"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Sua mulher é nossa, e somos teus 02.


autor: Chronos
publicado em: 09/10/16
categoria: grupal
leituras: 2359
ver notas


Como havia dito no finalzinho desta minha surreal aventura na casa de Venere, minha mais sexy anfitriã do mundo demonstrou paixão naquele beijo. Eu não posso negar que Venere é um tipo raro de mulher que mexe com os brios de qualquer jovem na minha idade. Tem agora seus 44 anos muito bem vividos e conservados, uma saúde invejável que muitas novinhas ficam a desejar, e um fogo que nunca se apaga.

Enquanto Brendah divertia-se com Edu na beira da piscina, brincando de cowboy na pica dele, engolindo cada centímetro do seu pau e pirando a cabeça de cima do cara, minha Vênus e eu saímos da piscina e seguimos direto para... para!? Rsrsrs, não é para comer! Ela quer continuar fodendo comigo em outro lugar! Por isso vamos para o quarto dela.

Disposta a tudo para me satisfazer, minha amante romana se envolve num beijo bem demorado comigo, deitada sobre meu corpo, recuperando suas energias. Mesmo dentro da piscina e sendo enrabada sem dó, gozou muito na minha mão.

Venere: Cada vez que fodo com você, saio mais insatisfeita, porque eu quero muito mais, amore! Ai, quem me dera poder voltar alguns preciosos anos pra poder ficar com você!

Eu: Aquilo que você falou para mim era sério? Sobre seu casamento...

Venere: Renato, é só olhar para como ele se diverte com sua garota pra você ver! Você ainda conserva o zelo da sua paixão. Lógico que nos amamos, passamos cada coisa juntos, mas nos tornamos sólidos e frios! Ainda mais que eu não pude dar a ele o filho que todo homem precisa! Fiz tratamento e tudo o mais, porém não consegui. Se tem uma coisa que não posso reclamar do Edu é que todos esses anos eu recebi o apoio dele nesse aspecto. Ele é maravilhoso. Mas vejo como ele fala em você, fala do seu talento, do seu projeto. Você vai gostar do que ele vai colocar em suas mãos! Não posso falar, kkkkkk!

Eu: Então é como se eu fosse um filho dele, é isso!?

Venere: Mais do que isso, Renato! Ele te enxerga como um herdeiro do que ele conquistou! Ele nunca ficou desligado do meu encanto por você. Estivemos em vários lugares, tivemos experiências com vários casais( começou neste momento a me punhetar devagarinho), mas ninguém mexeu comigo como você, meu lindo! Seu jeitinho sonso e pacato de ser não mudou nada com o passar dos anos. E agora sinto uma inveja de Brendah, uma deusa egípcia do seu lado! Se eu tivesse uns anos menos, iria adorar disputar você!

Eu: Estranho dizer isso, Vê... Mas você mexe comigo desde o dia que nos conhecemos! Que feitiço você jogou, hein!?

Venere: Kkkkkkkkkkkk, se eu pudesse... traria você hipnotizado sob meus encantos pelo resto da vida! Mas nem tudo é como a gente quer. Então me deixa aproveitar cada segundo com você, pois pode sempre ser o último. Não é!?

Venere neste dia não inventou nada mirabolante para poder me enlouquecer. Não. Estava mais carente, como vocês podem notar claramente nesta conversa. E de verdade, nada do Edu e da Brendah aparecerem. Estavam brincando à vera mesmo. Ciúmes!? Sempre tenho! É minha, pow, rs! O fato de vê-la agora ao vivo sendo domada como uma potranca selvagem pelo meu mentor é que era o gás para eu castigar a Venere para ela nunca mais esquecer de mim!

Em meio aos beijos com minha ninfa romana, meu pau deu espasmos de um violento orgasmo por vir, e olha que eu não estava comendo ela, hein. Mas a mão de Venere na minha pica... Essa mulher faz um estrago perfeito! Busquei controle, pedi até para que ela parasse um pouco, mas Vê não se importou que eu jorrasse meu leitinho na mão dela. Continuou a tocar sua punheta deliciosa até eu enlouquecer de vez e liberar violentamente o que estava represado em mim.

Venere: Não precisa se segurar mais, meu ébano, eu vou levantá-lo quantas vezes for necessário!

Deitou-se sobre mim, ficamos nos beijando até sermos surpreendidos por Brendah que tava quase azul de tanto que pegou sol, kkkkkkkkkk, e Edu, que já tava sentindo fome!

Edu: Gente, eu tô amando esse dia, está perfeito, mas bateu aquele apetitezinho de leão, vocês nos acompanham!?

Venere: Lógico, amor! Divertiu-se muito, cachorra?Kkkkkkkkk

Brendah: Falou comigo? Kkkkkkkkkkk, com certeza! Mas ainda falta você pra eu destruir hoje! Você não me queria!?

Venere: Lógico, amore!- levantou-se e foi em direção a ela- o melhor da festa guardei pra você, gostosa! Então vamos!

Simbora pra cozinha, e meu Deus! Venere dessa vez caprichou na comida: Lasanha ao molho branco, com queijo e presunto, carne assada, arroz de forno, salpicão , um vinho branco para acompanhar... Uau! Até em mim despertou a fome!

