"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Prazer regado a vinho - Relato


autor: Safadao_1987
publicado em: 11/12/16
categoria: aventura
leituras: 1577
ver notas


Olá meus leitores,

Mais uma vez aqui pra compartilhar com vcs uma das minhas experiências.
Essa se passou em 2007, eu estava no primeiro ano de exército, foi um pouco depois dos acontecimentos com a Janaína (Meu presente pra Janaína) e Sofia (Gozei com a prof de biologia).

Nesse tempo eu estava já a uns 3 meses ficando com uma gatinha chamada Ângela.
Comentem e dêem nota ok!
Vamos lá?

Não me lembro muito bem o dia, mas era algo entre Julho/Agosto pois era verão.

Conheci a Ângela numa das minhas andanças com amigos do quartel ela era irmã do Fábio, um deles, de vez em quando Fábio e eu tomávamos uma cervejinha perto de sua casa, assim conheci Ângela.

Ângela: 18 anos, baixinha talvez 1,60, morena, cabelo preto e cacheado, olhos castanho escuro, magrinha, seios e bunda médios para o tamanho dela, a típica baixinha sexy.

Entre uma cervejinha e outra com Fábio acabei atraído por ela, mexi os pauzinhos e começamos a sair. Só que até então nada de sexo, mas a gatinha já estava uns 90% seduzida. E eu 900% louco pra fuder aquela moreninha

Um belo dia meu pai me liga:

Pai: - Fala filho, vai fazer o que esse fim de semana?

Meus pais são divorciados, meu velho sempre organizava pescarias com alguns amigos dele e sempre que desse eu ia, tinha sempre muita cerveja e peixe assado, teve até uma vez em que além de cerveja, levaram 3 "acompanhantes", e aí foi uma safadeza e tanto. (Talvez quem sabe eu conte essa proeza depois :-)

Eu: - Vou trabalhar no sábado até as 17:00

Pai: - Eu combinei com a galera pescar esse fim de semana? Sairemos sábado umas 6:00.

Eu: - Ih! dessa vez vou ficar devendo, não dá pra mim.

Pai: - Vai perder muita coisa viu? Da outra vez foram só 3, dessa vez vai é sobrar mulher. Kkkkkk

Eu: - Putz, nem me fala então Véio.

Pai: - Beleza filhão, da próxima quem sab... Ei já que vc não vai, pode tomar conta da minha casa?

Antes de ele terminar, como num instinto, uns pensamentos e a minha situação com Ângela vieram à mente junto com a equação (Eu + casa a disposição + Ângela + fim de semana= Muito sexo)

Eu: - Claro, eu cuido sim.

Pai: - Mas com uma condição...

Eu: - Manda?

Pai: - A cerveja bebida deve ser reposta com juros de 50% kkkkk

Eu: - Kkkkk, Fechado então.

Combinei com o coroa e peguei as copias das chaves, agora era só levar a gata.
Liguei pra Ângela e marquei uma pizza com ela e assistir uns filmes, expliquei que teríamos a casa a disposição e ela sem titubear topou.
(Até conseguiu um jeito de pernoitar comigo, já tava doida por uma pica na certa).

Quando sai do trabalho no sábado já comprei as coisas, loquei uns filmes, arrumei a casa, encomendei a pizza para umas 19:30 e fui buscar a gata.

Já na casa do coroa, Estávamos assistindo o filme "De olhos bem fechados" aproveitei uma cena quente do filme e comecei a acaricia-la, no pescoço logo vi que ela ficou inquieta e ofegante, e em pouco tempo estávamos em um beijo Bem quente.

Ângela tava de vestido um pouco acima do joelho e com os amassos que já estavam rolando, uma das alças do vestido caiu deixando claro que estava sem sutiã.

(Se tem uma coisa que me deixa com muito tesão num encontro, é a mulher estar de vestido ou saia, eu fico louco)

Quando vi aquilo não consegui mas controlar a fera em mim, tratei de puxar a outra alça e os lindos peitinhos da Ângela ficaram expostos. Ela gemeu alto quando chupei um dos mamilos e apalpei o outro.

Ângela: - Huuuum.

