"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Matando a saudade da foda com a prima.


autor: Chronos
publicado em: 14/09/16
categoria: incesto
leituras: 4743
ver notas


Fala, pessoal, bom dia! Ou boa tarde, ou boa noite, ou boa madrugada, rs! Andei meio sumido porque estou participando de um projeto social para jovens que buscam o primeiro emprego. Estou com time bacana liderando um projeto pela primeira vez, olha só!

Isso tá me sugando as energias igual vampiro, fiquei sem tempo até pra dar uma atençãozinha pra Renatinha Kishimoto. Ah, desculpem, sou o Renato. É, o mesmo cara que pegou a prima, a tia da namorada, a secretária da empresa, pereré pão-duro...

Então, sei que quem me conhece sentiu minha falta e eu tô ó... Atolado de trabalho até a alma. As provas na faculdade quando vêm, arregaçam também, então tipo: Virei máquina de dia e zumbi de noite. Dona Ruth, minha mãe, que o diga. E Brendah... Ui, essa tava puta com meu sumiço. Já tinha um tempo que eu não a via, e com certeza de um descanso pro meu cérebro eu tava merecendo.

No dia que peguei meu WhatsApp pra poder falar com ela ouvi litros de bronca. Entretanto, não sabia que essa conversa estava me despertando para a vida. Eu tava levando uma aventura de cachorro sem dono e tomei um choque de realidade quando vi que havia alguém que se importava comigo mais que qualquer mulher no presente momento.

Brendah: Seu cachorro! Acha que eu vou ficar esperando você a vida toda, seu filho da puta!? Nem pra me ligar pra marcar de vir aqui, dar um alô cachorra, você vem! Tenho que marcar audiência exclusiva com você ou o cachorrinho tá acorrentado na madame!?

Eu: É... Posso falar!?

Brendah: Falar porra nenhuma, seu escravocêta de carpete! Venere vai bem!? Tá te amarrando bem pra tu ficar longe de mim, seu cachorro!? Vou ter que te meter a porrada pra tu encontrar o caminho de casa!?

Eu: Fumou boldo, porra!?

Brendah: BOLDO É O CARALHO, SEU YUPPIE DE MERDA! QUAL A DESCULPA QUE VOCÊ VAI ARRUMAR AGORA PRA MIM!?

Eu: Sabe o que fêmea abusada que nem você precisa, sua desbocada!? Merece uma surra de pica no rabo até abrir tudo, pra poder ficar quietinha! DIGA QUANDO E ONDE QUE VOU TE PEGAR, PORRA!

Brendah: Aaaaaah, agora falou minha língua, gostoso! Pra você eu faço tudinho!

Eu: E seja uma boa menina, viu! De repente, ganha leitinho com vinho...

Brendah: Uiiiii! Quando você vem!? Tô louca, estressada, puta, precisando sair, quando vem aqui!?

Eu: E as baladas!? E a pegação!?

Brendah: Desde a última vez que você veio aqui, nem cocô de neném eu tô pegando, Re! Serio mesmo, tô pegada é na faculdade, as matérias estão me comendo e eu não tô gozando nem um cadin assim! Além disso, tô precisando de um estágio, pro período que vem!


Compartilhei sobre o projeto que estou desenvolvendo na empresa, ela ficou super animada e prometeu pensar com carinho.

Cara, eu sempre fui louco na Brendah, mas com a vida que eu estava levando ia ser foda parar e ficar somente com ela. Quando penso em parar, sempre aparece uma situação básica, se é que vocês me entendem, rs. Aí, arrumar namorada pra depois ficar chifrando eu não quero!

Mas minha prima entendia bem isso, e pelo menos não era possessiva comigo. Será que eu estava enganado!? Como ela mesma havia afirmado, ainda iria aprontar muito comigo.

Todo mundo uma hora precisa ter um ombro de fé pra poder encostar sua cabeça e chorar. E nesse quesito, embora eu pegando a madame nipônica sem qualquer compromisso e dinheiro rolando para isso, era cada um na sua. Acho que isso sustentou a aventura com ela por tanto tempo.

Eu precisava de uma namorada, mas tinha meus receios... Bom, xá pá lá. Arrumei um final de semana e fui visitá-la. Quando cheguei lá, a Tia Sil me cobriu de beijos, levou-me pra cozinha, o lugar mais gostoso da casa, fez um bolinho delicioso de chocolate com cenoura, ai papai!

Brendah estava puta, porque eu dava mais atenção ao bolo que a ela.

