"Os mais excitantes contos eróticos"

 

As gêmeas (Parte 1)


autor: corabopp
publicado em: 29/09/16
categoria: lésbicas
leituras: 27386
ver notas


Micaela e Maysa começaram cedo na carreira de modelos, ainda na infância, Reinaldo, o pai e agente das gêmeas, batalhou muito pela carreira das filhas. Viúvo, criou as duas sozinho, era autoritário, extremamente rígido, as amava muito mas não conseguia demonstrar muito bem seus sentimentos. Quando sua esposa morreu, Maysa e Micaela ainda em crianças, Reinaldo se fechou numa bolha e seguiu a vida sozinho focado somente na carreira de suas filhas.
As gêmeas desfilaram em eventos de renome, apareceram em revistas, catálogos e fizeram inúmeras publicidades representando as marcas mais importantes da época. Eram conhecidas nas agências como irmãs barbie. Quando começaram quase não haviam gêmeas no mercado, o que fez terem mais destaque entre todas as concorrentes. Loiras e dos olhos azuis, a beleza dessas gêmeas as levou a lugares que nunca pensaram em conhecer.
Micaela e Maysa tinham uma vida muito diferente de todas as outras garotas da idade delas, cresceram num regime quase ditatorial de seu pai, não tinham amigas, não visitavam outros parentes e viviam viajando a trabalho, isso as fez amadurecer muito rápido. Cada semana um hotel, um estado, um trabalho diferente.
Durante toda a infância foram educadas por professores particulares. Por viverem sempre juntas, se acostumaram a terem só elas mesmas como companhia. Eram confidentes, melhores amigas.
A sintonia delas chegava a ser assustadora, de tão conectadas que eram, sentiam fome, sono, ansiedade, medo, sempre juntas..
Aprendiam as coisas por conta própria, não só sobre o mundo mas também sobre si mesmas.
Tinham uma relação muito forte, não se desgrudavam para nada, comiam, dormiam e até mesmo tomavam banho juntas.
Os banhos das gêmeas eram os mais demorados, para elas era a melhor parte do dia. Conversavam o que não podíamos falar na frente do pai, quase sempre besteira, dançavam, faziam imitação, mímica, cada dia inventavam novas brincadeiras.
Reinaldo não gostava de certas manias das filhas, achava estranho demais. Depois de tentar as persuadir por anos nesses aconselhamentos, desistiu por não obter nenhum sucesso. Guardou para si mesmo todos seus julgamentos e ignorou para sempre tais questões.
As gêmeas não conseguiam julgar tais hábitos como errados ou fora do normal, elas não viam maldade alguma naquilo, afinal faziam isso desde que nasceram.
Demorou um tempo para entenderem que talvez estivessem erradas.
Tudo começou a mudar nas suas adolescências. Especificamente numa noite quente de sexta-feira.
A família estava em Brotas fazendo uma campanha de roupas para o verão. Depois de uma exaustiva sessão fotográfica, eles pegaram a estrada e deslocaram para um hotel fazenda a poucos minutos dali.
Reinaldo reservou um quarto só para si e colocou suas filhas em outro.
Depois de passar o horário de saída do outro dia se retirou para seu aposento e não saiu mais de la.
Micaela entrou no quarto abanando a si mesma, aquela noite estava muito quente, Maysa colocou sua mala ao lado da única cama do quarto e ligou a televisão. Estava passando Rebelde.
- Vamos assistir um pouquinho.
Maysa ficou de costas para a cama e deu pulo pra trás se jogando.
- Credo Ma, ta toda suada, sai!
- Ai, tô cansada, deixa eu deitar um pouquinho.
Na televisão duas garotas bonitas tiravam sarro de uma outra garota mais gordinha.
- Ma, a gente tem que tomar banho.
- Que chata Mi, vamos ver um pouquinho.
Micaela brava, senta do lado da irmã e olha para a televisão.
Na cena as duas garotas riam apontando para a outra garota dizendo que nunca havia namorado na vida.
Maysa fica triste vendo a cena:
- Que maldade, pra falar assim com a menina?
Na televisão uma das garotas vira para a mais gordinha e pergunta: “então você nunca beijou alguém na vida?”.
A garota gordinha olha para o chão e afimar com a cabeça. As outras duas bonitas caem no chão de gargalhar.
Micaela pega o controle na mão da irmã e desliga tv.
- Mi!!!! Eu tava assistindo.
- A gente não pode ver tv, esqueceu?
Maysa cruza os braços e faz biquinho.
