"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Tardes com a musa


autor: Ronaldo_Peludo
publicado em: 23/11/16
categoria: casual
leituras: 771
ver notas




Olá a todos

Escrevo contos eróticos já há algum tempo e alguns são fatos reais da minha vida. Tenho prazer de contar e compartilhar experiências muito gostosas vividas com pessoas igualmente gostosas de diferentes formas. Uma delas, que de fato aconteceu, compartilho com vocês agora.
Um tarde ensolarada e muito quente de primavera, em Novembro para ser exato, saindo do banco fui até uma padaria na praça para lanchar, era por volta das 16 horas. No caminho vi uma mulher que me chamou atenção na hora, ela me hipnotizou e nada mais a volta interessava senão ela. Senti uma vontade incontrolável de falar com ela, precisava. Meu instinto animal falava alto naquele momento, mas meu lado racional começou a me dar conselhos...... rsrs. Pensei em uma forma de abordá-la e acompanhando aquele andar maravilhoso pude ver que ela entrou na padaria!! Não tive dúvidas, claro aquela era a oportunidade. Ela pediu um lanche e eu me sentei próximo dela e comentei aquele velho ciclê:

-Dia quente não?
- Realmente. Hoje está demais!
- Nesse ponto as mulheres levam vantagens, não é? Podem vestir roupas bem mais leves que os homens no trabalho......
Ela respondeu:
- Depende do trabalho.
- É, porque. Você trabalha com o que?
- Sou bancária, gerente.

Papo vem, papo vai. Vou resumir a conversa. Ela estava de férias e acabara de chegar do litoral e estava com o corpo bronzeado, os pelinhos descoloridos e exalando femilinidade para todo lado. Um tesão. Vestindo uma blusa com um generoso decote, uma saia curta mostrando um lindo par de coxas. A roupa justa mostrava as belas formas de um corpo lindo que chamava para o sexo. Débora (nome fictício, pois o nome dela é incomum e temo que seria facilmente identificada), 1,70m, cabelos loiros um pouco abaixo dos ombros, olhos castanhos claros, boca carnuda e um sorriso de arrasar de tanta beleza. Uma musa! Conversamos por uma hora e meia e foi quando ela disse que precisava ir embora e que seu marido a aguardava em casa. Mesmo assim, trocamos telefones e disse que ligaria para a gente conversar mais. Assim fiz e ela resistiu a seis tentativas de marcar um encontro até que tive a idéia de marcar um almoço no horário de trabalho dela. Concordou!! Daí almoçamos juntos umas 5 vezes em dias diferentes, mas sempre com a compania de algum colega de trabalho.
Nos tornamos um pouco mais íntimos. Liguei para ela e disse que gostaria de um encontro a sós, para ficarmos mais a vontade e nos conhecermos melhor. Resistiu mas concordou. Sexta-feira, as 17hs em um barzinho que já se preparava para o fim de semana, mas não poderia ficar muito tempo. Beleza!
Assim fizemos, chegamos e o bar estava com pouca gente e pudemos nos sentar num lugar meio escondidinho. Sentei-me ao lado dela. Ela pediu uma marguerita e eu um chopp e depois de alguns drinks, ela estava mais solta e começou a falar da vida dela. Ela tem 34 anos e estava casada havia 6 anos. O marido tem 37 anos e trabalha com TI, faz viagens de pequena duração, mas são frequentes. O relacionamento é bom, mas ela acha ele um pouco imaturo, apesar da idade. Ela sentia falta de ter alguem para conversar sobre vários assuntos e com mais profundidade. Eu disse: "Pronto .... encontrou!!" rsrsrs. Da minha parte, me abri e disse que estava interessado nela, de sexo casual, de amizade colorida, por também sou casado. Minha mulher me liberou para transar com outras mulheres, (não quer saber detalhes) tomando todos os cuidados contra DST´s, claro. Ela tem baixo libido, devido alguns medicamentos que toma, mas nos damos bem. Ela disse que o sexo entre eles era "normal" e frequente. "Sexo normal?" pensei..... Hummmm. Senti que faltava algo nesse sexo normal. Durante todo o papo, tocava no braço dela, na mão dela, no ombro e ela não resistiu. Toquei nos cabelos....... toquei no rosto......até que toquei no queixinho, puxei para mim e dei um selinho. Ela me olhou, olhar de dúvida e então puxei e beijei aquela boca carnuda, ela correspondeu!