Eu comi pra caralho, não fiz cerimônia, não. Mas tinha uma coisa nesse vinho que tava me dando um calor por dentro, aí perguntei:

Eu: Pessoal, é somente eu que estou sentindo, ou esse vinho tá me deixando ligado de novo?- olhei pra baixo, o meu pau tava ficando duro de novo!

Brendah: Amor, vê se não vai na cama, pode fazer mal!

Edu: Não é só você, não, companheiro! Eu tô com um tesão de touro, também! Vê, tu não aprontou nenhuma, não, né!?

Venere: Ai, gente, que perseguição com a minha pessoa , rs! Tá bom, eu conto!

Brendah: Uiiii, nossa! Parei de comer por aqui! Não vou aguentar foder se comer mais. Amor, você não vai brincar agora, viu!

Renato: Porra, B., tu tá de sacanagem, né! Que isso, cara!

Brendah: Amor, você fez bem em comer, tá em fase de crescimento, rs, mas você pode passar mal! Relaxa que eu dou conta desses dois!

Venere: Bom ouvir isso, sua vaca, kkkkkk: Eu misturei TESÃO DE VACA PRA TODO MUNDO FICAR LOUCO AQUI!

Renato: Caralho, Venere, eu comi pra cacete, agora vou ficar de camarote, é isso mesmo!?

Brendah: Puta que pariu, kkkkkkkkkkkkk, gente eu preciso digerir essa comida logo, tá me dando um fogo da porra!

Eu: Foi isso que você pôs na vitamina daquele dia, sua puta!?

Edu: Foi, Renato! Foi justamente naquele dia que você me corneou pela primeira vez!( Em O JOGO DE VENERE)

Mistério desvendado! Eu sabia que aquela vitamina não tava pura, ela só contou hoje! Olha, não vou dissertar sobre TESÃO DE VACA pra vocês, não! Vai no Google e pesquisa essa porra. Só posso dizer que depois deste dia, Brendah também comprou para acabar comigo na cama, Kkkkkkkkkkk! Pior que conseguiu, uma vez!

Todo mundo se segurando pra não foder, Venere começou a falar um monte de putaria na mesa pra todo mundo rir. Umas dias taças de vinho a fizeram pirar rápido. Edu tava sacudindo a mão por baixo da mesa, nem preciso contar o que ele estava fazendo, tirem suas conclusões. Ah, um detalhe: Ninguém vestiu nada para comer, todo mundo pelado! Então imaginem o bacanal que viria.

O Edu levou uma de cada lado pra suíte. Brendah carregou nossas coisas pro quarto e lavamos a boquinha, pois afinal de contas ninguém merece brincar de boca suja no playground dos amiguinhos( jamais façam essa merda!). E dessa vez foi o Edu que teve duas beldades ao seu dispor. Venere me colocou sentadinho no puff gigante, de frente para eles, e assisti de camarote meu mentor ser degustado pelas amantes ensandecidas.

Brendah e Venere lambiam alternadamente o pau do Edu, enquanto por ordem da minha namorada, fui digerindo lentamente o deliciosíssimo banquete. Venere sentou sobre o seu corpo com a cabeça dele no meio das coxas e foi saboreada lentamente na boca do Boss, que já sorvia o mel mais entorpecente que o vinho. Brendah, para me deixar mais maluco, sentou sobre a vara dele de frente para mim(filha da puta!), e me enlouqueceu ainda mais passando a mão por todo o seu corpo queimado pelo sol.

Aquilo me deixava louco de ciúmes, mas me dava um tesão do caralho. Meu pau tava no ponto de novo, recebendo um castigo de minha mão por não poder participar da suruba.

Brendah: Ai, amor, isso aqui tá uma delícia, olha como sou possuída, olha! Porra, caralho!( começou a cavalgar mais selvagemente, rebolava, xingava, apertava seus seios), to louca pra você entrar nessa foda, Re! Aaaieeeen- e tocava seu grelo com vontade.

Venere já estava se liquefazendo na boca do marido num orgasmo frenético. Não sei para quem olhava, pessoal, era um ménage ao vivo , e eu tava de fora! Puta merda! Foi então que Venere saiu de cima do Edu, e pude ver o rosto dele melado com a goza dela, e Brendah mudou de posição e ficou de conchinha com ele, e Venere se levantou e veio em minha direção. Ajoelhou diante de mim e tirou minhas mãos do meu pau e continuou a brincar com ele. Ficou um pouquinho, pois levantou-se outra vez, foi até o guarda-roupa e tirou...seu strap-on! Isso mesmo, senhores! Quando ela colocou aquela cinta com o caralho de brinquedo preto de uns 20 cm, foi até os dois, já com o pau bem lubrificado com KY, deitou-se atrás do Edu e enterrou sem dó no cu dele!

Cabeção pirou com as imagens. Vendo Edu e Brendinhah gemendo alucinadamente, Venere começou a acelerar as estocadas no rabo do esposo, enquanto minha namorada agora era fudida no cuzinho também. Venere olhava para mim mordendo os lábios, piscando um dos olhos e com um olhar sodomicamente malvado.

