"Os mais excitantes contos eróticos"

 

COMI MEU PACIENTE NO MEU HORARIO DE P-02


autor: MORENNA-SAFADA
publicado em: 29/10/16
categoria: hetero
leituras: 3215
ver notas


No trajeto para minha casa, comecei a analisar minha atitude naquela tarde, Meu Deus que loucura. Jamais imaginei que teria coragem para agir com tanta audácia e o pior de tudo trepar com desconhecido, passando a ele meu endereço. Era tarde pra arrependimento, comecei a torcer para que ele nao aparecesse no meu apartamento, entrei em minha casa, fui até a cozinha tomar agua e corri para meu quarto, a minha razão pedia para que Renato nao aparecesse, já a minha bucetinha gritava por ele. Lembrar daquela tarde e daquele pau fazia minha buceta doer de tesao. Estava a solta em meus pensamentos quando interfone chamou, era o selador anunciando que um homem queria falar comigo. Deus, ele veio, senti meu coração disparar, olhei no relógio tinha trinta minutos que eu havia chegado em casa. Permitir que ele subisse até meu apartamento.

Abrir a porta para recebe lo, ele estava com cabelo molhado, barba feita e usando um perfume muito gostoso.

M- Entre por favor e fique a vontade, cheguei a poucos minutos e ainda nao tomei banho. Você aguarda um pouquinho nao demoro.

R- Ok. meu tesão espero até mesmo por que vou comer este bucetao a noite toda, hoje meu pau se farta cachorra.

Sorri como resposta, fui para meu quarto, tirei minha calça e ao levantar minha blusa senti sua mao segurando a minha, nao o vi entrando no quarto.

R- Mudei de ideia, quero fuder esta buceta, a partir de agora você será minha vadia.

Com delicadeza tirou minha blusa,e meu sultia. Senti seu pau duro sendo comprimido contra meu bumbum e sua boca no meu pescoço.

M- Adoro homem safado, que seja audacioso meu macho, se quer buceta terá buceta, fode sem piedade.

Me virou de frente, beijou minha boca com sofreguidão, meteu a língua dentro dela explorando cada centímetro, enquanto me beijava enfiou sua mao entre minhas pernas apertando a buceta, massageava, apertava.

R- Puta safada, tá gostando ta, safada, pede pra mamar suas tetas vadia.

M- Ta delicioso meu macho, minha bucetinha tá latejando, mama na sua cachorra, isso safado mama.

Sua boca tomou conta de minhas mamas de forma alucinante, enquanto chupava uma mama, sua mao tomava conta da outra acariciando, apertando o mamilo. Isso estava me levando a loucura. Me jogou na cama, tirou minha calcinha.

R- Gostosa demais cachorra, tá me deixando louco, nunca comi uma mulher tao safada. Estou louco por voce, quero que goze pra mim.

M- Minha buceta anseia por isso, ela quer ser fudida, meu tesao. Por favor ira sua roupa, meu macho, arromba sua putinha safada.

R- Quer ser arrombada putinha, vou meter pica na sua buceta gostosa, nao aguento mais esperar, meu pau tá doendo de tesao.

Me puxou para beirada da cama, colocou dois travesseiro debaixo de meu bumbum, levantou minhas pernas abrindo as e meteu o pau sem piedade. Passou a socar aquele pau grosso desesperadamente na minha buceta, gemendo gostoso, passei a massagear meu grelinho, estava maravilhoso, passei minhas pernas entorno de sua cintura apertando minha buceta contra o seu corpo, tudo estava perfeito, me deitei de lado, coloquei minha perna em seu ombro, e levei pau no fundo da buceta, gozamos juntos, meu gozo foi maravilhoso por causa daquele gemido gostoso de Renato.

R- Nao pense que acabou safada, teremos muito mais sua cachorra, o que aconteceu agora foi sóo começo.

