"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Sexo à força.


autor: stalia
publicado em: 03/09/16
categoria: hetero
leituras: 5993
ver notas


Olá. Sempre leio contos, e resolvi contar uma experiência minha. Tenho 15 anos, 1, 70, com peitos e bunda farta.
Desde os meus 13 anos me masturbo, seja pensando em alguém, assistindo pornô, ou lendo contos, a história que eu estou contando agora aconteceu ano passado, quando eu ainda tinha 14. Eu estava em um almoço de família na minha avó, lá estava meus tios, minha mãe, e meu primo mais velho, de 20 anos. Depois do almoço, cada um foi para um quarto dormir um pouco, e eu dividiria o meu com esse primo. Mas, eu havia me esquecido completamente disso, então abri um vídeo pornô, onde uma ninfetinha era totalmente submissa. Não me aguentei, desci minha mão para minha bucetinha virgem, vendo o quão molhada estava, comecei a esfregar meu clitóris. Nessa altura, eu já havia tirado toda minha roupa, e estava com as pernas abertas enquanto eu gemia baixinho para não chamar atenção. Estava quase gozando quando a porta é aberta de uma vez, revelando meu primo que automaticamente arregalou os olhos quando viu a situação em que eu estava. Me sentei na cama me cobrindo com o cobertor, pedindo desculpas e implorando para ele nao contar para ninguém, ele aceitou, mas disse que tinha uma condição. Eu concordei na hora, dizendo que podia ser qualquer coisa, ele apenas sorriu e veio até a cama onde eu estava, se deitando sobre o meu corpo nu. Logo entendendo o que ele queria, comecei a dizer que não, para ele não fazer isso. Apesar de me masturbar sempre, eu não queria perder minha virgindade ali. Comecei que me contorcer e gritar quando ele mordeu o meu peito direito, mas ele logo tampou minha boca, continuando a mamar e morder, me deixando toda marcada. Ele foi descendo a boca para a minha bucetinha, e começou a chupar ali com brutalidade, eu só pedia baixinho para que ele parasse, mas minha buceta estava me traindo, eu estava cada vez mais molhada. Ele me xingava de todo nome, dizia que eu seria sua puta dali pra frente, que ele iria chamar vários amigos para me comer também. Ele se ajoelhou e tirou o pau totalmente duro para fora, e enfiou na minha buceta sem dó, me fazendo chorar com a dor. Ele meteu em mim por minutos, e quando eu já estava acostumada, comecei a gemer manhosa, pedindo por mais timidamente. Ele, como bom primo, meteu até que eu gozasse. Eu ainda estava fraca e dolorida, mas ele me levantou pelos cabelos e colocou o pau na minha boca, fodendo ela. Eu chupava sem reclamar, naquela altura eu já estava adorando, e ele sabia. Ele gozou na minha boca, me forçando a engolir tudo, depois apenas se levantou e se vestiu, saindo do quarto e me deixando ali, sem forças para fazer nada.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.