Edu gemia alto, Brendah gritava, Venere ria muito. Não aguentei: Levantei-me da cama com o pau feito uma rocha e deitei atrás da minha amante romana. Agora estava eu a detonar também!


Com os 4 juntos na enorme cama do casal swingueiro, todo mundo desfrutou do momento mais louco que eu, simples nerd de puro coração ( pura maldade, isso sim!) jamais sonhei em viver. Brendah olhou pra onde eu estava sentado e não me viu. Chamou-me e ouviu somente eu gemendo atrás da Venere.

Edu gozou primeiro. Também, sendo fodido do jeito que tava, não teve como segurar o tesão que acumulou Brendah foi logo depois. Sobramos Venere e eu na cama. Edu e minha prima sentaram-se agarradinhos no Puff gigante, sentindo o calor um do outro. Coloquei Venere de 4 e continuei a currá-la com força.

Venere: Vai, meu dragão negro, fode esse puta com vontade, assim! Aaaannn, filho da puta, me dá mais pica, dá!

Eu: Quer mais pica, sua vaca? Toma, vagabunda!

Venere: Rega esse cuzinho, rega, gostoso, eu tô quase lá, vai... Aiiiiiii!!! Não para, Renato, não para, eu tô indo, tô indo... PORRA! Aiennnn! Lava o rego dessa putinha, lava, delícia!

Meti freneticamente até me desmanchar sobre ela . Tava muito saboroso! Quando Venere pensou que iria descansar, eis que surge ela: Brendah já estava trajada e pronta pra matá-la na cama de tanto foder também!

Brendah: Pode abrindo essas pernas, sua puta, agora eu vou te comer!

Venere: Assim vocês acabam comigo, rsrsrs!

Brendah não quis nem saber: Caiu de boca na buceta da anfitriã, bebendo o mel que escorria dela e preparando-a para outro momento lancinante. Enfiou os dois dedos na grutinha da Vê e começou a meter sem dó, fazendo ela gritar mais. Abriu as pernas da baixinha após tirar-lhe o strap-on e enterrou seu pau fundo. Agarraram-se e começaram a trocar salivas uma com a outra freneticamente, num beijo acelerado.

Eu ainda estava deitado de barriga pra cima , ao lado das duas, quando fui solicitado pra um beijo grupal. Aquilo foi me despertando as idéias mais loucas: Meu pau deu sinal de vida novamente então pedi que Brendah saísse. Deitei Venere por cima de mim, deitada de frente e atochei meu pau na buceta dela.

Brendah: E eu vou fazer o que agora!?

Eu: Come o cu dela! Ela vai aguentar!

Venere: Renato, tu tá mais puto que eu , seu porra, kkkkkk! Vem, cachorra, acaba comigo!

Brendah encaixou por trás e demos a maior surra de piroca que a italiana já recebeu na vida. Minha namorada surrou o cu de Venere sem piedade, deu pena da bichinha... O caralho que deu! Estoquei forte na xota dela também.

Venere: AI, PORRA, DOIS DRAGÕES ME FODENDO, AMOR!!! PORRA, QUE ISSO, TÔ SENDO VIOLADA ATÉ A ALMA!

Quem pensou que o Edu tava acabado, enganou-se! Ele já estava apontando o pau dele na portinha do cuzinho ardido de Brendah e estocou até o fundo.

Venere rompeu num novo orgasmo, o meu demorou mais, enquanto Brendah xingava e batia sem dó nos glúteos da anfitriã. Tirou seu pau de dentro do cu de Venere e recebeu a pica do Edu com mais força ainda.

Para terminar com chave de ouro essa tarde fodástica, Eduardo e eu colocamos as cachorrinhas ajoelhadas pra gente e jogamos nossas ultimas gotas de prazer nos rostinhos delas. Brendah lambeu-lhe todo o caralho até não sobrar uma gotinha de leite. Venere mamou demoradamente até minha pica murchar na sua boca e me puxou para um último beijo.

Foi a melhor foda da minha vida!

Brendah:

E da minha também, gente! Eu fiquei aqui caladinha , vendo o Renato escrever tudo isso pra vocês e é excitante só de lembrar! Espero que vocês tenham gostado.

Aos gatinhos, beijos deliciosos na cabecinha de baixo de vocês!

Eu:

Safada, rs! Ai de mim se não sei cuidar dela! Reles mortal desgraçado, eu seria!


Antes de sair, Venere entregou a Brendah um cartão da sua clínica de fisioterapia e deixou um convite especial para ela. De volta em casa, após uma soneca e um lanchinho gostoso no final da tarde, deitei-me em meu quarto e havia uma mensagem de Venere.

" Obrigado pela tarde, gostoso. Vocês foram magistralmente terríveis conosco, kkkkkkkk! Já estou sentindo saudades. Até nossa viagem!"

Respondi na hora:" acho que não vou esperar até lá."

Venere: Jura!? Assim vai me deixar mal acostumada! Quando e onde?

Eu: Motel VIPS.

Venere: E a Brendinhah!?

Eu: Sem Brendah. Só você e eu!


continua...








ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.