- Lembra que o pai disse? A gente não pode ver tv
- Lembra que o pai disse? A gente não pode ver tv - repetiu Maysa imitando a irmã numa voz irritante e debochada.
- Vai, vamos tomar banho Ma, se ta toda suada.
Micaela pegou Maysa pelos braços e arrastou a irmã para o banheiro.
Maysa levantou a tampa do vaso e sentou para fazer xixi. Micaela tirou sua calça jeans e ficou de calcinha. Pendurou a calça no gancho do banheiro e tirou a blusa. Se olhou no espelho, apertou seus seios e disse
- Quando a gente vai ter peito hein?
Os olhos de Maysa olharam para o detalhe do sutiã de Micaela, depois desceram para sua cintura, seus corpos eram iguais, Maysa adorava ficar admirando o corpo da irmã, era como se olhar no espelho. Ela permaneceu sem piscar olhando para seu bum bum , reparou no desenho da hello kitty em sua calcinha.
Micaela virou seu corpo de lado deixando seu bum bum visível no espelho.
- Essa bunda de criança, quando vai crescer também hein?
Maysa gargalhou.
- Ta falando que eu tenho bunda de criança é?
Micaela olhou o reflexo de Maysa no espelho e sorriu.
- É ué. Não vejo a hora da gente ficar bem bonitona que nem aquelas meninas da tv.
- Eu também - disse Maysa.
Maysa deu descarga e abriu a porta do box. Micaela entrou logo em seguida.
O box era extremamente pequeno,as duas ficaram coladas, quase não podíamos se mover.
- Nossa que apertado isso aqui, mana, você tá mais perto do registro, liga aÍ
Maysa virou de costas para sua irmã e abriu o registro.
Um fino jato de água morna desceu do chuveiro..
- Nossa, quase não sai agura disso. Coloca mais quente mana, ta muito fria também.
Micaela girou o registro deixando a água mais quente.
Maysa pega Micaela pela cintura e gira trocando de lugar com ela
- Ei, eu primeiro - reclama Mica empurrando Maysa para frente.
As duas ficam ainda mais coladas, o pouco de água que cai sobre suas cabeças faz seus cabelos e corpos ficarem molhados de vez.
- Ai mana, se ta quase me beijando assim.
Micaela da risada e faz um biquinho para Maysa.
Maysa acha engraçado e faz o mesmo biquinho elas dão um selinho.
- Eca! - Micaela da risada e limpa seus lábios com as costas das mão.
Maysa sorrindo faz o mesmo imitando a irmã.
Elas riem ainda se empurrando disputando o jato do chuveiro.
- Deixa eu primeiro
- Eu.
Elas ficam jogando água uma na outra até se cansarem.
Maysa faz um desenho no box embaçado, um coração.
- Mana, será que a gente vai ficar BV pro resto da vida?
- Ai Ma, vira essa boca pra la!
- Se não viu na tv? Aquelas meninas rindo.
Micaela se recorda da cena das garotas gargalhando tirando sarro da amiga.
- Eu não quero morrer boca virgem - diz Maysa
- Quanto drama, ninguém vai morrer.
- Deeer, é modo de falar
- Você não entende, não basta só beijar um garoto, tem que beijar vários, pra pegar o jeito.
- Quem disse?
- Eu tô dizendo ué
- Como a gente vai aprender a beijar se nem o primeiro garoto a gente ficou ainda? O pai nem deixa a gente sair.
Micaela faz outro desenho no box. Uma flor.
- Mas a gente só vai beijar se tiver namorado.
Maysa parece impaciente.
- Você não entende.
- O que?
- Imagina você beijando um menino e fazendo tudo errado.
Micaela olha para o desenho de sua flor e reflete sobre o que a irmã disse.
- Você acha mesmo que um menino iria querer namorar você sabendo que você não sabe beijar?
Micaela desenha outro coração, só que dessa vez muito maior.
- Vamos como que faz então? - pergunta Micaela voltando a olhar para Maysa
Maysa fica em silêncio por alguns segundos, desenha um “M” no meio do coração e diz:
- A gente podia treinar com a gente mesmo ue
- Como assim?
- Olha eu vi isso num filme na tv outro dia.
- Você tava vendo tv?
- Mana! Me escuta, você quer aprender ou não.
- Ta, diz.
- Você pega seu braço assim - Maysa coloca seu braço em frente a seu próprio rosto.
Micaela observa seus movimentos e acha engraçado.
- Ai você dobra ele assim e finge que isso aqui é uma boca - diz apontando para a dobra de seu braço.
- Ai você beija - diz abafadamente enfiando a boca em seu próprio braço.
