"Os mais excitantes contos eróticos"

 

SOMOS AMANTES DO PAPAI


autor: rick
publicado em: 22/08/16
categoria: incesto
leituras: 26681
ver notas


Ola! Chamo-me Ana Paula (nome Fictício), recentemente fui á casa do meu pai, ele está separado da minha mãe desde meus 14 anos, hoje tenho 24 anos. Meu pai chama-se Ricardo, escreve contos eróticos e posta no seu perfil no facebook. Devido esses contos, muitas mulheres batem papo virtual com ele. Certa vez peguei seu notebook ligado quando foi tomar banho, no chat tinha uma garota de nome Darlyane (nome fictício) aguardando ele voltar para continuar a conversa. Intrometida, entrei na conversa e começamos um bom relacionamento e juntamente com meu pai ficamos amigos virtuais.

Resolvi fazer uma Surpresa para papai, chamei a Darly para vir a minha casa e assim conhecer meu pai pessoalmente. Avisei-o que iria pra sua casa a noite com uma amiga. Com certeza ele imaginou que seria uma amiga da faculdade.

Por volta das 21hs da noite chegamos e meu pai impressionado com nossa armação, sorriu, pois ali na sua frente estava a nossa amiga virtual. Ele percebeu que aquela noite prometia

Pra começar fomos tomar banho juntas enquanto meu pai foi preparar alguma comida para jantar. No banho pude sentir a maciez da pele da minha amiga, pois até então só conhecia por foto. Entramos as duas no chuveiro e pra começar beijei sua boca, enquanto ela já enfiou sua mão no meio de minhas pernas procurando minha buceta. Em quanto fui descendo, chupando seus seios, ela aproveitou pra enfiar um dedo dentro da minha vagina, enfiando e tirando, Esfregando meu grelo, me deixando de pernas abertas em quanto a água morna escorria pelos nossos corpos ensaboados que deslizavam um no outro, tirou seu dedo e chupou minha buceta, passando a língua no grelo, ofegante entrei em êxtase.

- Aaaahhhhh! como você chupa gostoso... vai amiga .... me faz gozar.

Nesse momento meu pai entra no banheiro pra saber o motivo da nossa demora... sua cara de espanto demonstrava que já sabia.

- Safadinhaas! Vocês hem! Nem me convidaram para festinha no chuveiro!

Saímos do chuveiro, começamos nos secar e papai olhando... Seu pau já estava crescendo dentro do seu short, dava pra ver o volume querendo pular para fora. A Darly, ansiosa para conhecer aquilo que meu pai descrevia virtualmente para ela, se aproximou e disse:

- Rick! Eu estava ansiosa por esse momento e não posso mais esperar. Vem quero você!

Minha amiga por um momento me esqueceu e beijou meu pai, imediatamente tirou seu short, liberou o pau dele pra fora da cueca e vendo a cabeça colocou na sua boca e começou a chupar e punhetar ao mesmo tempo o resto do membro. Ele a pegou nos braços e me chamou.

- Vem filha! Vamos para o quarto.

Excitada e com a lembrança de nosso último encontro, pois eu sempre lembrava a última vez. Lembrava o pau do meu pai penetrando na minha buceta, lembrei das chupadas maravilhosa que só ele sabe dar em uma mulher.

Deitou a Darly delicadamente na cama abriu suas pernas e mandou eu chupar sua buceta. Fiquei de quatro no meio das coxas da minha amiga, comecei delicadamente chupando seu grelo em quanto enfiava dois dedos na sua vagina. Meu pai por trás pincelou a cabeça do pau na minha xaninha que já estava molhadinha do banho e da chupada que Darly tinha dado no banheiro. Minha amiga se contorcia com minhas chupadas, fechando suas coxas na minha cabeça prendendo-me com a boca em sua buceta, chupei com vontade... ergui o sua bunda com as duas mãos, enfiei língua, parecia querer entrar dentro dela, dava impressão que sua xoxota estava engolindo minha boca. Foi ai que olhou para meu pai com cara de pidona e disse gemendo:

- Aii! Ham ham... Ricardo, eu quero você! Mete.

Meu pai que estava me comendo de quatro tirou para fora aquele pauzão cabeçudo e cheio de veias, rapidamente meteu na minha amiga de uma vez, ela soltou um grito abafado com sua mão na boca. Papai puxou para fora até a cabeça chegar na saidinha da vagina quando empurrou com força, novamente ela grita e geme em quanto ele começa um vai e vem bem rápido fazendo barulho ( plc! Ploc! Ploc! ) do encontro de seus quadris com as coxas dela, como era gostoso o som de minha amiga gemendo na pica do papai.

