"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Duvidou virou corno!


autor: baianasafada
publicado em: 08/11/16
categoria: hetero
leituras: 6982
ver notas


Sou Leticia, tenho 27 anos, modéstia parte sou uma mulher que chama atenção onde passo. Sou casada com Lúcio, 32 anos. Somos casados a 6 anos, temos uma relação boa, um filho, e sempre fomos tarados na cama.
Depois do filho é claro que as coisas tem que ser mais discretas e acaba esfriando a relação, por isso tomei atitude, fui a um sex shop comprei uns brinquedos e um consolo grande e grosso, 23 x 10 cm.
Quando meu marido viu aquilo até se assustou, ele foi para banho quando saiu eu já tinha gozado com aquele consolo enorme em mim, me sentia arrombada por um negrão daqueles dos filmes. Mandei meu marido deitar na cama, fiz aquele boquete que ele ama, lambi, chupei, com vontade, por que se tem uma coisa que nós mulheres no mínimo devemos saber é chupar bem um pau, e se for casada deve chupar muito, por que tem muita boqueteira de plantão por ai.
Caprichei mesmo, seu pau pingava porra já, foi quando fui sentar em cima, confesso que não senti nem entrar, estava tão arrombada do consolo, que meu marido socava e não sentia quase nada, olhei para ele e vi que estava bem animado de me comer assim, achei estranho, mas ele estava um furacão na cama neste dia, aos poucos fui sentindo seu pau, perguntei a ele, tá gostando de ver sua mulher arrombada, falei para provocar, ele já estava me dando uns tapas na bunda mesmo. Para minha surpresa ele disse que sim, que era louco para me comer assim, arrombada, mas pena que não era de verdade. Perguntei como de verdade? Ele disse, oras por um pau de verdade e não um consolo. Respondi a ele, para isso eu teria que dar para outro, te trair. Nesta hora ele gemeu e me encheu de porra, de tanto tesão.
No outro dia, passamos o dia todo trocando watts com palavras obscenas, mandei fotos minha da bucetinha vermelha, com dedinho dentro, para provocá-lo mesmo, o tesão estava em alta, então vamos manter esse fogo.
A noite, ele chegou ao entrar na porta, dei um beijo gostoso nele, ajoelhei em sua frente e paguei aquele boquete de mulher safada e casada para o marido, ele não acreditava na surpresa, mas amou.
Foi para banho ao sair esta nua na cama, ele veio me chupar, me pediu se poderia usar o consolo enquanto me chupava, disse que sim, ele pegou e senti me rasgando, que tesão, foi uma das minhas melhores gozadas com ele me chupando.
Ele veio meter em mim, queria me comer arrombada, percebi isso, deu para ver a felicidade dele ao entrar e me ver larga, falei no ouvido dele se estava sentindo a diferença, ele falou que sim, que era muito bom, ele disse de novo que pena que não foi um de verdade. Perguntei a ele se era assim que queria, larga com um outro cara, nossa, nesta hora ele meteu muito forte, muito gostoso, para provocar falei quer ser corno amor? Ele me virou colocou de quatro e meteu mais forte ainda, dava tapas em minha bunda me chamando de puta. Falei para ele, pelo tesão quer né, ser corno? Ele respondeu, sim, quero muito que tesão, sempre quis isso, mas não sabia como te pedir.
Mandei ele deitar e fui cavalgar no pau dele, fiquei rebolando de leve, mexendo para frente e para trás, todo homem gosta disso. Olhei nos olhos dele e disse, quer ser corno mesmo? Olha que eu te faço. Falei aquilo por que estava no clima, nunca pensei em trair meu marido, jamais, sempre o respeitei, mas sua resposta foi provocadora.
Quero sim amor, quero ser teu corninho! Falei a ele que era perigoso esta resposta, por que eu poderia fazer mesmo. Ele disse duvido! Duvido me fazer corno e chegar arrombada em casa.
Olha, se tem uma coisa na minha vida que não se deve fazer é duvidar de mim, e ele sabe disso, é uma questão de honra para mim esta palavra, na hora achei que era apenas brincadeira, mas acabamos a transa e ele veio no meu ouvido duvidar de novo, confesso que na hora pensei, filho da mãe vai tomar um chifre e daqueles para aprender.
No dia seguinte, estava convicta que ia dar para alguém, entrei na sala de bate papo, deste do Bol, e achei um negrão que dizia ter 22 cm de pau, conversei com ele foi simpático, mas me assustava sua idade, tinha 45 anos, nunca dei para cara tão velho, mas levei a brincadeira até onde poderia conhece-lo.