Micaela da risada da irmã e diz
- Isso é ridículo, eu não vou fazer isso.
Maysa fica indignada.
- Mi, é sério.
Micaela da mais risada ainda.
- Ta, olha, tem outro jeito também.
- La vem.
- Eu vi no filme também, a gente pode treinar no espelho.
- No espelho?
- Ou qualquer coisa parecida. Tipo esse vidro. - diz apontando para o box.
- A gente chega bem pertinho - Maysa encosta a mãos se apoiando no vidro.
Micaela acompanha tudo impressionada com o conhecimento da irmã.
- Aí você beija - Maysa da um selinho, depois começa a lamber o vidro simulando um beijo.
- Aíii Ma, que nojento!
Maysa fica indignada com a reação da irmã.
- Nojento porque?
- Ta sujo o vidro, ai mana, que idéia.
- Aí meu deus, você quer aprender a beijar, sim ou não.
- Eu quero!
- Mas então, você tem que fazer assim.
Micaela fica em silêncio e observa a marca deixada pelos lábios de sua irmã no box.
- A não ser que a gente faça de outro jeito?
- Mais uma?
- Não Mi, escuta, essa é a melhor de todas.
- Tá, não vem me dizer que teremos treinar com algum cachorro.
- Para Mi, eu tô falando sério.
Micaela cruza os braços impaciente e diz:
- Ta, desembucha.
- A gente treina entre nós duas.
- Ham?
-Eu tô falando de nós duas, a gente treina uma com a outra.
- Eca mana, que coisa mais esquisita.
- Ué, porque?
- Hã, porque? Porque sim.
- Mas eu vi num filme.
- Mana, que filmes são esses?
- Mi, isso não importa, você não acha que é melhor a gente aprender pra não passar vergonha?
- Mas a gente é irmã.
- Não é nada demais. Beijo tem que aprender na prática Mi.
- Não sei.
- Eu não quero passar vergonha na hora de beijar meu primeiro namorado
- Eu também não.
- Então ué. Imagina que eu sou um espelho.
- Aí Ma, cada idéia você.
- Olha, vamos fazer assim, uma beijo só, se for muito esquisito a gente para.
Micaela olha para o lado, se recorda da cena das garotas humilhando a gordinha por nunca ter beijado.
- Só uma vez né. Você promete não contar pra ninguém?
- Claro né mana, ta louca.
- Ta bom.
Maysa fica de frente para Micaela e coloca seu cabelo entre as orelhas.
- Vamos fechar os olhos. - diz Maysa colocando suas mãos na cintura de Micaela.
Sua irmã lhe obedece e a imita..
- Ai a gente encosta a boca - Maysa aproxima o rosto de Micaela.
Micaela em silêncio sente a respiração quente da irmã. Segurando sua cintura ela sente os lábios de Maysa. Macios, tocam-a suavemente dando uma sensação gostosa.
Com as bocas coladas e as mãos paradas na cintura uma da outra, elas começam a mexer os lábios.
Maysa suga os lábios da irmã e Micaela repete o mesmo a imitando.
Suas mãos ficam suadas. Sem descolarem as bocas, Maysa enfia sua língua dentro da boca de Micaela. Micaela sente um calor em seu corpo, aperta a cintura da irmã e se derrete com os lábios macios de Maysa. “Que gosto bom” pensava.
Maysa envolve o pescoço da irmã e dá uma pequena mordida nos lábios de Micaela.
Seus corações aceleram igualmente e suas línguas se envolviam em sincronia. Um beijo molhado, muita saliva, quente, longo.
Elas abrem os olhos e se afastam dando risada olhando uma pra outra.
- Que nojo! diz Maysa a empurrando
- Eca! - diz Micaela largando sua cintura.
Elas não param de dar risada.
- Viu ? Arrancou pedaço? diz Maysa
Micaela sorri e põe a mão em seu lábio inferior
- Você quase me arrancou pedaço sim! - diz rindo.
- Agora sim que eu vou arrancar - Maysa puxa Micaela pra si e tenta a morder.
Micaela da risada e segura seu rosto lhe afastando
- Para Ma! Vai.
Maysa se acalma, envolve suas mãos na cintura da irmã e lhe da um selinho.
- Vamos brincar de uma coisa?
Micaela a olha desconfiada e pergunta.
- Brincar do que?
-Um jogo que eu inventei agora.
Micaela arruma o cabelo da irmã para o lado e fala para ela explicar.
- A gente aposta quem consegue ficar mais tempo se beijando sem respirar. Quem perder vira escravo da outra.
