"Os mais excitantes contos eróticos"

 

A Foda matutina mais deliciosa que tive!


autor: Chronos
publicado em: 30/11/16
categoria: hetero
leituras: 3531
ver notas


Tati passou a foder cada vez mais gostoso depois de nossa última terapia de casal, e era notório que tudo que ela estava fazendo era por prazer, não pela obrigação de tentar mudar para me atrasar.

Uma coisa que sempre prezei foi pelo respeito aos limites da outra pessoa. Cada um tem seu próprio tempo de maturação. Mas a parte de ela identificar seu problema foi crucial para ela começar a se libertar do passado.

Tornou-se cada dia mais prazeroso acordar do lado desta gordinha saborosa e admirá-la, agora mais que nunca, suas curvas, pneuzinhos, boquinha... De verdade, acordei várias vezes de pau duro louco para uma rapidinha.

Foder de madrugada é o máximo. Ao acordar também. No início do casamento, eu amava invadir os sonhos dela e fazer os primeiros fluidos dela verterem na minha boca e inundarem o colchão. Mas com o tempo, a rotina foi matando isso, sabe.

Você se acostuma ao marasmo da vida, de ralar e ralar por um salário que, porra, serve para pagar suas contas e mais nada, e pouco a pouco você se adequa ao modus-operandi de uma sociedade agitada e sem alívio. Pára de se cuidar, a pessoa ao seu lado não é tão interessante, enfim, essas porras que vocês já sabem.

Agora está um pouco invertido: Ela sai para trabalhar e quem passa mais tempo em casa sou eu. Por quê!? Tati arrumou um trampo de cuidadora de idosos, e juntamente com a mãe cuida de Dona Leonor, uma simpática senhora idosa de uns 80 anos, moradora da Zona Sul.

Uma coisa que Tati faz muito bem é cuidar de crianças e velhinhos dos outros. Incentivei-a a fazer até uma especialização disso. Ela começou a levar quentinhas de casa para Leonor quando internada no hospital onde a mãe trabalha, e agora cuida dela integralmente.

Com isso, nossa vida tomou um gás diferente e não posso deixar de admirar ainda mais o fogo dela na cama quando chega para me contar o dia.

Quem não está acostumado a ficar em casa sou eu, puta que pariu! Como Executivo de Marketing de Rede em crescimento, facilita-me programar as minhas horas de trabalho e realizar minhas apresentações, sabe. Entretanto, cuidar de casa é um tédio total, muito embora o faça muito bem. Posso até ajudar, mas fazer comida todo dia, lavar roupa, passar, limpar, isso acaba comigo, não gosto! Entretanto, era o sacrifício que haveria de fazer pelo meu filho, que no momento, depende muito de mim. O gostoso nisso tudo é a parceria do meu moleque.

Mas o corpo, quando se acostuma a essa correria, tem um problema: Quando você cria o hábito, o corpo já desenvolve o sistema de ligar/desligar mecanicamente. É foda. É aí você não cuida daquilo que é mais importante.

Começou a ficar assim de novo entre mim e Tati. Eu liguei o sinal de alerta. Procurei um, dois, três dias, e ela sempre cansada, com dores na coluna. O que é normal, haja visto que uma senhora depende dela para tudo, agora. Após sofrer uma fratura femoral durante a realização de um serviço doméstico, Tati a ajuda a locomover-se para lá e para cá.

No fim do dia, as cadeiras dela não agüentam. E eu fico na sede... Ah, mas isso não ia ficar assim mesmo: Decidi mudar essa situação logo, antes que eu começasse a pensar merda de novo!

Todos os dias ela acorda às 06:00h. Eu já sei que foder de manhã é a coisa mais saudável do dia, então o que fiz!? Passei a despertar no mesmo horário que ela, afinal, meu filho ainda leva uma hora e meia para despertar totalmente.

De ontem para hoje foi exatamente o que fiz: Esperei ela despertar. Eu já estava até alerta , esse horário. Tati havia dormido toda cheirosa, com uma camisolinha curta, aparecendo os glúteos saudáveis dela, com uma calcinha de renda para deixar a bucetinha carnuda dela respirar. Dormiu de bruços, esperando minha chegada de mais uma apresentação de plano numa reunião caseira.

Meu filho, nocauteado pelo sono, apenas abriu os olhos para dar-lhe um beijinho de boa noite e desmaiar de vez. Tati estava vestida para me matar, mas dessa vez eu que estava estourado, ainda mais carregando meu mini-eu. Tomei um banho demorado, para relaxar, e ainda assisti um pouco de TV, somente para fazer um balanço das principais noticias do dia. Só se falava da tragédia com nossos meninos de Chapecó.

Fui dormir sem saco para encarar um round com meu morango do Nordeste. Ela também cansou e ao dar um beijo de boa noite em mim, tava sem pique. Mas a noite , mais fresquinha que as anteriores, renovaria minhas forças e ao despertar, meu pau tava ereto, pronto para o ataque. Tati tava muito cheirosa. Mexi com ela, tocando-lhe em cada parte do seu corpo com minha boca. Ela esboçou um leve sorriso, abrindo um de seus olhinhos, dizendo:

- Já tá animadinho é, safado?- empinou sua bundinha e tudo, gostando das carícias, afinal, eu já tava em cima do seu corpo roçando com meu membro totalmente recarregado do exaustivo dia anterior. Detalhe: Não eram bem seis da manhã, como havia programado. Mas quem se importa com esses detalhes!? Ela já tinha reagido aos meus estímulos, queria pica naquela xota já molhada.