Um beijo demorado, quente, úmido e bem gostoso. Minha mão foi passear levemente naquelas coxas e quando ela sentiu abriu levemente as pernas.... mas estávamos em lugar público e não dava para ir muito além daquilo. Então ela disse.
- O que estamos fazendo?? Isso não está certo.
Eu respondi:
- Sexo não é razão. Sexo é instinto, emoção e prazer. Você e eu temos uma química e devemos aproveitar. Estamos querendo! Moralidade e padrão normal de comportamento só nos leva a insatisfação. Relaxa e vamos curtir.
Nós demos um puta malho naquele bar que foi ficando cheio e o pessoal das mesas ao lado não tirava os olhos de nós e vários sorrisos em nossa direção. Percebemos que era hora de sair dali. Quando levantamos e estávamos saindo, pude ouvir alguém dizer em alta voz.

- Aeeêhhhhhhh!!!!!

Rimos e fomos para o meu carro. Lá outros amassos deliciosos e convidei para um motel. Ela disse que não poderia ir, pois o marido já tinha enviando "Whats up" perguntado se demoraria. Enfim, não rolou mas marcamos de sair em uma quarta-feira a noite, pois o marido ficaria fora 3 dias. Não via a hora e chegou o dia.
Fomos direto para um motel, com hidro massagem, piscina, etc. Nos pegamos fervorosamente e em poucos minutos estavámos nús. Deitei ela na cama, abri aquelas pernas lindas e bronzeadas e começei a beijar aquela bucetinha linda! Enfiei o dedo com carinho enquanto chupava e beijava, enquanto ela se contorcia de prazer, gemia de prazer, ofegava forte. Ela pressionava minha cabeça contra ela, quase me sufocando.....rsrs e quando começei a lamber feito um cachorrinho ela não aguentou. Gemeu alto e contorcendo ainda mais, gozou .... explodiu em gozo!!! Daí, subi beijando a barriguinha..... para naqueles seios lindos dei o trato que eles mereciam. Beijei aquela boca carnuda e enfiei meu pau nela pela primeira vez... um momento que esperei muito! Que delícia.... quente....lambuzada... apertadinha. Ela me apertava e me mordiscava o rosto, a orelha.... estava muito solta e carente. Gozou novamente e então pude gozar junto com ela e ficamos abraçados por uns minutos.
Depois levantei fui ao banheiro, tomei uma ducha leve pois costumo suar muito e sou peludo, já me preparando para o segundo round. Ela ficou na cama de bruços, peladinha com aquela bunda linda e empinada se oferecendo para mim. Me sequei e fui para cima dela, começei a beijar atrás da orelha dela, enquanto meu pau já crescia na bunda dela. Não demorou e eu já estava na xoxotinha dela de novo. Fizemos várias posições, de quatro, cavalgada e terminamos num 69 demorado e carinhoso. A melhor chupeta da minha vida. Ela beijou cada centímetro da minha rola, abocanhou minhas bolas e quando gozei, ela engoliu e deixou limpinha.
Depois de outra ducha, enquanto ela se vestia começou a chorar! Então pensei:
- Deu merda!
Me sentei do lado dela, abraçei e perguntei por que ela estava chorando. Ela me olhou e disse que era de felicidade, pois há muito tempo ela não tinha um sexo tão prazeiroso como nossa tarde juntos. Por outro lado, de certa tristeza pois seu marido não propiciava a ela esses momentos. Como pode?? Um puta mulherão desses!!!
Disse para ela que eu também não vivia uma tarde de sexo tão bom assim, fazia tempo e que eu estava certo a respeito de nós dois. Sabia que a gente ia se dar bem. Nos encontramos mais umas duas vezes e na última vez ela me pediu para terminarmos ali, pois ela estava se apaixonando por mim e eu por ela. Mas, ela ainda queria tentar melhorar seu casamento, o sexo no casamento, por mais um tempo. Concordei, a contra gosto e disse que se ela sentisse vontade de nos vermos de novo, bastava ligar. Até hoje não ligou, mas ainda espero essa ligação....

Abraço

Ronaldo




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.