"Os mais excitantes contos eróticos"

 

O sábado e a sobrinha


autor: Colecionador
publicado em: 23/10/16
categoria: incesto
leituras: 10738
ver notas


Era uma manhã normal de sábado, até que eu recebi uma SMS de minha sobrinha: "Vem visitar sua sobrinha preferida? Meus pais foram ao sítio e estou sozinha e com vontade de você. E com muita saudade." Que belo programa para o sabadão... O problema é como eu faria para despistar Sílvia. Sugeri a ela que fôssemos a um barzinho que havia sido inaugurado perto de nossa casa, e falei que se ela quisesse poderia ir ao shopping comprar roupas para isso. Ela toda feliz me chamou para ir e eu logicamente declinei do convite.

- "Hoje não amor, você sabe que não gosto de shoppings. Chame Diana para ir com você, vou aproveitar para visitar minha irmã."

Isca lançada e mordida, Sílvia foi ao shopping e por volta de 11 horas eu chegava na casa de Sarah. Fui recebido com um delicioso e perigoso beijo na boca. Perigoso porque foi dado na porta da casa, em plena luz do dia.

- "Ficou louca, garota? Imagine a confusão que seria se algum vizinho visse um tio casado beijando sua sobrinha que já é quase noiva?" Disse, fechando rapidamente a porta.

- "Ai tio, é que eu estava morrendo de saudade. Desde aquele dia sempre quero o senhor aqui." Disse, levantando a saia e me mostrando uma calcinha branca minúscula, que mal dava para tampar sua buceta linda. Levei então a mão nela e vi que já estava molhadinha.

- "Ah que saudade, tio Marcos. Mas pode tirar sua mão daí que eu só vou despedir de minha amiga Carol no skype e já serei todinha sua." Disse subindo as escadas em direção ao seu quarto. Eu assaltei a geladeira para pegar uma cervejinha gelada e fui atrás de Sarah.

- "Pronto, tio. Sou toda sua agora. Mas... o senhor trouxe cigarros?"

- "Estou achando que você me quer só por causa dos cigarros." Brinquei, entregando dois cigarros para ela.

- "Vamos ao quintal fumar comigo? Se mamãe sentir cheiro de cigarro aqui ela me mata."

- "Não, eu fumei antes de chegar. Vá lá que eu te espero vendo um site de esportes."

Nem cheguei a ver meus esportes, Sarah havia deixado o skype aberto e eu fui bisbilhotar. Havia duas conversas, uma com o namoradinho e outra com a tal da Carol, que pela foto era muito bonita. Era negra, lábios carnudos e cabelos encaracolados até os ombros. Belíssima! Fui dar uma lida na conversa e fiquei bastante surpreso, por dois motivos. O primeiro é que Carol constantemente dava umas cantadinhas em Sarah, que sempre rejeitava mandando-a parar com bobagens e ir procurar um homem. Aquilo me excitou bastante, bem que eu poderia ser este homem para Carol. O segundo motivo era que um dos assuntos da conversa era eu. Sarah tinha falado para ela de minha visita, o que me assustou pois não esperava que ela falasse de nós para outras pessoas, afinal ambos éramos comprometidos e da mesma família.

- "Tio! O que o senhor está bisbilhotando aí, hein?"

- "Estou vendo você falar de nós para sua amiga. Não faça isso Sarah, você sabe das consequências disso."

- "Relaxa, tio. A Carol é minha melhor amiga, eu conto tudo pra ela."

- "Amiga muito gata por sinal..."

- "Para que eu sou ciumenta!"

- "Deixe de bobagem, mulher. E você não pense que eu não vi ela te cantando no início da conversa."

- "Ah ela é doidinha assim mesmo, curte homens e mulheres."

- "E você?"

- "Eu não, tio Marcos. Minha paixão é homem, não sou lésbica."

- "Ah... mas toda mulher tem um desejo íntimo, mesmo que inconsciente, de transar com outra, sabia? E a maior fantasia dos homens, minha inclusive, é transar com duas mulheres."

- "Hum... e tia Sílvia sabe disso? Ou vocês já fizeram?" perguntou uma curiosa Sarah.

- "Ainda não, ela sempre se negou. Mas ela está se soltando, acho que em breve pode acontecer algo. Mas vamos deixar de falar dela. Eu adoraria ver você e sua amiga juntinhas..."

- "Deixa de bobagem, tio. Já falei que não rola."

- "Tá bom, mas você vai me deixar brincar com ela um pouco." Disse, iniciando uma conversa no skype com Carol.

- "Deixo, seu doidinho. Mas eu que não vou ficar parada enquanto você tecla." Disse ao se ajoelhar e começar a abrir minha bermuda.

Comecei a conversar com Carol me passando por Sarah. Pedi para ver uma foto de corpo inteiro e vi que ela, assim como Sarah, era muito gostosa. Sarah a essa altura já estava com meu pau na boca, engolindo e chupando gostoso. Quando eu passei uma cantada abusada Carol desconfiou, perguntando se estava falando com a Sarah que ela conhecia. Então falei a verdade, que era o tio de dela e a tinha achado uma mulher linda.Carol agradeceu e disse que tanto eu quanto Sarah éramos muito safados e pediu para ligar a webcam para conferir se era o tio dela mesmo. Falei a Sarah que concordou com um aceno de cabeça sem interromper o boquete que já estava me deixando louco de tesão.

Webcam aberta, Carol olha para mim e diz:

- "Hum... até que você não é de se jogar fora. Sarah é espertinha mesmo."

- "E você é uma gata e tem uma linda voz. Namorado tem sorte..."

