"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Levada ao prazer máximo pela amiga.


autor: Morpheus
publicado em: 07/10/16
categoria: lésbicas
leituras: 70826
ver notas


Rafaela havia engordado um pouquinho depois do seu casamento após passar por diversas crises matrimoniais, incluindo a depreciação do seu marido pelo seu físico, resolveu se separar. Separou-se também porque o marido bebia e brigava muito. Isso afetou sua vida, isso foi matando seus sentimentos, isso também gerou infidelidade por parte dele e como o amava muito, a decepção foi terrível.

Além de não querer nenhum relacionamento com homens durante um tempo, foi para a academia a fim de recuperar a sua auto-estima e lá ela conheceu Cíntia, de uma maneira um tanto inadequada para ela, pois quando ela estava no vestiário, Cíntia pegou-a desprevenida pois estava pelada! Não acostumada com este tipo de ambiente, saiu do banheiro um bocado irritada com a cena e foi para a sua esteira iniciar seu programa de exercícios naquele dia. Trabalhou seu corpo com cara de poucos amigos, e sendo observada à distância pela desinibida e sensual futura amiga. Óbvio que ela não sabia disso e muito menos o sentimento que viria a ter por ela.

Cíntia, de verdade, não se intimidou com a cara feia de Rafaela e deu um sorriso para ela. Rafaela, incrédula com a atitude da bela garota que a olhava, fez apenas procurar fingir que não era com ela, mas daí já era tarde demais. Na verdade, Rafaela ficou a pensar nos contornos do corpo nu de Cíntia. Era uma mulher branca, cabelos bem escuros, não mais que 1,70m , e apesar do rosto jovem, uma 10 anos mais velha que a bela loira irritada.

O que gerou repulsa em Rafaela, na verdade, foi o que aproximou de Cíntia. Sempre que Rafaela chegava à academia para poder trocar de roupa após sua jornada de trabalho e iniciar seu programa de treinamento, dava de cara com Cíntia em algum dado momento. E a viu pelada algumas vezes, sim. E esforçava-se para poder ficar com o corpo melhor que a de sua rival.

Certo dia, resolveu perguntar para Cíntia por que ela não tinha vergonha em mostrar seu corpo no vestiário. Já estava irritada com os olhares da sexy branquinha. Cíntia seu um sorriso e disse, com simplicidade:

- Bom , isso aqui é um vestiário feminino(risos) , do que você tem medo!? De ser agarrada!?

Cíntia ainda riu na cara dela, deixando-a mais indignada ainda por dentro. Porém, Cintia apresentou-se e estendeu a mão para Rafaela, que educadamente apertou de longe. A partir daí, Rafaela parou com a implicância, porque sempre que via Cíntia, era recebida com um sorriso. E isso possibilitou a entrada da nova amiga na sua vida, que além de dividirem aparelho juntas, a começaram a trocar idéias sobre programas de exercícios, Cíntia dava dicas para ela, ajudava-a a corrigir algumas posturas, enfim. Isso dentro de um simples mês, logo Rafaela aceitou a amizade de Cíntia e passaram a sair juntas, paulatinamente: Uma vitamina depois do treino aqui, depois um rolé no shopping para algumas comprinhas ali, e finalmente, Rafaela abriu as portas de sua casa.

E contou para Cíntia o drama que passou ao lado de um homem que apesar de tê-lo amado tanto, viu seu sonho desmoronar por conta do vício do marido que saia pra farra e largava ela em casa, e as aventuras que foram descobertas porque ele deu pinta ao longo do tempo da sua frieza, da sua distância.

Com palavras de alento, e muitas vezes o ombro amigo, Cíntia foi levantando a auto-estima de Rafa. Com a intimidade crescendo, Rafa finalmente descobriu o segredo da amiga, uma vez que observou que ela nunca apareceu com nenhum namorado ou paquerou nenhum marombeiro na academia: Cíntia revelou-lhe, após ser inquirida sobre relacionamentos, que era lésbica.

Por ser amiga, Rafa nunca admitiu aquela semente do mal de preconceito. Se soubesse no início, certamente não teria entrado no banheiro da academia com ela. Mas a verdade era que Cíntia a fazia sentir-se bem. Muito bem mesmo. E o preconceito deixou de existir. Aliás, não tem porque existir isso. São pessoas humanas, não animais. O que fazem não é problema nosso.

Da mesma forma pensou Rafaela. Mas não podia deixar de admirar o corpo da nova amiga. Tinha algumas estrias, sim, mas se garantia muito bem em arrasar na pista de dança. Sim, Cintia tirou Rafa da depressão pós-divórcio, e caíram na balada no final de semana. A desavergonhada e glamorosa amiga emprestou uma roupa a Rafa um dia e foram dançar.

O que aconteceu neste dia mudou de vez o seu ponto de vista, se é que havia, a respeito da amiga. Ali ela riu das piadas dela, e mesmo não sabendo dançar tanto, divertiram-se bastante. Numa certa música, quando desciam até o chão, Cintia a agarrou por trás e Rafa, já despojada, permitiu-se brincar sentindo o calor da amiga. Mas sentiu algo mais. Um calor subindo no meio de suas pernas, mas não era por um homem. Pediu licença, foi ao banheiro para poder lavar o seu rosto, esperando que aquela sensação fosse passar. Cíntia foi atrás. Havia até alguns pretendentes querendo descolar uma dança com ela, mas a vida é uma caixinha de surpresas .



E ao regressarem aos seus lares, e quando Cintia deixou Rafaela em seu apartamento, perguntou de fato o que houve para sair daquele jeito. O modo como Cíntia se aproximava de Rafaela a desconcertava. Não podia negar: A amiga mexia com ela! Nunca havia sentido isso antes! Tentou desconversar, disse que ia tomar um banho.