Brendah: Poxa, mãe, ele demora pra caramba pra vir aqui e você fica alugando ele!

Sil: Ah, garota, não enche! Tu vai ficar se agarrando com ele, que tu é fogosa pra caraca!

É, essa mulher me criou como filho, gente, eu tinha que dar atenção pra ela. Além do que eu não posso queimar meu filme com a minha possível futura sogra!

Sim, Brendah sempre gostou de mim, e eu sempre fui amarrado nessa preta, mas eu não queria repetir com ela o que fiz com a Lívia. Isso manchou minha história. Antes tivesse sido um pegador qualquer. Mas eu feri alguém.

Contei pra ela do projeto que eu tava desenvolvendo para jovens que precisam de uma oportunidade, assim como eu tive. E entrei no assunto com a Brendah sobre a oportunidade de ela poder iniciar sua carreira num dos programas de treinamento que nossa empresa oferece.

Sil: Sabe, os custos de material que ela precisa são altos, e com a queda de vendas lá na pensão, pessoal tá levando marmitinha de casa. Essa crise tá demais! Ela tem me ajudado lá, tem sido excelente na administração até de casa, acredita!? Pelo menos pra uma coisa boa essa faculdade serviu pra essa desmiolada( Brendah deu língua pra ela, kkkkkkkk), brincadeira , Renato, na verdade ela já mudou muito, nem pra balada ela tá indo mais. Saiu do caminho da perdição, maioria das colegas dela só querem saber disso.

Eu: E eu tô querendo dar um perdido, tia, rs! Trabalho tá me consumindo tanto que tive que dar uma freada na gordura e tudo o mais, mudei até o ritmo!

Sil: Filho, vê se você cuida da saúde, porque ela é uma só, por favor!

Eu: Eu sei, tia. Eu tô fazendo natação entre o fim do expediente e o horário da faculdade. E tô comendo comida mais leve.

Só que eu não vou me estender aqui, pois sobrou bronca aqui igual em casa. Minha mãe também pega no meu pé direto.

De saco cheio do papo e pedindo licença forçada, Brendah me puxou pela gola da camisa e saiu me levando pra fora de casa. Tia Sil se despediu de mim com um selinho de fazer estalo alto , deixando Brendah com ciúmes.

Brendah: Ah, daqui a pouco ela tá levando você pra cama com ela, eu hein! Eu tô é com saudade dessa boca gostosa, vem cá...( saudade do beijo selvagem dessa preta, nossa...) E aí, gostoso? Que a gente vai fazer juntos, eu quero sair, ficar longe de casa, pois tô me sentindo velha sem balada nem nada, faculdade tá me consumindo!

Eu: Quer um cinema!?

Brendah: Quero Motel! Serve? A gente faz nosso filme, kkkkkkkk.

Eu: Rs, tá doidona, vai lá e se arruma!

Aquele clima de lar me fez despertar para a minha vida. Sobre o que eu estava fazendo com ela e como eu estava me consumindo, não com trabalho, mas com relacionamentos vazios. Tinha tempo que não relaxava a cabeça sem pensar em trabalho. Quase um mês sem ver a Brendah. Minto, passou de um mês. Ela gosta mesmo de mim. Era tão perturbador como gostoso.

Quando ela reapareceu, tava num tomara-que-caia preto, uma calça jeans azul-marinho que definia todas as curvas do seu quadril, e uma maquiagem de deixar qualquer um de queixo caído.

Eu: Linha de maquiagem da Jequiti!?

Brendah: Mary Kay. A crise não me impede de ficar empoderada, não, gostoso, rs! Por isso eu ralo também!

Eu: Tô vendo! Meu amigo aqui aprova!- Ainda bem que ela não precisa disso pra ser linda. Se pusesse um batom, uma sombra, já seria suficiente.

Brendah: Seu amiguinho precisa ser marcado de novo com meu cheiro! E eu preciso de uma surra de macho de verdade!

Por falar em surra...

Eu: Ainda batendo muito no Muay-Thay!?

Brendah: Cansei de bater naquela turma, lá. Além disso, precisei me afastar do professor!

Eu: Por quê?

Brendah: Por que ele queria continuar o casinho dele comigo, e eu dei uma desculpa bem dada que o convenceu rapidinho!

Eu: Conta, então!

