"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Estagiário seduzido por aluna gostosa 1


autor: Chronos
publicado em: 08/08/16
categoria: jovens
leituras: 2586
ver notas


Sávio sempre foi um aluno atleta na época do Colegial, participava da equipe de Natação e era um dos competidores mais respeitados do time escolar da Oeste. Como estudava num Colégio de conceito e em crescimento na região, era obrigado a manter alta suas notas tanto quanto seu desempenho reconhecido dentro das piscinas. A diretora Lourdes o admirava muito, bem como professores e Michael, seu treinador, foi a sua inspiração para seguir o caminho da ciência do comportamento humano através dos movimentos: Educação Física.

O esforço rendeu seus frutos. Além de bom aluno colegial, também tornou-se excelente aluno universitário. E nada o impediu de ser um competidor pela universidade mais conceituada na região Oeste.

Pois bem, se eu fosse listar os méritos desse gênio da natação, eu enrolaria meio quilômetro de palavras aqui. Porém, quero me atentar para um fato que despertou em Sávio um lado digamos, "negro da força" em sua carreira profissional.

Ao chegar ao quarto período da sua licenciatura, precisou passar por diversas disciplinas de estágio, e isso não lhe foi difícil. Adentrou como professor temporário no mesmo Colégio que o revelou para a vida profissional. Michael , o seu mentor e treinador, graças aos recursos financeiros de que dispunha a instituição, aceitou com grande satisfação seu querido pupilo e, como Sávio era conhecido por todos, logo as aulas de Educação Física tornaram-se uma verdadeira festa no seu Colégio do coração.

A popularidade de Sávio no colégio era tipo um Romário jogando bola com os amigos de infância na Vila da Penha. Rapaz de voa aparência, super comunicativo, não era raro os alunos confundirem o amigo Sávio do Prof. SÁVIO. Enfim, uma das coisas que ele precisaria aprender seria separar essas duas coisas. Até parece...

Um dia ao chegar ao Colégio para mais um dia de estágio, notou a ausência de Michael. Foi à Diretoria e perguntou o que houve ao mestre, e Clemilda , Coordenadora pedagógica, havia dito que chegaria com atraso devido a um acidente na Avenida Brasil.

- Olha, quero pedir a você que mantenha a ordem até o Michael chegar. Está fazendo um ótimo trabalho , mas não perca o controle da turma. Hoje, segundo o plano de Aula dele, temos natação. Como está um dia frio, é possível que alguns alunos não queiram participar. Deixem eles com Michael.

Excelente oportunidade de Sávio de mostrar seus conhecimentos adquiridos... Só que não! Os alunos reclamaram da água fria e pediram uma outra atividade, ou então um trabalho, mas não pulariam na água. Aí, restou a ele ministrar uma outra atividade. Não seria ele quem iria digladiar-se com a turma do terceiro ano. Vamos para o futsal.

Entretanto, aos quinze minutos de aula, Michael chegou e tomou controle da situação.

- Sávio, que houve que a turma não pulou na água!?

- Como estava ausente, a coordenadora pediu que eu apenas mantivesse o controle. Eu entrei num consenso com a turma aqui. Como está frio, eu poderia até passar um trabalho, mas... Estamos aqui na quadra.

- É, tem razão. Mas se tiver algum aluno ou aluna interessado na aula de natação!?

- A essa altura, Michael?

- Você perguntou!?

- Não, foi unânime!

- Como você sabe!?

- Porque ninguém se opôs à idéia!

- Quer ver como alguém quer e não levantou a mão por vergonha!? Espere e veja- dirigiu-se à molecada e perguntou: -Alguém aqui quer fazer a aula de natação, trouxe o material e deseja ainda cumprir o cronograma de hoje!?

Tudo parecia caminhar para o óbvio quando uma aluna levantou a mão.

- Eu, professor!- sorriu triunfantemente Daniela, a aluna mais velha do terceiro ano e a venerada do Colégio.

