"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Foda o cansaço fodendo com quem ama!


autor: Chronos
publicado em: 07/12/16
categoria: hetero
leituras: 2331
ver notas


Que me desculpem as estimadas damas do recinto. Irei começar esse relato confessando algo que realmente detesto: É ficar em casa realizando serviços domésticos.

Sem querer normatizar papéis, pois dentro do lar homem também tem que ajudar, mas dentro de casa quem se sai melhor é a esposa mesmo. A Tati arrumou um trabalho de cuidadora de idosos, e devido a flexibilidade da minha profissão de consultor de Marketing de Rede, hoje quem faz o papel de dona-de-casa sou eu. Cuidar de filho pequeno nem é o que entedia, na verdade. Mas fazer coisas que normalmente você não faz sozinho em casa é irritante demais.

Por um lado, vi como ser dona-de-casa todo dia é um saco. Por outro, essa jornada acaba com minhas forças. Ruim demais. Ela chegando de noite quebrada por carregar uma velhinha para lá e cá fode com a coluna dela. Fora cuidar dos bichinhos que a senhora tem. Resultado: Nem lua-de-mel te fode tanto quanto um dia corrido. E quente ainda por cima.

Passamos uma semana inteira sem umazinha, acredita!? E um cara que devaneia tanto nas palavras como eu, tava era com sede do corpo da minha gordinha. Chegou fim de semana, e tava todo mundo cansado: Compromisso com família, passear com o filho que precisa divertir-se( pois na rua hoje em dia está difícil de deixar nossas crianças hoje ), fora arrumar a bagunça nossa de cada dia.

Chegamos da rua mortos com farofa. Restava somente dormir... Só que não(risos). Tati renovou suas forças numa deliciosa pancada de água gelada e deitou-se ao meu lado. Isso era um domingo à noite. Para mim tinha sido mais cansativo, pois havia tocado música com os amigos, ensaiado pra noite, e ela tava de folga.

Eu havia terminado de jantar e estava louco para cerrar os olhos e esquecer da semana chata que estava para começar. Meu filho? O arteiro afortunado gastou suas energias zoando o dia inteiro, já estava no décimo sono. Mas alguém estava carente: Era ela!

Seria perfeito se cada parte do meu corpo não estivesse doída pedindo repouso. Mas Tati começou a me beijar no cangote. Estava deitado de costas para ela, desligando pouco a pouco meu cérebro de todos os acontecimentos do dia e principalmente das obrigações marcadas para a semana: Preparar o filho para as provas de fim de ano, estudar para as apresentações de plano aos novos clientes, arrumar a casa...

Mas se querem saber de uma coisa: às vezes a melhor forma de lidar com seu corpo fodido de obrigações chatas e cansaço exacerbado sabe o que é!? Deixando ele fodido e meio, rsrsrs!

E pelo visto, Tati não iria dormir até ser surrada da maneira que gosta pela minha pica. Beijando-me na nuca, meu centro de devaneios começou a funcionar violentamente. Quando ela tocou no meu pau, assustou-se, rindo ao mesmo tempo, com a velocidade com que meu corpo liberava as severas ondas de adrenalina injetando o sangue erigindo meu mastro.

Corri até o banheiro, pois eu odeio foder sem estar limpo e cheiroso. Lavei bem minha boca porque eu iria atacar minha mulher com tudo que me restava de forças naquele fim de noite.

Voltei não somente de hálito fresco, mas perfumado também. Se tem uma coisa que não posso deixar cair na rotina é seduzir a gata. Estava com a barba por fazer, mas ela ama minha barba, estava pequena, e ela ama me ver somente de cueca na cama. Odeio samba-canção, rsrsrs, acho muito estilo de urbano aposentado, sabe. Pelo menos no meu corpo de quase 2m de estatura, preciso valorizar o visual que tenho, já que a beleza não ajuda "taaanto" assim. Minto. Eu me acho bonito.

Ao deitar-me e deixar minha esposa fogosa assumir o comando, montando sobre meu corpo, Tati atiçou meus sentidos levando minha mão sapeca até sua bucetinha inchada e úmida. Abusei das carícias no seu grelinho molhado. Estava ainda de calcinha. Coloquei-a de lado sem nenhuma cerimônia. Penetrei-lhe com os dedos, sentindo o calor que emanava do seu interior.

