"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Mesmo assim ainda quero foder com meu ma


autor: momorena
publicado em: 31/08/16
categoria: hetero
leituras: 3805
ver notas



Depois daquela loucura que foi aquela manhã com Júlio, parei para raciocínar e claro que veio o sentimento de culpa. Natural obviamente, eu havia traído meu marido com meu professor!

Fiquei semana toda pensativa calada e acabou despertando curiosidade no meu marido que queria saber o motivo do meu silêncio.

Disse a ele que estava cansada sobrecarregada com as atividades do lar da faculdade e dos cursos.

Fui advertida de maneira grosseria como sempre por ele dizendo que quero abraçar o mundo.

Uma coisa que afastam muitos casais nos dias atuais é exatamente isso, falta de um diálogo descente onde ambas as partes pudessem expor suas frustrações, sem ser ignorado ou contar suas alegrias e sem receber nenhum tipo de entusiasmo.

O mundo anda em uma individualidade desnecessária ,extrema demais e nesse contexto aparecem desencontros na vida de casais.

E nesse meio encontramos outra pessoa que talvez nem preencha todos os requisitos que sonhamos mas tem um primordial. O desejo ardente pela gente.

* Ter uma foda de qualidade
* Um desejo que queima a pele
* Um orgasmo, múltiplos orgasmos
* Dar mais do que uma em uma noite....
* sorrir por motivos bobos

Se essas coisas faltarem em um relacionamento com certeza é porta aberta para outra pessoa entrar na história.

Carência, quantas vezes me senti carente de um afago um beijo na boca demorado.

De não ser censurada por ouvir minhas músicas no volume mais alto do som.

De escrever meus contos e não poder contar com a opinião da pessoa que dorme comigo porque certamente me acharia uma puta ao expor nossa intimidade.

De dizer que sinto falta daquelas aventuras na moto no mato ou no lugar que desse vontade.

O tempo fez com que virassemos companheiros e deixássemos de ser amantes como antes.

Sinto falta da vivacidade com que fitava seus olhos no meu. E nesse olhar já sentia minhas calcinhas molhadas doida pra te dar.

Sinto saudades das fodas nos lugares mais improváveis, como em cima da laje numa noite de luar e céu estrelado.

Estávamos somente olhando o céu, deitados sobre um carpete em uma noite quente. Lá era nosso lugar perfeito.

Ainda tínhamos aquele papo descontraído de início de casamento a safadeza eminente de uma relação recente.

E do nada estávamos lá fazendo amor em cima da laje , deitava em cima de mim,nossos corpos nus e seu membro me adentrava e nossa respiração ofegava.

Ninguém podia nos ver,não sei . O que sentia era um vai e vem . Seu pau entrava e saia deliciosamente da minha xoxota.

Ficávamos ali sussurando, gemendo baixinho e aproveitando a noite. Fudendo gostoso! !!

Deitava de ladinho e você me abraçava por trás recolocando o pau na minha bichinha gulosa.

E vinha me comendo gostoso por trás, enquanto eu impinava minha bunda pra você fazer mais gostoso.

Eu pedia baixinho para você me usar, abusar me lascar de tanto fuder.

E você me ouvia ,bombando rapidinho me fazendo enlouquecer.

E assim gozavamos naquela noite em cima da laje sob as estrelas como testemunhas.

É difícil sentir falta de tantas coisas porém casamento é casamento. Nada tiraria essa responsabilidade .

Nossa história só tem fim quando a gente decreta isso e não sei se isso ainda não é nosso caso.

O primordial de um casamento são romper algumas barreiras o nossos já passou por muitas delas e está enganchado em uma ainda a rotina que acredito ser o problema de vários casais e não só nosso.

Mas espero de verdade que consiga mudar isso. ..

Enquanto ao Júlio ainda não sei o que fazer, ele é meu maior mais louco e gostoso segredo. Não sei se vou conseguir abrir mão dele.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.