"Os mais excitantes contos eróticos"

 

ESPOSAS ARDENTES, CORNOS DOMINADOS - 01


autor: Shamir
publicado em: 02/09/16
categoria: traição
leituras: 17115
ver notas






Meus contos podem incomodar pessoas mais sensíveis, gente romântica que confunde amor com sexo ou feministas, tanto homens como mulheres...

Eu sou o Shamir, Sami para os poucos que são íntimos comigo. Eu sou um homem com trinta e cinco anos, moreno, alto e com um físico cultivado por anos em academias. Pratico natação e ciclismo com afinco, gosto de me apresentar bem e tenho orgulho do meu corpo. Não...não sou modesto, não tenho motivos para isso. Sou um homem seguro e confiante, muitos me acham autoritário e eu gosto disso.
Tenho uma situação financeira estabilizada, vivo bem e nada me falta. Controlo uma grande imobiliária no litoral catarinense, herança de família. Posso me dar ao luxo de trabalhar pouco porque a administração da imobiliária é exercida por profissionais contratados, pessoas competentes que só fazem aumentar meus lucros...
Apesar de levar uma vida muito boa e ter um comportamento de playboy não aceito o rótulo. Não tenho culpa se as coisas são fáceis para mim e não vou fingir que sou um executivo ocupado só para agradar a sociedade. Eu aproveito a vida! Viajo muito, faço amizades e saio com mulheres, gosto de sexo e tenho muitas parceiras mas não tenho namoradas, para mim as mulheres são diversão, sexo sem compromisso ou amolações, talvez por isso aprecio as casadas e com o tempo abracei um fetiche que me domina; Eu vivo para botar chifres em cornos babacas, é minha diversão...minha missão na vida!
Costumo procurar minhas mulheres em bares e restaurantes de bom nível, locais da moda bem frequentados, observo as acompanhadas e analiso cuidadosamente o comportamento dos casais. Vou ser sucinto e sincero; na mulher o que me interessa é o corpo...sou exigente e procuro fêmeas gostosas e novas, na faixa dos vinte e cinco aos trinta e cinco anos. Nos homens, meus corninhos como eu os chamo, é preciso verificar a situação com mais cuidado. Eu procuro os sinais de insegurança e a atitude perante as esposas. Para mim é fácil identificar o homem que está "carregando muita areia para seu caminhãozinho", o jeito como ele se comporta querendo esconder a esposa, o olhar nervoso quando existem outros homens perto da sua esposa e o pânico que os domina quando um outro homem está conversando com sua mulher.
Chega a ser divertido, está tudo lá, às claras para quem quiser ver, basta um pouco de prática. O corno está sempre segurando a mulher pelo braço ou faz questão de ficar de mãos dadas, o que parece um exemplo de amor é apenas uma patética tentativa de espantar outros machos que podem se aproximar da sua fêmea. Eu observo e uso isso. Com meu alvo estabelecido raramente falho, me aproximo e troco algumas palavras com o casal, qualquer besteira serve, o tempo, a comida ou o velho truque:
-De onde conheço vocês?
O corno típico ou em potencial já se aproxima mais ainda da esposa em uma tola manobra de defesa, eu de maneira acintosa ignoro o marido e a partir de um olhar firme e direto nos olhos da esposa "escaneio" o corpo dela sem pudor algum, elogio a roupa ou até mesmo o corpo da mulher se observo que o corninho é dos fáceis. Isso não é uma coisa que se faça sem cuidados e muita prática. Exige segurança, simpatia e coragem em doses suficientes para impressionar a mulher e assustar o corno. Quando a operação falha, e isso pode acontecer seja porque o corno ainda tenta resistir ou trata-se de um erro de avaliação e o cara é macho mesmo temos que ser mais competentes ainda. Se o cara reclamar de maneira segura e mostrando disposição para o confronto eu peço desculpas, digo que fui mal interpretado mas sempre com segurança e de maneira altiva. Se o caso exigir pago a conta do casal ou peço uma champanhe de marca boa como um gesto de boa vontade. Sempre resolve. Mas mesmo em situações assim já aconteceu de eu comer a esposa mais tarde...
Se após uma abordagem que falhou o cara reclama mas de maneira tímida, inseguro e fraca eu uso minha melhor atitude autoritária e olho no olho:
-Não seja idiota! Eu não estou cantando sua esposa...estou apenas sendo educado!
