"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Meu amante anal


autor: katyferreira
publicado em: 12/11/16
categoria: traição
leituras: 6597
ver notas


No mês passado fiz a loucura de trair meu marido dentro da minha própria casa, desde então peguei muita intimidade com Levi, meu amante!

Meu nome é Katy, tenho 25 anos, sou casada, baixinha 1,69m, branca (até demais rs) e um pouco cheinha, devido as minhas gordurinhas eu tenho seios e bumbum avantajados, apesar de uma cintura mais fina, típica mulher brasileira, só preciso entrar em forma

De uns tempos pra cá meu casamento virou uma confusão, por alguns motivos familiares ainda não separamos, as vezes até nos damos bem (gosto de esclarecer minha situação). Um tempo atrás conheci Levi, um leitor de contos que fez contato comigo e acabamos nos envolvendo, inclusive na minha casa. Vou contar como foi o segundo encontro com meu negro lindo.

Lembro que combinamos de sempre conversar nos horários de trabalho, assim não corremos risco do meu marido descobrir e foi o que aconteceu, marcamos um encontro durante a semana um pouco depois do expediente. Levi sugeriu um motel aqui da cidade e partimos pra lá.

O nosso desejo é puramente de amantes, só quero dar pra ele e ele só quer me comer, uma troca perfeita. Chegamos no motel por volta e 17:40 e logo fomos pro quarto, ele disse que iria tomar um banho rápido e eu simplesmente concordei, fiquei na cama, imaginando aquele pau gostoso novamente na minha buceta.

Assim que Levi entrou no banho eu tirei minha roupa e também entrei no banheiro, acho que assustei ele, ficou um pouco surpreso, até por não estar excitado ainda, genteee o pau dele é bem acima da média que eu estava acostumada, mesmo molinho. Disse a ele que poderia tomar o banho tranquilo, que eu só fui observar, ele então disse que eu poderia participar.

Fui logo entrando debaixo do chuveiro com meu negão lindo e comecei a beijá-lo, ele acariciava meus seios enquanto a água caía, eu comecei a dirigir meu corpo pra mais próximo do dele, nos abraçamos e ficando uns 5minutinhos curtindo o banho, as gotas, o barulho, o calor do nosso corpo.

Saímos do banheiro e logo fomos pra cama, rapidamente segurei aquele caralho divino e comecei a bater bem gostoso pra ele. Levi sorria e me olhava com cara de satisfação. Ele começou a ficar rígido, foi então que subi na cama e me coloquei a mamar aquele pau delicioso, deixei bem molhadinho, um pau negro, com veias, rígido e com a cabecinha bem brilhante, não sabia se eu admirava ou lambia rs

Foi então que resolvi colocar tudo na boca, enfiei tudo logo, até a garganta, ficava alguns segundos e retirava, aquilo estava quase me sufocando, mas percebi que meu amante ficou louco. Eu então me soltei, cuspi na cabeça daquela piroca maravilhosa e fui descendo minha boca bem lubrificada pra consumir tudo até o finzinho...

Eu segurava com a mão bem na base do pau, e descia a boca toda, até me engasgar e tirar, fiz isso várias vezes e percebi que Levi já estava quase inconsciente de prazer, ele ficou deitado, olhos fechados, músculos rígidos e as mãos no meu cabelo, pegando um pouco da nuca.

Ele estava muito excitado e eu precisava sentir o pau gostoso dele em mim, peguei o pacote de camisinha e coloquei do lado da cama, fui no ouvido dele e disse;
- Vem me sentir um pouquinho sem camisinha vem?!

Não deu outra, ele se jogou pra cima de mim e nos ajeitamos na cama, um papai e mamãe bem diferente do que eu estava acostumada, eu levantei um pouco as pernas e ele encaixou. Que pau perfeito, eu sentia pulsar e enfiar em mim bem gostoso. Rapidamente ele mesmo pegou e colocou a camisinha, rapaz prendado rsrs. Retribuí subindo nele, ele estava deitado e eu fui cavalgar meu cavalo, eu alí por cima, subindo e descendo cada vez mais rápido, cabelo caindo no rosto, meus seios balançando, finalmente estava entrando tudo, do jeito que eu havia planejado.

Na hora do prazer comecei chamá-lo de amor, acho que aquilo ativou o demônio que existia dentro dele, rapidamente me virou, se ajoelhou na cama e me colocou de quatro. Pegou minha bunda, deu uns 3 tapas e perguntou se eu queria vara. Eu só balancei a cabeça indicando que sim, ele então "subiu" em mim, eu alí, de quatro sendo penetrada na buceta por um pau grande e delicioso...

