"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Só Iria Jantar


autor: robertoornelas
publicado em: 19/11/16
categoria: hetero
leituras: 2476
ver notas


Era seis da tarde, Cristina deixa o escritório de publicidade em que trabalhava e estava preste a perder sue emprego pois a empresa está entrando em concordata por razões diversas, tinha três anos na empresa, estava se divorciando do marido sempre ausente, pelo menos não tinham filhos.

Morava de aluguel numa casinha simples um quarto e sala não muito distante do trabalho depois que resolveu abandonar Paulo, tinha quase seis anos de casada, mais aquele marido gentil, carinhoso e fogoso se transformou em um alcoólatra e agressivo depois que se transferiu para uma nova fabrica, as más amizades o contaminou, chegando a agredi-la em uma ocasião, decidiu separar.

Estava a caminho de casa, resolveu visitar a mãe que morava a uns 40 km de sua casa, dormiria lá e no outro dia receberia sua demissão no trabalho, estava com fome e avistou um restaurante caseiro na estrada e resolveu parar e beliscar alguma coisa, entrou tinha poucas pessoas no recinto, era uma terça-feira, sentou no canto do salão:

– Boa noite, deseja alguma coisa - Diz o garçom

– Boa noite, me veja o cardápio e quero um Gim com gelo e limão. - Cristina pede

– Pois não, volto já - O garçom saiu

– Aqui estar a bebida e o cardápio, senhora – Diz o homem de volta

– Obrigado – Falou sem olhar para o garçom

– Qual quer coisa estarei ali no balcão – Ele diz

– Esta legal – Ela responde e dá uma olhada pra ele

Passado trinta minutos e Cristina estava indecisa em que escolher para comer.

– Já escolheu senhora, desculpe a minha insistência – Ele fala se desculpando.

– Tudo bem, me faça um sanduíche grande pra levar e me dê mais um gim com bastante gelo e limão.

– Certo – Ele sai

Cristina fica olhando o salão que estar quase vazio, só dois homens no balcão bebiam cerveja conversando animadamente e a olhava com certo interesse e mistério, ela parou de olhar pra eles, bebeu mais um gim.

– Não se preocupe com aqueles dois no balcão, eu os conheço, pode ficar tranquila, quer mais uma bebida.

– Sim – Cristina ficou mais tranquila com a conversa do garçom

Ele trouxe outra bebida e ficou saboreando, enquanto o rádio falava sobre uma tempestade se aproximando, já estava fincado meio tonta, estava relaxada e pensando melhor, pediu mais um gim, os dois homens foram embora a olhando rindo, ela virou o rosto pra janela e viu que já estava chovendo forte.

– Mora por aqui – Pergunta o garçom.

– Não, moro no centro, ir ver minha mãe, mais vou desistir melhor eu voltar – Ela explica

Ela pega a bolsa para pagar a conta, e ver que esqueceu a carteira de dinheiro, cartão tudo em cima da mesa no escritório, e agora?

– Sr? – Ela chama

– Celso, pode dizer – Ela fala

– Não sei como dizer, mais esqueci minha carteira no trabalho, não tenho como pagar a conta hoje… - ela tenta argumentar

– Tudo bem, a senhora paga outro dia, vou confiar – falou rindo

– Obrigado – Cristina agradeceu, e reparou o homem, ele era moreno forte, alto, simpático e educado.

– Quer mais um gim – Ele pergunta

– Não vou abusar? já estou meio tonta… - Ela fala em quanto ele lhe entrega um copo cheio de gim com gelo e limão.

Celso começa a fechar as portas, já passava das dez e meia da noite, e Cristina continuava bebendo e a chuva caia forte. Cristina termina cochilando na cadeira, Celso a carrega para um quarto nos fundos, a coloca na cama de solteiro, começa a beijá-la e ela corresponde aos seus beijos, ele beija seus peitos, tira sua calcinha chupa sua vulva e seu clítoris, ela delira fazia tempo que não sentia está sensação, uma língua na xoxota, adorava ser chupada

Ele tirar a rola da cueca e coloca em sua boca e ela chupa segurando com as duas mãos perecia uma criança chupando um sorvete cremoso, para não perder nada, chupou todo indo até sua garganta, entrando e saindo, Celso deita por cima dela e penetra nela, Cristina estremece quando recebe toda aquela carga na vagina, suspira de tesão, celso continua friccionando, enterrando forte entrado e saindo bem rápido, cristina coloca as pernas para cima e ele se encaixa todo dentro.