Ao retornar, mais relaxada, permitiu-se ficar sem roupa na frente da mulher, e procurar algo mais confortável para dormir. Perguntou se Cintia iria ficar, mas a gata dispensou, ficou pensando no jeito estranho da Rafa agir com ela. Não grilou, mas suspeitou de algo.

Ao se despedirem, trocaram os beijos e abraço, como sempre, e Rafa parou, olhou bem dentro dos olhos dela, e disse:

- Eu não sei como dizer isso, mas ultimamente você tem me feito muito bem. Eu nunca imaginei que fosse sair dessa fossa que eu estava tão cedo. Obrigada.

- Pra que servem as amigas? Você sabe que pode contar comigo. Sempre!

Rafaela abaixou a cabeça, e Cíntia perguntou o que estava havendo. Naquela hora, Rafaela não disse nada.

- Foi alguma coisa que eu te fiz!? Rafa, você pode falar pra mim que tô aqui pra te ouvir!

- Nada, linda, você só faz me sentir melhor perto de você e comigo mesma, mas estou sentindo coisas que não esperava sentir.

Cintia chegou mais perto dela. Tete a tete, perguntou do que estava exatamente falando. Rafa não conseguir mais disfarçar. Ela olhava para a amiga e suspirava profundamente. Cíntia, já desconfiada, estava certa agora! Era tudo o que estava aguardando. Deu acariciou o rosto de Rafa, que entregue ao momento, aceitou e segurou em sua mão respondendo da mesma forma.

Quando deu por si, seus lábios já estavam tocando os de Cíntia. Afastou-se assustada. Cíntia pediu desculpas por aquilo, resolveu ir embora, mas agora Rafa a segurou. " Não. Você fica!". Cíntia perguntou se ela tinja certeza disso, e como resposta teve um beijo ainda mais caliente. Dessa vez Cintia se acendeu de vez. Rafa estava com seu conjuntinho de dormir rosa, sem calcinha por baixo, e seu shortinho de algodão começou a ficar úmido com a excitação de sua bucetinha.

Cíntia tirou sua peça superior preta que deixava suas costas nuas e revelou seus belos seios empinados e intumescidos. Rafa , deslumbrada com o corpo da branquinha, viu Cíntia tomar controle de toda a situação e encosta-la na parede, passeando com suas mãos e sua boca por todo o seu corpo: Pescoço, seios, abdome, coxas, e finalmente, seu sexo.

Cintia, inebriada pelo cheiro da buceta da amiga lambeu-lhe ainda na parte umedecida do shortinho antes de tirar e ver como ela estava excitada.

- Rafa, há quanto tempo você esconde isso de mim!?

- Desde o primeiro dia que te vi nua naquele banheiro. Nunca quis admitir isso! Mas fui te conhecendo, vendo que você me levantava quando eu estava pra baixo que... Nossa! Você me faz bem! E hoje senti isso mais forte, com você dançando perto de mim!

Rafa estava carente, e quem preencheu essa carência, no meio da sua dor, do Cíntia, que jamais a convenceu de qualquer coisa. Cíntia, encantada pela loira, lambeu-lhe o mel que escorria de sua xana antes de mergulhar de vez em seu interior.

Rafa foi às nuvens com a habilidade de Cintia fazer-lhe o sexo oral. Esfregou sua xana na cara da mulher que ainda mais enlouquecida começou a se tocar também. Rafa levantou-a dali e foram as duas para sua cama. Lá, Cíntia soltou-se de vez e arreganhando as pernas de sua musa loira, conduziu Rafaela a um intenso orgasmo clitoriano. Tirou então as roupas da branquinha sexy e encaixaram num 69 e se sugaram com volúpia e veracidade. Foi a vez de Cintia derramar suas fontes na boca da carente Rafa.

Agora, ambas nuas, Cintia explora ainda mais o prazer de sua amante ao penetrar-lhe com os dedos em sua buceta que queria mais. Surra Rafaela com estocadas vigorosas, fazendo a loira arquear seu corpo e gritar pedindo que a fodesse mais. Estava se descobrindo, ia-se permitindo a experiência radical que viria mudar totalmente o conceito sobre amor.

O manejo de Cintia, a forma como tocava-lhe até na parte mais sensível fazia Rafa chorar de prazer. Cíntia fez nela o que nem seu próprio marido havia conseguido fazer: Achou seu Ponto G! E Rafaela explodiu num orgasmo lancinante e devasso, soltando vários jatos na mão da sua... E agora!? Namoro ou amizade, esse lance?

Com o rosto queimando como se estivesse febril e vermelho como uma maçã, Rafaela levantou-se se deu um beijo demorado e cheio de paixão em Cintia. Bom, e óbvio que a partir deste dia, as duas começaram um relacionamento sério. Rafaela era lésbica!? Não. Mas passou a sentir atração também pelo lado feminino por causa de Cíntia.

Esta história foi tirada de outra história: FODENDO COM A NOVA BOSS DA EMPRESA, de meu amigo Chronos, que emprestou Cintia para que eu lhes contasse o passado entre o fim do casamento e o romance relâmpago que ela teve com um jovem promissor de sua empresa, o Renato, que mais tarde viria a dissolver o relacionamento das duas beldades aqui.

Espero que tenham gostado, eu não tenho costume de escrever contos assim, mas com muita satisfação lhes relatei.

Se quiserem posso relatar o que Chronos não relatou sobre o encontro da Cíntia com o homem que roubou sua namorada dela.

Fica a critério dos senhores.





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.