou arrochado, rasgando, fui ao céu... bom demais!!...eu mexia os quadris, a respiração ofegante, ele gemia concentrado sentindo pela primeira vez o calor e umidade de uma xoxota inchada apertando deliciosamente seu pau à medida que entrava todo, e deu a primeira estocada, arrepiei!! mais uma, duas ele tremeu, na quarta o safado urrou forte, se contorceu, não resistiu a intensidade do tesão e gozou vigorosamente...rápido assim...

Senti seu pau pulsando e jorrando leitinho quente dentro de mim, num deu nem tempo de pensar e puxar pra fora, o danado gozou nas primeiras socadas... eu já estava quase gozando...

O loirinho safado tombou pro lado com o pau duríssimo mesmo depois de uma gozada forte como aquela, imediatamente fui pra cima dele na direção oposta, esfregando a buceta latejando em sua boca e abocanhando seu pau com vontade, formamos um 69, comecei com uma chupada poderosa só na cabeça daquele pau todo babado,engolia e chupava sem parar freneticamente enquanto recebia uma linguada maravilhosa no grelo, perfeita, uma delícia!!
Não suportei, foi demais, gemi exaltada, não contive as contrações supremas e deliciosas de minha doce xoxota, gozei descontroladamente, na boca do tesudo...

Nessa hora o garoto safado foi ao delírio com minha felação descoordenada, eu gozava e chupava como louca pau dele, foi tenso, esse momento após o orgasmo o tesão é enorme, num dá pra tocar no grelo, fica extremamente sensível de tanto tesão e o sacana caprichando na linguada, eu queria gritar e chupar, eu me envergava em cima dele, e continuei chupando seu mastro com um tesão descomunal...

Não resistiu, gemeu, se contorceu e gozou deliciosamente na minha boca, recebi um jato forte de esperma quente na garganta, chupei gostoso até engolir a última gota... ficamos extasiaaados...

Depois desse dia, no mesmos horário eu chegava na janela do meu AP e Fred já estava lá, esperando meu chamado, sorria e vinha me comer, todas as tardes...estava cansada e feliz.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.