Enquanto chupava os peitinhos dela, com uma mão fazia carícias no pescoço e Cintura, e com a outra mão fazia massagens na parte interna das coxas e de vez em quando beliscadas e mordidas leves nos seus mamilos.
(Ela foi à loucura com isso)

Ângela: - Aaaaaiii, Chupa vai, Chupa aqui.

A Safadinha disse isso pegando minha mão e levando até sua bucetinha. Levantei o vestido dela revelando uma calcinha de algodão bem simples de dia a dia (Já um pouco melada no fundo).
Tratei de tirar a calcinha e um cheiro delicioso chegou ao meu nariz.

A bucetinha dela estava bem depiladinha e já podia ver um melzinho na entrada sinalizando o tesão que minha moreninha gostosa estava.

Eu: - Que delícia, quer ganhar uma Chupada aqui quer?

Ângela: - Quero.

Deitei minha morena no sofá ergui e afastei as pernas dela e dei uma lambida bem lambuzada do cuzinho até o clitóris.
(A gatinha tremeu o quadril freneticamente e soltou um gemido bem manhoso)

Ângela: - Uuuuuihh.

Decidi torturar um pouco a gatinha. Parei de lamber e fiquei provocando massageando com polegar o grelinho dela.

Eu: - Se vc quer, então pede vai. Implora.

Ângela: - Ahh que maldade, Chupa minha xaninha, eu quero.

Eu: - Denovo!

Ângela: Chupa pra mim, Chupa por favor. Chupa minha Buceta.

Nesse instante enfiei o polegar que estava masturbando-a na entradinha e logo senti o melzinho dela lambuza-lo.

Ângela: - Uuuuih, huuummm, aí que safado.

De repente, a campainha toca.

Eu: - A pizza, Já tinha me esquecido.

Me preparei para ir ao portão buscar a pizza enquanto Ângela foi organizar um cantinho para comermos ali mesmo na sala, ela apenas abaixou o vestido ficando sem calcinha.

(Só de imaginar aquela xaninha melada embaixo daquele vestidinho fiquei com mais tesão ainda)

Trouxe a pizza e começamos a devorar, percebi que Ângela ficava ofegante, roçando as coxas e retorcendo os pés. A cada mordida, ela me olhava e lambia os lábios.
Ângela estava em puro êxtase, e eu ainda nem tinha começado, fui até a geladeira e peguei uma das garrafa de vinho que deixei pra gelar.

Após comer voltamos ao sofá e trocamos carícias enquanto digeriramos a pizza, Ângela deitou a cabeça na minha coxa e ficava massageando meu peitoral enquanto eu acariciava suas costas, cintura e bunda.

O vinho estava fazendo efeito nela, já se contorcia e passava a mão em si mesma gemendo, ela então passou a massagear o volume do meu pau sob a bermuda, abriu o zíper, e em pouco tempo lá estava eu só de camisa.

Ângela: - Hummm, ele é tão bonito.

E começou a chupar (E diga-se de passagem, ela chupava bem demais)
Enquanto massageava minhas bolas ela engolia-o até a metade depois tirava da boca espalhando muita saliva, lambia toda a saliva espalhada no pau e depois fazia tudo de novo.

Eu: - Ahhh minha gostosa, assim vc me deixa louco.

Peguei a garrafa de vinho, enchi uma taça até a metade, molhei um dedo e lambuzei meu pau com vinho.

Ângela: - Hum delícia.

A gata agora chupava com voracidade, até tomou a taça da minha mão e fez ela mesmo as pinceladas de vinho.
Sentir aquela boca e língua quente e o frio do vinho ao mesmo tempo foi uma sensação gostosa demais.

Não consegui segurar, gozei gostoso na boca da Ângela, na hora pensei que ela iria tirar meu pau da boca, mas não, ela continuou mamando com vontade até a última gota.

Depois ela foi rapidinho no banheiro lavou a boca e voltou peguei-a no colo e a levei a Cozinha colocando-a encima da mesa e junto com nós adivinha quem foi?
(A garrafa de vinho)

Eu tava louco pra retribuir o gozo que Ângela tinha me dado, tomei uns bons goles do vinho, a garrafa já estava abaixo do meio, e passei a lambe-la espalhando vinho pelos seios e o corpo todo, Ela terminou então de se despir.

