"Os mais excitantes contos eróticos"

 

ESPOSAS ARDENTES, CORNOS DOMINADOS - 06


autor: Shamir
publicado em: 14/09/16
categoria: traição
leituras: 4554
ver notas




Saudações amigos! Hoje continuo relatando minhas modestas aventuras sexuais. Não sei se tenho muitos leitores cornos mas sejam quantos forem quero agradece-los...Vocês são pessoas fantásticas, altruístas e com certeza amam suas esposas. Ao contrário do que possa parecer eu respeito vocês, o prazer que vocês me proporcionam cedendo suas esposas é algo que me deixa sempre emocionado...não me canso de admira-los.
Shamir.



Ariel, a gostosa esposinha que eu estou comendo e treinando com o objetivo de dominar o casal - ela e o marido, o Saul - está no ponto. Me obedece, atende meus desejos e já está bem adiantada na dominação do corno. Seguindo minhas instruções ela não só convenceu o marido a aceitar um casamento aberto, para ela é claro, mas também rapidamente está transformando o corninho numa criatura dependente dela no sexo e bastante submisso.
Saul, o mais novo corno da praça já está num regime de negação, não mete mais na esposa e está recebendo um tratamento de masturbação intensiva com a finalidade de diminuir a libido dele, acostumar ele a viver dependendo só dessa prática e criar um clima de humilhação permanente, enfraquecendo um homem já fraco e inseguro por natureza.
O processo consiste em ordenhar o marido duas vezes por dia. Ariel masturba o corninho pela manhã, quando o casal acorda e a noite quando vão para a cama. Já estão na fase em que o corno recebe também estimulação prostática durante a masturbação. O processo é feito com o homem de quatro na cama enquanto a esposa por trás segura firme nas bolas alternando a masturbação com a estimulação na próstata. O dedo da esposa no cu estimulando a próstata é psicologicamente devastador para o corno submisso. A técnica é altamente viciante e em pouquíssimo tempo a vítima é totalmente dependente disso, nem se importa mais em não estar fodendo com a esposa, fica reduzido a ser um pobre punheteiro já que o próximo passo é a esposa se exibir na frente dele enquanto ele mesmo se masturba com um plug anal vibrador atochado no rabo. E assim a Ariel vai seguindo minhas instruções, transformando o marido em um corno submisso, na verdade eu estou então manipulando o casal, preparando os dois para me servirem, porque não conheço sensação melhor do que comer a esposa de um cara com ele assistindo, foder uma beldade como a Ariel enquanto o Saul só poderá ver sua esposa sendo possuída, fodida com gosto...
Marquei com a Ariel no meu apart no início da noite e ela apareceu às sete horas. Bebemos uns drinks, só dei uns amassos nela e depois saímos para jantar. Levei ela num lugar refinado e de bom gosto, coisa diferenciada mesmo, mas não para impressionar, não preciso disso. Levei ela lá porque acredito que o meu método de dominação funciona sendo duro e firme, às vezes até um pouco cruel ou violento, mas quando minha fêmea se comporta e atende meus desejos deve ser bem recompensada. O jantar foi perfeito. Todos os homens me invejando e eu fazendo questão de exibir minha companheira...não canso de dizer, a Ariel é muito bonita e gostosa, um mulherão com carinha jovial e um sorriso sedutor.
Quando fomos embora lá pelas onze da noite fomos direto para meu ap, Ariel pedia sem rodeios para irmos logo, a menina queria foder e não esconde mais nada de mim:
-Shamir...estou toda molhadinha...vamos logo que eu quero sentir teu pauzão em mim...VAMOS!
Impressionante como é fácil conquistar e dominar essas casadinhas carentes. Maridos abram os olhos, cuidem bem de suas esposas e por cuidar, se não estou sendo claro digo para vocês foderem suas amadas todo dia, fodam forte e fiquem atentos aos desejos de suas mulheres, experimentem e avancem o sinal para ver no que dá, podem trata-las como putas de vez em quando e vejam a reação delas, vocês poderão se surpreender...
Quando entramos no meu apartamento a Ariel já meio descontrolada foi agarrando meu cacete e levando a boca, chupou gostoso como sempre e punhetando com força abriu a boquinha pedindo meu leitinho morno, gozei com satisfação naquela linda boquinha e senti a língua esperta dela coletando tudo, até a última gotinha deixando meu pau limpinho.
