"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Amanda a Ruiva


autor: Teuimperador
publicado em: 22/08/16
categoria: hetero
leituras: 1759
ver notas


Numa noite quente, uma de minhas bandas nacionais favoritas ia tocar na cidade e fui no show sozinho, pois não havia companhia disponível.

Chegando lá, fiquei junto ao bar, pois faltava um bom tempo pro show começar, e pedi uma cerveja. Heineken, como sempre.

De repente, meus olhos são atraídos pelo vermelho escuro que balançava nos cabelos de uma ruiva maravilhosa que entrava pela porta. Não pude esconder o sorriso safado.

Ao entrar, ela visivelmente procurava por alguém. Não encontrou seus amigos, achou uma mesa e sentou por lá. De frente para o bar.

Ela usava um vestido branco soltinho, com um decote que revelava um par de deliciosos seios fartos, salto alto e o cabelo vermelho solto, caído sobre os ombros um batom tão vermelho quanto seu cabelo e um olhar mortal, de mulher gostosa de verdade. Não houve um homem que não parou o que fazia pra olhar desumbrado para aquela pintura de mulher que passava.

Eu ainda no bar, usava uma camisa social aberta no primeiro botão, cor escura, realçando meus olhos verdes, barba por fazer, cara de safado. Desejei a ruiva desde o primeiro segundo.

Fiquei encarando-a desde o minuto em que entrou, passou por mim e sentou. Aguardei uns instantes e vendo que ninguém chega na sua mesa, resolvi arriscar.

Sentei na cadeira ao lado dela. E disse um “olá” animado, sorrindo. Ela sentiu meu perfume. Eu senti o dela. Ela não me mandou sair e respondeu o meu “olá”. Então relaxei e começamos a conversar, bebemos alguns drinques e uma hora depois chamo Amanda (agora já sabia seu nome), pra dançar pegando-a pela mão.

Eu não sei dançar, sou super desajeitado. Ela, sendo melhor do que eu nisso, de costas pra mim, meus braços em volta daquela cintura sinuosa. Ela dançava enquanto eu apenas acompanhava seus movimentos.

Seu cheiro me excitava ainda mais, seu corpo roçando no meu me deixava tarado. Começei a passar as mãos pelo seu corpo de forma mais maliciosa, acariciando suas coxas, seus seios, de forma intencional, mas fazendo parecer acidente. Meu pau começou a crescer dentro da calça e eu roçava-o na sua bunda enquanto dançávamos.

Para meu deleite, ela percebeu e não se incomodou. Pelo contrário, me provocava, direcionando minhas mãos para a abertura do seu vestido entre os seios. O decote maravilhoso que eu havia visto logo que a vi.

Percebo que ela não usava sutiã e acariciei seu peito inteirinho. Delicioso, mamilos durinhos, gostoso de apertar. Fiquei ainda mais tarado. A outra mão subia pela sua coxa, discretamente enquanto ela rebolava, roçando mais ainda sua bunda em meu pau duro.

Mordi sua orelha e seu pescoço e continuamos dançando assim até a música mudar pra uma música mais frenética. Nos empolgamos e quase perdemos o controle ali mesmo no meio da pista.

Então ela virou-se de frente pra mim e beijei sua boca, parando a dança. Minha mão deslizava imediatamente para sua bunda e a apertava com força durante o beijo. Ela correspondeu ao beijo me abraçando com força. Então disse ao pé do seu ouvido:

- Você é deliciosa demais! Eu quero você inteira!!!Vamos sair daqui antes que sejamos vistos! Quero curtir você todinha!!!

Decidimos que íamos para o meu apartamento onde teríamos mais liberdade. Peguei o carro, abri a porta pra ela e entrei no carro em seguida. Antes de arrancar com o carro avancei pra cima dela, novamente um beijo quente, safado. Minha língua sugando a dela.

Minhas mãos invadindo seu vestido por baixo, entrando na sua calcinha pra apertar sua bunda sem impedimentos, sua mão me acariciava sobre a calça, eu, cada vez mais louco pra ter aquela mulher inteira, sai com o carro imaginando como seria jogá-la na cama em seguida.