Em meu e-mail ele me mandou algumas fotos, comprovei que seu pau era bem grande, tanto quanto meu consolo, e nas fotos ele não parecia tão velho, e era malhado. Ao ponto de ver onde dava e na raiva da duvida do meu marido, marquei em um shopping em conhece-lo.
Era um homem bem apresentável, cheiroso, parecia ter uns 30 anos, conversamos um pouco, bom papo, e decidi dar para ele, mandei mensagem ao meu marido, perguntando se ainda duvidada, ele disse que sim, falei para ele ver a noite como estaria, ele duvidou de novo dizendo que poderia ficar arrombada com o consolo e mentir que foi outro cara, falei tá bom vai saber.
Renan era o nome deste negro, me levou em seu apartamento, aconchegante, lá já me chegou agarrando, com aquelas mão grandes, logo senti um grande volume na sua calça, me sentia uma menininha perto daquele homem. Arrancou minha roupa, tirou a sua e me colocou para mamar. Meu Deus que pau enorme, marrom, grosso, com veias latejando, mal cabia a cabeça em minha boca, não conseguia chupar direito, ai lambi gostoso, por que era que dava para fazer.
Ele me deitou na cama, abriu minhas pernas, viu minhas bucetinha depilada, colocou uma camisinha e foi esfregando aquele pau enorme, eu estava muito molhada, excitada de estar fazendo isso, casada, quando era solteira tudo bem era normal, mas agora é diferente, estou traindo meu marido, mas a culpa é dele quem mandou duvidar. Aos poucos fui sentindo aquela tora me rasgar, ele foi carinhoso colocando lentamente, mas que tesão, ouvia o barulho do liquido de minha bucetinha.
Foi quando ele começou a bombar, nossa, senti aquele pau tocando meu útero, determinado momento tinha que me ajeitar para ele meter, fiquei de quatro, vi estrelas com aquele pauzão, ele me segurava no cabelo me chamando de putinha gotosa, e como metia, parecia que fazia 20 anos que não comia ninguém, coitada de minha bucetinha, estava esfolada, pedi para sentar em cima, assim eu teria um pouco do controle, estava ardendo mas era tanto tesão, aquele negro chupava meus peitos com uma voracidade, sou toda branquinho, me vi vermelha dos tapas, e sua barba ralando em mim.
Ele pediu para comer minha bundinha, recusei é claro, não ia aguentar, mas fiz a loucura de tirar a camisinha dele e sentei em cima, ele arregalhou os olhos, disse a ele agora goza bem gostoso, mexia minha bunda, rebolei gostoso mesmo, sem camisinha estava mais confortável sentir aquele negro, entrava mais fácil, minha bucetinha já estava acostumada, eu robalando e me esfregando, sem perceber gozei, e gozei gostoso, aquele negrão segurou minha bunda e me puxava de encontro dele, para não perder o ritmo, ele soltou seu gozo dentro de mim, senti seu leite quente no meu útero, estava acabada, exausta, arrombada, sai de cima dele, escorreu muita porra nas minhas coxas.
Fomos para banho aquele negrão era carinhoso me lavou, para agradecer me ajoelhei e paguei aquele boquete perfeito, que geralmente faço a meu marido, confesso me afoguei com seu jato de porra na garganta, não era intenção beber, mais foi inevitável.
Fui para casa, esperei meu marido chegar estava ansiosa para contar, fiquei nua na cama, de bunda para cima, ele já esta costumado com minhas safadezas quando chega em casa, sempre procuro que ele entenda que não precisa procurar outra, que sempre vou estar nua, esperando com um boquete, ou larga para ele. Ele achou normal eu pelada na cama, sempre espero com nova surpresa, me deu um beijo, beijou minha bunda, foi me chupar, e viu o estrago, estava com a bucetinha vermelha, falei para ele ir devagar, ele brincou dizendo, pelo visto andou brincando muito com o consolo, respondi, não corno, não foi o consolo desta vez, foi um negrão, ele sorriu, duvidando de mim, falei chupa que ainda deve ter porra, ele me lambeu e disse que não sentiu nada, nesta hora virei de frente e ele viu várias marcas de chupões, nos peitos, pescoço, minha virilha, aquele negrão me marcou toda e só percebi depois, nesta hora meu marido acreditou, veio por cima e meteu em mim, mandei ir devagar, de verdade, por que estava assada, mas queria contar para ele como foi, falei timtim por timtim, e ainda gravei um pouco para ele ver e provar realmente que nunca duvide de mim, agora tenho um corno em casa, que amo, mas o safado descobriu meu ponto fraco quando quer chifre duvida de mim, ai lá vou eu voltar assada para casa.






ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.