"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Primeira vez com amigo do papai


autor: Afrodite962nft
publicado em: 12/09/16
categoria: hetero
leituras: 12793
ver notas


Muito prazer, meu nome é Bianca, moro no Rio de Janeiro e tenho 17 anos. Sou morena, tenho 1,65 de altura, cabelos longos e cacheados, olhos verdes e tenho umas sardinhas espalhadas pelo rosto. Não sou "gostosona", mas também não sou "seca", costumo dizer que meu corpo é proporcional. Bom, agora que já estamos apresentados, vou contar a vocês como foi a minha primeira vez.

Eu tinha 14 anos na época, mas já tinha vontade de fazer sexo, isso porque, minhas amigas eram todas +18, e sempre que elas me contavam sobre suas experiências sexuais, me batia uma invejinha e uma vontade louca de fazer sexo. Sempre precisei me conter, porque eu não achava legal meninas que muito oferecidas, e não podia nem sonhar em ser assim porque eu já participei do concurso de Miss da minha cidade algumas vezes e quando você se propõe a participar, tem sempre que se mostrar como um exemplo a ser seguido, e assim eu fazia.

Eu conseguia me controlar normalmente, até que um dia, minhas amigas dormiram na minha casa e pela primeira vez eu vi um filme pornô, o filme que eu vi, mostrava uma mulher se masturbando e parecia delicioso, minhas amigas se masturbavam ali mesmo, na frente umas das outras, mas eu esperei que elas dormissem e tentei fazer como a atriz pornô, consegui e foi maravilhoso, senti coisas que nunca havia sentido na vida! Daquele dia em diante eu comecei a me masturbar toda noite, quando meus pais dormiam, era delicioso e eu me sentia no paraíso. Até então eu não tinha conseguido gozar, mas um dia eu consegui chegar lá, gozei, gozei sozinha e pude sentir o gosto do meu tesão, finalmente eu senti o meu gosto e era delicioso. Depois de conseguir gozar e ver como era bom, eu passei a me masturbar várias vezes ao dia, até na escola eu me masturbava.

No início, só a masturbação me deixava satisfeita, mas depois de um tempo eu queria algo a mais, queria sentir tudo aquilo que minhas amigas diziam sentir, eu estavam pronta para dar o próximo passo, só faltava um homem para isso, até porque, naquela época, eu só tinha beijado na boca uma vez e foi com meu melhor amigo, mas ele era muito novinho e não fazia meu tipo (esqueci de mencionar que homens mais velhos sempre foram meu ponto fraco, sentia um tesão inexplicável por eles).

Um dos homens que mais me interessava era o Carlos, um amigo do meu pai, não tinha vontade de dar para ele por causa da proximidade dele com meu pai, fora que ele tinha 42 anos e é casado, mas que ele me despertava um desejo, eu não podia negar.

Meus pais são donos de um barzinho/restaurante no centro do Rio, e apesar de não ser um 5 estrelas, o lugar estava sempre cheio, por isso, às vezes, meus pais saiam depois do almoço e só voltavam 2 ou 3 da manhã.

