"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Minha sobrinha carente


autor: LBR
publicado em: 13/08/16
categoria: hetero
leituras: 5337
ver notas



O fato que vou narrar aconteceu a cerca de dois meses , mas na verdade teve início no verão passado.
Era uma tarde no final de janeiro e eu estava no meu trabalho, tentando deixar tudo em ordem, já que em fevereiro iria tirar duas semanas de ferias. De repente meu telefone toca. Não reconheci o número, mas atendi mesmo assim:
- Alo. Do outro lado da linha uma voz feminina.
- Quem fala?
Aquela voz me era familiar, mas não sabia quem era.
- Com quem quer falar? Perguntei.
-Tio... É a Daniela sua sobrinha querida...rsrsrs.
- Oi Dani.... tudo bem? Quanto tempo...
- Pois é tio, faz tempo que queria ligar mas nunca encontrava tempo.
- Pois é... esqueceu do seu tio mais querido né? rsrsrs
- Nunca esqueci...
Aquele "nunca esqueci" da Dani, me fez lembrar o passado. Dani tinha 29 anos já era casada a 9 anos e tinha um filho de 8 anos, mas quando ela tinha 19 para 20 anos eu tinha dados uns beijos nela, não chegamos transar e ficou aquele gostinho de quero mais, mas em seguida ela começou namorar, casou e meu desejo ficou só na vontade.
- Mas então Dani... Além da saudade do seu tio, o que mais você precisa?
- Então tio, queria pedir um favor.
- Diga lá, meu amor...
- Humm "meu amor é"? rsrsrs
- Desculpa, é modo de falar...
- Não desculpo não... eu gostei...rsrsrs
- Me deixou sem graça sabia... Mas diga lá o que você precisa...
- Tio, queria passa uma semana com vocês na praia, se não fosse incomodo lógico.
- Claro querida... não vai ser incomodo nenhum, inclusive estou indo no inicio do próximo mês.
- Perfeito tio... Só tem um probleminha, vai eu, meu marido e meu filho.
Por uns instante pensei, só pra ver a Dani com seus biquínis minúsculos, ia valer a pena, mesmo ela estando com o marido.
- Sem problema Dani, pode trazer todos...
-Então estamos combinados, nos falamos novamente até lá.
- Combinado Dani.
Aquelas duas semanas que ainda faltavam para as férias, foram só de pensamentos obscenos e recordações de um passado que vinham a lembrança. Mal podia esperar para ver Dani em trajes de banho.
O dia chegou e lá estávamos nós na praia. O clima da praia, sol e pouca roupa, aflora, tanto no homem quanto na mulher desejos íntimos incontroláveis, que no caso do homem acredito ser ainda mais intensos. Dani estava ainda mais gostosa comparada à última vez que a vira. Percebi que algumas vezes ela também me olhava com desejo talvez lembrando de quando ela tinha 19 anos.
Aquela semana foi torturante para nos dois, mas passou rapidamente e Dani voltou com sua família para sua cidade. Não detalhei anteriormente, mas, Dani mora em uma cidade do interior, um pouco longe de onde eu moro.
Foram se passando os dias e o os meses e nosso contato passou a ser por mensagens e telefone e sempre que eu ia visitar meu irmão, que era seu pai. Certo dia por conta do meu trabalho, precisei viajar para a cidade que Dani mora e como de costume fiquei na casa do meu irmão. No sábado a noite reunimos a família para um jantar e Dani estava presente. Depois do jantar consegui ficar a sós com ela, então ela me revelou que tinha se separado, explicando suas razões. Quando nos despedimos ela me disse:
- Tio, dessa vez você já esta aqui na casa do meu pai, mas quando vier novamente, vou fazer questão que fique na minha casa, afinal fiquei uma semana na sua, é justo que você, fique na minha também.
Respondi. - Ok combinado, tomara que não demore esse dia chegar.
Ela respondeu:
- Eu também espero.
Com Dani separada o caminho estava livre, só faltava mais uma oportunidade que eu esperava não demorasse muito chegar. Fiquei então esperando a empresa me designar mais uma vez para fazer algum trabalho, na cidade onde ela morava, assim eu teria a confirmação se iria acontecer algo ou se isso era fruto somente da minha imaginação perversa.
Os dias e meses foram passando e nossos contatos continuou a ser só por telefone e mensagens. Até que um dia meu diretor me chamou e perguntou se eu me importava de viajar mais uma vez. Respondi que iria onde ele precisasse de mim. Ele me disse que eu poderia escolher entre a cidade onde eu fora a ultima vez ou outra cidade. Nem precisa dizer que minha escolha foi para a cidade onde Dani morava. A viagem seria na semana seguinte, e eu tratei logo de avisar a Dani, e ela de imediato falou:
- Então dessa vez o tio vai ficar lá em casa tá.
- Claro meu amor. Respondi.
