"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Himen free - desvirginada


autor: babyblue
publicado em: 01/11/16
categoria: hetero
leituras: 1604
ver notas


No conto anterior (primeira vez com minha amiga na praia I e II) falei da descoberta do meu corpo e de uma noite maravilhosa que tive com uma amiga na praia.

Não muito tempo depois desse verão comecei a me soltar mais. Fiquei com alguns garotos e não demorou muito e eu já estava namorando.

Apesar das loucuras que fiz com a minha amiga, meu hímen ainda estava lá, intacto. Vocês não têm noção do quanto queria me livrar daquilo... tava louca para dar minha buceta, e de fato o fiz na primeira oportunidade que tivemos.

Tínhamos umas 2 semanas de namoro e desde o início a pegação já era bem forte.
Iamos para o cinema, parque, biblioteca... e era aquela agonia, os dois loucos para fazer e não tínhamos como.

Até que no fim de semana fiquei sozinha em casa e combinamos dele passar la antes de sair com minhas amigas.

Fui abrindo a porta do apartamento e ele ja foi me agarrando. Levei ele para meu quarto, e ficamos nos agarrando na minha cama.

Sentia ele passando a mão em mim e me apertando contra o corpo dele, como também aquela coisa rígida, tão dura que me machucava.

Estava um pouco nervosa, tava com muita vergonha de tirar a roupa e com medo de não fazer as coisas certas.

Ele foi tirando minha roupa, achei que ia fazer isso aos poucos, porque ele sabia que era a primeira vez (pelo menos com um homem). Ao contrário, ele parecia que queria me devorar... arrancou minha roupa quase de vez, o que acabou sendo bom, porque perdi a vergonha da exposição do corpo rapidinho.

Depois ele tirou a própria roupa. Estava deitada, totalmente nua e super curiosa, nunca tinha visto um pênis. Ao menos não pessoalmente... rs A primeira vista, ele se mostrou bastante grandinho, (considerado minhas referências pornôs).

Olhei para ele e perguntei se podia pegar. Ele se aproximou de mim e sentei na cama. Passei a mão e me lembro de ficar surpresa de como era lisa a pele daquela cabeça rosada.

Segurei com uma certa firmeza e comecei a punheta-lo. No começo ele me ajudou com o ritmo, mas eu aprendo fácil.

Enquanto fazia isso ficava imaginando como deveria ser passar a língua nele. Já estava com a boca cheia de água, mas sem saber se podia, se ele ia gostar ...

Fui diminuindo o ritmo, acredito que ele achou que eu tinha cansado. Olhei nos olhos dele (morta de vergonha) e perguntei se podia chupar um pouquinho.

Ele abriu um sorriso no rosto e disse que para uma virgem eu era bem safadinha. Depois me levantou e tomou meu lugar na cama. Me vi de pé, nua, em frente dele.

Meio intimidada, tentando cobrir o corpo discretamente com os braços, fui caminhando em direção dele, me ajoelhei na cama entre suas pernas e abaixei o tronco para pegar a pica dele novamente.

Comecei a passar a língua na cabecinha dela... pense numa sensação gostosa! Depois chupei a cabeça todinha e fui me deliciando com aquilo. Lambia ela toda e me sentia desafiada a engolir todinha.

Para saber se estava agradando, fiquei ajoelhada, toda empinadinha, com a pica na boca, olhando ele nos olhos. Me vi toda satisfeita quando ele começou a se contorcer de tanto tesão.

Sentia ela crescer e ficar mais dura a cada chupada que dava... resolvi punhetar um pouco e arriscar a lamber o saco dele. Quando comecei ele gemeu alto que cheguei a assustar.

Tava adorando fazer meu primeiro boquete, tava tão excitada com aquela pica na minha boca que não queria mais largar. Ele sentiu que estava quase gozando e puxou pra cima dele.

Senti os dedos dele na minha buceta e ele se surpreendeu em como eu ja estava molhada. "você gosta de chupar uma pica né safada?" Acho que a cara que fiz valeu mais do que qualquer resposta.

Parecia que ele queria me dar o troco, agora eu que gemia e estremecia na cama. Se já estava assim com os dedos dele, imagina como fiquei quando ele começou a me chupar?

Eu adoro sexo oral, tanto de fazer como receber. Meu corpo tremia de tanto tesão e acabei gozando.

Depois ele deitou em cima de mim começou a passar a cabecinha na minha buceta. Aquela pele lisa passando pelo meu clítoris era uma delícia. Assim fui relaxando até ele meter a pica em mim.

Foi uma mistura de dor e prazer, mas estava tão excitada que nem liguei para dor. Começamos num papai e mamãe delicado, mas não demorou para eu pedir para ele meter com força. Queria sentir aquele pau todinho dentro de mim!

Ele me colocou por cima dele e comecei a fazer uma sacanagem gostosa. Pegava a pica dele e pincelava minha buceta, enfiava um pouquinho e tirava. Fiz isso algumas vezes até que sentei de vez.

Gememos tão alto que acho que os vizinhos ouviram. Comecei a cavalgar nele, iniciei devagar e fui acelerando, até que gozei de novo.

Com isso perdi as forças, minhas pernas tremiam. Me deitei no peito dele e pedi baixinho para ele me comer de quatro.

Foi ali que descobri minha posição preferida. Adorei sentir aquela pica entrar e sair da minha buceta. Ele metia e eu pedia mais e com força. Ele me chamava de safada e batia na minha bunda.

O ardor das tapas com aquelas entocadas me deixavam louca, e gemia cada vez mais alto. Comecei a rebolar naquela pica, aumentando a força com que ele metia. Não aguentamos muito, gozamos juntos.

Uma delícia sentir aquele leite quente dentro de mim pela primeira vez. Fiquei exausta e deitei no peito dele para recuperar o fôlego.

Logo depois fomos pro banho, e lá continuamos com a safadeza.

Fizemos mais duas vezes e acho que só paramos porque minha amigas chegaram. Sinceramente não sei como ainda tive forças para ir dançar forró!





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.