"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Transei com meu patrão na Dispensa


autor: angelluz
publicado em: 05/11/16
categoria: hetero
leituras: 7523
ver notas


Bom eu nunca pensei em compartilhar isto, mas hoje vou contar sim.

Isto aconteceu em fervereiro na segunda quinta do mes, meu patrão já estava à uns dias me dando cantadas eu não ligava muito aliás eu estava trabalhando a pouco no restaurante.
Ele morava uma casa depois da minha e todo dia depois do serviço ficava na varanda me observando, eu na época morava junto de Luid( nome fictício).
O banheiro da casa era do lado de fora, então sempre ele me via de toalha no terreno. Certo dia Luid e eu estavamos na varanda era umas 19h pois ele esperara a carona para o serviço. Estava me beijando eu lembro que estava de Baby Doll curto e preto, um decote em V.

Por que tínhamos acabado de tomar banho e feito amor no chuveiro. Luid começou a me beijar sem observar se alguem estava me olhando. Não percebemos meu patrão na varanda, ele pegou ergueu meu vestido e começou a meter na minha buceta. Eu gemia gostoso, falando para ele meter forte, e ele cada vez mas fudendo minha buceta e eu acabei percebendo meu patrao na Janela mas não tinha percebido que ele havia notado oque havia acontecido, derrepente meu celular toca era meu patrão.
Um coroa de 44 anos, cabelos pretos olhos castanhos, 1.84 de altura. Bem gostoso de corpo.
Ele tinha me ligado pedindo para eu pegar o 2 turno naquele dia, então entrei pus a roupa do serviço e fui.Ele acabou me dando uma carona no meio do caminho parou o carro e colocou sua mão no meio de minhas pernas, falando que minha buceta lisinha parecia ser muito gostosa e que ele queria provar.
Falei que não que era melhor irmos para não atrasar para abrir o restaurante. Bom confesso que gelei mas ao mesmo tempo fiquei molhada com ele pondo a mão entre minhas pernas. Chegamos adiantados e ele foi para a cozinha fazer uns preparativos.
Foi quando ele sem querer derrubou molho de tomate no uniforme eu esta. Na dispensa e ele entrou para pegar o reserva, pois ainda não havia chegado ninguém. A porta bateu e a tranca nos deixou lá dentro.
Eu tentava ligar para os funcionários mas ninguém atendia. Estava calor e ele suando começou a tirar o uniforme eu fui notando que seu pau tava duro e ele foi chegando mas perto, e falou que tava louco para fazer sexo comigo e que só ver não tinha graça.
Ele pegou pegou e deitou no chão pedindo para eu quicar no pau dele. Eu peguei e tirei a calça e sentei com o cuzinho quicando rapidamente, ele tava com tanta tesão e eu também que ele chupava meus seios enquanto eu segurava para não gozar.
Foi quando ele me agarrou e começou a meter com força no meu cuzinho. Pedi para ele me comer de quatro e sai de cima dele. Fiquei de quatro ele puxava meu cabelo e socava seu pau com o máximo de força ( nossa como estava gostoso, eu gemia e falava para ele me arrombar toda), ele falou que me observava todo dia de toalha e que toda noite pensava em mim ao bater uma.
Eu gritava aproveita, fode meu cu vai. Mete nele todo este cacete, foi quando ele colocou sua mão esquerda no meu grelo e começou a socar mas rápido ainda( vai seu cachorro soca com força que eu vou gozar vai), sua puta você gosta ne pede para eu te arregaçar vai.
Eu pedia para ele arregaçar, me fuder gostoso quando ele tirou o seu pau e meteu com tudo e eu dei um grito e gozei.
Neste momento ele começou a meter com força e eu a rebolar e ele dizia vai assim rebola( ele gemia mto, tô gozando só de lembrar) eu Dei uma rebolada bem rápida e ele começou a gozar e quando tirou o pau fez questão de me fazer um beijo grego demorado e enfiar a língua na minha buceta me fazendo gozar na boca dele.
O filho dele chegou ouvimos o barulho do carro e nos vestimos rápido e ele abriu a porta deu um leve sorriso e perguntou se tudo estava bem. Respondi que sim, acabei ficando com o filho dele mas isto conto outra hora.
Se você gostou do conto deixe seu comentário e sua nota.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.