- Então está combinado, me avisa quando chegar que eu pego você na rodoviária.
- Cominado.
Aquela semana demorou passar, mas até que em fim o dia chegou. Avisei o horário que iria chegar e lá estava Dani me esperando. Vestia uma mini saia deixando a mostra sua coxas grossas e roliças, e uma blusa com um generoso decote, seus seios eram avantajados e eu logo me imaginei fazendo uma espanhola neles.
Quando chegamos em sua casa, estranhei o silêncio, e fui logo perguntando onde estava seu filho. Olhou-me com cara de safadinha e respondeu:
- Exportei.
- Como assim Dani?
- Vai passar o fim de semana na casa do avô.
- Então quer dizer que estamos só nos dois aqui?
- E isso é bom ou ruim tio?
Olhei pra ela com cara de desejo e respondi:
- É ótimo, mas é um perigo. rsrsrs
Ela também sorriu e trocamos de assunto.
A noite Dani disse que iria fazer um jantar para nós e que já tinha providenciado tudo, não tive alternativa senão concordar. A essas alturas eu já tinha tomado um banho e colocado umas roupas leves, pois fazia calor. Dani também tomou banho e vestiu um vestido soltinho com um palmo acima do joelho e ainda mais decotado do que a blusa que estava usando. Aqueles seios fartos já estavam me perturbando. Ajudei Dani com o jantar e já abrimos uma garrafa de vinho. Por muitas vezes ao passarmos perto um do outro, propositalmente deixávamos nos encostar, e isso foi aumentando o tesão. O vinho também estava ajudando a ficar mais safados.
Demoramos no jantar e bebemos mais vinho. Fomos para a sala e ficamos conversando. Dani me falou da sua separação, dos motivos que a levaram tomar essa decisão, e que estava se sentido um pouco carente.
- Sabe tio que depois que separei, não fiquei com ninguém, acho até que voltei a ser virgem... rsrsrsr
- Mas então precisamos dar um jeito nisso...
- Pois é tio, mas não sei se devemos.
Aquilo ficou na minha mente, será que vai rolar? Nossa conversa foi se estendendo e já estava ficando tarde, então sugeri irmos dormir e continuar nossos assuntos no do seguinte. Dani concordou e fomos deitar. Dani tinha me instalado no quarto do seu filho e ela foi pro seu quarto.
Eu estava já bem a vontade deitado na cama quando Dani bateu na porta vestida com um baby-dool, branco que deixava sua pele ainda mais radiante. Entrou no quarto e disse:
- Só vim dar boa noite... E chegando mais perto da cama me deu um beijo no rosto.
- E você vem me dar boa noite vestida assim? Ela sorriu e saiu do quarto.
Muita coisa começou passar pela minha cabeça. Deveria eu ir para o quarto dela? E se ela recusasse como eu iria ficar no dia seguinte? Tomei uma decisão, vou tentar dormir, a descisão deveria partir dela. Naquele estado, cheio de tesão e com a imagem de Dani de baby doll, quem disse que eu conseguiria dormir. Então me levantei e fui para a sala. Liguei a televisão e fiquei procurando alguma coisa para ver e tentar esquecer Dani.
Passaram alguns minutos e ouvia porta do quarto da minha sobrinha se abrir.
- Tio você está aí? Não está conseguindo dormir?
- Não meu amor, acho que estou com insônia...
- Pois é eu também não estou conseguindo dormir. E sorriu..
Sentou-se do meu lado no sofá, e me abraçou. Pensei isso não vai acabar bem... ou vai acabar muito bem... Sem pronunciar mais palavras fomos nos acariciando e meu pau já queria saltar para fora do meu short. Dani então deixou deslizar sua cabeça pelo meu peito e ficou muito próximo do que ela desejava. Começou passar a mão por cima do short e em seguida mordiscar meu pau. Aquilo era uma tortura. Abaixei meu short e sem perder tempo Dani foi tratando ele com o carinho que merecia. Enquanto Dani chupava meu pau, mordia e lambia gulosamente, com uma das mãos eu segurava sua cabeça e com a outra passava os dedos na sua bucetinha toda encharcada com seu mel. Antes que eu estragasse todo aquele clima de tesão, afastei sua cabeça do meu pau, tirei seu baby doll, ela sentou no sofá. Ajoelhei em sua frete e levantei suas pernas e sua bucetinha rosadinha toda depilada ficou a disposição da minha boca, então comecei chupar e lamber. Dani gemia e movimentava seu quadril, como quem estava adorando sentir minha língua invadindo sua buceta toda melada. Segurava minha cabeça com suas mãos puxando-a com força contra sua pelve enquanto pronunciava palavras que me deixava cada vez com mais tesão e com vontade de penetra-la, ela dizia:
- Vai meu tio safado...chupa a bucetinha da sua sobrinha favorita...aiiii que delicia de língua... Chupa mais, depois vou querer seu pau todo dentro dela, quero gozar gostoso com você me comendo... Chupa que vou gozar.... Ahhhhhhh