Minha atitude e meu físico desencorajam qualquer corninho metido a besta tentando salvar as aparências, ao mesmo tempo observo o olhar de aprovação da esposa, nunca falha, elas adoram quando um macho alfa enquadra seus maridinhos fracos...sei que chegam a ficar molhadinhas.
Mas em qualquer dos casos, mesmo quando a abordagem falha e principalmente quando tudo corre conforme o esperado meu próximo passo é dar um jeito de passar meu cartão, só nome e telefone para a esposa, de maneira discreta e sem o maridinho perceber, sou bom nisso, na verdade quase um mágico...se for preciso derrubo um copo, com o casal assustado e distraído meto meu cartão pelo decote da esposa! Nas geralmente não precisa tanto, basta deixar o cartão na mão da fêmea durante os cumprimentos de despedida...
Os corninhos são mesmo patéticos, fáceis de contornar e para mim são tão transparentes que eu chego até a rir até na cara deles. Encontro casais onde a esposa está gritando para -quem quiser ouvir:
-GENTE! Eu quero dar, quero ser comida por um macho de verdade...NINGUÉM VAI FAZER NADA!!!
E o marido geralmente com um copo na mão rindo como verdadeiros idiotas. E quantas mulheres vão passar a vida assim...sem nunca conseguirem uma foda de verdade! Eu simplesmente não posso permitir isso sem fazer minha parte! Eu procuro como já disse, identificar oportunidades, uma vez escolhido o casal eu dou o bote. Não se enganem, eu não peço nada eu costumo tomar o que quero. Se uma mulher está acompanhada por um macho fraco, ou melhor dizendo se vejo uma fêmea gostosa mal acompanhada eu vou lá e tomo essa fêmea para mim...e acreditem mas cedo ou mais tarde o cormo também vai me ser submisso, vai me pertencer quando o casal virar minha propriedade...mas isso fica para o futuro.
Quando digo que tomo o que quero, significa que eu pego as mulheres que me interessam sem me importar com regras sociais ou constrangimentos, percebam que estou sendo claro e direto, é assim minha maneira de agir. Eu vou me encostando na mulher encobrindo a visão do marido e de maneira discreta passo a mão nos peitinhos ou na bundinha, até de maneira rude. Se a situação permitir, quando estamos sentados por exemplo, meto a mão entre as pernas na cara dura mesmo! Elas sempre se arrepiam, o sorriso revelador se manifesta e sei que elas já são minhas. Algumas estão tão desesperadas que desafiam os maridos sem vergonha alguma e então tenho a certeza de que os corninhos já estão prontos! Por várias vezes eu fui embora levando a esposa do cara de boa! Mas é claro que nem sempre é assim, na maioria das vezes mais tarde a esposa vai me ligar e um encontro será marcado. O futuro corno vai perceber ou não...depende, mas cedo ou tarde ele vai ter certeza, vai saber que a esposa foi transar comigo e vai aceitar, bem manso... passado algum tempo que pode variar bastante vai participar, vai presenciar eu foder sua esposinha e vai gostar!
Mulheres para mim são apenas diversão, eu as uso como brinquedos, e não sou muito cuidadoso com meus brinquedos, não ligo se quebrarem...A maioria são buracos para depositar meu esperma, para me darem o gozo ilimitado e não devem ter esperanças românticas de espécie alguma, e posso garantir, o tipo de fêmea assim gosta disso e procura justamente ser usada, controlada e se submeter desde que seja com um macho alfa, um homem seguro e com autoridade para dominá-las...Simples assim!
A mulher meu alvo é capaz de tudo entre quatro paredes. Não tem frescuras e se submete ao macho sem recalques, quer principalmente dar prazer ao seu comedor e sentir os orgasmos sempre sonhados e nunca alcançados com seus maridinhos, criaturas fracas e inseguras. Mulheres assim, nas mãos de um homem que exala autoridade se deixam conduzir e obedientes fazem de tudo, coisas que jamais cedem para seus maridos justamente porque não sentem neles a autoridade e a firmeza necessárias para dominá-las.
Nas próximas continuações vou contar minhas aventuras satisfazendo e dominando mulheres casadas, domando cornos rebeldes e reduzindo casais a meus escravos, mas repito, são estórias para pessoas sem frescuras, que gostam de sexo selvagem e livres de amarras sociais. Saber apreciar a cena de um marido corno vendo pela primeira vez sua jovem esposa com o rosto coberto pelo meu esperma e lambendo meu cacete não é para todos...aguardem.






ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.