"Os mais excitantes contos eróticos"

 

A melhor transa na praia parte II


autor: Ronimac
publicado em: 11/11/16
categoria: traição
leituras: 2334
ver notas


Grazi chegou ao Aeroporto eram 18h45min, ela antecipara o Voo para termos a nossa noite de paixão, eu a esperava de carro no bolsão, ela mandou uma mensagem e a peguei no local combinado.

Estava ainda mais linda, sorrindo acenou para mim, desci e os nossos corpos se encaixaram perfeitamente de novo, ela com os braços envoltos do meu pescoço, eu com uma mão na sua coxa e a outra puxando os seus cabelos na nuca em minha direção, arrepios de tesão, nos devorando num beijo cinematográfico, toda aquela saudade e tesão finalmente iria explodir, muitas buzinas e xingamentos depois por parte dos taxistas entramos no carro e toquei para a Imigrantes rumo ao litoral.

O momento era mágico, não somos adolescentes eu tenho 52 ela 36, mas a energia envolta dentro do carro era fantástica, nos beijávamos muito, as minhas mãos em suas pernas bem torneadas, e a dela diretamente no meu pau ainda dentro da minha calça, conhecendo os nossos limites... e entramos na Rodovia um daqueles dias de deserto em São Paulo... 30 e poucos graus, vidros abertos rumo ao Guarujá, ela nem imaginava as surpresas que eu havia programado.

Chegamos à praia de Pernambuco eu aluguei uma casa pé na areia, como era um dia de semana estaríamos a sós, na estradinha archotes iluminavam o caminho, todas as casas apagadas, a rua escura e somente uma casa com uma iluminação interna, era a nossa casa.

Era muito charmosa, toda branca, móveis rústicos, luzes apagadas, velas acesas espalhadas pela casa, era uma construção inspirada nas casas da Ilha de Santorini na Grécia, formas arredondadas algo romântico no ar.

Convidei-a para entrar, o clima era perfeito lá fora uma enorme lua cheia iluminava o céu, aqui dentro somente a luz das velas, ela se virou e disse:

– Amor... isso é perfeito... é... é... tudo!

– É tudo... tudo pra vc Grazi! Respondi

Beijamo-nos longamente deixamos as malas no quarto, fui até a mesa e abri um prosecco que estava no balde de gelo, brindamos a nossa noite!

Ela me puxou pela mão em direção ao banheiro, eu tirei a camisa, ela parou em frente à banheira que já estava cheia de espuma e começou um strip tease, coloquei uma musica e me sentei na borda da banheira apreciando... ela tirou a roupa vagarosamente e entrou na banheira, um corpo escultural, morena, linda, deliciosa e me chamou.

Tirei a minha roupa, o meu pau estava uma tora, ela olhou, passou a língua nos lábios estendeu as mãos...

– Vem... me dá o meu troféu

Entrei na banheira, nós dois ali... cada um de um lado da banheira... braços abertos, ela tocou o meu membro com os pés, começou a punhetar, Aaarrrr que sensação, esmalte nude... Huuum sugestivo pés macios, me punhetava com maestria, me fazendo ofegar, ela mordia os lábios e acelerava a punheta, quando a minha respiração aumentou ela parou e veio engatinhando como se fosse uma gata no cio, se levantou agarrou o meu pescoço e desceu devagar...

De novo o efeito Matrix o mundo parou a nossa volta, encaixou no meu pau aquela buceta enorme, grandes lábios externos... arrrff foi descendo engolindo o meu pau grosso 5 cm de diâmetro e muito duro que até doía à cabecinha de tanto tesão, eram mais que 16 cm neste momento, ela sentou senti a cabeça do meu pau encostando no colo do útero.

Deliciosamente ela começou a cavalgar, eu puxava os seus cabelos, e mordiscava os seios, deliciosos, pontiagudos duros de tesão, adoro os biquinhos, com as mãos apertava e acariciava, engolia aqueles seios e mamava feito um lobinho, apertava, e ela se excitava e cavalgava mais rápido, puxando os meus cabelos, nos beijávamos e gemíamos juntos eu urrava de tesão estava a ponto de explodir, estava segurando muito o gozo... ela acelerava a cavalgada, o meu pau latejando a buceta dela me engolindo, começamos a descontrolar os movimentos ela gritou no meu ouvido

– eu...vou...gozaaaaar...

– veeeem tesão... vem...que eu tô gozaaaaando eu disse!!!

Explodimos juntos aquele tesão, ela me deu o seu mel, eu inundei a sua buceta com toda a minha porra represada para ela durante dias, a buceta dela piscava, o meu pau ainda duro dentro dela, ela rebolava e nos beijávamos intensamente, mordendo os lábios, acarinhando um ao outro... ficamos horas na banheira, e bateu uma fome louca rs

– Vamos jantar? Tenho uma surpresa pra vc eu disse... e fomos nos trocar

Ela veio ainda mais linda com um vestido curto branco, muito acima dos joelhos, sem sutiã, me mostrando a polpa da bundinha.

Coloquei uma venda vermelha em seus olhos verdes que realçava a sua pele e o vestido, com os braços envoltos em sua cintura a conduzi até a areia, me ajoelhei, tirei as suas sandálias, ela sentiu a areia fria, mas gostosa da noite, falávamos sobre sensações e sentimentos, ela me agradeceu a noite e nos beijamos.

E ao tirar a sua venda... ela viu...

A praia delimitada por archotes com 1,50 m de altura com mais ou menos 25metros x 5 metros em direção ao mar, à chama crepitava alto, iluminava pouco a areia... mas mostrava toda a diferença sutil entre as coisas... nuances do nosso tesão, um tapete delimitava um lounge, várias almofadas, uma mesa central e o jantar, frutas, peixe assado e...bons vinhos, adoramos vinho!!! Agradecimentos a minha equipe de produção.

Jantamos, conversamos muito falamos sobre o sol a terra a água e o mar... Igual a Eduardo e Mônica rsrs... a lua era fenomenal, mas... radiante é a Grazi...aquela mulher me deixa fora do eixo, ela merece cada suspiro meu.

Alimentei a fogueira, fui em direção a ela, tiramos as nossas roupas, peguei a no colo... levei a em direção ao mar, seguindo o caminho das tochas, ouvindo “Israel Kamakawiwo'ole - Over The Rainbow“ rs.



A água fria de Outono batia nos meus pés, respiro fundo, com ela no colo e vou entrando, ela se arrepia, eu paro por uns instantes ao som de... Metallica “ Nothing Else Matters”...

Vamos nos beijando, abraçados ela cruza as pernas em minha cintura, uma chave de coxas!!!! seus braços em meu pescoço, abracei a sua cintura... Olha!!! O meu pau estava muito duro, nem o balanço do mar me atrapalhou, coladinho a ela procurei aquela gruta que me chamava, eu em pé ela encaixada em mim, as ondas batiam forte e dificultavam, começamos a transar intensamente ela pulava no meu pau, eu a encaixava, as minhas mãos na sua bunda o atrito era dolorido e gostoso.

Ela gemia... subia e descia se contorcendo, aumentando as estocadas eu urrava as ondas batiam doideira pura.

Grazi jogava a cabeça pra trás e sorria pro céu para as estrelas... momento mágico, gozamos intensamente ouvindo U2 unforgettable fire!

Ficamos nos amando, nos comendo, por horas... minutos...séculos...eras...nada mais importa.

Acordamos na praia com o sol já alto, hora de voltar.

Espero que tenham gostado, comentem, opinem, e deem nota!!

ronimacc@gmail.com











ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.