"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Amo Meu Cunhado.


autor: mrpr2
publicado em: 09/08/16
categoria: gays
leituras: 4304
ver notas


Meu nome é Paulo, franzino, jeito mais quieto, cabelos castanho claro, olhos cor de mel, 18 anos, mais conhecido como Paulinho. Minha irmã mais velha Vania se casou com Miguel sempre gostei muito dele e ele muito carinhoso comigo, desde quando namorava com minha irmã Miguel me trazia presente nas datas comemorativas, sempre que trazia algo para minha irmã um doce, bombom, um agrado dava para mim também. Gostava de filmes e videogame assim como eu o que nos permitia ter muitas conversas. Minha mãe ao se separar do nosso pai foi morar com um homem rude, sem educação minha irmã resolveu morar sozinha comigo e quando se casou passamos a morar os três na mesma casa.
Eu sempre fui diferente dos outros garotos, não gostava de esportes nem brincadeiras de violência, não implicava as meninas pelo contrario era amigo delas. Os outros garotos percebiam que eu não era como eles o que me transformava em alvo frequente de brincadeiras de mal gosto e Miguel acabou se tornando meu protetor, por diversas vezes eu me via cercado, sem defesa e era acudido por um grito de Miguel que fazia com que os garotos fugissem.
O tempo passou e cada vez mais eu tinha um carinho todo especial e uma confiança em contar tudo o que me acontecia para Miguel.
Ate que me apaixonei o problema é que não foi por uma mulher era por outro homem eu não sabia o que fazer tinha medo, vergonha, dele, que descobrissem, que minha família descobrisse, mas estava sofrendo ja estavam desconfiando que algo estava errado eu tinha que me aconselhar com alguém.
_ Miguel preciso falar com você a Vanda vai demorar?
_ Olha sua irmã vai demorar sim, mas você queria falar comigo ou com ela?
Disse Miguel me abraçando.
_ Com você, mas não queria que ela soubesse.
_ Me diga o que é.
_ Eu acho que estou apaixonado.
_ Mas isso é muito bom, eu conheço? E porque a Vania não pode saber?
_ Estou com medo da reação dela não é por uma garota que estou interessado.
_ Hum então e por um.
_ Boa noite garotos! Nossa parecia que eu nunca ia chegar... Sobre o que vocês estão conversando?
Fiquei parado não conseguia pensar em uma resposta para dar a minha irmã fui surpreendido com sua chegada.
_ Ha amor seu irmão estava dizendo que hoje queria pizza de janta, o que acha?
_ Hoje ainda e quinta feira Miguel, mas confesso que estou cansada e nem um pouco afim de cozinhar.
Eu amo pizza Miguel teve uma ótima ideia e Vânia nem desconfiou de nada.
Na mesma noite eu me levantei para beber agua sem camisa devido o calor usava apenas um calção. quando Miguel apenas de cueca aparece na cozinha.
_ Sem sono Paulinho?
_ Sede mesmo, esta muito calor.
_ Eu que o diga por isso só estou de cueca.
Disse Miguel com um sorriso safado olhando para mim e para sua cueca que estava com um volume considerável.
_ E quanto ao seu segredo pode ficar tranquilo esta bem guardado comigo cunhadinho.
_ Obrigado cunhadão.
_ Eu conheço o cara que roubou seu coração? Sabe que so darei apoio se ele for gente boa.
_ Kkk Claro ele é.
_ Não vai me contar quem é?
_ Por enquanto não.
_ Ok, ok vai la boa noite campeão!
Miguel passou por mim em direção ao filtro me puxou por trás e me deu um abraço forte, beijando minha bochecha. Pude sentir seu pau duro roçando minha bunda, senti um arrepio pelo meu corpo, mas logo me soltei de Miguel e fui para meu quarto, ele era meu cunhado, meu amigo era melhor eu nem pensar em sentir nada além disso por ele.
Cada dia eu estava mais apaixonado por meu namorado e pensava que ele também estava por mim. Diego tinha a mesma idade que eu e me cativou com seu jeito carinhoso diferente dos outros garotos, no começo aceitava ficarmos apenas nos carinhos e beijinhos, mas depois cada vez começou a avançar mais e mais e sempre que eu queria parar ele insistia de uma forma que eu acabava me sentindo mal por não permitir seus avanços e acabava cedendo.
Era fim de ano ultimo dia de aula, era somente confraternização pois já tinham informado inclusive as notas e claro que eu tinha passado e assim concluído o ensino médio. A festa na escola acabou e bem mais cedo que o normal fomos dispensados já estava a caminho de casa quando Diego me alcançou pedindo para eu ir com ele a sua casa com aquela carinha linda não pude resistir e aceitei.