- "Não namoro, curto a vida sem complicações. Cadê a minha amiga?"

- "Sarah está ocupada fazendo um serviço." Disse sentindo muito tesão com a boca de minha sobrinha envolvendo meu pau.

- "Isso quer dizer que você é meu enquanto ela não aparece?" Disse com um sorriso malicioso nos lábios.

- "Sou agora e quando você quiser. Deixe eu te ver em pé..." Disse, sem muita esperança do pedido juvenil "colar". E não é que colou? Carol levantou e lentamente se virou mostrando a bunda enorme, deixando à mostra as coxas grossas, às quais passou a ponta dos dedos lentamente. Ela deveria ser bem experiente em sexo virtual.

- "Para com isso senão eu fico daquele jeito." Provoquei...

- "A intenção é esta... mas é melhor parar senão Sarah pode ver e ficar brava."

- "Ah, ela já sabe que estamos nos falando, e parece não se incomodar. Dê um oi pra sua amiga, Sarah." Sarah então interrompe o boquete, levanta a cabeça e olha para sua amiga dando um sorrisinho malicioso.

- "A safada tá te chupando? Mas ela não perde tempo mesmo. Ela chupa bem?"

- "Nossa, você nem imagina como. Meu pau está duro aqui."

- "Hum... eu quero ver. Me mostra?" Pediu uma excitada Carol.

Olhei para Sarah e com o seu olhar de aprovação me levantei mostrando meu pau duro feito pedra. Sarah me abraçou por trás e levou a mão no meu pau em uma gostosa punheta. Carol observava tudo com o tesão estampado no rosto.

- "Hum... o pau dele é delicioso. E você está igual uma puta tocando punheta para seu tio, Sarah."

- "Puta é você, que tá aí doidinha de tesão vendo isso."

- "Ah estou mesmo, já não me aguento." E ao dizer isso, Carol começou a se tocar apertando os seios e às vezes levando as mãos por dentro da blusa. Tudo comigo e minha sobrinha vendo aquele show particular. Pedi a Carol para ver os seios e ela prontamente me atendeu. Tirou a camiseta e o sutiã em seguida, fazendo aparecer seios lindos, firmes, duros e arrepiados. Ela tocava e apertava, enquanto beliscava os mamilos com a ponta dos dedos. Sarah olhava para a amiga com cara de tesão enquanto me punhetava. Carol em certo momento cuspiu em seus mamilos, os tocou com a ponta dos dedos e desceu a mão, provavelmente indo se tocar na buceta. Falei para Sarah tirar a roupa, e minha sobrinha me obedeceu ficando somente de calcinha.

- "Hum... peitinhos duros, amiga? Tá com mais tesão que eu, hein?" Disse Carol em meio a gemidos.

- "Estou sim, doida pra sentir o pau de meu tio na minha buceta.

- "A minha também está toda melada, veja." Dizendo isso, Carol enfiou dois dedos na buceta e os retirou, mostrando sua secreção escorrendo por entre os dedos. Minha sobrinha a imitou, enfiou dois dedos na buceta e quando os tirou, colocou na minha boca para serem chupados. Enquanto eu sugava o melzinho de Sarah, Carol perguntou:

- "Tá gostoso? Qual o sabor dela?"

- "Sabor de desejo, de pecado, de tesão. Quer provar?" Provoquei...

- "Quero! Quero sim, quero provar vocês dois. Mete pica na minha amiga para eu ver, seu safado."

Obediente que sou, posicionei a webcam na direção da cama, para onde levei minha sobrinha. Sarah ficou de quatro, de frente para a webcam, se oferecendo para mim. Sem cerimônia alguma, me ajoelhei atrás de Sarah e a penetrei com vontade, fazendo meu pau deslizar em sua buceta. Sarah gemia olhando para sua amiga na tela, enquanto eu socava meu pau naquela buceta melada. Carol por sua vez se tocava, uma mão na buceta e outra apertando os peitos, enquanto dizia:

- "Isso, mete pica nessa safada. Não tenha dó dessa buceta, arromba minha amiga!"

- "Safada, tá gostando de me ver dando para ele, né? Cachorra!"

Parei a penetração, levantei e me sentei de frente para o pc, colocando Sarah para sentar sobre meu pau, bem de frente para Carol. Sarah subia e descia, num vaivém delicioso que fazia seu mel escorrer entre as pernas. Carol se tocando como uma louca falava:

- "Isso mesmo, mete pica nessa putinha. Faça minha amiga gozar, faça!"

Ao ouvir isso, passei a tocar com uma mão nos peitos de Sarah e com a outra firmava sua cintura puxando-a de encontro a mim, dizendo:

- "Sobrinha gostosa e safada. Rebola no pau de seu macho com esta buceta melada, minha putinha."

- "Ai tio, que gostoso. Não aguento mais, venha comigo! Tô gozando! Ahhhh!!!" E gritando assim Sarah gozou, levando Carol junto, em uma cena linda de se ver. Ver aquelas duas gozando juntas aumentou ainda mais meu tesão, a ponto de não conseguir segurar.

- "Isso seu puto! Dá leitinho pra ela, enche a buceta da Sarah com sua porra!" E assim gozei dentro de minha sobrinha, que gemia alto. Recuperados do momento, Sarah se levantou e pegou um pouco da porra entre os dedos mostrando para Carol.

- "Ai que delícia, eu quero!"

- "Vou pensar no seu caso. Agora vá se limpar que eu vou para o segundo tempo com meu tio." E desligou a webcam, se despedindo de Carol.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.