"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Traição consentida não é t


autor: meirinha
publicado em: 20/07/15
categoria: outra
leituras: 14694
ver notas


Tudo começou quando minha sobrinha me levou a um órgão público aqui em Brasília, e me apresentou o José Armando seu amigo que é diretor desta empresa do governo, eu estava procurando emprego, e ele prometeu me ajudar. Eu sou Joana, tenho 45 anos, sou casada, tenho dois filhos, e meu marido sempre me deu a maior força, pois ele sabia que meu sonho era trabalhar para ajuda-lo nas despesas.
Pois bem, quando cheguei em casa comentei com meu marido, que os homens não respeitam mais uma mulher casada, ele me perguntou por que, eu respondi que o tal diretor estava me comendo com os olhos. Tudo bem, eu não sou de se jogar fora, sou morena, sabe aquela falsa magra, e todo mundo fala que apesar da minha idade eu estou muito bem de corpo, sabe o que ele me respondeu? Ora amor, ele tem bom gosto, ele viu que você é bonita e gostosa, por isso ficou lhe admirando. Aquilo me deixou vermelha de raiva, pois vi que ele não sentiu nenhum pouquinho de ciúmes.
José Armando pediu para eu ficar ligando, pois ele é muito ocupado, e podia ser que ele se esquecesse de mim. Uns vinte dias depois eu liguei pra ele, e qual não foi a minha surpresa, me identifiquei, ele falou, oh meu amor tudo bem com você? Estou trabalhando na possibilidade de arrumar uma vaga em uma das nossas prestadoras de serviços terceirizados, fique tranquila.
Eu achei uma grande ousadia dele me chamar de meu amor, mas ao mesmo tempo me deixou um pouco intrigada, o que esse cara quer?
Um dia me liga, me chamando novamente de meu amor, e dizendo que eu aparecesse para tomar um cafezinho com ele no escritório, para que agente se conhecesse melhor, pois quem sabe nós fossemos trabalhar juntos, talvez sendo a sua secretária.
E sempre que José armando ligava, meu marido ouvia a nossa conversa, enfim, ele sabia que o nosso papo estava evoluindo pra um campo mais íntimo. Cheguei até a comentar com ele, esse cara está me cantando, mas ele não falava nada.
Um dia meu marido estava me comendo gostoso, me chupando, me lambendo toda, ele já tinha me dado pica gostosa e me revirado do avesso, eu já tinha gozado quando ele falou, é isso que aquele José armando quer fazer com você, eu fiquei paralisada com o que eu tinha acabado de ouvir, eu respondi, é, ele quer me comer, e perguntei, eu posso dar pra ele? Pelo modo dele agir, eu acho que ele tem vontade de me ver dando pra outro homem, senti que ele ficou excitado só de eu perguntar se eu podia dar pra o José Armando, porque em outras ocasiões eu já tinha visto ele se excitar, quando eu lhe contei, que um cara tinha passado o dedo na minha buceta, e como eu não dei pra ele, ele saiu do carro e foi bater uma punheta, assim na minha frente, e vi quando ele esporrou bem longe, nessa época eu tinha 17 anos. Outra vez, quando eu lhe contei que dei pro amigo de meu ex noivo no estacionamento do parque da cidade, justamente porque ele me provou que meu noivo me traía.
Bem, se meu marido falou aquilo enquanto agente trepava, então é por que ele não importa se eu der pra o diretor, e ganhar a vaga prometida, de manhâ eu perguntei, tem certeza do que você falou ontem anoite? Você não vai entrar em crise, ele me respondeu, não, eu assino em baixo tudo que eu disse.
Já fazia três meses que eu tinha conhecido o José Armando, já estava cansada de ouvir promessa desse homem sobre o emprego e sempre ouvindo cantadas, eu achei até que ele estava me embromando, mas um dia ele me ligou dizendo que tinha arrumado a vaga que eu tanto queria, mas que agente precisava conversar, me convidou para almoçar com ele, e meu marido ouvindo aquilo tudo falou, pode ir amor, ele pediu para encontra-lo em um restaurante no núcleo bandeirante, (núcleo bandeirante é uma cidade satélite de Brasília) e cheio de motéis, pra ver onde ia parar a nossa conversa, cheguei no restaurante, o tal diretor todo gentil, escolheu uma mesa bem nos fundos, acho que ele não queria ser visto, pois ele também é casado, bebemos um vinho e almoçamos, ah sim, de cara quando eu cheguei ele já queria me beijar, o cara tava tarado, fomos para o motel, la eu deixei todas as ações por conta dele, afinal eu tava querendo só o emprego, e ali não éra o meu marido, ele começou me abraçando e beijando meu pescoço me deixando toda arrepiada, foi tirando toda a minha roupa, eu pensei será que esse velho vai dar conta? Ele tem sessenta anos, mas José Armando me surpreendeu, quando ele tirou a roupa, eu vi que de corpo tava até bem conservado, e tinha uma rola mais grossa que a de meu marido, foi chupando meus peitos, me beijando, e ai eu fui ficando más a vontade, ele passando a mão na minha bunda, me apalpando toda, falou que eu não precisava trabalhar, ele me dava o meu salário todo mês se eu quisesse, dizendo que estava apaixonado, que me dava até uma casa com piscina, e foi me lambendo toda até chegar na minha chana, e fazendo elogios, dizendo que minha buceta éra linda, e foi me chupando toda, só eu não chupei o pau dele, acho que não tenho coragem de botar a boca em outro homem que não seja o meu marido, e perguntou se eu já tinha traído meu marido, eu disse a verdade, nunca trai meu marido, ele falou, mais uma dívida que vou ter com Deus, então lhe perguntei você quer ser meu amante é? Ele respondeu, não porque eu não quero dividir essa buceta com ninguém, eu não disse que eu ia te mostrar o quanto eu sou bom de cama, e foi enfiando aquela rolona na minha buceta, nós ficamos naquela sacanagem durante umas duas horas, eu sei que quando gozou na minha buceta, ele foi tirando bem devagar, e ainda deu uma lambida no meu cú, que me deu mais tesão, mas falei com ele, esse ai já tem dono.
Fomos tomar banho, e nos vestir, ele me deu o nome da empresa e da pessoa que eu devia procurar no outro dia.
Quando cheguei em casa contei tudo pra o meu marido detalhe por detalhe, caramba! Ele ficou excitadíssimo de pau duro e falou, minha piranha vem cá, porque agora quem vai comer essa buceta que o José armando comeu sou eu, e foi caindo de boca, e me perguntando o que ele tinha feito comigo, eu falando ele ficando com mais tesão, acabou que ele me comeu gostoso e dessa vez até o cú, afinal o meu cú já é dele.
Pois bem, já tem dois anos que estou trabalhando num órgão da rede hospitalar do governo. E quanto a promessa de casa com piscina, salário sem eu trabalhar e aquela paixão, que ele sentia por mim, acabou, depois que me comeu, esqueceu, más é claro que não queria nada dele, apenas o emprego, e nunca mas eu vi José Armando, parece até que ele se aposentou, e meu marido ficou até mais carinhoso comigo depois que dei pra outro, me deu até um carro, pra ver o quanto ele me ama. Afinal de contas traição consentida não é traição.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.