"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Peguei o escritor de contos...


autor: Deliciamel
publicado em: 07/12/16
categoria: hetero
leituras: 1095
ver notas


Olá!

Tenho 39 anos, sou negra, cabelo black, tenho 1,78 de altura, tenho coxas fartas, bunda impinadinha e peito grande, modéstia parte sou uma mulata de tirar o chapéu. Ah, sou carioca, moro na cidade maravilhosa!

Tem uns 2 meses que estou lendo os contos e estou adorando, tem mexido muito comigo. Um mês atrás li um conto que me deixou mega excitada , como desejei ser aquela mulher e ter aquele homem do conto, vi que era o que eu precisava para resolver meus problemas, afinal estava 4 meses sem sexo, já estava grudada no teto de tanto que estava subindo nas paredes.

No final do conto o escritor deixou seu whatsapp, para minha surpresa o DDD era 21( RJ), logo dei um oi e me deparei com a foto dele, ameiii! Era lindo, cara de homem que tem pegada e com pressão e que sorrisooo encantador!

Papo vai, papo vem, entramos no assunto de sexo, esse papo rendeu até 3 da manhã, vários audios e nudes, depois do teste de drive via whats, não tinha mais dúvidas, precisava daquele homem! Ficamos conversando a semana toda e enfim marcamos nosso encontro. A princípio seria no motel, mas decidi que seria no meu apartamento, não costumo levar homens para minha casa, moro 8 anos sozinhas e a pouco tempo foi um ex namorado, eu queria realmente sair da caixa e deixar de ser recatada e do lar.

Finalmente chegou a sexta feira, passei o dia todo na produção do cenário, não tenho cama de casal e tive que improvisar um " tatame", espalhei velas aromatizadas em todo o quarto, óleo camisinha e uns brinquedinhos .

Jantar pronto, fui me produzir, tomei um longo banho espalhando óleo por todo meu corpo, o aroma tomou conta do espaço, soltei o cabelo e coloquei uma make que valoriza meus olhos puxados e minha boca carnuda , telefone tocou, era meu convidado avisando que chegaria em 30 minutos.

Estava com um vestido de tecido fino amarelo, que realça minha cor, vestido batia na altura da coxa, ele modelava os meus atributos: coxas, bunda e seios, coloquei o melhor perfume, aqueles que quando anda fica o rastro e mexe com os sentidos, fui buscá lo na portaria e os porteiros me comeram com os olhos e admirado de está recebendo uma visita do sexo masculino, uma hora daqueles, já passava das 23:30. Estava chuvendo e no caminho ao meu bloco ele ofereceu seu guarda chuva , pude sentir seu perfume, nossa pele se tocaram, aquilo me deu um arrepio.

Chegamos no meu apartamento e logo de cara ele se surpreendeu com a luz de vela e o balde de cervejas. Ele pegou cerveja comum , me serviu uma malzibier e brindamos, nosso olhar se encontraram, tomei a iniciativa de dar um beijo, pronto, foi dado o play! Passou a mão bem devagar em toda as curvas do meu corpo, ele sentou no sofá e eu fiquei meia deitada encostada em seu peito, beijamos freneticamente, simultaneamente ele passava a mão na minha boucetinha por cima da minha calcinha rendada que permitia ver meu grelinho, aumentou a pressão e eu cheia de tesão , gritei:

- meteee o dedo, vem sentir meu melzinho , olha como tá quentinha!

Para o meu desespero, ele levantou, colocou mais cerveja e veio em minha direção, meu rosto ficou na altura do seu sexo, entendi o recado, abri o zíper e logo saltou aquele pau enormeee, como descreveu no conto: 24 centímetros ( grande e grosso). Passei a pontinha da minha língua que já estava salivando, na cabecinha do seu lindo cassete e fixei meu olhar no dele, arregacei e comecei lamber toda a extensão daquele pau, dei a devida atenção nas suas bolinhas, comecei a sugar como se tivesse chamando sua porraaa, ora sugava, ora lambia, fui aumentando o ritmo, comecei a escutar seus gemidos , ele se contorcia todo, percebeu que estava guase gozando, tirou seu pau da minha boca e abriu minha perna com uma certa violência e colou 1 dedinho, já estava todaaaa molhada, respiração alterada e comecei gemer baixinho, surtei e gritei:

- enfia 3 dedos na sua cadela, me esfola, hoje sou sua putaaaa!

Ao ouvir isso ele ficou alucinado, menteu 3 dedos e mais a língua com uma certa pressão, nesse momento comecei gemer alto, escutamos a voz da vizinha, ele disse:

- Geme alto sua putaaaa, quero que todos saibam que você está trepando, você não é a recatadinha? Hoje vai virar uma vadia barata!!! Puxei sua cabeça para dentro da minha bouceta, ele pegou na minhas pernas e me trouxe pra mais perto dele, emplorei pelo seu cassete dentro de mim.

- Meteeee logo essa pica, vem meu macho, vem fuder sua piranha, eu quero com pressão, igualzinho no conto.

Vou dividir em 2 partes este conto, quero contar detalhamento como foi a trepada com meu escritor.

Este é meu primeiro conto, esperem que gostem, comente e dêem nota. Aceito sugestões!

Até mais...





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.