Brendah: Renato, eu sei que você me conhece como uma maluca fogosa, putona, louca, sem juízo, mas uma hora vem que o coração da gente pede pra ser cuidado de verdade ( uma lágrima traiu sua imagem de durona). Eu fico puta com você porque sei que você não é um cara de se jogar fora, nem vem me dizer que não tem recebido uma cantada, um assédio nessa empresa que tu tá. E arrisco até te dizer que duvido que nenhuma puta de lá ou essa Venere não quis te comer.

Nessa hora o coração dela deu uma falhada naquele ar de durona:

Brendah: Abrindo o jogo aqui: Re, eu deixei de ficar com o professor porque eu te amo!

Eu: Que!?

Brendah: Eu não me iludo, Renato. Eu sei. Meu coração me traiu bonito e sei que sou uma babaca, idiota, mas...( começou a chorar) , caralho, eu te amo, será que você entende!?

Aquilo era uma armadilha. E me pegou de jeito!

Eu: Brendah, eu preciso te confessar...

Brendah: Olha, eu sei que você vai me dizer que não quer, porque tem seu trabalho, e tudo o mais. Mas você precisava saber: Eu já amo! E desde o Carnaval tô flechada pelo Cupido, e você acabou com meu tesão pelos outros caras! Eu só quero saber se essa doida tem chance com você! Por favor não me iluda!

Eu: Brendah, eu tenho feito você esperar muito, não é!?

Brendah: Poupe-me da acusação, rs!

Eu: Brendah, eu tenho medo! Desde que traí a Lívia, tenho medo de assumir compromisso. Eu confesso: Eu me envolvi com outras pessoas, ok!? Eu não vou te negar. Fiquei tão putão que ouvindo suas palavras eu nem me reconheço mais! Eu me arrependi pelo que fiz com a Lívia, mas... Não quero fazer a mesma coisa com você! Machucar alguém que amo não iria me fazer sentir orgulho...

Brendah: É isso que te prende, Renato? Ou é o medo de eu fazer com você a mesma coisa que com a Lívia!?

Ela me deixou calado. Eu baixei a cabeça. Respirei fundo. Ela tava certa. Eu tava perdido.

Eu: Brendah, eu me perdi. Me perdi quando fiz a primeira vez.

Brendah: E continua vivendo como um cachorro pra poder se defender . Até quando, Renato!? Até quando!?

Eu: Brendah, me perdoe por ter feito isso com você!

Brendah: Renato, você não me fez nada! Mas se precisa de uma coisa mesmo, de verdade: Primeiro, se perdoar! Segundo, definir o que você quer mesmo pra você , pois eu sei o que quero nesse momento! E a última coisa que eu quero é magoar meu negão que nem de tirar o chapéu é... É de tirar a roupa toda!

Eu: Se tem uma coisa que aprendi com a velha Ruth, foi amar quem me ama. Espere aí!

Ela perguntou aonde eu iria. Não respondi nada. Fui até minha tia, que estava arrumando as coisas na cozinha.

Eu: Tia, senta aí!

Sil: Ué, não foram!? Brendah não é de se demorar tanto!

Eu: Não é isso , Tia, eu vim aqui te pedir um negócio!

Sil: Tô sem dinheiro, rs!

Eu: Eu sei: É algo mais precioso!

Sil: Ai, tô com medo, Renato, tá me assustando!

Eu: Me deixa sair daqui com a Brendah com sua bênção.

Sil: Deus te abençoe, filho, mas por que isso!?

Eu: Me deixa eu namorar ela!

Cara, ela deu um grito que estrondou a casa toda! Ficou sem chão.

Sil: Garoto, você quer me matar, filho!? Você veio aqui pra me pedir isso!? Lógico que deixo, demorou até demais, seu sem-vergonha! Claro que te abençôo! E cuida dela, tá!?

Quando olhei pra trás, Brendah já tava pronta e maquiagem manchada. Teve que fazer tudo de novo!kkkkkkk. Quando ela voltou, estava ainda mais deslumbrante, mais gata que antes!

Brendah: Então, estou melhor!?

Eu: Divina! Mas agora falta meu pedido a você!

Brendah: Ai, Renato, você vai me borrar de novo! Rs...

Eu: Brendah, eu sei que fiz você esperar muito tempo. Eu fui um idiota. Mas não posso negar que me sinto muito bem com você. Eu demorei a pedir porque eu não suportaria ver esse sorriso lindo virar um lamento...

Brendah: E?( começou a lacrimejar)

Eu: Deixa eu fazer parte da tua vida, compartilhar teus sentimentos, teus dias bons e maus. Namora comigo! E não estou fazendo por pressão, não. Eu gosto de você!

