"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Visita a ginecologista


autor: becky
publicado em: 14/10/16
categoria: lésbicas
leituras: 46350
ver notas


Como de costume marquei uma consulta com meu ginecologista para fazer exames de rotina, o trânsito estava horrível, acabei chegando um pouco atrasada e fiquei de último. Mas o que eu não sabia era que meu ginecologista Dr. Samuel estava afastado por problemas pessoais.

Na sala de espera uma doutora loira, muito bonita, de cabelos curtos e alta, parecia ter uns 30 anos, passou e foi até o balcão pegar as fichas das pacientes, era ela quem iria substituir meu médico, deu bom dia para todos com uma voz séria e muito sexy, entrou na sala e começou chamar, eu já sabia que era a última então fiquei esperando enquanto lia um livro online.

- Milena - disse ela me chamando. Fui em direção a sala e ela fez sinal para que eu me sentasse na cadeira, me e sentei e ela pediu que eu esperasse um pouco, pude ouvir ela dizendo a enfermeira do balcão que podia ir embora, já que eu era a sua última paciente.

- Milena, 25 anos? - Me perguntou de sentando na cadeira.

- Sim. - Respondi

- Sou a Dr. Adriana e vou substituir o Dr. Samuel enquanto ele estiver fora. Agora me fale de você, o que está acontecendo? - Perguntou se mantendo muito séria, enquanto lia minha ficha.

- Nada, digo, vim fazer exames de rotina e checar se esta tudo bem. - Respondi

- Muito bem, você possui uma vida sexual ativa? - perguntou

- Sim - respondi

- Você tem relações sexuais quantas vezes na semana? Qual seu método de prevenção? - Perguntou

- Bem moro com meu namorado, então seria quase diariamente, uso anticoncepcional e não costumamos usar camisinha. - Respondi.

- Ok. Preciso que vá até o banheiro e tire toda sua roupa. - Me pediu me dando uma espécie de jaleco para usar. Fui ao banheiro e deixei minhas roupas la, coloquei o "jaleco" da forma que ela tinha me pedido, ao contrário e voltei até a sala. Ela me levou até a maca e pediu para que eu me deitasse, assim o fiz, me deitei e ela abriu meu jaleco deixando meus seios a mostra, pediu licença e começou a toca-los examinando, fez de ambos os lados, então senti algo estranho como se ela tivesse massageando meus seios e eu estava gostando daquilo, então olhei para ela mas ela se mantia séria.

- Ok, Milena, tudo certo, preciso que abra suas pernas e as apoie aqui.- me disse indicando o suporte para colocar meus pés. Obedeci e coloquei meus pés de forma que minhas pernas ficassem totalmente abertas, ela levantou meu jaleco, pegou um banquinho e se sentou na frente da minha buceta, pegou um objeto para fazer exame e introduziu na minha buceta, senti um certo desconforto, me mexi na maca e ela percebeu.

- Está tudo bem? - Perguntou.

- Sim, apenas me incomodou- respondi

- Certo, então vamos tentar de outra maneira - disse ela que tirou o objeto. Passou um lubrificante nos seus dedos que estavam com luva e introduziu dois deles na minha buceta, dessa vez nao senti desconforto mais sim tesão, ela deixou seus dedos lá e com a outra mão tocava com os dedos minha virilha sempre me perguntando se estava tudo bem. Eu estava ficando excitada com seus dedos dentro de mim e ela percebeu.

- Você já transou com mulheres? - Perguntou.

- Várias vezes. - Respondi. Então ela tirou os dedos da minha buceta e os colocou de novo, dessa vez os mexeu dentro da minha buceta, eu fiquei ainda mais excitada. Queria gozar nos dedos daquela loira.

- Certo Milena, pode se levantar - disse séria, retirando os dedos da minha buceta. Ainda com as pernas abertas, levantei minha cabeça e perguntei

- Mas só isso Dr.Adriana? Esse exame estava tão bom.

Ela me olhou e finalmente abriu um sorriso, colocou os dedos com força na minha buceta encharcada e disse:

- Milena, Milena, você sabe que isto não é certo, não brinca comigo.