Ficamos alguns minutos ele cavalgando em mim e pouco depois eu senti minha buceta esquentar e ele gozar, rapidamente tirou e fiz questão de tirar a camisinha com ele ainda durinho, eu estava com saudade de leitinho de macho. Mamei gostoso e não deixei sobrar uma gotinha, Levi ficou orgulhoso da putinha dele, me puxou pra cama e ficamos nos abraçando, nos beijando.

Passando algum tempo eu pedi pra ele me chupar até eu gozar, e ele fez o que eu pedi, me posicionei na beira da cama e ele se ajoelhou no chão, abriu minhas pernas e caiu de boca no meu grelo. Minha buceta é um pouco gordinha também, assim como eu rs

Levi mamava feito uma criança faminta, eu esfregava a buceta no rosto dele, bem alucinada de desejo, quando ele achou o ponto certo eu desfaleci, me soltei na cama e só esperei pelo gozo. E veio alguns segundinhos depois, eu dei um grito de tesão e chamei meu macho de cachorro, filho da puta, gostoso...

Agora os dois já tinham gozado, mas não era o suficiente. Levi me deitou na cama e começou me abraçar por trás, esfregando o pau na minha bunda, ele tentava me beijar mas a posição não ajudava, a gente quase de conchinha querendo nos amar mais. Foi então que senti o pau dele durinho novamente, lógicooo que me aproveitei. Empinei o bumbum pra ele, com uma das mãos abri o cuzinho e falei baixinho pra ele foder gostoso.

Ele sorriu e novamente fez a minha vontade (a dele também rs), cuspiu no dedinho e passou na entradinha e quando ia levantar pra pegar outra camisinha eu segurei o braço dele e disse que seria sem nada, queria leite lá dentro. Ele se assustou mas voltou rapidamente pra trás de mim na cama, eu então me deitei de bruços na cama, coloquei uma mão em cada nadega e abri o cuzinho, Levi lubrificou bem com cuspi e enfiando um pouco os dedos dele até começar a esfregar o pau.

Eu estava doida, pedi pra ele enfiar tudo de uma vez pra me arrombar, ele teve um pouco de receio mas fez. Senti a cabecinha no meu cu e quando respirei já tinha entrado tudo. Uma dor muito prazerosa, eu me senti preenchida, quando Levi começou a movimentar eu pedi que deixasse um tempo, fiquei alí, curtindo o caralho do meu amante uns segundinhos todo enterado no meu buraquinho.

No vai e vem eu não aguentei, gemia feito uma louca, pedia pra parar e rapidamente mudava de ideia;
- Me comee desgraçadoo! Vaiii! Fode tua putaaa!

Quando me acostumei com o tamanho e a dor eu comecei a instigar Levi, falava pra ele colocar mais, perguntava se ele não tinha mais pau, que ele era fraquinho. Ele descontou cada palavra no meu cuzinho, e essa era a intenção, quando senti uma ardência pedi pra parar um pouco mas rapidamente voltamos, foi então que Levi começou a enfiar fundo, de um jeito que estava me arrombando de verdade, eu gritava sem limites... Pau no cu, cuzinho arrombado, meu amor me fodendo, eu cheia de prazer e fui recompensada com leitinho.

Levi gemeu dizendo que ia gozar, eu então apertei mais meu buraquinho pra ele ficar bem aconchegado lá dentro até gozar, foi então que ele não aguentou, jogou alguns litros de porra no meu cuzinho (brincadeira). Achei que ele gozou muito pra quem estava na segunda vez, deduzi que meu cuzinho que tinha proporcionado aquilo.

Meu amante deitou exausto na cama, mas eu ainda não tinha gozado. Subi na cama e fiquei me tocando em pé e olhando pra ele, fiquei por uns 10 minutos, me tocando e rebolando, vez ou outra pegava no biquinho do meu peito, lambia os dedos e meu macho lá me admirando, foi daí que me ajoelhei e gozei, rapidamente Levi me deu um beijo safado e gostoso na boca, enquanto meu líquido escorria pelas pernas. Nos deitamos e ficando rindo um do outro, ele brincou que eu dei uma surra de cu nele, ele mal conseguia se levantar rs

Nos vestimos, pagamos o motel e nos despedimos. Em casa meu marido estava uma chatice que só ele, mas nem liguei eu estava muito satisfeita, pegava toda hora me lembrando daquele caralho. Quando deitei eu simplesmente apaguei, estava exausta, sem contar meu buraquinho que precisava de descanso. Sensacional aquele anal, eu já estava me preparando pra mais daqueles, descobri que tenho um gosto em dar o rabinho bem mais do que eu imaginava.

É isso pessoinhas, espero que gostem do meu continho como putinha amante.

me escrevam
katy083@gmail.com

beijocas









ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.