"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Cila


autor: darkdick
publicado em: 09/10/16
categoria: jovens
leituras: 22407
ver notas


Aos 15 anos, tornar-se mulher, no bairro é normal e ela não é excepção, só que enquanto as meninas deram para os namorados de ocasião, ela deu para o irmão mais velho.

Não és para nenhum marmanjo. Diz-lhe.

Todas as noites aprende a arte do sexo, agora já geme de prazer, e atinge o clímax em espamos de gozo.

Sente-se uma mulher de verdade.

Tens de contribuir para casa.

Ela olha assombrada. Tu queres que eu vire puta ?

Ela sabe bem que mais tarde ou mais cedo ia dar por dinheiro, a irmã não tinha ainda 14 anos, quando perdeu o cabaço.

Não uma puta vadia de rua, tu vai dar para coroas ricos.

Vou dar quando ? Pergunta com ar ansioso.

Hoje.

Está tudo tratado, um coroa, ele gosta de menina, mas tem de ter ar de puta , para não sentir remorso.

Deixa-se conduzir até ao quarto, sobre a cama um micro shortinho branco, uma tira de pano para fazer um tomara-que-caia e um estojo de maquilhagem .

Ele diz-lhe : “Vai vestir essas roupas e maquilhar, de putinha safada.”

Não disfarça a excitação que sente.

Vem aqui. Ela aproxima-se dele, desabotoa-lhe o short e desce-o bem devagarzinho, passa-lhe os dedos nas pernas, até mais ou menos a altura das canelas, deixa-a apenas de calcinha.

Ela estremece de prazer a cada toque que recebe, de seguida ele segura calcinha e baixa-a até aos joelhos, a bundinha cor de chocolate e arrebitada é um convite tentador.

Põe de quatro na cama , vou preparar o teu cuzinho.

Abre-lhe as nádegas, ela geme ao sentir os dedos lambuzados de creme passarem entre as nádegas e o cuzinho.

Passa com muito carinho, com movimentos circulares., a cada passagem dos dedos no buraquinho anal , sente uma pequena descarga eléctrica que lhe eriça os pelos, o movimento rebolado que instintivamente faz , deixa bem claro que gosta.

Ele para com a massagem,coloca mais creme, passa a massajar o cuzinho, enfia um dedo lentamente e roda-o, depois dois e mete-os e tira-os num controlado vai e vem que a deixa doida de tesão.

Começa a fazer movimentos de vai e vem com a cintura, empurra o rabinho na sua sua direção.

Calma, tem calma.. hoje não é para mim.

Ela senta-se na cama, um pouco ofegante, olha para ele nos olhos transparece o desejo de sexo.

Calça essa sandália, diz-lhe apontando uma sandalinha de cor branca com tiras, tipo romano.

Cila pega nelas, olha meio desconfiada, não sabe como prender as tiras, ele ajuda-a e de seguida com uma palmadinhas no rabo diz-lhe: deixa-te estar que deve estar a chegar.

Porta-te bem… Dá como ele gosta, vamos ganhar uma nota..

Puxa as cortinas de tecido grosso e quarto fica envolvido numa ligeira penumbra, Cila mantem-se sentada, ansiosa e curiosa, é a primeira vez que vai receber um cliente.

Passado algum tempo, ouve uma voz desconhecida, o seu coração parece saltar do peito, um ligeiro calafrio percorrer-lhe o corpo, olha a porta, sabe que dentro em pouco se vai abrir.

Parece-lhe uma eternidade, mas quando a maçaneta roda e a porta se abre, Cila, solta um pequeno e abafado grito.

O homem, deve ter mais de 50 anos, gordo, veste um fato cinzento claro, camisa azul e gravata com cores berrantes.

Entra e dirigi-se de imediato a ela, acaricia-lhe a cabeça, os dedos misturam-se com o seu crespo cabelo.

Linda.. diz

Levanta-te e mostra-te para mim.

Cila levanta-se meio desajeitada, rebola as nádegas de forma excessiva, enquanto roda sobre si mesma.

Hummmm… Gosto… uma putinha novinha e gostosa.

O homem despe-se, Cila volta a sentar-se, treme ligeriamente, os seus pequenos e negros olhos, percorrem o corpo extramente branco flácido que se vai revelando, até ficar de cueca e peugas.

Toca-me diz o homem enquanto baixa a cueca e mostra um membro ainda flácido.

Cila segura-o com a mão e acaricia-o ,começa a endurecer, Cila decobre-lhe a glande, quando lhe lhe segura a cabeça, ela sabe o que quer, aprendeu com o irmão, sabe mamar uma vara, com mestria, lentamente passa a lingua ao longo do membro, até o absorver na boquinha.

O homem solta um gemido, ao sentir a sucção.

Dentro da boquinha o membro endurece rapidamente, erecto, lateja, Cila faz a boquinha subir e descer naquele nervo quente e duro.

Chega…chega.. diz ele receia vir-se e não ter tesão para ter o que pagou.

Levanta-a o coloca-a de quatro na cama, rabinho virado para ele, puxa-lhe o pequeno short e despe-lho.

Treme de gozo, quando abre as nádegas da jovem, e passa um dedo no buraquinho do cuzinho, olha-o e sorri.

Está preparado putinha… safada.. gostas mesmo de dar o cuzinho.

Cila não responde, baixa a cabeça até ficar junta do edredão, empina o rabinho e aguarda.

Sente-o colocar o membro duro entre as suas nádegas e com um pequeno impacto penetra-a, o rabinho bem besuntado não oferece resistência e o falo entra até metade, um grito angustiante de dor brota da garganta de Cila.

Aguenta…putinha..aguenta… a voz rouca do homem revela bem o prazer que sente.

Nova investia e crava-lhe todo o membro, Cila sente os pelos pubicos do homem roçarem as suas nádegas.

Segura-lhe a fina cintura e movimenta-se dentro dela, a vara entra e sai, Cila morde a colcha e solta abafados gemidos de dor.

O homem resfolega, continua a socar, sente prazer em meter em novinha, gosta de as fazer gritar, até que, com urro ejacula no interior do rabinho de Cila.

De seguida deixa-se cair sobre ela, o corpo suado do homem, tapa o franzinho corpo da menina, que sola um gemido abafado ao sentir o peso sobre si.

Aguenta…putinha… gostas não gostas ?

Cila geme e com voz sumida pede-lhe : Saia de cima de mim por favor…

Aguenta mais um pouco… gosto de sentir o meu leite escorrer dentro do rabinho, beija-lhe o pescoço e prova o gosto da sua pele.

Hummmm…docinha…um chocolate docinho… Vou-te querer mais vezes.

Sai de cima da jovem.

Vá..putinha levanta-te e limpa-me.

Cila levanta-se com dificuldade, cansada e dorida, pega na bacia de água e suavemente lava o membro flácido e melado, seca-o com a pequena toalha.

Fica a olhar para o homem, que lhe afaga a cabeça e diz : Uma putinha maravilhosa, gosto de ti, vou voltar.

Veste-se e sai.

Cila sentada na cama, chora, desanimada, o sonho de ter dinheiro, muito dinheiro desvanece-se rapidamente, não quer se puta.





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.