Ataquei seu pescoço com vários beijos de gato- lambidas seguidas de mordiscadas-, e ela se arrepiou todinha. Mordeu os lábios, abriu os olhos, sorrindo lascivamente, dizendo que eu estava caprichando no início do dia. Eu tinha que fazê-lo. Não iria agüentar outra sessão de punhetas. Quando estou na seca, parceiro, é três vezes por dia me esfolando e sabe o que mais!? A mente fica criminosa pra caralho. De verdade, amigo: Essa porra me faz ter altos devaneios, ela sabe disso.

Mas Tati tava reagindo deliciosamente bem, e despertou finalmente para me surpreender como sempre tem feito nas últimas noites que nos encontramos. Sua boca caçou a minha, buscando ser preenchida, dominada, possuída. O despertador tocou... Ela tomou um susto! Aí disse que precisava se arrumar. Levantou-se comigo, beijando rápido, fez um carinho no meu mastro, até tirando ele da cueca, para uma punheta, mas foi afastando-se de mim, despindo-se para ir ao chuveiro.

Eu fiquei muito puto porque ela tinha tempo para isso, mas decidi ligar o botão de foda-se e continuar com o plano. Ela ia dar aquela foda era hoje! Tava com a periquita tão carente como meu caralho, agora ia dispensar!? Sabe de nada, a inocente!

Ficou toda nua na minha frente, sorriu para mim de novo e foi em direção ao banheiro. Olhou em direção ao quarto do nosso filho, que dormia profundamente no seu quarto fresquinho. Sem olhar para trás, despercebida da fera que a espreitava, entrou no banheiro e deixou a porta aberta.

Quando ligou o chuveiro, e aquela pancada de água fria verteu sobre seu corpo, agarrei-a subitamente por trás, dando-lhe um susto gostoso. Fechei rapidamente a porta do banheiro, e ela virou-se de frente para mim, novamente me caçando implacavelmente, língua lutando com língua, os corpos caçando o calor um do outro.

- Entendeu o que fiz, não é, seu puto!? Hahahahahahaha, delícia, esperei você ontem e nada de você matar a carência dessa xaninha aqui. Perfumei-me toda pra você , e demorou.

- Temos muito tempo agora, minha gostosa!

- Aproveita, que nem essas águas estão apagando esse fogo. Acha que eu não estou sentindo falta de você, dentro de mim, violando meu espacinho!? Cachorro delicioso, dá essa pica pra mim, dá!- abaixando-se, abocanhou com vontade. Nossa, deu aquela mordidinha na pontinha, me dando dor e tesão tudo junto. Chupou voluptuosamente, lentamente, como se estivesse com um sacolé de coco, que puta gostosa!

Tati deslizou a língua dela até minhas bolas, levando-me à loucura total. Agarrei sua cabeça, entrelaçando meus dedos em suas madeixas encharcadas, puxei-a para meu pau outra vez e toquei-lhe até a garganta. Ela engasgou um pouco, riu dizendo:

- Você tá impossível hoje! Tudo isso é falta de mim!? Tenho que cuidar mais desse menininho! Seus devaneios escritos têm que ser recheados de histórias nossas daqui para a frente!

- Você andou lendo, foi!?

- Foi. E você é um dragão, sabia!? - continuou a mamar gostoso, quase gozei na sua boquinha.

Tati e eu nos engalfinhamos num novo beijo visceral, então virei-a de frente para o box, arrebitando seus glúteos durinhos e fiz-lhe o oral mais ordinário que ela recebeu:suguei aquele clitóris com força, e sua essência retesada começou a fluir com força. Abri-lhe bem os seus glúteos e sodomizei-a com a língua, causando-lhe uma sensação nunca antes experimentada.

Tati subiu pelas paredes com aquela novidade, até então, para uma mulher que sempre tinha negado a si o máximo que o sexo livre, desprendido de dogmas inúteis, pode oferecer a uma mente sã.

- Ai, porra! Não pára, vai! Nossa, que louco! Continua, meu putinho, vai! Aaaaaaaie! Cachorro, ordinário, delicioso!

Xinga mesmo, sua vadia! É assim que eu gosto. Fez aquele cuzinho rebolar na minha língua, suas pernas já estremeciam, falhando em manter-lhe em pé.

Enquanto estava gozando, ergui-me e enterrei de uma vez só na buceta dela e fodi freneticamente, brincando com os dedos naquele cuzinho sapeca de Tati. Xinguei-lhe muito no ouvido , dizendo que nem puta fodia tão ordinariamente, tão malandramente igual a uma esposa louca pelo macho. Ela pediu mais pica. Ganhou tapas vigorosos nos glúteos, sem piedade mesmo. Não resisti: Tirei meu caralho de sua grutinha e invadi suas terras inóspitas. Ela gritou, mas acalmando-a, ensinei-a a relaxar e fui conduzindo lentamente. O tesão nela foi tomando uma nova dimensão. E finalmente, todo o corpo de Tati foi conquistado e possuído como se deve!

Aumentei o ritmo paulatinamente, quando deu por si, estava pedindo mais. Não me empolguei tanto. Mas caprichei nesta manhã a melhor foda matutina de nossas vidas!

Gozei com pressão naquele rabinho, que diferente, cara! Saiu atrasada de casa!? Um cadinho. Mas é impagável, indelével, a expressão realizada no rosto da minha gordinha. E você acha que não vai ter mais à noite!? Sabe de nada, inocente!!!

Kkkkkkkkkk, tchau, minha gente, ótimo dia para vocês! Ah: Lembrem-se:

Foda de manhã é muito mais frenético e gostoso. Melhor remédio contra mau humor. Acende o fogo da comadre aí, e deixa ela esfregar-se em você gostoso, compadre! Elas se amarram! Kkkkkkkkkkk

Indo nessa cuidar da minha vida, clica na nota, comenta se gostou!



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.