- Uiiii! Uiii! Ui! Nossa, Rick você é muito gostoso, esta me deixando de pernas bambas!
- Ham! Ham! Ham!... Vai! Vai! não para vou gozar... vou gozar!

Enquanto meu pai bombava, agachei-me por baixo, entre suas coxas
e passava a língua nas bolas do meu pai, chupava uma por uma, passava a língua no saco, fazendo ele aumentar os movimentos, provocando ainda mais os gemido da Darly:

- Huuuuuummmm! que delicia, me fode bem gostoso com esse pauzão! Ela disse contorcendo seu corpo, rebolando seu quadril no cacete dele.

Eu percebi que meu pai estava percebendo que ela era muito boa de cama, com medo que eu ficasse com ciúme e disse:

- Ah! sua buceta é muito gostosa, você mete muito, somente a Ana faz igual.

A Darly Sabia que meu pai era doido por mim por isso, em um certo momento entre gemidos, sussurro, gritos, falou:

- Aaaaah! Aaaaaaah! Empurra Rick; empurra tudo! Hummmmmm! Me fode com força, sou a Ana, vai mete na bucetinha dela, mete na buceta da sua filha!

E meu pai, não perdia tempo, talvez pensando mesmo em mim aumentou mais as estocadas com uma rapidez que fazia os peitos dela balançar. E depois de várias estocadas ela esticou suas pernas para cima e meu pai como sempre fazia comigo, segurou seu corpo parado com a pica dentro, imóvel por alguns segundo, ela sabia que ela já tinha gozado. Eu sabia que aquela estratégia era para segurar o gozo pois com certeza queria acabar em mim. E assim foi, tirou seu pau duro e latejando, a cabeça estava brilhando de tão rígida, as veias saliente no membro parecia que iam explodir. A Darly, como uma boa amiga, demonstrou que nós seriamos boas amantes para meu pai, me chamou:

- Vem Ana! Agora é sua vez.
- Vai Rick! Mete agora em sua filha.

Meu pai ainda com seu pau em rister se aproximou de mim, chupou meu grelo, com dois dedos introduzido na vagina, enfiando e tirando. Por um bom tempo ficamos assim, quando percebeu que eu não estava mais aguentando virou-me de lado, ficando por trás, encostou a cabeça do seu cacete na entradinha da minha buceta, lentamente foi socando, e cada centímetro deslizando pra dentro até eu sentir a cabeça no meu útero. Foi quando ele sussurrou no meu ouvido:

- Ana... Meter em você é muuuuuiiito bommm!

Aquele sussurro soou com uma vontade de faze-lo gozar, retribuindo o que ele sempre faz, que é fazer a vontade da gente mulher.

- Gooooza paiiii! Goooooza na minha buceta; gooooooza!
- Uuuuuaaaiiiiiiii! Uuuuuaaaiiiiiii! Mete pai; mete! Ooooh como é gostoso!...
- Ooooohhhhhh! Oooooohhhhhh! Aaaaaahhhhh! Aaaaahhhhh! Gemia meu pai
- Você é gostosa demais filha... e agora junto com a Darly, não vou aguentar.

Sei que meu pai é muito resistente, aguentando varias horas metendo sem parar, porem eu já estava com dó dele por ter aguentado nós duas por isso eu queria que gozasse logo. Chamei a Darly pra me ajudar faze-lo gozar, ela começou acariciando seu saco, beijando suas bolas, ajudando guiar seu pau pra dentro de mim.

- Aaaaah! Aaaaaaah! Empurra pai. empurra tudo! Hummmmmm! Me fode pai!
- Mais rápido! Mais rápido! Oooohhhh! Ooooohhhh

- Toma putinha do papai, toma!... Gosta do pau do papai?
- Uuuuuaaaiiiiiiii! Uuuuuaaaiiiiiii! Mete pai, mete! Ooooh como você é gostoso!...
- Aaaah! Aaaah! Vou gozar pai... Voooouuuuuu goooozar! Goza você tambem!

Foi quando, deu várias socadas na minha buceta, seu corpo tremeu, e como fez com a Darly, parou com o pau dentro, ficou imóvel apoiado nos seus braços com seu pau todo enfiado em mim. Eu sentia seu pau pulsando dentro da minha buceta e soltando jatos de esperma quentes dentro do meu ser, foi tirando lentamente e eu sentir escorrer da minha vagina uma grande quantidade de esperma.

Já era 1hora da manha quando lembramos da refeição que meu pai tinha providenciado, levantamos para tomarmos um banho juntos e fomos para cozinha esquentar novamente a comida.

E assim encerramos aquela noite de amor e sexo, fomos dormir na mesma cama para mostrar que a partir dessa noite seriamos amantes do meu pai para sempre.

Ricardo (Rick)
22 de agosto de 2016




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.