"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Eu também quero comer sua mulher!


autor: Chronos
publicado em: 30/09/16
categoria: aventura
leituras: 6302
ver notas


A semana que antecedeu o almoço na casa de Venere me comeu até a alma e sem me dar orgasmo, como diz a Brendah. Liderar um projeto consumia minhas forças nos detalhes estruturais, mesmo dispondo de um quadro de pessoas muito competentes, apesar de alguns pequeninos desastres que enlouqueciam meus sentidos. Coisas de trabalho, sabe. Porem de uma coisa eu não posso reclamar: Brendah estava se saindo muito, muito bem no seu início de estágio, e logo começou a ser notada entre os novatos. Embora estivesse no meu time, estava mostrando ao que veio. Curiosamente, ela me ajudou a ser mais organizado do que eu já costumava ser. Lógico que Edu notou isso, mas não tirava os méritos de mim.

Edu: O que me alegra ainda mais ter você, Renato, é que quando você se envolve em qualquer projeto, ou pesquisa, você se entrega. Mas quero alertá-lo de uma coisa: Aprenda a delegar mais tarefas! Deixa esse pessoal mostrar mais a que veio, você está aparecendo muito, as pessoas não precisam ver o líder correr de um lado para outro para qualquer visão dar certo. Sua preocupação é válida, mas se seus comandos mal estiverem claros, aí sim, quando você estiver ausente, tudo irá pro buraco! Concentre-se no que é prioridade, e deixe os detalhes estruturais com seus liderados. Eles são seu braço e pernas, você é o cérebro. Não queira ser o corpo todo...

E foi me mostrando as falhas que eu não conseguia ver por estar perto demais da situação. Ensinou-me que algumas vezes distanciar-se e olhar de cima para baixo me traz um panorama melhor do que está acontecendo. Com essas e outras broncas, o meu trabalho se tornou mais eficiente, e as metas do dia foram sendo mais fáceis de alcançar .

Brendah sentiu na pele de verdade o que era o mundo empresarial mas conseguiu arrancar alguns elogios da turma. Sempre pró-ativa, dava conta das tarefas dela e ajudava quem estava perto. De uma coisa eu não podia reclamar: Brendah na empresa era muito mais séria até do que eu. Cheguei até tomar bronca dela, rs!

Os fins de dia entre mim e ela eram repletos de assuntos relacionados a trabalho, e Tia Sil observava tudo de longe, satisfeita com o engajamento da filha outrora sem juízo que ela pensava ter. Quando não dormia na casa dela, ela vinha dormir na minha. Era um revezamento. Minha vida tornou-se mais agitada. Eu que busco sossego nas horas que estou nadando, estava vendo planilhas, números e pensando em idéias para a empresa até debaixo d'água.

Posso afirmar-lhes algo: Minha vida ao lado de Brendah nunca mais foi chata! De verdade! Era bom estar com ela. A gente brigava? Claro, principalmente no fim do dia, quando eu queria resolver as coisas no WhatsApp.

Ela ficava doida porque sempre dizia que a prioridade era ela no fim do dia. Queria atenção, carinho, e outras coisas mais que vocês sabem, 😈. Mas aquela semana que antecedeu o almoço foi bastante cansativa, na quarta-feira e na quinta-feira, por exemplo, eu dei umazinha e depois desmaiei nos braços dela . Foram os piores dias da semana para mim.

Na sexta-feira, após a conclusão dos relatórios e a coleta de resultados eu saí tão feliz do trabalho que fui pro bar relaxar com Brendah e a galera pra jogar o estresse pro alto e contar umas piadas, igual o Edu fazia com a gente. Quem organizou essa farra!? Ela, obviamente! E como agora o líder era eu, mandei todo mundo desligar o celular e colocar ao centro da mesa.

Aí me questionavam por causa disso, e eu respondia que happy hour era para fortalecer vínculos, lavar roupa suja caso houvesse alguma diferença. As pessoas são mais importantes que as coisas, e uma máquina não pode nos dominar. Se aprendi com o Edu, tinha que passar.

Eu: A gente passa mais tempo hoje com as pessoas na empresa até mesmo que com nossa família. Pensem agora no sacrifício que nossos entes fazem em liberar a gente pra trazer o pão pra casa, e as horas que poderiam estar conosco para curtir nossa presença, mas estamos aqui. Pensem o quanto ficamos grudados, acorrentados a esses aparelhos que só fazem nossas mentes acelerarem e pouco produzirem. Aqui não é hora pra isso! Precisamos do calor um do outro. Precisamos sentir as necessidades um do outro. Se Micaela não estiver bem, eu não estarei bem, pois uma parte ficará sobrecarregada, e precisamos ser mais sensíveis. Estar mais prontos para do que esperar dos outros. Por isso que chegamos até aqui. Por isso, eu me sinto no melhor time da empresa!

Aquilo aqueceu nossos corações e despertou na Brendah uma admiração por mim como líder, além do homem. Quando você está à frente de algo, na verdade aprende mais do que ensina. Senti-me o Edu naquela hora. Colhi varias idéias, fui chamado atenção em outros pontos que eu não via por eles, dei broncas em cada um também. E assim fomos nos ajustando.