- Aí Ma, escravo? - pergunta Micaela.
- Sim, ta com medo de perder?
- Eu não perco!
- Então! Vamos ver quem ganha.
Micaela olha para os lábios da irmã, fica feliz por os poder tocar novamente, elas se entreolham e sorriem.
- Agora!
Micaela agarra o pescoço de Maysa elas enfiam a língua com desespero na boca uma da outra. Se beijam loucamente como se fosse a última vez,muita saliva, dentes batendo, não se cansam de chupar seus lábios, envolver suas bocas. A respiração de Micaela vai ficando mais curta, ela aperta o pescoço de Maysa e rodeia a língua por sua boca toda.
Micaela se afasta ainda segurando o pescoço de Maysa.
- Deixa eu respirar um pouco - diz sem fôlego.
- Ganhei - grita Maysa
Elas dão risada olhando uma para a outra. Micaela respira com dificuldade retomando o fôlego enquanto olha a irmã fazendo uma dancinha da vitória
- Agora você é minha escrava agora.
Micaela já recuperada pergunta
- É mesmo?
- Sim! E como escrava, a sua primeira tarefa vai ser... me dar banho.
Micaela acha engraçado, não acha que Maysa fala sério.
- Ei, o que você está rindo? Eu tô falando sério, trato é trato.
, Maysa pega o sabonete na saboneteira e da na mão da irmã.
- Me da banho agora! diz ordenando
Micaela olha novamente para os lábios de Maysa e engole a seco.
- Ta esperando o que? Vai minha escrava. - brinca Maysa dando risada.
De frente uma da outra, Micaela começou passando o sabonete no pescoço da irmã, seus rostos estavam colados, Maysa sorria olhando para a irmã a segurando pela cintura, as mãos de Micaela deslizaram para sua nuca e depois para suas costas.
- Passa em tudo hein! ordenou Maysa em tom jocoso
Micaela deu risada e foi para suas costas.
- Aproveita e coça, ta coçando mana.
Micaela com a outra mão afundou suas unhas nas costa toda da irmã
- Isso, aí.
Enquanto um uma das mãos ela coçava as costas ensaboadas de Maysa, Micaela desceu o sabonete para seu bum bum, Maysa sentiu uma sensação gostosa, agora com as duas mãos, Micaela espalhava todo o sabão pelos glúteos da irmã que foi ficando branco de tanta espuma.
Micaela estava gostando daquilo, estava achando muito divertido, “que sensação boa” pensou movendo suas mãos pelo corpo de Maysa.
- Limpa tudo
Para lhe irritar, Micaela deslizou o sabonete por dentro da bunda de Maysa.
- Aí meu cu!
Micaela deu risada e afundou ainda mais sabonete.
- Ta sujo, todo fidido! - brincou Micaela
- Para Mi! - gritou Maysa dando risada.
Maysa afundou as unhas na bunda de Micaela.
- Aí Ma! .
- O seu também ta sujo - brincou Maysa abrindo sem bum bum com as mãos.
Micaela imitou a irmã e com uma das mão agarrou a bunda de Maysa apertando bem forte.
- Bundinha de criança!
- A sua!
As duas caíram na gargalhada quase tocando os lábios novamente.
- Vai, você não terminou não.
Maysa se virou de costas, se posicionou se encaixando perfeitamente na irmã, puxou a mão de Micaela e a forçou deslizando o sabonete sobre seu umbigo.
- Me limpa todinha.
Maysa sentiu os pelinhos de Micaela em seu bum bum e achou gostoso.
Com a boca perto de sua nuca, Micaela disse:
- E esse barrigão hein?
Maysa deu risada e jogou suas duas mãos para traz agarrando a cintura da irmã
- Você também!
Micaela fazia movimentos circulares, ensaboando todo o torso de Maysa.
Maysa estava sentindo cada vez mais quente. Nunca havia se sentido assim.
Apesar de estar debaixo da água, sentia que seu corpo estava suando.
Uma das mãos de Micaela espalhavam o sabão em volta do umbigo de Maysa enquanto outra com o sabonete subia entre seus seios.
- Tetinha - Micaela aperta um de seus mamilos e Maysa grita.
- Ai!
Micaela da uma gargalhada sobe a outra mão espalhando o sabonete em seu peito. Maysa acha gostoso, sorri.
Sua respiração vai mudando na medida sua irmã vai passando mais sabonete em seu seio.
Maysa sente um calor ainda maior dentro de si, seu corpo vai ficando branco de tanto sabão, Micaela envolve um dos seios de Maysa que escorrega de tão liso.