Segurei sua mao puxando o para o banheiro, quando viu a banheira deu uma risada dizendo: é isto que eu quero. Colocou para encher e disse:

R- So faltou o vinho, que pena. Você bebe minha cachorra.

M- Sim e quem disse que faltou, sempre tenho em casa. Vou pegar, estar na geladeira.

Ele foi junto, peguei o vinho e duas taças, ele me deitou na mesa, abriu o vinho, jogou nas minhas mamas e chupou, fez o mesmo no meu umbigo, abriu minhas pernas e derramou vinho na buceta, chupou gostoso, repetiu varias vezes.

R- Como você é gostosa vadia.

Lembramos da banheira e voltamos para o quarto. Agíamos com tanta intimidade que parecíamos marido e mulher. Com vinho na boca, comecei a chupar o pau do meu macho, mamei aquele pau até ele começar a latejar na minha boca entao parei e entramos na banheira, nao queria que ele gozasse. Voltamos a nos beijar e a nos acariciar, sentei no seu colo fazendo minha buceta engoli aquela pica grossa, coloquei meu seio na sua boca, enquanto ele mamava em meu seio eu mamava seu pau com minha buceta sugando ele pra dentro dela, me coloquei debrucei na beirada banheira, ele abriu minha bundinha, enfiou a língua no meu cuzinho chupando.

R- Ja deu o cuzinho safada.

M- Nao. Dizem que dói muito.

R- Cuzinho virgem cachorra. Vou comer hoje.

M- Hoje nao, outro dia eu te darei, hoje quero apagar o fogo da minha buceta insaciável.

Chupou minha buceta, enfiava a língua nela faminto. Ja nao aguentava mais quando ele meteu pau na minha buceta bem no fundo. gemi alto. Ele abriu mais minhas pernas e reganhou mais minha bunda e socou o pau me fazendo gritar de dor. Isso o excitou tanto que passou a socar minha buceta com força , nao era aquele homem que me comeu na clinica, este que estava me torturando

parecia insaciável, me comia como um selvagem. Era o pau dentro da buceta e sua mao no meu grelinho.

R- Bucetao gostoso, você esta gostando, safada, isso gemi pro seu macho. Grita vai.

Gozei como uma cachorra sem reprimir meus gritos. Que homem gostoso, metia bem demais, rebolei no pau dele até ele gozar gostoso. enquanto gemia alto me arranhou as costas e bumbum.

Pedimos uma pizza, pois já estava tarde para fazer janta, enquanto comíamos conversamos um pouco, disse que nao poderíamos nos ver mais por que no sábado se casaria. Após ele pediu que assistíssemos um filme porno. Peguei o not book e baixamos um, o filme mal começou e começamos a nos acariciar, deitados no tapete da sala, começamos um 69 maravilhoso. chupava aquele pau

faminta, enquanto ele mamava no meu grelo. Ja que seria a despedida teria que ser bem feito.

M- Meu cachorro quero que come meu cuzinho.

R- Você é um puta mesmo, sabe comer um homem bem gostoso.

Pegou a carteira e tirou uma embalagem, me colocou de quatro, lambuzou meu cuzinho de lubrificante e passou no pau também, enfiava o dedo no meu cu, depois mais outro, quando já estava bem lubrificado começou a colocar a cabecinha no meu cu, enfiava, tirava, foi assim até que socou de uma sóvez, cai de dor:

R- Foi você que pediu cachorra, agora aguenta por que de um jeito ou de outro vou comer seu cu.

Me colocou na mesma posição e socou meu cu, eu rebolava e gritava de dor. Aquele homem parecia um tarado, metia ora no meu cu, ora na buceta, nao resistir gozei muito. Em seguida ele também gozou. Foi inesquecível por que quanto mais ele me comia mais eu queria ser comida. Minha buceta ficou inchada e dolorida.

M- Nunca em toda minha vida irei te esquecer.

R- Eu que nao irei te esquecer, saberei como te encontrar.

Ele foi pra casa o dia já estava amanhecendo.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.