Resultado: Eu saí de lá mais revigorado na mente, apesar de o corpo estar um bagaço, só senti mesmo depois que Brendah e eu chegamos em casa, tomamos um belo de um banho juntos para tirar as tensões do dia e nos afundamos no colchão, sen roupa nenhuma.

Brendah: Ai, amor, eu tô com uma dor aqui na região do pescoço! Pode fazer uma massagem?

Olha, eu não tava afim de porra nenhuma, mas aquela cara de dengo dobrou minha vontade. Peguei o óleo de massagem que Venere tinja me feito a primeira massagem erótica ( leia O JOGO DE VENERE), e apliquei pela primeira vez na minha namorada o segredo da minha amante romana, kkkkkkkk: A técnica Shiatsu no estilo aperfeiçoado por Venere!

Brendah pirou com a pressão feita nos pontos de chakra feitos ao longo do corpo, perguntou-me onde eu havia aprendido aquilo.

Eu: Tive uma boa professora!

Brendah: Ai, seu puto! Tá deliciosa, vai me ensinar depois, não vai!?

Eu: Tudo o que você quiser, minha pérola negra!

Brendah: Lembra a primeira vez que você me chamou assim!? Foi lá no Carnaval. Eu amei o jeito que você me tratou aquele dia!

Eu: Eu amei o jeito que você me despertou pra realidade, Brendah! Eu tava me enganando, tava mentindo pra mim próprio. E você sempre teve a coragem de me dizer a verdade! Por isso me assustei tanto quando vi que estava apaixonada! Eu não queria fazer o mesmo com você ( já fiz, né! Comi a irmã dela também!)

Brendah: Ai, amor! Que lindo ouvir isso de você! Aiiiii, que delícia esse ponto que você tá me tocando- eu já estava massageando o lombo dela. Ali tem uns pontos de energia bem erógenos também. Nosso corpo é cheio de gatilhos. Ela já estava ficando sabe como!? É meu amigo, de buceta molhada.

Coloquei um travesseiro por baixo do quadril para facilitar a massagem nos glúteos, enchi a mão de óleo de novo e cada banda de glúteo recebeu uma atenção toda especial antes de eu partir para o Grand finalle.

Deveras explorei aquela região com muita volúpia, até eu já estava excitado com os gemidos dela. Brendah arrebitou-me ainda mais a bunda, e sua buceta e cuzinho já me imploravam aquela saudação gostosa. Mas estendi o tempo da sua tortura. Fui descendo pelas coxas, panturrilha, pés e até as solas, para liberar os pontos de tensão no corpo de minha negra deliciosa.

Quando finalmente terminei a massagem erótica, sua buceta já estava molhando o travesseiro. Enchi sua bunda com minha mão num vigoroso tapa, que ela viu estrelas. Com as mãos cheias de óleo, massageei sua buceta circundando seu grelinho com uma pressão que a fez ter um orgasmo na minha mão. Sem nenhum contato da minha boca com sua xana. Brendah arfava de prazer, tentava falar, mas balbuciava somente frases desconexas. Abri seus glúteos e invadi seu cuzinho com dois dedos. Penetrei, penetrei, penetrei, até enlouquecê-la a ponto de implorar pelo meu pau.

Seu rabinho engolia e sufocava meus dedinhos em seu interior, então eu invadia sua buceta, penetrava com força com os dedos da outra mão, ela gemia mais alto e relaxava. Olha, uma coisa até que dei por mim naquela hora foi que o cansaço tinha ido embora,rsrsrs, incrível, né!

Tirei meus dedos do rabinho de Brendah e invadi selvagemente com minha língua. Ô delicia! Chupei muito aquele cú! Ela não parava de pedir pra eu fodê-la, queria caralho sodomizando mesmo, mas brinquei com sua tortura, deixei ela gemer mais um pouco.

Brendah: Ai, amor... Você tá maravilhoso, todo dia você me surpreende, seu puto, que gostoso isso... Me dá essa pica dá! Fode com aquela brutalidade que só você sabe, vem , filho da puta!

Eu alternava entre seu cuzinho e sua buceta com minhas chupadas. Aquele dia Brendah tava gozando sem pica. Coloqueis deitada de frente pra mim e continuei o boquete, sorvendo aquele mel delicioso. Ela me puxou para um beijo profundo. Arqueou sua buceta em direção ao meu pau e nos encaixamos de primeira! Minha namorada gemeu gostoso na minha boca sentindo o gosto do seu mel e a pressão da minha glande invadindo sua vagina já sensível.

Desabei sobre ela com estocadas lentas, que iam ganhando velocidade ganhando pressão, e logo estávamos ambos gemendo com nossos sexos unidos um ao outro! Não sei dizer para você qual foda com Brendah foi a melhor de todas, mas eu te asseguro que para ela aquela superou todas!

