"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Casal de amigos gays


autor: katyferreira
publicado em: 31/10/16
categoria: gays
leituras: 3516
ver notas


Antônio e Juca são um casal de amigos bissexuais que tenho, da última vez que os vi transar me excitei muito, não demorou pra eu ficar cheia de vontade de me misturar com eles e fazer um grupal delicioso...


Marcamos na casa de Antônio e chegando lá eu fui logo me despir e ficar a vontade, os dois ficaram conversando e bebendo cerveja, enquanto eu me ajeitava no quarto, naquela imensa cama de casal. Quando eles chegaram, Juca já estava excitado por algum motivo e chamei ele pra me fazer carinhos, Antônio logo foi tirando sua calça e mostrando sua calcinha (eu havia dado a ele de presente alguns dias atrás), aquele homem iria ser a putinha da transa, ele adorava aquilo.


Antônio se pôs de quatro na cama, ainda de calcinha, e começou a acariciar sua bunda, aquilo era uma cena louca de filme pornô, parecia que o fetiche dele havia subido pra cabeça, ele estava se realizando como putinha. Juca rapidamente começou a beijar seu macho (ou sua puta, como preferirem) e ficaram alí se pegando na minha frente.


Eu logo entrei na brincadeira, me coloquei atrás de Antônio, peguei o lubrificante e comecei a passar meus dedinhos lubrificados perto do cuzinho dele. Ele rebolava como uma vadia, foi então que penetrei dois dedinhos, aquele puto amou, ficou gemendo e rebolando no meus dedos.


Juca então me abraçou por trás, senti aquele pauzão nas minhas costas, fiquei louca, comecei a tentar encaixar o pau na minha bunda, mas sem sucesso. Os dois machos começaram a se beijar novamente e eu ditava a relação dos dois;
- Vai Antônio, chupa esse pauzão, vai putinha!


O cacete de juca estava todo babado e eu queria sentir em mim, mas os dois estavam tão envolvidos que deixei somente eles se satisfazerem... Quando eles finalmente começaram a transar eu senti meu cuzinho piscando, cada socada de Juca no cuzinho do meu macho eu sentia como se fosse no meu, levantei minhas pernas e comecei a me masturbar com os dedinhos no cu. Estava delicioso assistir aquele filme pornô gay ao vivo e me tocar enfiando em meu cuzinho.


Juca percebeu e logo veio me ajudar, ficamos então os três se chupando, Antônio estava deitado, eu ajoelhada na cama e Juca por trás brincando com meu buraquinho, ele enfiava o dedinho devagar, aquilo me excitava muitoooo


Foi então que pedi Juca pra me comer, ele veio com o pau pra minha buceta, rapidamente guiei para meu cuzinho, queria ser arrombada por trás, precisava daquilo!


Enquanto ele me penetrava no bumbum eu chupava Antônio, comecei também a enfiar meus dedinhos no cuzinho dele, estava demais aquela sensação ...


Logo os dois começaram a transar, bem alí na minha frente. Percebi que Antônio estava perdendo a noção e começava a se afeminar demais, então fiz a proposta para que o Juca o chamasse de puta, vagabunda. Aquela voz grossa falando que outro homem era puta me deixava em êxtase, meu Antônio se mostrou uma verdadeira putinha, engolindo todo aquele caralho com seu cuzinho guloso.


Antônio trocou de posição e foi pra cima do seu parceiro, começou a cavalgá-lo, no meio do ato ele gritava;
Quem é sua puta?! Hein?! Fala cachorro


Juca também estava delirando de prazer e eu não parava de me tocar. Antônio começou a afinar a voz, se fazendo de mocinha e logo se soltou com gestos também, eu acompanhava a penetração bem do ladinho, até que meu primeiro macho gozou. Antônio chegou ao prazer gritando que era uma cachorra, vadia. Eu adoreii ouvir aquilo e parece que Juca também.


Exausto Antônio se deitou, eu então fui pra cima de Juca, meti logo o pau na minha buceta que já estava toda melada pela sensação que os dois me causaram, agora sim aquele pau saberia o que é uma puta de verdade. Fiz questão de usar a camisinha mais fina e sensível, queria sentir aquele pauzão em mim.


Juca ficou por cima e eu me abri pra ele, enquanto estocava na minha bucetinha ele me beijava, um macho melado do meu lado e outro por cima, era um sonho aquilo (pena que um deles gostava mais de pica do que eu). Juca então propôs mudar de posição, me colocou de quatro e eu aproveitando da situação abri meu cuzinho pra ele.


Ele enfiou ligeiro no meu cu, foi rápido e escorregadio, aquele pauzão entrou fácil, a cada estocada eu me contorcia, era grosso e me arrancava suspiros. Quando Juca começou a gemer pra gozar eu rapidamente tirei a camisinha e me coloquei a chupar, queria leite, quentinho e melado.


E ele gozou, gozou muito na minha boquinha, melou meu rosto todinho. Segurava firme meu cabelo, olhava com cara de depravado e respirava cansado. Logo nos deitamos, os dois “machos” e eu, a putinha…


Uma noite sensacional, dei um beijo na boca de Antônio e me despedi deles, a noite continuaria pra eles, eu ainda tinha que ir pra casa, afinal, sou uma moça de família rrsrs


Desde então ver homens transando se tornou um fetiche meu, inclusive em vídeos e contos tenho priorizado esses, é uma sensação maravilhosa.


Espero que tenham curtido meu continho


Me escrevam, katyf083@gmail.com






ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.