"Os mais excitantes contos eróticos"

 

ROÇADA DO NEGÃO NO ÔNIBUS


autor: luah
publicado em: 12/12/16
categoria: hetero
leituras: 2949
ver notas


Meu nome é Luah, negra mulata com bela bunda rebuscada e durinha, seios que cabem numa mão grande e sorriso faceiro.


Acordei inspirada e excitada o que foi refletido na roupa que resolvi sair de casa para trabalhar, uma blusa vermelha de meia manga com uma saia de retalhos longa até o chão que havia trazido de uma viagem a um lugar lindo do nordeste.


O dia começou como de normal, caminhei alguns metros e entrei no ônibus que estava cheio e o percurso seria feito em pé sem expectativa nenhuma de ser prazeroso até que o ônibus parou e um negro alto entrou, ele tinha que abaixar a cabeça para não bater no teto do ônibus, era um armário de homem, logo que vi pensei no tamanho daquela pica, rola ou tora, devia ser um caralho enorme pois ao olhar pro seu pé devia ser 46 o número de tão grande, molhei a calcinha toda, o meu dia já estava ganho só com a visão daquele Deus de ébano.


Ele veio em minha direção e sorriu, fiquei sem entender, parecia ser pra mim, me mantive quieta e nada demostrei de reação além de escorrer pela calcinha. Foi se aproximando e realmente era comigo que o safado estava falando, me chamou de morena e sorriu ostentando seus dentes branquíssimos naquela boca carnuda que saia uma voz grossa que só me remetia o quanto deveria ser grossa aquela tora entre suas pernas.


Eu respondi sorrindo e nada além tendo em vista que nem sabia que. Era ele além de ser nítido que era um gostoso de barriga definida e maravilhoso. Ele percebendo, continuou a se explicar perguntando se eu não lembrava dele, que havíamos sido apresentados por Leo, eu fingi que lembrava e continuei o papo enquanto o ônibus ia parando e mais passageiros iam subindo. Próximo a um sinal o ônibus foi fechado por um carro o que levou a uma freada brusca, onde fui lançada e amparada no peito do negão fazendo sua boca encostar na minha testa, já que estava de lado dando atenção as suas palavras.


Fingi, que estava sem graça, fingi mesmo, pois estava amando, a minha saia fina foi de grande ajuda na hora que ele me segurou, com aquela mão enorme, dedos compridos e grossos, imaginei cada um deles entrando na minha vagina e arrombando as preguinhas preparando para sua tora esfolar tudinho. Ele continuou a me segurar mesmo depois do ônibus estabilizar e eu? Fui encostando no seu corpo deixando cada tremida do ônibus fazer roçar o meu corpo no dele e percebi que ele teve que arrumar sua lica na calça que já estava exaltada dentro da cueca, precisava falar algo e não me contive :


-Seu amigo está acordado ?


Ele sorrindo com cara de devorador de bucetas, um daqueles amantes muito bem formados ou professor de orgias de quase trinta anos, me respondeu:


-Ele está acordado desde que te vi, ainda mas de saia longa. - Alisou minha coxa aguardando minha aprovação.


Eu olhei as pessoas ao lado, sentados estavam todos dormindo, uma mulher estava no celular concentrada e em pé todos estavam tão sonolentos que nem perceberam a nossa conversa entre sussurros e muito menos onde ele estava com as mãos. Não me contive e dei um beijinho naquela boca carnuda, como uma namoradinha que consente com felicidade a proposta do seu namoradinho.


O safado mordeu os lábios e na mesma hora abriu sua mão toda e por cima da saia apertou a minha buceta com força e descrição, evitou me expor até que levantou parte da saia e enfiou seu dedão afastando minha calcinha e rebaixando seu corpo como se estivesse encostando na parte superior da poltrona, socou seu dedo na minha buceta enquanto eu arrumava a saia que era muito grande, o tecido conseguiu manter discreto até que eu observei rapaz de poucos vinte anos olhando as introduzidas do negão e se tocava por cima da calça.


Aquela situação me excitava muito mais … maravilhoso negão e ainda com observador era perfeito. E quando tudo parecia perfeito uma pessoa levanta do seu lugar para saltar, ficando entre nós, atrapalhando a ousadia inteira. Ele olha e diz que terá que descer no próximo ponto e diz que irá terminar a nossa conversa, me beija a testa e se vai.


Doce e picante forma de começar o dia, temperado com muito tesão e surpreendente pica roliça na minha mão. Agora é aguardar para vê se ele aparecerá no final do dia no meu trabalho.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.