Brendah: Sim! Olha, você não quer mesmo que eu saia, né! Tá me fazendo chorar toda hora, rsrs! Lógico que eu namoro você! Meu nerd mais gostoso do mundo!

Por ora, terminam meus dias de conquistador. Já deu. Minha tia abençoou, claro, nunca dei motivos para ela reprovar o namoro. Quando Rodrigo e Simone chegaram da rua souberam da notícia e nos felicitaram muito.

Rodrigo: Véio, ter um irmão já é um fato na minha vida. Acho muito louco tu namorar quem foi criada contigo boa parte de uma vida, mas não poderia estar em boas mãos. Cuida bem dela, tá!?

Simone: Poxa, eu queria dar um beijinho nessa boca uma vez na vida, já vi que não vai rolar...

Agarrei ela e dei um beijão, Brendah ficou louca de raiva.

Brendah: Seu cachorro, por que fez isso!?

Eu: Realizar o sonho dela, pow! Kkkkk

Simone: Olha, tá aprovado! Kkkk, pode namorar ela, uiiii!

Brendah: Vai lavar essa boca agora, Renato, não vou beijar ela de tabela nem a pau! Ordinário, safado! Vou te por na linha agora.( Simone deu muita risada), e tu, piranha!? Para de rir!

Simone: Desculpa!kkkkkk

Eu sei que aquela noite foi uma festa. Ah, se saí com ela!? Saí, lógico que saí, rsrsrs. Primeiro a gente passou num sexshop em Madureira pra comprar uns bagulhinhos, sabe, rsrsrs: Gel KY, algemas, cerejinhas explosivas, e uma cinta com consolo.

Brendah: Posso saber por que esse brinquedo aqui!?

Eu: Te explico depois!

Brendah: Vai explicar agora!

Eu: Ok. Lembra uma certa feita que te contei sobre meu encontro com a Venere!? Ela me ensinou uma paradinha: Massagem prostática, 😈! Contei pra ela da vez que fui à clínica de Venere( leia Técnica do Prazer: Shiatsu no Venere)

Brendah: Não creiooooooooo!!! Cara, tu é mais piroca que eu, que isso, Renato! Kkkkkkkkkkkkk, puta que pariu!
Quando penso que te conheço, tu me surpreende!

Eu: Olha, só faz se quiser, tá? Eu não vou obrigar você a fazer nada que...

Brendah: Psiu( calou-me com um beijo super provocante), já que é assim, então você vai ser todinho meu, meu gostoso. Seu louco, kkkkkkkk.

E assim, fomos a nossa parada final: Motel Carícia! Pegamos uma suíte com banheira de hidromassagem, e caímos na cama com beijos voluptuosos . Brendah ficou por cima de mim, arrancando cada peça de roupa e arranhando meu peitoral daquela maneira selvagem que a galera já sabe como ela faz.

Brendah: Tá sob nova direção agora, seu puto delicioso! Quero me matar de tanto consumir esse corpo aqui pro resto da minha vida, hei de fazer isso!

Arrancou minha calça, meus tênis, deitando-me apenas de meia e cueca. Deu uma mordida suave sobre meu pau e lentamente tirou ele pra fora da cueca. Ele já estava pulsando em sua mão. Abocanhou-me com fome de ser surrada até chorar e chupou magistralmente, sem nenhuma pressa. Engoliu toda minha grossura sem esgasgar dessa vez,deixando ele todo babadinho. Quase gozei na boca daquela cadela, como ela chupa gostoso!

Eu: Ah, Brendah, minha priminha louca!

Brendah: Priminha!? Rs.

Eu: Desculpa, amor!

Brendah: Fala de novo, fala!

Eu: Desculpa, meu amor!

Brendah: Tão fofo vindo de você, isso! Sou louca por você, Renato!

Eu: E você ta me surpreendendo cada dia mais, Brendah! Nunca imaginei estar aqui com você hoje! Queria poder fazer rodar a fita para começar esse dia todo de novo!

Brendah: Não liga, meu anjo, meu titã! Hoje está terminando melhor do que começou, e você tá me fazendo a mulher mais realizada do mundo. Por você eu viro uma santa, se quiser!

Eu: Prefiro você desse jeito!

Brendah: Mas eu vou ser assim somente pra você, mesmo!

Eu: Então tá bom!