Satisfeita ela tirou as roupas e peladinha veio me agarrando e arrancando minhas roupas, depois ficou explorando meu corpo com mordidinhas, beijinhos e arranhões. Eu já fui empurrando ela para a cama e metendo a cara entre as pernas dela...chupei com fervor, usei a minha língua para deixa-la mais louca ainda, senti o gosto provocante do sexo dela enquanto ouvia a sinfonia de gritinhos e gemidos que enchiam o quarto com os sons do pecado. Ela gozou e eu não dei folga, antes dela recuperar o folego enterrei meu pau na boceta toda molhada com o gozo dela, ela se agarrou na cabeceira da cama e aguentou corajosa as estocadas que batiam fundo em suas entranhas. Sua xequinha tem paredes firmes que abraçam meu cacete me dando uma sensação boa de resistência, enquanto vou bombando. Tirando quase tudo e metendo de uma vez, sinto a entrada forçada e prazerosa que torna a foda com a Ariel uma experiência gratificante. Mas eu me controlo, não quero gozar assim, então provoco o gozo nela e assim que ela encontra seu orgasmo eu a viro de bruços, abro suas pernas e começo a forçar a entrada do cuzinho. Ajoelhado entre as pernas bem abertas da Ariel eu tenho a visão magnífica daquela bunda carnuda e bem redondinha.
Meto um dedo no cuzinho dela e um grito rebate nas paredes do quarto. Eu ignoro e meto dois dedos então ela agarra nos lençóis e se prepara...ela sabe o que vem e quando acontece ela solta um longo gemido que ninguém saberá dizer se é dor ou prazer... e isso importa? Fico imóvel por alguns minutos e quando ela começa a rebolar devagar, testando se não vai machucar eu começo também a socar com cuidado. Em pouco tempo estou metendo forte de novo e minha vara entra e sai aliviando e rasgando alternadamente até eu sentir meu pau inchar de repente e a sensação do meu esperma morno abrindo caminho pela minha uretra me domina. Tiro meu cacete e dou um banho de porra nas costas e na bunda da Ariel que desaba quase desfalecida ao meu lado na cama.
Tomamos banho juntos, brincamos no chuveiro e na hidro depois voltamos a transar de outras formas até que exaustos nos damos por satisfeitos.Nos vestimos e então eu disparo:
-Hoje eu vou te levar em casa Ariel...
Ela não sei se surpresa ou assustada:
-Mas...como...bem acho que tudo bem. Você tem certeza?
Eu lhe dei um sorriso tranquilizador e um beijo para aumentar sua confiança e completei.
-Hoje vou te levar em casa, quero cumprimentar o Saul, quebrar o gelo entende? Quero fazer isso porque pretendo passar o sábado com vocês...acho que você está pronta e o teu marido vai ter que estar.
Ela agora sim ficou assustada:
-Ma...Mais já? E..Eu não sei Shamir...
Cortei na hora:
-Você não sabe mas eu sei! Vou te comer na frente do teu marido porque quero e posso. Te digo mais, ele vai gostar porque é corno e isso vai ser muito bom para vocês, como casal vão saber exatamente o papel de cada um e as aparências não vão mais importar. Você vai gostar eu garanto e teu marido vai logo se colocar da posição dele sem sofrimentos...a verdade liberta!
Ela não pareceu muito convencida mas isso não me preocupa, é assim mesmo no início. O ser humano é capaz de vencer qualquer barreira se os objetivos estão claros e a honestidade norteia as ações.
Ao chegarmos no apartamento do casal e a Ariel está tensa, quando passamos pela portaria e o porteiro cumprimenta olhando com curiosidade ela imediatamente solta minha mão que vinha apertando firme. Subimos e ela esta demonstrando muito nervosismo, natural...
Chegamos ao andar onde mora o casal e a porta do apartamento. Ela me puxa para trás e começa:
-Na...Não sei...
Eu não dou a mínima, toco a campainha três vezes e logo a porta abre. Saul aparece de olhos assustados e balbucia:
-Vo...Você?
Eu abro meu sorriso mais simpático:
-Boa noite Saul! Meu querido...Tudo bem? Olha eu vim trazer tua esposa...já está tarde e não queremos ela sozinha pelas ruas não é mesmo?
Ele não fala nada, está mudo...o que poderia falar? Ariel avança e fica ao lado dele e tenta melhorar a situação:
-Tudo bem não é amor? Quer entrar Shamir? Beber algo?
Eu já atingi meu objetivo para esta noite e sei como isso é...agora os dois tem muito o que falar, então:
-Não...obrigado eu vou indo...
Dou um beijo descarado na boca da Ariel e dois tapinhas na bundinha dela...
- Boa noite Saul e...até sábado.



Na próxima vez que nos encontrarmos aqui vou contar como foi o sábado. No próximo conto - parte 06, vou foder a Ariel na frente do Saul...não se preocupem...tudo vai acabar bem para todos, principalmente para mim, é claro.





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.