Tati arrancou de si a camisola que atrapalhava o contato com meu corpo. Desceu os seus seios a uma altura que meu pescoço não faria nenhuma força para alcançar a abusar dos seus bicos intumescidos. Ela gemia como uma puta. Adora ser explorada nos seios.

Ela roçou sua xota em cima da minha pica enlouquecendo-me ainda mais. Não resisti: Mandei tirar aquela calcinha intrometida.Coloquei-a sentada com a grutinha na minha boca e iniciei um delicioso suplício oral. Não pedi para ser correspondido naquela hora da mesma forma. Eu tava louco era para chupar, sorver seu néctar, ver ela serpenteando sobre mim. Começou a gemer mais alto, mais alto. Não deu outra: Já havia gozado. O gosto de sua pepeca estava intenso, saboroso.

- Nossa amor, e eu pensando que você ia me deixar a ver navios, olha o que você faz comigo! Ai, não aguentei de prazer! Kkkkkkkkk.- dizia ofegante, porém insatisfeita.

- Quem manda mexer comigo, safadinha!?

- Cada dia que passa você se supera. Mas eu quero você dentro de mim, vem! Preenche essa ordinária!

Cê que manda, minha patroa! Mas antes de castigá-la de piroca com força, pincelei minha glande inchada no seu grelo sensível, causando uma deliciosa irritação na minha amante cheia de carne pra morder. Brinquei de colocar somente a pontinha, depois tirava. A cara de puta de Tati é que me fazia delirar mais com os pensamentos profanos que permeavam as cavernas escuras da minha mente. Acredito que o devaneio potencializa ainda mais as sensações que a própria experiência física.

Abri-lhe bem as pernas e lentamente, aquela carne gulosa engoliu meu membro inchado, pulsante, fazendo Tati arquear seu corpo numa deliciosa dor que ela não queria parar de sentir.

Assim, iniciei uma gostosa sessão de estocadas e safadezas proferidas no seu ouvido. Uma coisa que amo é tomar de maneira ogra e sem virtude o corpo dela para mim e puxar com vigor seu corpo contra o meu. Assim o fiz, proporcionando a ela os espasmos iminentes de um orgasmo ainda mais avassalador que o primeiro.

Dessa vez eu não me segurei, não. Meti sem piedade deixando o leite vir com toda a força. E continuei castigando-a, e ela pedindo mais piroca, mais piroca. Eu havia gozado, mas o membro continuava imponente, rasgando as paredes interiores dela com a mesma violência. Tati agarrou-me puxando meu corpo contra o dela, rebolando com minha pica dentro dela, mesmo por baixo, e arranhou-me deliciosamente dando-me os sinais satisfatórios do intenso gozo que levou todo seu vigor embora. Sem força nas pernas, sorriu para mim, incrédula pois agora estava desfrutando de orgasmos múltiplos. Eu nem sabia que tinha conseguido levar minha esposa a este patamar.

Cansaço!? Meu corpo esqueceu-se dele. Ali era tudo que queria ter desfrutado no fim de semana com ela, ou melhor: Todo dia, mas ela não havia conseguido. Foi dormir ainda com a dor na coluna, mas foi fodida e feliz.

E eu!? Aceso até a uma e pouca da manhã, minha gente... Sobrou-me tempo para ler antes de morfar profundamente. Por isso que eu digo: Sente-se muito cansado para foder no fim do dia!? Meu parceiro, dê lugar uma vez que seja ao desejo da outra pessoa e vá dormir fodido e meio. Ou fodida e meia.

O tempo passa e você não fica mais jovem. Você dorme muitas vezes é com a mente mais fodida que o corpo, tomado de preocupações com a semana, mas você não tem que fazer!? Tem dinheiro para pagar alguém para trabalhar tuas horas!? Se tem, parabéns, mais um motivo para foder de um jeito gostoso. Se não tem, foda o cansaço com a pessoa que você ama. Pois a vida fode você até você morrer e você não pede para sair dela e muito menos goza!






ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.