"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Casada Mama No Carro!


autor: tiozão1
publicado em: 27/11/16
categoria: hetero
leituras: 3081
ver notas


Volto aqui novamente para contar outra experiência real que aconteceu.
Sou casada a 6 anos, enfermeira, morena jambo, 1,68 m, 59 kg, cabelos e olhos castanhos, tenho um corpo bem cuidado por ainda não ter tido filhos, frequento academia para estar sempre em forma: Seios médios e durinhos ( 89 cm de busto ) cintura fina ( 68 cm ) pernas torneadas e bunda que chama sempre muito a atenção, pois ele é grande e empinada (99 cm de quadril), e com marquinha de biquíni. Meu marido tem 37 anos, é um homem bom para mim, atencioso, é funcionário público federal, mas no quesito sexo, não me satisfaz, não é criativo e não sabe a maneira certa de me saciar na cama.
Minha primeira experiência sexual foi aos 15 anos, com um primo bem mais velho que eu, ele tinha 25. Eu gostava dele, mas não queria perder a virgindade, então o safado me fazia chupar ele, e eu acabei tomando gosto por essa prática, e hoje sou uma mulher que sente prazer em chupar um pau, e que sabe a maneira certa de fazer vocês homens gozarem bem gostoso usando apenas minha boca, faço oral por que tenho prazer de ter entre os lábios um pau bem gostoso indo e vindo, sendo eu submissa ás taras masculinas.
Bem, mas o que quero contar é sobre outra experiência. Não é sempre que entro em salas de bate papo, até por que acho que existem pessoas que só querem brincar, sem um objetivo especifico, mas as vezes acontece de aparecer alguém com algo a mais, e foi o que aconteceu comigo a alguns meses atrás. Eu estava em uma sala de bate papos e comecei a conversar com o “Maduro Malhado”. Conversamos por uns 10 minutos na sala e depois passamos para um meio mais direto que é o msn. O “Maduro Molhado” então virou Paulo, um cara casado, 37 anos, servidor público. Tivemos um papo muito agradável, a principio falando de coisas do dia a dia, moramos ambos em Brasília e ficamos trocando figurinhas. Paulo se mostrou ser um cara culto, inteligente e também bonito, pois trocamos fotos, e apesar dos seus 37 anos, ele tinha um rosto bonito e um físico realmente malhado, mulato com uma cor linda, barriga sarada, pernas com coxas divididas e deliciosas sem muitos pelos (eu particularmente sou gamada em coxas, adoro, se vejo um par de coxas bem desenhadas, me dá vontade de morder). Paulo também gostou das minhas fotos, tanto que queria me conhecer pessoalmente naquele mesmo dia ou no dia seguinte. Eu apesar de gostar de fazer novas amizades, sou mulher, sou casada e tento manter uma linha de contato que não me traga grandes frustrações e problemas, por isso disse a Paulo que gostaria de conhecê-lo um pouco mais para que pudéssemos criar afinidades e assim o interesse mutuo surgiria naturalmente. E assim foi, ficamos trocando e-mails e falando por cerca de uns 2 meses, onde eu cheguei a ver ele algumas vezes por cam e deixei ele me ver também, o que acho que aguçou um pouco mais essa vontade de nos conhecer. Eu e Paulo já havíamos falado de muitas coisas sobre nossos casamentos, o que queríamos o que gostávamos nossas carências. Paulo claro que tinha deixado vê-lo mais a vontade via cam, ou seja, nu, e eu tinha achado ele super interessante, pois além do corpo gostoso, ele tinha um pau que era uma delicia, 21 cm , uma glande que era bem volumosa e grande, e todo lisinho, uma delicia, e eu confesso que me dava uma vontade louca de poder pegar naquele pau.
Marcamos então um final de tarde de nos conhecermos pessoalmente em um barzinho que ele conhecia super discreto. Coloquei uma calça jeans bem coladinha, de cintura baixa, sandalinha e um top, sem sutiã, o que deixava meus seios realçados. Quando cheguei ele já me aguardava, nos cumprimentados, ele me elogiou muito. Sentamos, bebemos chopp e conversamos muito, já tínhamos uma afinidade incrível. Ele dizia que estava louco para me beijar, eu também desejava, mas não queria passar uma imagem de tão fácil, mas acabei aceitando o convite para dar uma volta, e então fomos até o parque da cidade, que é uma área muito grande, com parques de diversões dentro, área de cooper, e bosques com muitas árvores. Existem muitos estacionamentos lá onde se pode parar e ficar namorando, e foi lá que ele me levou. Assim que ele parou o carro em um local discreto, com sombra, ele veio me beijar e confesso que foi um beijo delicioso, quente. Ele lamentava o fato de eu estar de calça jeans ( claro que eu havia ido de calça afim de evitar algo que fosse daquele jeito inusitado ), e dizia que eu era malvada, suas mãos percorreram minha cintura e seios, que logo ele fez questão de libertar, tirando minha blusinha. Ele ficou admirando um pouco, dizendo que eram lindos e então passou a lamber eles, um de cada vez, o que me deixava super excitada, minha mão então procurou por cima da calça, estava duro, e eu pedi em seu ouvido:
- Quero ver seu pau. Deixa eu cuidar dele.