Dani se estremeceu toda e gozou gostoso na minha boca. Sem perder tempo sentei no sofá e antes dela chupar meu pau novamente falou:
- Nossa tio... como ele está grande...vou querer ele todo dentro de mim...
- Quer mesmo minha putinha?
- Sim tio, quero agora... vou sentar nele gostoso...
- Vem minha putinha, coloca o preservativo e senta nele.
- Não tio, quero sem preservativo... não se preocupe que eu tomo remédio.
Falando isso foi encaixando seu corpo e deixando meus quase 19 cm deslizar para dentro daquela bucetinha suculenta. Com o vai e vem do seu corpo quicando em cima do meu pau, seus seios fartos, balançavam em minha frete e eu os massageava, hora com as mãos, hora colocando na boca e chupando. Eu tinha uma visão privilegiada de Dani, além dos seus seios, anda podia ver o pau deslizando pra dentro da sua buceta, e a cada estocada mais forte ela deixava o pau entrar por completo e rebolava seu corpo, me deixando a ponto de encher aquela racha de porra. Segurei o máximo que pude a ejaculação, até que Dani aumentando os movimentos, anunciou que ia gozar, então liberei todo meu leite guardado a tanto tempo, enquanto ele gozava e gritava de prazer. Ficamos assim coladinhos por um tempo e quando Dani tirou meu pau de dentro, uma quantidade enorme de porra escorreu de dentro da sua bucetinha, me deixando todo lambuzado.
Depois dessa gozada gostosa, fomos tomar um bom banho juntos, e o contato dos corpos, mão aqui, mão ali, em seguida eu já estava de pau duro novamente e pronto para outra. Fomos então para a cama e ela se posicionou de quatro. Chupei sua bucetinha de baixo para cima, estendendo até seu cuzinho, forçando com a língua a entradinha do seu anelzinho e nesse momento ela suspirou profundo, então ouvi sair de sua boca as palavras que todo o homem adora ouvir:
- Tio.. Come meu cu...por favor quero ele todo no meu cuzinho.
- Aiii... Dani quer ele no seu cuzinho é? Vou por ele na bucetinha para deixar ele molhadinho depois coloco no seu cuzinho tá?
- Tá tio põe logo, vai...
Meti na bucetinha dela por traz já toda melada, dei umas estocadas fortes, enquanto enfiava um e logo depois dois dedos no seu cuzinho e ela delirava. Tirando o pau todo melado da sua xaninha, fui metendo no seu cuzinho apertadinho, que aos poucos foi se alargando e aceitando todo ele. Enquanto eu socava naquele cuzinho, ela foi esfregando sua bucetinha, rebolando e gemendo até gozar novamente. Continuei bombando e enchi o rabinho dela de porra.
- Nossa tio... que loucura estamos fazendo.
- Verdade meu amor, mas é uma loucura gostosa.
- Tio... se eu soubesse que ia ser tão bom, teria feito antes. Agora o tio já sabe, quando vir de novo é só me avisar que eu dou um jeito de exportar meu filho.
- Pode deixar Dani, aviso sim....
Exaustos, dormimos pelados e abraçados despreocupados com horário, já que era domingo. De manhã acordei com Dani me fazendo um boquete gostoso, fala sério, existe jeito melhor de ser despertado de um sono... Aquela boca gulosa da Dani deixou meu pau feito uma pedra de tão duro. Quis retribuir aquele prazer então pedi para ela deitar por cima de mim, com seu corpo contrario ao meu e fizemos um 69 gostoso. Enquanto eu chupava sua bucetinha, carinhosamente eu enfiava um e depois dois de dedos no seu cuzinho. Entre um chupada e outra no meu pau Dani gemia e pedia para eu não parar. Com aqueles movimentos de língua na sua bucetinha e os dedos no seu cuzinho Dani deu um grito mais alto e gozou e em seguida eu anunciei o gozo e ela pediu que eu o fizesse na sua boca e ela muito gulosa engoliu tudo.
Ao meio dia do domingo fomos almoçar na casa do pai dela, e ficamos conversando com todos como se nada tivesse acontecido. Ao final da tarde voltamos para sua casa e em seguida seu filho também chegou. Como eu ainda iria dormir lá naquela noite, continuei no quarto do seu filho e ele foi dormir com ela. Seu filho cansado não demorou muito a pegar no sono. Eu já estava deitado a porta do quarto se abriu, era ela, sem me dizer uma só palavra ela entrou tirou meu short, alisou meu pau e em seguida chupou até eu mais uma vez gozar na sua boca. No final ela disse:
-Tio, essa foi a despedida por essa vez, mas na próxima vai ter mais.

E assim acabou nosso fim de semana delicioso. Já estou com saudade e esperando a próxima viagem.

Espero que meus leitores tenham gostado dessa minha aventura. Deixem seus comentários.





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.