"Os mais excitantes contos eróticos"

 

HOT NIGHT!!!


autor: tiozão1
publicado em: 29/11/16
categoria: grupal
leituras: 699
ver notas


Buenas gurizada, já deu pra notar de onde sou, não é, pois é, sou gaúcho do interior do RS e adoro esta hp, mas nunca tive coragem de escrever uma história, mas hoje acordei inspirado e resolvi escancarar, ela é uma narrativa e, ao mesmo tempo, serve para induzir o fetiche de vocês. Isso aconteceu a pouco tempo, e não poderia deixar de relatar a todos o que eu presenciei. Bom, tudo começou numa festa na casa de um amigo meu, você estava de saia preta até o joelho, meia calça preta, botas até um pouco abaixo do joelho, um bustier branco que deixava os seus ombros de fora e aguçavam o meu instinto felino. Teus cabelos pretos e compridos eram um atrativo a parte, teu olhar marcante me chamava para mais perto, então cheguei e comecei a conversar contigo, o papo rola solto junto com a animadíssima festa, o clima com pouquíssima luz faz com que nossa atração e olhares tornassem-se mais intensos, bebíamos apenas refrigerante e o convite foi feito, o quarto vazio do segundo piso nos aguardava, um ok do meu amigo nos libertou do ambiente tumultuado e nos encaminhou para cima, onde a música era mais baixa e o tesão cada vez mais alto. Nos beijamos e você parece não pensar em mais nada, somente em nossos corpos colados e eu, no beijo fantástico que a tua boca produz. Acaricio o teu cabelo e coloco a mão dentro de tua blusinha, bem suavemente passo um dedo de cima a baixo de tuas costas, sem o empecilho do sutiã, e você se arrepia toda e solta um gemido baixinho, bem perto da minha orelha. Sussurro em teu ouvido que a noite está apenas começando, e beijo o teu pescocinho, o arrepio toma conta novamente do teu corpo que agora me acaricia e tira a minha camiseta, mordisca os meus peitos e arranha as laterais da minha barriga. Não agüento mais e jogo-te na cama, tiro cada peça restante da minha roupa na tua frente, iluminado apenas pela luz fraquíssima do abajur do canto, o seu rosto é de puro tesão e então tiro sem pressa a tua roupa, deixando-te apenas de calcinha, ficando eu apenas com a minha cueca explodindo, tentando conter o caralho que força a saída e a liberdade. Beijo o teu pezinho, a tua panturrilha, o teu joelhinho, e, finalmente chego à tua cocha. Tiro a sunga bem de vagar na tua frente e o teu olhar de desejo e aprovação juntamente com uma passada de língua entre os lábios, são o sinal que precisava para prosseguir, volto então a lamber e chupar as tuas cochas. Vc está exalando um cheiro delicioso de sexo pela vagina que me chama para mais perto dela como um cachorro no cio. Não acredito quando, de longe, avisto a umidade impregnada na tua calcinha branca e não resisto, mas ainda não quero que você goze então chupo descaradamente a tua virilha fazendo-te gemer cada vez mais alto e contorcer-se de tesão. A tua buceta me chama, me implora e eu caio de boca nela, arranco a tua calcinha, coloco só a pontinha da língua no teu clitóris e você geme, grita, e me elogia. Então começo a morder, esfregar a língua em toda a extensão da tua buceta e você adora isso. Vc goza tremendo toda como uma louca na minha boca e grita pedindo meu pau dentro de ti, mas ainda não acabou, te coloco de quatro, amarro tuas mãos na guarda da cama, arregaço bem as tuas pernas e começo a lamber bem devagarinho o teu rabinho e a tua bucetinha, numa linha vertical incrível. Você quer me chupar a todo custo mas eu quero te fazer chorar de tesão. Chegou a hora, ainda amarrada na cama brinco esfregando o meu caralho na tua buceta e no teu cuzinho, você rebola como uma louca parecendo procurar o meu pau, geme, grita, se humilha me implorando e eu finalmente coloco, bem devagarinho, a tua vagina parece que vai pegar fogo, você chora, e grita mais alto. As bombadas começam bem vagarosamente e você treme toda, está molhada de suor e suco vaginal, o entra e sai começa a ficar mais intenso e o seu segundo gozo está mais próximo a cada estocada, aumento os movimentos de forma que o caralho sai quase todo e volta a entrar até o talo, você rebola, rebola, rebola, e eu meto cada vez mais violentamente, você começa a gozar e sua respiração para por instantes enquanto o teu corpo estremece, sinto o instante e cravo o pau lá no fundo por alguns segundos, você solta um grito tão alto que chega a me atordoar, mas não paro de estocar e você não para de gozar, faz isso três vezes seguidas e então te liberto das amarras e você voa em minha direção, me joga deitado na cama e chupa, chupa tanto que o primeiro gozo vem em instantes. Vc me chupa como nunca fui chupado e então engole toda a minha porra quente e ainda quer mais, não acredito que você possa agüentar pois já gozou quatro vezes, mas sobe em cima de mim, esfrega a tua xana na minha cara, esfrega, esfrega, sobe, desce, a minha língua entra e sai fácil, você adora isso e eu aperto tanto seus seios que quase te machuco, os bicos estão duros a horas, você desce e se posiciona agachada, com os pés na cama ao lado do meu quadril, pega a minha vara e esfrega na entrada da tua buceta, a cabeça fica encharcada na hora e você desce devagar, eu me levanto e chupo teus peitos como um terneiro faminto. O teu tesão é tanto que você não se contenta mais com o tradicional, se levanta, pega um creme que servirá como lubrificante, lambuza o meu pau todinho e o teu cuzinho, e me pede para ser um cavalo, o que eu faço com todo gosto. Te coloco escorada no guarda-roupas, em pé, e arregaço o teu buraco, meu pau parece que vai estourar (mesmo tendo acabado de gozar, parece que não trepo a uns dois meses), coloco-o na entradinha do teu rabo e força-te para trás com muita força, para entrar de uma vez. Teu gemido e o contato do meu saco com o calor da tua buceta denunciam a total penetração. Os movimentos são curtos e vagarosos, mas por pouco tempo, pois o tesão e o delírio são mais fortes e fazem com que comecemos um vai e vem alucinado, com muito gemido de ambas as partes. Uma fraqueza nas pernas força-nos a cair na cama, eu deitado e você me cavalgando como uma amazona profissional, o teu cu ferve mais que a buceta e, por ser mais apertado, me leva a começar a estremecer junto contigo, o nosso gozo se aproxima, você aumenta o ritmo das sentadas, eu me levanto e agarro os teus seios por trás, você dá pinotes no meu pau, e, finalmente começamos a gozar, você gritando e eu agarrando os teus seios e tremendo como se fosse a última trepada da minha vida, ficamos gozando por um bom tempo e, finalmente, caímos apodrecidos na cama, você de bruços e eu estirado com a cabeça pro outro lado, vendo uma cena até então inédita para mim, o teu rabo ainda entre aberto, escorrendo um filete de porra de dentro, e você suspirando sem parar, aquela cena não vai mais me sair "das cabeças", nunca mais. Se vocês gostaram da minha história, me escrevam e me digam se gozaram conosco ou se serviu para inspirar uma ciririca ou uma punheta.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.