- Você me deixou excitada e agora vai me fazer gozar Dr. - Respondi rebolando nos seus dedos. Minhas pernas estavam escancaradas na sua frente, ela se sentou de novo no banco, tirou seus dedos da minha buceta rosada e caiu de boca nela. Com calma ela me dava várias lambidas, lambia da entrada até o meu grelo, voltou seus dedos para dentro da minha buceta dessa vez sem luvas, passou seu outro braço por uma de minhas pernas a prendendo, e com essa mão fazia movimentos circulares no meu grelinho.

Eu gemia feito uma cadela, e rebolava nos seus dedos enquanto apertava meus peitos. Então ela parou e começou a tirar sua roupa, primeiro o jaleco caiu no chão, depois desabotoou sua blusa e tirou seu sutiã, aproveitei e tiroi o jaleco que estava apenas no meu colo. Levantei meu corpo mas as pernas ainda continuavam abertas e os pés apoiados, ela tinha seios grandes e eu comecei a mamar, passava a língua em movimentos circulares no seu mamilo duro, ela estava arrepiada e enquanto eu a mamava a safada colocou de novo seus dedos na minha buceta e os enfiava com força, eu gritava e mal conseguia me concentrar naqueles peitos deliciosos. Ela metia com força em mim enquanto eu apartava seus peitos com uma mão e rebolava nos seus dedos sem parar, estava muito quente e eu começava a suar. Ela parou para que eu pudesse respirar.

- Me provocou agora aguente sua vadia. - disse ela tirando sua saia e sua calcinha.Ficou nua para mim e ela era gostosa.

- Que delícia de buceta, me deixa prová-la. - eu disse, a olhando e mordendo os labios.

- Vamos ver o que você sabe fazer. - Disse ela me jogando novamente para maca. Foi subindo sobre mim lambendo minha barriga e meu mamilo, ela queria me provocar e estava conseguindo, então eu agarrei sua bunda redonda com força, apertei os dois lados massageava e dava tapas, cada hora de um lado, tapas fortes, ela ficou com a bunda vermelha mas dizia:

- Isso! Me bate sua gostosa, mais forte vamos.

A puxei pelo pescoço e dei um beijo longo e demorado, um beijo molhado, daqueles de deixar qualquer homem de pau duro, eu a beijava e massageava sua bunda vermelha, ficava minha unhas nela. Ela se sentou com a buceta na minha boca, comecei a dar lambidas lentas, quase nem as terminava e isso a deixava louca, então com uma das minhas mãos eu abri sua bucetinha e enfiei minha língua, começava a movimentar sem parar dentro daquela bucetinha gostosa, comecei a massagear seu clitóris com o dedo e não parava de chupar seus lábios carnudos, ela rebolava com vontade em cima de mim, com seu corpo jogado para trás e segurando com força a maca, com a outra mão eu apertava seu peito, apertava e dava tapas, não demorou muito e ela gozou. Ela se contorcia extasiada pelo orgasmo que consumia seu corpo, engoli todo seu mel mas antes enfiei meu dedo na sua buceta e dei para que ela se provasse, chupou meu dedo de forma sexy, o babou inteiro e ria feito uma puta.

Desceu e voltou a me beijar, dessa vez me beijava e massageava meu grelo com dedo ao mesmo tempo, então ela desceu e encaixou sua buceta na minha, cuspiu deixando ainda mais molhadas e começou a esfregar sua buceta contra a minha primeiro com delicadeza e depois com vontade agarrada em uma das minhas pernas ela rebolava, rebolava rápido,estava desesperada e parecia uma cadela no cio, nossas bucetas se encostavam e me davam uma sensação maravilhosa, eu robalava em baixo dela também, contorcia meu corpo de tanto prazer, cravava minhas unhas em sua bunda, apertava seu peito e ao mesmo tempo que eu não aguentava mais queria que ela continuasse mas ela parou e voltou a me chupar, chupava meu grelo e eu não aguentei, gozei na sua boca, ela engoliu tudo e disse:

- Você tem um sabor delicioso.



Depois daquela foda fantástica marcamos outra, dessa vez com meu namorado junto.







ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.