Em um sábado, papai e mamãe saíram 11 hrs para abrir o restaurante e me avisaram que só chegariam a noite. Tirei aquele dia para cuidar de mim, passei o dia inteiro fazendo tratamentos de pele, unha e cabelo, mas quando deu umas 14 horas, eu deitei na sala para ver um filme na TV, inicialmente eu vi um romance que estava passando, mas não curti muito então decidi que queria ver uma coisa mais quente, coloquei um pornô e ali na sala mesmo, comecei a me masturbar, eu tocava na minha bocetinha e me contorcia de tesão, gritava e tremia enquanto eu tocava em meu clitóris. Fiquei tão excitada que me esqueci que estava na sala, e a sala da minha casa tinha janelas de vidro enormes que quase iam do chão até o teto, e as cortinas estavam abertas. Senti que alguém me observava e quando olhei para fora, vi que Carlos estava no jardim vendo eu me divertir. Quando eu o vi, fingi que tinha gozado para acabar logo com aquela cena, puxei meu roupão, desliguei a TV e fui para o meu quarto. Lá eu coloquei um shortinho, e uma regatinha decotada. Fiquei lá dentro por um tempo, para que ele fosse embora, 5 minutos se passaram e ouvi alguém tocando a campainha, pensei que ele tivesse ido embora, porque a campainha da minha casa fica do lado de fora do portão, fui até a sala, olhei na câmera e era ele que estava no portão, resolvi que atenderia. Fui até lá para abrir, quando ele me viu, começou a olhar meu corpo com desejo, fiquei sem reação, e então perguntei porque ele estava ali, ele disse que meu pai tinha pedido que ele fosse até a minha casa para resolver alguns problemas de infiltração no meu quarto, acreditei no que ele disse, porque ele é engenheiro civil, então deixei que ele entrasse, ele fez questão que eu fosse na sua frente, mas eu disse que era para ele subir porque eu precisava fechar o portão. Ele subiu e eu fui logo atrás, nós entramos na minha casa e fomos direto para o meu quarto, e ele pediu que eu mostrasse o problema, e eu mostrei, mas confesso que eu provoquei um pouquinho, precisei abaixar para mostrar para ele o que estava acontecendo e quando me abaixei, fiz questão de descer como se estivesse sentando em uma piroca, devagarinho e com a bunda empinada. Ele ficou louco quando fiz isso, quando eu me levantei, senti que o corpo dele estava colado no meu, subi mais um pouco e pude sentir o caralho dele, que já estava duro. No mesmo momento fiquei arrependida do que fiz e disse para ele que precisava beber água, ele pediu que trouxesse um pouco para ele, fui até a cozinha, peguei uma garrafinha e fui levar até o quarto para ele, quando cheguei lá as cortinas estavam fechadas e ele não estava mais no quarto, pensei que ele tivesse ido ao banheiro, por isso coloquei a garrafa no móvel da TV e quando eu estava saindo, percebi que ele estava atrás da porta e que tinha acabado de nós trancar lá dentro. Perguntei para ele porque estava fazendo aquilo e ele disse:

- Você tem um problemão aqui no quarto, mas tem um problema ainda maior entre as pernas. Vi o show que você acabou de dar ali na sala e achei que poderia te ajudar

- Não preciso de ajuda, aquilo é completamente normal. Agora me dá a minha chave porque eu quero sair.

- Amor, se você colaborar vai ser divertido para você também. Você também quer, vi o jeito que empinou essa bundinha gostosa para mim.

- Não, eu não quero. Eu sou virgem e pretendo continuar assim por muitos anos, você é amigo do meu pai e não pode fazer isso.

Quando eu disse que era virgem ele deu um sorriso safado e começou a caminhar na minha direção tirando a camisa social que estava vestindo. Eu fiquei desesperada e comecei a dizer que iria gritar se ele fizesse alguma coisa, ele continuou quieto e eu dei o meu primeiro grito, ele parou na minha frente rindo, me deu um tapa na cara e disse: "ninguém vai te ouvir sua piranha, vou te fazer mulher agora e você vai implorar para levar pirocada todos os dias depois. ". eu percebi que não adiantaria nada lutar, então fiquei ali, imóvel, enquanto ele beijava o meu corpo, ele me pegou no colo me jogou na cama e de repente começou a me chupar, se antes eu estava assustada, comecei a sentir um prazer maravilhoso, minha bocetinha foi ficando cada vez mais molhada e eu já gemia de tesão.