Durante o percurso, a cada parada voltávamos a nos beijar, então ela abriu minha calça e me masturbou de vagar, divertindo-se enquanto tentava me concentrar em dirigir. Suas mãos eram macias e me tocavam deliciosamente. Que tesão de mulher!!!

Chegamos ao meu prédio, saímos da garagem direto para o elevador. A prendi contra a parede do elevador com os braços em torno dela e puxei seu vestido, revelando seus seios. Comecei a sugar um por vez, mamando os biquinhos, mordiscando-os, sugando e chupando o peito todinho, culminando em deliciosas lambidas circulares nos mamilos, fazendo-a gemer e me puxar contra ela, friccionando seu corpo contra o meu.

Mamar naqueles seios com aquela mulher deliciosa se roçando em mim me deixou completamente tarado. O elevador demorava a subir até meu apartamento, então continuamos nesse momento gostoso, eu cheirava e mordia seus peitos com o maior prazer do mundo. Ela cheirava deliciosamente bem e isso me excitava ainda mais.

O elevador chegou ao nosso destino, corremos para o apartamento. Assim que ela passou pela porta, já foi arrastada para o quarto. A empurrei na cama grande e espaçosa enquanto tirava a roupa, ficando somente com uma cueca boxer preta recheada pelo meu pau duro e cheio de desejo.

Parti pra cima dela, que ainda se ajeitava na cama, esgueirando-me entre suas coxas, a boca passando pelo seu corpo sobre o vestido.

Depois da boca, passaram minhas mãos, erguendo seu vestido até tirá-lo pelos seus braços. De joelhos na sua frente, admirei seu corpo, observando a minúscula calcinha que usava, aqueles seios maravilhosos numa pele clara pincelada pelos fios de vermelho dos cabelos que jogavam-se sobre ela.

Passei a acariciar seus seios, coxas, passei os dedos na sua boca, por ela toda e comecei a beijar seu corpo a partir dos pés. Subindo pela sua perna direita, dando leves mordidas, lambendo e beijando, até a parte interna da sua coxa. Soprei sobre a sua calcinha e esfreguei meu polegar nela, fazendo-a gemer.

Beijei e mordi sua virilha, barriga, fui subindo, enquanto minhas mãos acompanhavam o percurso, apertando suas coxas e sua bunda.

Cheguei aos seios, chupei, mordi, beijei, brinquei com eles, fazendo aquela gostosa gemer baixinho, se torcendo na cama.

Ela apertava minhas costas, me envolvendo com os braços, sentia meus músculos e arranhava minhas omoplatas e meus braços enquanto continuava a brincar com seus seios.

Continuei minha subida, e cheguei ao seu pescoço, mordi e beijei-o, depois o ouvido onde sussurrei bem gostoso:

- Hoje tu vai ser minha puta!!!

Em seguida mordi seu ouvido e beijei sua boca, no instante em que enfiei a mão sob a sua calcinha, passando os dedos pela sua buceta.

Ao ouvir isso, Ela enfiou a mão em minha cueca e puxou meu pau pra fora, me masturbando também enquanto nos beijávamos.

Voltei a atenção ao seu corpo, beijando e mordendo novamente seus seios e fui descendo, até chegar à sua virilha. Durante o percurso, meus dedos massageavam seu clítoris, fazendo-a gemer e rebolar na cama comigo.

De joelhos entre as suas pernas, removi sua calcinha, deixando-a completamente nua e mais uma vez, fiquei admirando seu corpo, ela me olhando, gostosa, tentadora, safada e toda peladinha só pra mim.

Aproximei meu rosto de sua buceta e chupei ela toda de uma vez, começando da entradinha até a ponta do seu grelinho. Depois voltei com a língua sugando a entradinha dela, enfiando a língua dentro dela. Ela gemia e agarrava meus cabelos com uma mão, enquanto apertava os seios com a outra.