Maysa joga a cabeça para trás e fecha os olhos pensando que aquela é a melhor sensação do mundo.
Micaela acha estranho naquilo, com cabeça da irmã repousando em seu ombro, ela continua espalhando o sabão pelos seus seios, por um segundo Maysa move seu bum bum e sente sente novamente a sensação gostosa dos pelinhos da sua irmã em sua bunda.
- Olha, ta toda peluda - brinca Maysa dando uma reboladinha sobre o sexo da irmã.
Por segundos, as duas sentem uma sensação maravilhosa, Micaela morde os lábios e da uma risadinha.
- Deixa eu ver se você também tá.
Micaela desce sua mão até suas coxas e desliza o sabonete sobre sua buceta.
- Cosquinha!
Maysa joga seu corpo para trás se encostando ainda mais em sua irmã.
Agora ensaboada, Micaela passa o sabão por sua virilha e coloca a mão na buceta da irmã.
- Toda peludinha também - diz no ouvido de Maysa
Maysa se arrepia e da uma risadinha baixa. Acha gostoso o toque da irmã.
- Limpa ela - diz se virando para a irmã, olham no olho uma da outra.
Micaela passa mais sabão no sexo de Maysa e espalha tudo com a outra mão.
Maysa sente ficar molhada por dentro, sua pernas ficam mais bambas, na medida em que sua irmã vai ensaboando ela, seu corpo vai ficando cada vez mais quente.
Maysa fecha os olhos, sente seu corpo ficar mole. Por instinto, move seu bum bum, sente uma sensação ainda mais gostosa, Micaela estranha mas gosta, deixa o sabonete escapar mas continua espalhando a espuma em Maysa.
Maysa dá uma rebolada e Micaela sente uma sensação gostosa. Força seu corpo para frente sentindo o bum bum de Maysa deslizar em seu corpo.
Nenhuma palavra é dita, só se ouve o barulho do chuveiro e dos dois corpos se roçando. As irmãs vão ficando com a respiração mais ofegante.
Maysa empina ainda mais seu rabo e puxa Micaela para si. Começa a esfregar repetidamente sua bunda na irmã enquanto afunda suas unhas em sua coxa.
Micaela tira a mão de seu sexo mas Maysa a pega e a força novamente para sua buceta.
- Limpa mais - diz quase gemendo.
Com a outra mão Micaela agarra sua cintura e força seus movimentos rebolando junto com ela.
Elas começam a gemer. Juntas sentem seus sexos ficando ainda mais molhados e quentes. Nunca haviam sentido isso em toda a vida.
Maysa vai ficando com as pernas bambas, tira a mão de Micaela de sua cintura e a coloca sobre seu seio.
- Faz de novo - geme de olhos fechados.
Micaela obedece envolvendo um dos seios da irmã, Maysa geme jogando a cabeça para trás, agarra a bunda de Micaela e rebola com ainda mais força.
Eles gemem alto, se movimentam em sincronia, Micaela com mão girando freneticamente na buceta de sua irmã geme em seu ouvido sentindo seu corpo incendiar.
Maysa vira sua cabeça para Micaela e a beija na boca.
Suas línguas se entrelaçam e elas atingem o ápice. Gozam gemendo sem tirar a língua da boca uma da outra. O primeiro orgasmo da vida delas.
Seus corpos tremiam enquanto seus lábios chupavam-se longamente.
- Aiii Mi - Maysa se vira para sua irmã e lhe beija novamente acariciando seu rosto.
Micaela a olha com desejo e diz:
- Faz em mim também.
Maysa se abaixa pegando o sabonete e vira Micaela de costas.
Passa sabão por sua buceta todinha e repete os mesmo movimentos da irmã.
- Que gostoso! - geme Micaela.
Suas línguas se encontram novamente e Micaela rebola segurando os cabelos da irmã.
Maysa faz movimento mais rápidos e agarra o seio de Micaela.
Outro grito de gozo, dessa vez de Micaela que se contorce nas mãos de Maysa.
- Brincadeira gostosa - diz Micaela se recuperando do orgasmo.
Elas terminam o banho, se enxugam e saem do banheiro. M
Vestidas com a toalha no corpo, Maysa e Micaela se jogam na cama e se abraçam olhando uma para a outra.
- Vamos brincar assim todo dia agora mana. - diz Maysa arrumando o cabelo de Micaela.
Maysa sorri e da um selinho em Micaela
Micaela sorri maliciosamente, puxa sua irmã para si, lhe dá um longo beijo de língua e diz:
- E agora? O que você quer que sua escrava faça?

(continua…)



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.