Voltei então a bucetinha da morena já encharcada de tesão, escorria um melzinho incolor da xaninha até o cuzinho dela.
Chupei e sorvi todo o mel que descia e levei até a boca da gata, que ficou louca quando sentiu do próprio gostinho.

(Já comentei isso em outro conto, e nas minhas "experiências" já atestei por a+b que a mulher vai a loucura de tesão quando prova do próprio mel, Sempre uso esse artifício em minhas transas.)

Cai de boca na Buceta da Gatinha e apoiei a garrafa de vinho um pouco abaixo do umbigo dela de modo que eu conseguia derramar pequenas doses de Vinho em sua xaninha, enquanto chupava todo o vinho que ia se misturando ao delicioso melzinho

Acho que ela teve a mesma sensação que eu, o calor da minha boca e o frio do vinho fizeram ela dar vários sussurros e rebolados.

Ângela: - Aaaaaihh que gostoso, aí que língua gostosaaaa.

No meio da tremedeira, acabei perdendo o controle da garrafa derramando quantidades maiores de vinho, e me empenhei em não deixar nada se perder.
Engoli bastante vinho, e lambuzei também o cuzinho dela que piscava pedindo língua e pica.

Ver aquele anelzinho lambuzado de mel de Buceta e vinho fez o meu pau ficar duro feito ferro. Passei então a enfiar um dedo devagarinho, primeiro a ponta, até a metade e depois até o talo.

Ângela: - Aaaih cachorro, isso brinca gostoso com meu rabo.

(Ângela já estava completamente bêbada)

Eu: - Vou te foder de jeito hoje minha putinha, descontar todos esses dias que tô querendo foder esse teu corpo.

Fiquei ali com a garrafa de vinho na mão e penetrando o cuzinho com o dedo médio da mesma mão que segurava a garrafa.

(Sem querer esse movimento fazia a boca da garrafa pressionar a entradinha da xana suculenta melando a boca da garrafa.)

Ângela gemia e rebolava.

Ângela: - Huuummm, hui, gostoso.

Peguei a garrafa com a outra mão e coloquei-a para Ângela chupar, ela entendeu o recado, primeiro bebeu um gole derramou um pouco sobre seus seios.

Ângela: - Lambe, Chupa tudo, não deixa uma gota.

Lambi-a dos seios até a Buceta limpando todo o vinho, voltei então a chupar o grelinho dela que já estava a ponto de explodir, e tudo isso sem ter parado um segundo de foder o cuzinho apertado dela com o dedo.

(Eu também já tava completamente tomado pelo êxtase e pelo poder afrodisíaco do vinho)

Olhei pra cima e vi que Ângela chupava e lambia o gargalo da garrafa como se fosse uma pica.

(A garrafa já tava com um restinho só de vinho)

Ângela: - Hummm, Hummm. Enfia pra mim vai.

(Ela disse isso me entregando a garrafa.)

Fiquei com um pouco de receio em machuca-la então comecei devagar enfiei um pouco do gargalo da garrafa e ela gemia manhosa.

Ângela: - Aí delícia, me fode vai.

Agora a loucura já tinha tomado conta de nós, estava masturbando Ângela com um dedo no cuzinho e com o gargalo da garrafa a sua bucetinha.

Ângela: - Aiii caralho, eu vou gozar, tô gozando. Huuum hui.

Senti o meu dedo ser mastigado pelo anelzinho gostoso, Ela gozou, tirei a garrafa da buceta dela e vi um pouco do gozo escorrendo no gargalo.
Ela pegou a garrafa e voltou a chupar, enquanto eu sugava o gozo que ela ainda tinha na xana.

Ângela se deitou na mesa e ficou se contorcendo e se acariciando, agora voltava minha atenção ao anelzinho que pulsava implorando pra ser fodido.
Coloquei uma camisinha e passei a esfregar o pau forçando a entrada.

(E mais uma vez a torturei)

Ângela: - Aai safado, quer me enrabar é?

Eu: - Quero, sua safada, vc quer que eu foda seu rabinho hein?

Ângela: - Quero!

Eu: - Não ouvi, fala denovo.

Ângela: - Eu quero.

