"Os mais excitantes contos eróticos"

 

A amiga curiosa – CAP II


autor: amantesrn
publicado em: 12/11/16
categoria: hetero
leituras: 2063
ver notas


A amiga curiosa – CAP II - Uma visita inesperada!

Depois de uma semana conturbada, entre atividades acadêmicas e o trabalho a sexta-feira chegou. Natal anda muito quente esses dias, e tudo o que mais queria era poder chegar no fim de semana e entrar na piscina e ficar de boa bebendo cerveja e comendo um bom churrasco, pois com o feriado do dia 15 só trabalharia na quarta. Pra ajudar ainda mais em meus planos a Universidade onde trabalho e estudo deflagrou greve e paralização de lutas e essas coisas, bem, não deu outra feriadão pra mim! Minha “namorada”(não rotulamos ainda como casamento, mas moramos juntos), ficou feliz pois estaria em casa e poderia relaxar, e me faria companhia só quando estivesse de folga pois ela trabalha em uma empresa privada.
Deixei ela no trabalho, e no caminho de casa resolvi ir a praia dar um mergulho e depois voltar, chegando próximo vejo parada no portão uma moto e uma pessoa sentada na calçada, era Maria, estacionei do lado de fora.
Eu – E ai, tudo bem?
Maria – Sim, só vim dar uma passada, hoje não tem nada pra fazer e não queria ficar em casa.
Eu – Vamos entrar, rua tá deserta!
Entramos perguntei se queria algo, pedindo água, pois estava muito calor.
Eu – Calor, vamos lá pra trás então. Quer tomar banho na piscina?
Maria – Não, estou sem biquíni aqui.
Eu – Besteira, você pode pular na piscina de roupa mesmo.
Maria – E como vou voltar pra casa? Fiquei de ir pegar o João[fictício] ainda.
Eu – Certo, se quiser só cair na piscina, e se o problema for a roupa você pode tanto pular de calcinha e sutiã ou sem nada, sempre há opção.
Rimos bastante com isso, preparei a churrasqueira e fiz o fogo.
Eu – Vou na cozinha e já volto, fique a vontade.
Fui a geladeira pegar algo pra preparar para assar e beber, não tinha nada que eu estivesse afim no momento, fora que não tinha bebida.
Eu – Maria, fica a vontade ai, vou no supermercado rapidinho e já volto. Tem problema? Quer algo?
Maria – Não, vou esperar.
Sai em destino ao supermercado, comprei umas carnes, cerveja, tequila, vodka e umas frutas, como disse antes, estou em um feriadão. Voltando pra casa um tempo depois, coisa de uma hora e meia, deixei o carro do lado de fora e entrei sem fazer barulho, sendo surpreendido por Maria deitada na espreguiçadeira apenas com a calcinha pegando um bronze de topless, que também ficou surpresa e cobriu seu corpo como deu levantando revelando uma calcinha pequena entrando em sua bunda e com tanta vergonha pulou na piscina.
Maria – Desculpa. Mas estava quente e você demorou, não era minha intenção.
Eu – Não não, quem deve pedir desculpa sou eu, era pra ter avisado que estou chegando.
Maria – Mas a casa é sua, eu sou visita.
Eu – Ninguém precisa saber, pode relaxar, se não houver problema pra você. Fora que falei pra você ficar à vontade e te deixei aqui sozinha.
Maria estava olhando a água com vergonha, segurando seus seios desnudos.
Eu – Maria, vou na cozinha pegar uma faca e colocar as bebidas pra gelar, se quiser pode ficar assim, não vejo problema (queria mesmo admirar aquele corpo) ou até mais a vontade, não sei...
Sai dali rindo, fui a cozinha e guardei algumas das carnes, peguei uns temperos e frutas e levei para o balcão da varanda próximo a churrasqueira. Estava entrando outra vez quando vi Maria saindo da piscina e me falando que queria ajudar, seu corpo molhado saindo da piscina com um belo par de seios.
Eu – Se a calcinha molhada assim, estiver incomodando avisa que pego algo pra você vestir.
Maria – incomoda um pouco, mas não quero vestir nada, é diferente me sentir livre assim.
Eu – Se quiser pode tirar.
Entrei pra pegar o que faltava e ao voltar ela estava pelada com a bunda virada para a porta da cozinha, fiquei parado admirando e quando ela virou me revelou uma buceta linda, volumosa e sem pelos. Fiquei de pau duro na hora!
Maria – Me acompanha?
Eu – Dependi, o que vai querer beber?
Maria – Falei em passar o dia sem nada!
Eu – Não sei, a situação aqui embaixo não está legal.
Maria – Aff! Deixa de ser bobo, me dá essas coisas que vou levando enquanto você tira a roupa. Não é justo só eu ficar pelada.
Sei que resolvi entrar na dela e fiquei pelado, coloquei umas coisas pra assar e entrei na piscina. Ela deitada numa cadeira pegando um bronze, hora com abunda pra cima outra hora com a buceta exposta, e eu dentro da água de pau apenas observando aquilo. Até que tive de sair pra virar a carne e aproveitar pra tomar uma cerveja, deixando a vista o tamanho da minha excitação em ver aquela mulher ali deitada.