Ficamos um bom tempo no papai e mamãe. Mamei gostoso nos seios dela enquanto metia vigorosamente naquela buceta encharcada. Brendah gozava sem parar, sua voz tava rouca de prazer.

Mudamos de posição: Ficamos agora de conchinha! Nessa troca, já tirei meu caralho de dentro da buceta e invadi seu cu. Aí ela foi à loucura com o vai-e-vem lento e profundo que fazia meu pau sumir por completo. Enquanto eu a currava, xingava ela de tudo quanto era nome. Ela nem falava mais nada. De olhos cerrados, curtia a sodomia que eu lhe imprimia naquele momento. Quando anunciei que meu orgasmo estava perto, tirou meu pau de dentro dela e sinalizou, mordendo os lábios, que queria na boquinha. Levantei-me com ela, Brendah ajoelhou-se e mamou até receber o leitinho quente e grosso no fundo da garganta. Depois que engoliu a última gota, pôde então falar.

Brendah: Caralho, amor, que foda espetacular foi essa! Puta que pariu! E o seu cansaço!?

Eu: Cansaço!? Não tem ninguém cansado aqui. Você está!?

Brendah: Eu tô é pronta pra outra, rs!

E você acha que neguei!? Neguei porra nenhuma, começamos tudo de novo! Mas agora eu virei o paciente dela, rs! Fez-me uma massagem do jeito dela, mesmo assim me aliviou bastante. Pegou nosso brinquedinho, encheu com o óleo de massagem e me comeu até eu gozar de novo. Brendah fez o que quis comigo.

Eu sei que a gente foi dormir tarde pra caralho, já passava de duas da manhã quando ela por fim me deu um beijo de boa noite e foi dormir. Eu ainda fiquei acordado vendo algumas mensagens no WhatsApp quando aparece ela:

Venere: O que essa criança faz acordada uma hora dessa!? Kkkkkk.

Eu: Olha quem resolve me dar o ar da graça!? Saudades de você!

Venere: Eu que o diga, meu amor! Semana corrida essa a tua, Edu me contou! Ele tá todo animadinho pro dia do almoço com vocês aqui em casa! Como está essa mulher maravilhosa que roubou você de mim pra sempre!?

Eu: Já tá no sétimo sono! A gente tava brincando até agora há pouco!

Venere: Ah, a chama da juventude! Edu deu umazinha aqui também, mas foi pra nocaute. Com certeza sonhando com sua pérola negra aí! Só me fez falar dela a semana inteira... Que feitiço vocês tem, hein! Ensina-me como fazer isso, acho que estou perdendo meus encantos!

Eu: Venere, você nunca vai perder esse encanto que você tem! Hoje mesmo fiz uma coisa nela aqui em sua homenagem: A massagem Shiatsu!

Venere: Seu danadinho, a Kishimoto ficou louca quando você disse que tava namorando! Tá lá, sentindo saudades. Bom pra mim, pois vou ter você de novo! Kkkkkkkkkkkk. E por que não a Brendinhah também?

Eu: Que você vai aprontar, Vê? Rs, quando você fala desde jeito...

Venere: Renato, eu também quero comer sua mulher! Tô cheia de vontades com essa menina, e prometo que você nunca mais vai esquecer desse dia, seu puto! Quero sodomizar vocês dois, levar vocês a sensações nunca sentidas. Se eu já era louca em você, quanto mais agora com ela. Agora eu preciso de você, Renato! Meu casamento tá esfriando, sinto que ele se cansou de mim! Quem sabe depois desde domingo a gente não dê um up!?

Eu: Seu casamento esfriando, Vê!?

Venere: É, gatão, nem tudo são flores! Ele está mais distante de mim, agora. Antes fosse que brigássemos, pelo menos esquentaria as coisas um pouco, mas o trabalho dele está consumindo o tempo que eu preciso como mulher! Eu preciso muito de vocês aqui, viu!?

Eu: Pode deixar, Venere! Domingo tu vai receber um trato de verdade. Eu sou louco em você ainda.

Venere: Jura, gostoso!? Tô me sentindo carente, viu!? Acho que vou roubar você pra mim de novo, kkkkk

Eu: Não é preciso... Você já me tem!

Venere: Quer me fazer gozar aqui, não quer!? Tô molhadinha já pensando nos teus beijos pelo meu corpo... Ai, Renato! Eu te quero muito! Brendah vai ter que cuidar bem de você, viu!

Eu: Por quê?

Venere: Porque hoje eu sou capaz de abrir meu casamento por você!

Eu: Que!?


Pode uma coisa dessas!? Com Venere , pessoal, sempre tem uma surpresa! Mas uma coisa eu digo: Ela jamais será uma mulher simplória!

Até breve, quando estivermos Brendah e eu na casa dela!


P.S. da Brendah:

Essa puta pensa que vou vender caro o homem que me enlouquece desde jovem!? Ela que me espere! Daqui não saio, daqui ninguém me tira! Pra porra que o casamento dela tá ruim! Cada um com seu homem, kkkkkkkkk!


Recado da Brendah, gente! Eu não tenho nada a comentar!



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.