Ele percebeu que eu estava com tesão e disse: "tá gostando né? Sabia que você era uma putinha vadia, sua gostosa." Ele terminou chupando meu clitóris, depois veio para cima de mim e começou a roçar a piroca dele na minha bocetinha, ele ainda estava de bermuda, mas começou a tirar quando eu pedi para ele me foder, a piroca dele não era enorme, mas devia ter uns 17 cm, o que mais me impressionou é que aquela era a rola mais grossa que eu já tinha visto, e olha que eu era experiente em ver filmes pornô. Os dois estávamos nus quando ele me perguntou como eu queria que ele me comesse, eu disse:

- Eu quero que você me foda com força, quero sentir essa tua piroca grossa me rasgando no meio

-Ah sua putinha, vou te rasgar inteirinha, vou te fuder, te arregaçar com a minha rola sua piranha

- Hmmm, isso gostoso. Me rasga, me fode até o talo sem parar, quero sentir gostinho de porra na boca

Foi o que faltava para ele enfiar o pau dele na minha boca, e eu adorei, aquela pica enorme e grossa na minha boca, chupei bem gostosinho e ele disse para fazermos 69, fizemos e foi ótimo, deixei minha boceta bem na boca dele e a cada chupada eu tremia mais, quando eu já não aguentava mais, gozei na boca dele, ele começou a lamber meu mel e soltou toda a porra dele na minha boca, nem preciso dizer que adorei né? Mas ainda não estava satisfeita, precisava sentir a piroca grossa dele em mim, queria sentir aquilo me rasgando. A piroca dele não ficou mole e então ele veio com tudo e tentou meter ela em mim, da primeira vez não entrou, mas eu cuspi nela e ele botou, ele colocou muito rápido e não parou de bombar aquela piroca dentro de mim, eu chorei com a dor e pedi que parasse, mas a única coisa que ele fez foi bombar mais rápido ainda, não aguentei e desmaiei, mas ele não se importou, continuou me fodendo e isso fez com que eu acordasse. No início eu só conseguia sentir dor, mas depois o prazer foi de juntando a dor e causando uma sensação maravilhosa. Em pouco tempo eu já estava adorando ser arrombada daquele jeito, comecei a gemer alto e falar várias besteirinhas no ouvido do Carlos: "Fode a sua putinha fode, enfia essa tua piroca em mim, me rasga seu gostoso, papai só não pode saber que estou te dando minha bocetinha". Ele meteu com ainda mais agressividade e começou a dizer que meu pai nunca iria saber. Comecei a forçar minha boceta para baixo para o caralho dele encostar no fundo da minha bocetinha, fui massageando meu clitóris e gozei mais uma vez, gritei dizendo que estava gozando, ele tirou aquele caralho de mim e meteu na minha boca, paguei um boquete e ele gozou, senti aquele leitinho quente na minha boca e engoli com vontade, eu amava sentir o gostinho daquela porra deliciosa. Descansamos durante uns 10 minutos e depois voltamos a foder, ele me colocou de quatro e meteu tudo na minha bocetinha de novo, foi delicioso, me senti uma puta e adorava aquela sensação. Transei muito e gozamos mais algumas vezes e depois ele disse que precisava ir, paguei um boquete delicioso para me despedir, e depois ele foi. Minha bocetinha ficou completamente arrombada, eu estava toda assada, e minha mãe me perguntou no dia seguinte porque eu estava andando daquele jeito, tive que dizer que fiz exercícios kkkk

Nós transamos até hoje, e se vocês quiserem eu conto para vocês mais sobre nós dois, e sobre minhas outras experiências, até porque, depois dele transei com várias pessoas.

Esse é o meu primeiro conto, eu espero que gostem, e me desculpa pelo tamanho da história, é que gosto de dar detalhes. Comentem o que acharam, sejam bem safadinhos, ok? Adoro homem safado e dominador. Quem quiser deixar o número nos comentários pode ficar à vontade, vou chamar todos no Whatsapp (quem sabe não rola um sexo virtual? Eu confesso que adoro!).



*** Esse conto é verídico, quando não for, vou deixar escrito abaixo ***



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.