"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Comendo o cuzinho dela na piscina


autor: Ronimac
publicado em: 28/10/16
categoria: hetero
leituras: 8241
ver notas


Esta é a continuação do conto "Acorrentada na banheira", quem não leu leia pra entender como começou.



Vou carregando nos braços aquela Deusa loira de 1,80m, olhos verdes, bundinha redondinha, seios médios, tremendo... um mix de frio e excitação, agora livre das correntes, trocamos um longo beijo enquanto a levo para o quarto.


No quarto uma parede de vidro que dá uma vista completa do mar de Itacaré, o sol alto lá fora ilumina aquele corpo delicioso. Passo pela porta.

Paro de frente para o mar, ela ainda em meus braços, beijo os seus lábios ela me morde, dou uma mordida nos biquinhos do seu seio, e depois uma bela sugada neles, percebo o seu arrepio imediato, passo a minha língua pela sua barriguinha e vou descendo, ergo a sua cintura e beijo a sua bucetinha que agora esta na altura da minha boca, ela se contorce.

O calor é agradável, fim de tarde, vento quente da Bahia, pulamos na piscina com vista infinita, nos beijamos nus embaixo d´agua, antevendo o que iríamos fazer.

Subimos para recuperar o folego, ela se segura na escadinha de alumínio da piscina ficando de costas pra mim me oferecendo aquela visão da sua bundinha loiríssima me deixou com o instrumento afinadíssimo novamente, eu queria aquele cuzinho agora!

Estávamos com agua pela cintura, subimos mais um degrau, para ficar fora da agua, eu comecei uma brincadeira na sua bucetinha, estava pincelando o meu pau a safada já estava toda meladinha lubrificada, a cabeça do meu pau tem a medida exata da entrada daquela buceta, coloquei a glande nos seus grandes lábios, e dei um tapa na sua bunda, ficou vermelho na hora, ardeu ela gemeu e jogava a cabeça pra trás me provocando.

Mais tapas, desta vez no rosto ela ria de prazer... bate na sua cadela... safado... bate, ela repetia, descíamos e subíamos na água, coloquei o dedo no cuzinho dela... que gemeu mais forte, ela me pedia para enfiar o pau inteiro na sua bucetinha, e pra bater mais, obedeci, mais um tapa agora nos seios e apertei-lhe os bicos durinhos e tesos, ela adorava aquilo... Vagarosamente... pois a água da piscina dava um atrito dolorido e gostoso ao mesmo tempo, eu enfiava cada vez mais forte, ela abriu a bundinha com uma das mãos... que cuzinho lindo depilado rosado e pediu... mete no meu cuzinho amor, mete gostooooso, aquelas palavras soaram como uma ordem tirei o meu pau completamente duro da sua bucetinha, me abaixei dei uma lambida naquele anelzinho maravilhoso, ela arrepiou e rosnou, fui lambendo aquele cuzinho, quente, lindo, apertando a língua e revezando com o dedo... já era a língua e o dedo e ela rosnava, era um som lindo gutural... cio... completamente no cio, rebolava se contorcia gemia e implorou...me fode porra!!!


Dei uma grande cuspida na cabecinha e enfiei devagar no seu cuzinho, ela deu um gritinho de prazer, enfiei mais um pouco, me segurei na escada e fui enfiando mais fundo, ela se abaixou na água, mais atrito, mais dor mais excitação, fui colocando agora cada vez mais forte, ela gemia e se contorcia, rebolando rapidamente, mais tapas na bunda ela gritava... vai meu macho... fode a sua fêmea, fode a sua cadelinha seu putoooo, eu estocava cada vez mais rápido agora puxando os seus cabelos e mordendo a sua orelha, alternava apertando os seios.


Os dois num movimento frenético e coordenado, eu sentia o meu pau inchado no fundo do seu cuzinho, estava fodendo a minha cadelinha, remexendo... O atrito da água, ela empinando a bundinha redondinha deliciosa, as minhas bolas batendo na sua bunda, o barulho dos corpos batendo na agua, cortados pelo som de mais um tapa bunda que tesão mágico, segurei a sua cintura e aumentei as estocadas, ficamos os dois ofegantes ela se masturbando eu metendo, forte, comecei a urrar ela a gemer, ela me aranhou a perna, me deu tapas na perna, puxava os meus cabelos, arranhava... animal completamente animal...que cachorra, mais dor mais tesão, urrei como um leão, ela gritou... vai filho da puta goza pra mim...goza pra mim, me fodeeeee e... gozamos... juntos... muito, enchi aquele cuzinho de porra quente, há meses deliciosamente represada pra ela, ficamos alguns minutos nesta posição até que o meu pau esfolado foi dormindo, a bundinha dela toda vermelha, quente vagarosamente, ela se virou e ficamos nos beijando e nos mordendo até a noite cair.



Por favor deixem os seus comentários para que eu possa melhorar a narrativa
Podem mandar email

ronimacc@gmail.com








ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.