Dei um tapa no rosto dela e coloquei dois dedos em sua boca, ela começou à chupa-los loucamente

Eu: - Implora cachorra, diz que quer levar no rabo.

Ângela: - Eu quero tua pica, fode meu rabo, fode minha buceta me fode toda e goza na minha boca.

Ela disse as palavras mágicas, pressionei um pouco mais e aos poucos pude sentir meu pau sendo pressionado pelo cuzinho apertado e lambuzado da Gatinha.
Ângela estava bem excitada e relaxada ao ponto que consegui cravar o pau inteiro.

Ângela: - Aai gostoso. Fode vai, fode.

Fomos para o chão onde a coloquei de quatro e eu tinha controle total das estocadas, e atendi o pedido de Ângela, (Botei pra foder).

Ângela pediu pra ficar em cima, deitei no chão e ela de cócoras em cima de mim, logo acomodou meu pau de volta no seu anelzinho, e deu uma bela duma cavalgada, e ao mesmo tempo acariciava a bucetinha.

Ângela: -Aí filho da puta, Eu vou gozar, Aii safado gostoso. EU TO GOZANDO. OOOHHH!

Ela parou a cavalgada com o pau todo dentro e finalizou a gozada com uma siririca gostosa. Quando ela parou coloquei-a de volta em cima da mesa

O ângulo era perfeito a bucetinha dela ficou toda exposta.

(A bucetinha dela é claro que eu queria provar melhor) tirei a camisinha e sem cerimônia, enterrei meu cacete até as bolas baterem no anelzinho.

Eu: - Quer minha pica fundendo tua bucetinha?

Ângela demorou uns segundos pra responder, dei uns tapas de leve na cara da safada, ela segurou minha mão e começou a chupar meus dedos.

Ângela: - Quero cachorro fode a minha bucetinha vai.

Acelerei as estocadas, chegava a tirar todo o pau e enfiar denovo até as bolas baterem no cuzinho fudido da minha putinha. Mantive firme o ritmo e quando estava quase lá.

Eu: - Quer leitinho na boca é?

Ângela: - Quero sim cachorro, quero chupar esse teu pau até tu gozar.

Como eu já não aguentava mais tirei o pau bem antes de gozar, pra aproveitar o boquete que ela ainda queria me dar. A gata entendeu o recado desceu da mesa e me puxou para o chão e novamente veio pra cima de mim, num 69 de tirar o fôlego.

Enquanto ela mamava no meu pau, voltei a brincar com com aqueles buraquinhos gostosos, me atrevi a meter uns dedos na xana e no cuzinho dela.

Não segurei mais, novamente jorrei porra na boca da Ângela que não parou de chupar um instante sequer e nem deixou uma gotinha cair.

Eu: - Isso putinha chupa tudo.

Ângela: - Ai que pica gostosa.

Ficamos ali por uns minutos ainda massageando os sexos um do outro.
Tínhamos começado a brincadeira por volta das 20:00 e já passava das 22:00.

Estávamos exaustos e embriagados pelo vinho, tomamos um banho e combinamos de dormir para brincar mais um pouquinho de madrugada.

(Foi uma noite muito bem dormida)

De manhã preparei o café com uns pãezinhos que já tinha comprado no dia anterior.

Ângela: - Rapaz que loucura foi aquela com a garrafa de vinho?

Ângela falando cobrindo o rosto como que ironizando estar com vergonha.

Eu: - Ah rsrsrs, vinho é tudo de Bom.

Ângela: - Vc planejou pra que tudo terminasse como vc queria, não foi seu safado?

Eu: - Terminar? E quem disse que já terminou?

Ângela: - Ah não!? E o que tem mais?

Uma certa malícia já surgia nos lábios de Ângela.

Eu: - Abre a porta da geladeira que vc vai ver.

Ângela o fez, e lá dentro, bem acomodadas, cheias e já à uma Boa temperatura, mais 2 garrafas de vinho esperavam para serem saboreadas.

Ângela e eu nos olhamos, ela deu um sorriso malicioso, lambeu os lábios e veio até mim com uma das garrafas na mão...

O que aconteceu depois vcs já devem imaginar. Valeu espero que tenham gostado.

Até o próximo relato.

Comente e dê nota.

Abaixo link dos meus contos, Leia e de nota ok!






ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.