Tirei toda a roupa da Brendah e mergulhei naquele oceano negro. Chupei, mordisquei, suguei seus seios, fazendo ela arfar de tesão. Desci beijando toda sua barriga, seu umbigo e passeei lentamente pelo lado interno de cada coxa até os pés.

Ela já implorava pra ser sugada na sua buceta molhadinha, mas eu a torturei lentamente, beijando cada palmo do seu corpo até chegar ao centro do seu prazer.

Brendah: Caralho, Renato, me chupa logo, porra!

Eu: Cala a boca, cachorra! Quem manda nessa porra aqui sou eu, sua puta!

Brendah: Quero ser fodida, seu gostoso, quem manda deixar essa buceta carente? Anda logo!

Enfiei um dedo lentamente no se sexo encharcado e dei na boquinha pra ela provar seu gostinho.

Brendah: Anda, filho da puta, eu quero pica, ordinário! Hummmm... Delícia, nossa, Renato!

E finalmente cai de boca no meio das suas pernas. O cheiro da minha namorada me enlouquecia. Brinquei com seu grelo, jogando ele de um lado pra outro com minha língua. Bebi o mel que escorria do seu interior e enlouqueci ainda mais a Brendah num beijo sem virtude. Virei ela de 4 e dei-lhe um delicioso beijo grego, enchendo sua bunda de vigorosos tapas. Ela mordia os lençóis abafando seus gritos. E finalmente coroei a noite invadindo lentamente sua bucetinha. Nossa, como ela estava apertada. Contraía e expandia sua musculatura conforme eu penetrava e voltava. Foi um vai-e-vem lento e marcante. Brendah jogava seu traseiro em direção à minha virilha, encapando com pressão meu pau dentro de si, aumentando a força das estocadas. O cheiro do seu sexo subia ao meu nariz e me fazia tirar o meu mastro de dentro dela e começar a chupar tudo de novo. Ela não agüentava mais. Gozou de novo. Penetrei com os dedos e soquei com força . Ela gritava. Aí virou-se de frente, caí de boca no seu grelo carnudo de novo e penetrei rápido com os dedos até ela esguichar seu gozo no meu rosto.

Brendah: AI, PORRAAAAAAAA! Renato, que você tá fazendo comigo! Puta que pariu, que delícia é essa, papai!

Ela xinga muito, véio, rs, eu rio demais com isso. Mudei de posição com ela e criei algo que chamo de Nosso altar do prazer: Ficamos em forma de ponte, apoiando nossos corpos sobre os braços, sendo que eu sustento em minhas pernas as pernas dela e encaixados , com uma visão privilegiada um do outro. Cansa, mas como tenho vigor físico em dia, foi delicioso vê-la naquela posição sendo comida e ver as caras e bocas que ela fazia. Brendah topa tudo que eu proponho a ela. Depois ela sentou-se sobre mim ainda apoiada nos braços e eu deitado de costas na cama, e cavalgou alucinadamente até estremecer num novo orgasmo.

Brendah: Nossa... Quando penso que vou te alcançar você acaba comigo, porra, kkkkkk! Vamos dar uma pausa, vamos, tu me matou hoje na cama!

Eu: Arregando, vagabunda!?( plantei a mão bonito na cara dela) arregar porra nenhuma! Agora que tu me quis vai roer até os ossos!

Brendah: Essa mão é pesada, porra (devolveu o tapa), tá pensando que eu vou te dar mole aqui!?

Pus ela de 4 de novo e meti-lhe a porrada nos glúteos. Peguei meu pau encharcado e abri seu cuzinho todinho. Meti com vontade, ela gritou pra caralho até chorar. Ela gosta dessa violência, faço isso pra fazê-la sentir ainda mais prazer. Dessa vez gozei litros. Brendah parecia que tinha sido atropelada, mas acabou-se nos meus braços beijando muito.

Brendah: Era disso que eu tava precisando, uau! Tu é delicioso, priminho. Agora, meu macho! Sou apaixonada por você, sempre te quis!

Eu: Eu me apaixono por você cada vez que fodemos juntos. Era isso que me apavorava toda vez.

Brendah: Não fica mais assim! Agora tudo vai ser diferente. Você vai ver!

Obviamente que brincamos muito aquela noite. E dessa vez, dina Ruth teve que dormir em casa com os anjinhos. Seu filhinho foi sequestrado pelo resto do final de semana!

Pessoal, minhas aventuras acabam aqui. Nem tem como ser diferente, pois agora ela me laçou com três nós. Mas não quer dizer vocês pararão de ouvir falar de mim.


Continua...









ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.