Estávamos no quarto de Diego somente de cueca os dois nos abraçando e beijando deitados na cama, Diego cada momento mais audaz em suas passadas de mão foi então que tirou seu pau duríssimo para fora e me pediu para mamalo já tinha feito algumas vezes e acabei chupando naquele momento novamente com ele sentado na cama encostado na cabeceira e eu praticamente de quatro entre suas pernas. Diego passava as mãos em minhas costas me causando arrepios as vezes forçava um pouco minha cabeça contra seu pau para que eu engolisse todo seu cacete e depois me soltava soltando um gemido forte.
Meu namorado começou com as mãos invadir minha cueca alisando minha bunda, cada vez mais apertando e acariciando ate passar a passar o dedo em meu reguinho, como não reclamei passou a enfiar seu dedo úmido com sua saliva. Disse que ainda não estava me sentindo pronto para dar para ele que tinha medo, mas ele disse para eu me despreocupar que ele so estava brincando, perguntou se eu estava gostando o que respondi que sim então Diego pediu para eu voltar a mamalo.
Voltei a chupar o cacete de Diego e suas bolas ele amava quando eu as colocava todas na boca então ele passou a me penetrar cada vez mais fundo com seu dedo, logo eram dois dedos a me penetrar eu reclamei novamente, mas ele me pediu calma e disse que iria me mostrar outra coisa.
Me pediu para eu ficar de quatro disse que dar eu não iria Diego então perguntou se eu não confiava nele eu disse que sim então ele novamente pediu para eu ficar de quatro e abrisse bem minhas nadegas o que a contra gosto fiz com um certo receio que logo desapareceu ao sentir a língua de Diego sento passada em meu rego . Aquilo era algo indescritível, muito bom logo eu estava rebolando no rosto de Diego que segurava minha bunda com as duas mãos e me penetrava com sua língua eu estava relaxado e já não me preocupava com mais nada. Meu namorado então passou a enfiar a língua e os dedos em meu cu logo eu já sentia três dedos entrando e saindo sem resistência de meu buraquinho logo senti algo quentinho na entradinha do meu cu era muito gostosa aquela sensação mas logo aquilo começou a me invadir mais e a doer eu pedi para Diego parar, mas ele não me deu ouvidos tentei sair da posição mas ele mais forte que eu me segurou os braços me prendendo cravando todo seu cacete em mim o que me fez sentir uma dor indescritível como se algo me rasgasse por dentro dei um grito forte e alto Diego parou de se movimentar mas já estava tudo dentro de mim sentia seus pentelhos roçando em minha bunda seu braços fortes em prendendo e dizendo em meu ouvido para me acalmar que logo a dor passaria.
Aos poucos a dor foi passando e Diego percebendo que meu cu começava a relaxar passou a bombar em meu cu que ardia voltei a prender o cacete de Diego com meu cu, mas ele forte socava tirando e colocando novamente vencendo a resistência de meu cu. Eu já estava cansado e acabei não tentando mais fugir de Diego vendo que era inútil, Diego então solta em mus braços e segura em meus ombros soltando mais seu corpo podendo se mexer, movimentar melhor por sorte a dor passa e agora já sinto um pouco de prazer ainda misturado a dor. Logo sito algo quente me invadir e gemidos fortes de Diego seu pau inchado dentro de mim cuspia sua porra. Diego soltou seu peso sobre mim e muito quente e suado ficou ate sua respiração voltar ao normal me deu um beijo em meu pescoço e disse que iria ao banheiro tomar um banho.
Levantei passei a mão em minha bunda e em minhas mãos porra e um pouco de sangue veio me assustei vesti minha roupa e fui o mais rápido possível para a casa. La tirei a cueca e eu mesmo a lavei para minha irmã não desconfiar tomei um banho e fiquei quietinho em meu quarto.
Ao mesmo tempo que tinha gostado eu não tinha, pois senti muita dor, não pensei que Diego faria daquela forma comigo, mas por outro lado pensei que se ele não tivesse feito eu talvez nunca teria dado para ele, estava confuso não sabia o que pensar e acabei adormecendo.
Acordei com meu cunhado me chamando para jantar, minha irmã deu um grito na cozinha chamdno por nos dois, meu cunhado então de brincadeira deu um tapinha em minha bunda dizendo:
_ Vamos garoto levanta! Sua irmã já esta nervosa.
Gritei com o tapa que nem tinha sido forte, meu cunhado me olhou com cara de desconfiado e perguntou o que tinha acontecido.
_ Nada
Respondi desviando o olhar.
_ Paulo! Sabe que pode confiar em mim não é? O que ouve?
Contei e Miguel pareceu não gostar nada do que eu tinha dito, mas disse que aquele momento era para jantarmos e resolveríamos isso depois.
Continua...

Autor; Mrpr2










ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.