– Por favor, bata – Ela pede. – Com força.

– Tome, tome, tá gostando? – ele pergunta, parecia palmas o som em sua vagina.

– Sim, estou adorando, vai meta, bata mais, aiii, lasque esta buceta- ela implorava, quanto tempo não sentia uma pica.

– Quero sentar nela, vai – Ela pede.

Celso se vira e segura o mastro, Cristina olha admirada pelo tamanho do pênis, aguentaria? Senta devagar, coloca só a cabeça, celso fica querendo entrar, ela sai pirraçando, rindo, senta de novo até a metade e tira, Celso pegar ela pelo ombro e enterrar até o talo, Cristina grita, adorava esta posição, dava-lhe uma sensação de poder, de controle, batia e mexia na pica de Celso, te dando uma surra, parecia uma profissional.

– Quero sua bunda – Celso arisca pedir.

- Não! Celso.

– Vai sou um pouco – Ele diz

– Assim – Ela diz e coloca o coqueirinho em ação todo no rabo.

– Sim, suba e desça, rápido, assim, hummm!Hummm! Mexa gostosa que bunda gostosa – Celso delira

Celso vira Cristina de quatro sem tirar de dentro e começa a cavar a bunda de Cristina, que geme feito louca, tinha perdido o poder.

– Vai coma meu cu, é a primeira vez que dou, como é gostoso, coma, aiiiiiii! Que dor gostosa, Uiii! Vou ficar viciada, foda ele, foda esta bunda, toda sua, vai, oiiii! não vou aguentar Celso, Aiii!

Celso se controle pra não gozar na bunda gostosa de Cristina e continua lascando.

– Aiiiiii! está doendo tire, tire Celso – Ela pede.

Celso tira e olha pra ela.

– Você quer gozar não é, Celso? – Cristina pergunta.

– Quero muito -Celso diz se levantando, mostrando o argumento maior.

– Goze na minha boca, certo? Vai goze- Cristina pega no pau dele e chupa com vontade. Tinha medo de engravidar, não queria corre risco, apesar de já está correndo não usando camisinha.

– Quero gozar na sua bunda, deixe– Ele diz tirando e botando na boca de Cristina

– Está doendo, vai goze agora na minha boca, mele minha cara toda, vou engoli sua gala. - depois pensou que loucura estou fazendo, mas está muito gostoso.

Cristina chupa até Celso derramar tudo em sua boca.

– Estou gozando uiiiiii! Aiiii! Tome engula a gala – Celso segura sua cabeça enterrado garganta a dentro.

– Quentinha, gostosa, vou lamber ela toda, deixar limpa, huummm!

– Assim eu vou gozar de novo na sua cara, Cristina – Celso diz gemendo

– Vai mesmo ? Então mele, mele, vai assim, assim, vai goze de novo gostoso na minha boca, que pica gostosa.

– Assim, tá saindo uiiiiiii! Aiiiiiiiiiii! Gozei, gozei, Cristina, maravilha uiii! aiii! – Ele diz, melando o rosto de Cristina, que se sente no poder agora.

Celso acorda e não ver Cristina, vai na sala e ver um bilhete na mesa:

" Acho que já paguei minha divida com você, adorei ser traçada por um desconhecido, passei só para beber e jantar, terminei virando sua comida, quem sabe um dia passe ai para pega um tira-gosto de rola, beijos" Cris.

Celso fica pensando, que mulher gostosa.

– Você vai voltar, tenho certeza – Ele fala guardando o bilhete na gaveta e olhando o sanduíche que ela esqueceu..desenrolou o sanduíche e comeu.

Ele estava errado, Cristina nunca voltou.

By Roberto Ornelas



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.