Paulo então, jogou os bancos do carro um pouco para trás, e abriu sua calça, e tirou para fora um pau moreno lindo, parecia muito maior ao vivo do que pela webcam, a cabeça era grande, saliente e deliciosa, seu saco totalmente lisinho completava toda aquela gostosura. Pedi a ele que abaixasse um pouco mais as calças, pois também queria ver suas coxas, e ele me atendeu e eu pude comprovar que eram lindas. Pedi que ele ficasse quietinho, pois agora eu que daria um pouco de carinho a ele, me arrumei no banco e me debrucei sob o seu corpo, suas mãos continuavam a manusear meios seios. Eu passei a beijar suas coxas, lambi elas, uma de cada vez, passava a língua sentindo seus músculos divididos, mordia de leve, ele já me chamava de casadinha safada. Subi um pouco mais e comecei a chupar seu saco, lambia ele devagar, deslizava minha língua de um lado para o outro, chupava os ovos, colocando na boca. Minha língua deslizou devagar pelo seu pau, sem colocar as mãos, usando só a língua, chegando até a cabeça, que estava molhada, fiz movimentos circulares com a língua em seu pau, Paulo gemia, beliscava meus seios devagar. Minha língua deslizava na cabeça do pau dele, era uma delicia de glande, grande, parecendo um cogumelo. Aos poucos fui engolindo seu pau, devagar, cm por cm, Paulo dizia que eu era uma tremenda safada e que nunca tinha sido chupado daquele jeito. Engoli o pau dele quase todo, o que deixou ele maluco de tesão, dizendo palavrões. Eu sei bem como engolir um pau, adoro colocar ele todo na boca, indo até a garganta, e sei que isso deixa vocês homens malucos de tesão. E foi assim que fiz com Paulo, engolia o pau dele, devagar, e ia tirando, deixando molhado, a cabeça dele deslizando na minha língua era uma delicia. Passei a punhetar sua vara usando minha boca, tirava e colocava na boca, não muito rápido, mas num ritmo cadenciado, como se ele estivesse fudendo minha boca, as vezes parava e lambia seu saco, chupava suas bolas e também lambia suas pernas, ai que pernas, hum, deliciosas. Paulo estava maluco de tesão, pedia para me chupar também e dizia que queria enfiar o pau dentro de mim, claro que estava muito excitada também, e queria sua vara, mas naquele momento, meu propósito era outro, era apenas deixar aquele homem maluco de tesão com minha boca, lábios e língua, e estava conseguindo. Paulo pediu para chupar meus seios um pouco, e eu deixei, fiquei sentadinha enquanto ele mamava, eu estava amando, e batia punheta pra ele, seu pau ficava enorme na minha mão, todo melado, tive que me segurar muito para não ficar nua naquele carro e sentar em cima daquele pau moreno e tesudo. Voltei a chupar seu pau, agora querendo fazer ele gozar bem gostoso. Passava a língua na cabeça como se fosse um pirulito, de baixa para cima, deslizando minha língua, ele urrava, xingava. Eu batia com seu pau na minha cara, esfregava no rosto, nos seios. Enfiava o pau na boca, e deixava por alguns segundos, isso fazia Paulo jogar o quadril querendo que eu engolisse todo, era uma delicia.
Acho que ficamos nessa deliciosa brincadeira por cerca de uns 40 minutos, eu chupando ele, mamando aquela vara gostosa, lambendo seu saco liso, e mordendo suas coxas grossas, até que ele segurou minha cabeça com força, senti seu pau inchar e então veio uma jorrada forte de leitinho quente direto na minha garganta, saía leite que dava para encher um copo, e eu fiz questão de não tirar seu pau da boca, eu bebi tudinho, cada gota que saiu, Paulo, me xingava, puchava meus cabelos, estava tremendamente eufórico de tesão, e eu em estado de grandeza, pois amo fazer um homem gostoso gozar na minha boca. Paulo gozou gostoso e eu não deixei nadinha melar ele, e isso deixou ele em estado de semi transe, deitado no banco, com aquele corpão enorme jogado. Guardei seu pau, fechei sua calça e ele me beijou gostoso, dizendo que nunca tinha sentido tanto tesão. Claro que ele queria marcar algo para aquela semana ainda, mas eu disse que ligaria pra ele. Ele me levou de volta ao barzinho, onde eu peguei meu carro e voltei para casa, onde meu marido me aguardava, pois queria que eu o acompanhasse em uma reunião de amigos dele, advogados que falam apenas de política. Eu como uma boa esposa, fui, claro.
Eu conto mais sobre meu segundo encontro com o Paulo depois....
Gatos que queiram uma amizade com uma mulher super seletiva, sincera e espontânea, e que saibam ter paciência para que uma amizade possa ser construída, me escrevam, podemos trocar e-mails bem gostosos, falar sobre nós, sobre desejos, fantasias, sobre tudo. Você que é casada ou casado e também deseja trocar confidências, estou aqui pra conversar.
Tenho verdadeira atração por homens de pele morena, mulatos e negros, e também homens malhados, coxas grossas, e um pau tesudo e gostoso.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.