Aqui começa nossa historinha, amiguinhos. Daniela era dona de um corpo de dar inveja às mais populares do colégio. Loira, 1,64m, quadris largos, seios pequenos, mas durinhos, empinadinhos, glúteos recheados. E quando ela colocou o maiô, a galera levantou e assobiou bonito, ovacionou a colega. Obviamente, por Sávio não ser nenhum desconhecido, a confiança dela na capacidade do novo professor não foi colocada em xeque, mas o autocontrole diante do promissor docente diante da beldade que se revelava a ele, sim.

Dentro da área da piscina, Betinho, o bombeiro responsável pela segurança de todos os alunos e a manutenção da sala de aula aquática de Michael e agora Sávio já havia pirado. De fato, Daniela não devia em nada diante das garotas patricinhas e muito menos das atletas. Era linda. E agora aquela beleza estremeceu os brios de Sávio.

- Sávio, promete que não vai me largar!? Eu sou baixinha, ainda não sei flutuar na água direito!- preocupa-se Dani.

- No que depender de mim, hoje você vai sair daqui nadando. Confia em mim!?

- Em você, sim, Savinho.- joga charme pra ele.

Sávio então ensina toda a pedagogia da flutuação para sua aluna. Mas ele não consegue tirar seus olhos dos seios endurecidos dela. Dani fita atentamente às explicações do seu professor, enquanto Michael, ao longe, acaba-se em risadas com o esforço do pupilo em manter o controle. O bombeiro Betinho fica sentado no canto babando na beleza da garota também.

Sávio ensinou as progressões a partir da flutuação vertical, que é a que todos nós nos sentimos seguros: Tocando os pés no fundo da piscina, sem estar totalmente submersos. Depois, com o aquatubo, conhecido como o macarrãozinho, o jovem professor temporário ensinou os movimentos para a flutuação vertical tirando os pés da água. Enlouqueceu com o movimento dos quadris de Dani. Dentro da água, seus hormônios começam a fugir do controle e seu pênis avisa: Está pronto para possuí-la!

Para que a situação não se agravasse, Sávio manteve-se todo o tempo dentro d'água, próximo à Daniela. Mas até quando ela ficaria despercebida dos desejos ocultos de seu professor!? Sávio torcia para que até o fim da aula. Após ensinar a flutuação vertical com o aquatubo usando as mãos como remos e os pés como que pedalando submersos, Sávio estreitou um pouco mais o contato físico com sua aluna trabalhando a flutuação horizontal. E foi aí que o trem começou a descarrilhar: Todo principiante sente medo de a agua entrar pela boca ou pelo nariz. Não foi uma nem duas vezes que Dani agarrou no pescoço de Sávio com medo e segurou-se em seu corpo. Ao contato entre dos corpos, Daniela sentiu entre suas coxas a revolta do membro rijo de Sávio e tomou de início um susto. Uma corrente elétrica atravessou o corpo dos dois e sua vagina sentiu um pequeno choque naquela água fria. E agora, Sávio? Como tu vai se desculpar com a garota!?

Mas, felizmente, ela apenas sorriu para ele e pediu que retomasse a aula. Então, usando o aquatubo como bóia em volta de seu corpo embaixo d'água, sentiu-se mais segura e com a ajuda do professor temporário sustentando seu lombo com as mãos, conseguiu sem medo flutuar.

- Dani, bata as pernas agora, não pare. Relaxe as pernas, quero seu corpo sem tensão agora. A água está te empurrando para cima. Se endurecer, vai afundar.

Ela obedeceu. As mãos de Sávio malandramente deslizaram para o meio dos glúteos. Ela olhou para ele e sorriu. Sávio estava ruborizado, porém não demonstrou nervosismo com a situação que já era embaraçante. Mas a outra metade de si ardia em libido pela sua musa aquática. Seu dedo médio deslizou por suas nadegas e tocou entre as pernas de Dani, e este contato começou a revirar os pensamentos dela. Não parou de bater as pernas. Sávio, ainda mais esperto, foi soltando ela aos poucos para que não fosse percebido por olhares externos de maneira maldosa.

Logo ela flutuava sozinha. Comemoraram a evolução. Então, Sávio tirou dela o aquatubo e habilmente, com as mãos espalmadas na superfície da água e os pés em movimento flutuou sozinha. Excelente aula do nosso professor, que cumprimentou a aluna gata pela evolução. Sobreviveu aos encantos de Dani, que agradecida, beijou-o na face e disse-lhe no ouvido:

- Obrigada, lindo.