Repeti meu movimento, passando a língua por toda a sua buceta, pelos lábios dela, a ponta da língua entrando em cada pedacinho, depois castigando seu clitoris. Mordia seu grelinho com os lábios, como se fosse beijá-lo e chupo-o com força, enfiando dois dedos na sua bucetinha e procurando a ranhura do ponto G, bem lá dentro.

Ao encontrar, pressiono os dedos, fazendo aquele movimento de “vem cá”, vibrando-os entro dela enquanto chupava seu grelinho. Ela gemia ainda mais e rebolava mais forte, acelerando conforme acelerava minha chupada e as estocadas dos meus dedos. E assim ela gozou na minha boca, gemendo, ficando ofegante e saindo do ar.

Livrei-me da minha cueca, e deitei sobre ela, penetrando-a de uma vez só, me aproveitando do seu momento de fraqueza. Ela gemeu alto e me abraçou com força novamente. Penetrei até o fundo, sinto as bolas baterem no seu cuzinho.

Beijei sua boca ainda com seu gosto e comecei a socar lentamente, movendo meu quadril em círculos e fazendo com que meu pau grosso e duro a invadisse inteira e tocasse lá no fundo.

Ela mexia junto comigo, gemendo e pedindo mais. Fui acelerando a medida que ela pedia. Suas unhas cravadas nas minhas costas e suas pernas entrelaçadas em mim, me prendendo contra ela.

Comecei a socar forte, fazendo a cama tremer, meu pau fodendo com força aquela buceta lisinha e gostosa.

Beijei sua boca e a chamei de puta, safada, dizendo:

- Vou te foder muito! Ruiva gostosa!!! Quero você inteirinha pra mim!

- Vem cachorro, me come gostoso, soca bem fundo e me faz gozar de novo!!

Continuei assim, nessa socada forte e gostosa até gozarmos juntos, gemendo e nos beijando enquanto os jatos de porra escorrem para dentro dela.

Deitei na cama ao seu lado e desta vez recebi seus carinhos orais. Ela começou me beijando e acabou no meu pau. Sua boca deliciosa deslisando pelo meu corpo, com mordidas e lambidas que me faziam arrepiar. Um boquete macio e quente, que me deixou cheio de tesão e vontade de comer aquela gostosa de novo. Sua boca passava por minhas bolas e me chupava deliciosamente, me fazendo gemer e segurar firme em seu cabelo.

Puxei seu cabelo, Fazendo-a olhar pra mim ainda me chupando, eu digo:

- Vem cá safada, senta no meu pau, vem!

Ela sorriu, deu mais uma chupada e babou no meu pau todo, então veio por cima de mim e sentou nele de frente, deixando-o entrar inteiro em sua bucetinha mais uma vez.

Ela rebolava de vagar enquanto eu enfiava a cara naqueles peitos maravilhosos e apertava sua bunda com as duas mãos. Acariciava seu cuzinho com os dedos, enquanto a chamava de putinha e mandava rebolar mais forte.

Ela obedeceu, dando um tapa na minha cara e me chamando de gostoso, pedindo pra eu foder com força.

A medida que ela acelerava a sua rebolada, enfiava dois dedos no seu cuzinho e continuava com a boca em seus seios.

Ela gemendo em cima de mim, minha boca em seus seios, minhas mãos bolinando aquele rabinho gostoso, tudo isso tá fez gozar pra mim mais uma vez. Ao vê-la gozar e gemer alto, arranhando meu peito com aquela bucetinha gostosa apertando meu pau, não resisti e pedi que ficasse de joelhos.

Em pé na sua frente, roçando meu pau melado com melzinho daquela buceta no seu rosto fiz ela me chupar. Ela abocanhou meu pinto, me chupando e colocando-o entre seus seios até me fazer gozar forte e gostoso na sua boca.

Espalhei a porra pelo seu rosto e pelos seios dela, deixando você toda melada.

Em seguida a levei pra tomar um banho e acabamos dormindo juntos.

Antes de dormir, ao abraçá-la eu disse que gosto de ser acordado com um bom boquete e dei um tapa na sua bunda.

E assim foi o começo das minhas aventuras com Amanda, a Ruiva mais gostosa que já vi!



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.