Maria – Noooossa, tá animadinho neh?
Eu – Ficar vendo tudo isso é complicado.
Peguei uma cerveja pra mim e outra pra ela e voltei pra dentro da piscina, ela então resolveu deitar na beirada e me chamou pra perto pra ficar conversando, entre diversos assuntos entrei no que deu início a isso tudo.
Eu – Então, como anda depois daquela conversa?
Maria – Confusa, querendo realizar uns desejos, mas não sei se é correto.
Eu – Quais são esses desejos?
Maria – Melhor não falar!
Eu – Me fale o mais simples de realizar então.
Maria – Um já estou realizando, ficando pelada na piscina.
Eu – Interessante, tem outros que possa falar?
Maria – Queria me masturbar enquanto sou observada.
Joguei um pouco de água em sua buceta e seios.
Eu – Faça agora, eu observo.
Ela pensou por algum tempo, e me olhou nos olhos.
Maria – Você não vai me julgar?
Eu – Não, vou adorar ficar observando.
Ela então passou a se tocar e a alisar seus seios, alguns instantes depois ela estava toda molhada, me mostrando o tamanho de sua excitação na ponta dos seus dedos. Como já não tinha mais nada a perder, peguei sua mão e levei até meu pau pra ela fazer carinho enquanto se masturbava e depois retirei sua mão da buceta para poder provar o seu doce mel. Ela me acariciava gostoso, enquanto se masturbava, e eu fui mamar em seus peitos tão deliciosos! Deixei ela brincar sozinha até atingir o seu orgasmo, apertando meu pau e respirando ofegante enquanto seu corpo se contorcia na beira da piscina, logo que ela relaxou desci mordendo seu tronco até chegar em sua coxa e ficar mordendo, fazendo com que ela gemesse baixinho dizendo algumas palavras sem nexo ou significado naquele momento, até que resolvi provar seu sabor direto da fonte, abrindo sua perna e caindo de boca naquela buceta que estava muito deliciosa.
Maria gemia e me puxava pelo cabelo me fazendo ir cada vez mais fundo em sua buceta, e se tem uma coisa que gosto de fazer é chupar buceta, ainda mais quando ela está bem depilada e libera aquele mel em minha boca, noooossa! Fiquei chupando Maria ali na beira da piscina, até ela atingir um novo orgasmo e me puxar para um delicioso beijo molhado. Lembrei da carne e sai da piscina para retirar do fogo e colocar em um refratário, ela me acompanhou e ficou escorada em uma coluna enquanto eu retirava tudo da churrasqueira, quando fechei o recipiente Maria veio em minha direção e passou a me beijar novamente, me empurrando e quando encostei no balcão ela se abaixou e passou a me chupar, deixando meu pau babado. Estava com o saco doendo querendo penetrar aquela mulher e gozar dentro de sua buceta, mas sua chupada estava muito gostosa, ela chupava o pau e descia para o saco e depois voltava a me chupar com força na cabeça do pau, fazendo eu fechar os olhos e quase gozar em sua boca. Ela então levantou-se foi em minha orelha;
Maria – Realiza três desejos meu agora.
Eu – Quais?
Maria – Me beija depois de eu ter chupado seu pau.
Eu – E quais são os outros dois?
Maria – Goza na minha boca e me come bem forte e gostoso.
Eu – Seu marido nunca fez isso com você?
Maria balançou a cabeça negativamente, então a puxei pelos cabelos e a beijei dando um tapa forte em sua bunda, arrancando um gemido abafado pelo beijo. Então falei em seu ouvido;
Você agora é minha putinha!
Maria – Sim, eu sou.
A virei de costas, apoiei suas mãos no balcão e penetrei de uma vez em sua buceta, Maria gemia baixinho, falei que podia gritar pois os vizinhos estão no trabalho. Ela gritou, enquanto me mandava socar mais forte em sua buceta, depois de um tempo bombando forte na minha nova puta, perguntei se ela queria a gozada na buceta ou na boca. Ela me disse que queria engolir minha porra, a puxei pelos cabelos e passei uns minutos fodendo sua boquinha carnuda e molhada até gozar e ela me mostrar como uma boa putinha que havia engolido tudo.
No final da manhã almoçamos e depois a comi na piscina, mas ai fica pra próxima, espero que gostem.

[ Não sou de pedir, mas se gostarem dos contos, votem, incentivem os escritores a continuar contando suas histórias. ]
---
PS: Moças se quiserem me enviar fotos de suas bucetas, segue meu e-mail para contatos, e se forem do RN, caso queiram conversar, estou a disposição.

amantesrn@gmail.com



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.