- De nada. Pra que serve os mestres?

- Em geral, para nos aporrinhar, mas você para me enlouquecer.

- Dani, eu...

-Relaxa, pois o que houve entre nós, fica entre nós. Ok? Além disso, amei seu jeito de cuidar de mim.

Ele ficou encabulado." Nem sei o que dizer, Dani.", sussurrou em seu ouvido.

- Você é um fofo. Pena que eu esteja ainda na escola. O que estraga é você ser professor...

- O que estraga é você ter namorado, hahahahaha.- ele disse isso em virtude de já ter visto o namorado dela ir buscá-la na escola de moto.

- Tô namorando. não tô morta, nem tenho dono, hahaha!

Aquilo perturbou o juízo de Sávio até o fim do dia letivo no estágio. Durante o intervalo, com todos os alunos lanchando e contando as novidades do dia, Michael chega perto dele na sala de professores e pergunta no ouvido de Sávio:

- Tesão puro, aquela garota, né!? Kkkkkkkkkkkkkk

- Pow, cara, nem fala isso! A força que tive que fazer para me controlar foi foda.

- Por isso mesmo deixei que você fosse no meu lugar. Aquilo ali é a maior chave de cadeia.

- Mas eu não fiz nada!

- Sabemos disso, kkkkkkkkk. Mas fica ligado, cara! Tu vai lidar muito com essas coisas, talvez muito piores daqui a um tempo. Se para um professor comum as coisas já são pica, imagina para quem cuida do corpo e da mente do cliente!? De qualquer maneira, está de parabéns. Procedeu da maneira correta.

Isso porque ele não sabe do que rolou entre os dois. Passados alguns dias, alguns alunos convidaram Sávio para a festa que haveria no fim de semana do Igor do terceiro ano. Daniela, claro, estaria lá. Sávio aceitou de boa e foi. Como não era a chopada normal de seus amigos da faculdade manteve-se na postura e tentou agir como o mais velho da turma. Porém, essa postura logo sofreu uma fissura na sua carcaça quando a musa inspiradora do estagiário apareceu. Com o cabelo escovado, toda produzida, num vestido não indecente preto acima dos joelhos apenas um palmo e alça fina e com um decote básico, não exagerado, roubou a levantando o ânimo dos marmanjos, loucos para arrumar alguém, mas os olhos dela...humm, isso mesmo: Bateram logo no seu instrutor de natação escolar.

- Nossa, Savinho, você aqui!? Que surpresa gostosa!

- Gostosa é essa noite, ganhou o brilho dos seus olhos. Tá muito linda!

- Obrigada. Mas não exagera, meu namorado é ciumento, rs.

- Ciumento, não dono.

- Tem toda a razão- surge uma troca de olhares mais intensa entre os dois. Algumas amigas trataram de puxar ela para um canto e assim acalmar os ânimos de Sávio. Queira ou não, ele precisava disso para poder pensar. Não poderia pegar uma garota comprometida numa festa que, mesmo fora do ambiente escolar, estivesse cheia de alunos dele.

Porém, Igor, aniversariante e estudante do terceiro ano, foi cumprimentá-lo, trocou telefone com ele e adicionou-o ao grupo do terceiro ano no WhatsApp ( ô instrumento da perdição, esse Zap Zap!)

A festa correu sem uma aproximação entre os dois, Sávio e Daniela, que pudessem comprometer os dois publicamente. Mas ao ver o estagiário adicionado no grupo, rapidamente começou a engendrar uma forma de atrair seu precioso objeto de cobiça. Embora não se aproximassem, já não eram mais ternos os olhares trocados entre si.

Fica o dilema na mente de Sávio: Valeria à pena arriscar sua reputação diante dos alunos para pegar uma deliciosa lolita comprometida!?

Procurando manter o pouco juízo que tinha em ordem, não ousou a avançar em seus desejos, e o fez bem, pois o namorado dela também compareceu a festa ainda na metade. Daniela não poderia mais cobiçar seu professor atleta da faculdade como antes, mas ainda assim, sempre que passava perto, tirava uma casquinha olhando.

Continua.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.