"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Chantageada e forçada a dar


autor: Katita
publicado em: 13/12/16
categoria: traição
leituras: 3741
ver notas


Tais estava bonita aquele dia foi trabalhar toda arrumada, mine saia preta, uma blusinha social branca, cabelo preso fazendo um coque uma maquiagem bem suave e um batom vermelho um pouco mais forte e seu óculos de armação quadrada, ela era uma daquelas mulheres que transpirava sexualidade Tais cheirava a sexo era difil para os homens olhar para ela e nao sentir algo ou ficar de pau duro. Quando chegou no escritório encontrou com Marcos no corredor.

---- Nossa você tá maravilhosa, hoje tem hora extra tá bom vou logo te avisando.

Tais sorriu e seu chefe tarado lhe deu um tapão na bunda a menina olhou nos dois lados do corredor pra ver se nao tinha ninguem.

---- To anciosa pra hoje meu marido me atiçou ontem à noite mas não deu conta Gozou em cinco minutos fiquei só na vontade.

---- O corno é fraquinho deixa que eu mato sua vontade.

Tais estava em sua mesa quando Vitor veio perto dela.

---- Nossa você tá um arraso hoje sabia, podíamos sair depois do trabalho o que acha?

----- Se encherga Vitor jamais sairia com você.

----- É mesmo tem certeza? Se eu fosse você pensaria melhor...

Tais olhou pra ele surpresa estava acostumada com suas cantadas mas geralmente lhe dava um fora e ele recuava, estranhou sua reação.

----- E porque eu pensaria melhor?

----- Por causa disso aqui ó ... Da o play.

Vitor lhe entregou um celular Tais sentiu um frio na espinha, deu o play no video, e se viu na sala do chefe, ele sentado em sua poltrona e ela de joelhos, fazendo um boquete.

---- Seu marido vai adorar ver esse vídeo não acha pensa melhor boneca, hoje no fim do expediente vou estar de carro te esperando na rua de trás se não estiver lá às 17:30, sei o que você decidiu e vou fazer uma visitinha ao corno do seu marido e nem pense em contar pro sr. Marcos, ele me demitiria na mesma hora e eu acabaria com o seu casamento logo em seguida.

Vitor pegou o celular deu uma pescadinha pra ela e saiu andando. Tais ficou aflita não sabia o que fazer na verdade não tinha mesmo opção, ia ter de resolver ela mesma não ia arriscar pedir ajuda a Marcos, só que teve de desmarcar com ele, inventou uma desculpa de que precisava ir embora e chegar no horário em casa.

No fim do dia Vitor saiu dois minutos antes dela e deu uma pescadinha quando se despediram.

Tais foi a última a descer, quando foi dar xau para Marcos seu chefe lhe deu um beijo na boca e foi com a mão dentro da sua sainha.

----Nao da tempo nem de uma rapidinha aqui mesmo?

---- Não infelizmente não... - respondeu Tais e foi difícil até falar com ele esfregando sua xoxota com as pontas dos dedos.

Estava louca pra dar mas infelizmente não seria seu chefinho dessa vez a degustar da sua buceta molhada.

Então as 17:30 lá estava ela abrindo a porta do carona no carro de Vitor.

---- Sabia que faria a escolha certa. - disse ele sorrindo.

Dirigiu até um motelzinho do centro, pagou por duas horas, Tais olhou no relógio eram seis da tarde se usassem as duas horas sairia de lá às 20h , 20h 30 estaria em casa.

Subiram pro quarto, nunca tinha ido naquele motel Marcos só a levava nos mais caros mas aquele até que era aconchegante, Vitor fechou a porta e foi na direção dela com um sorriso no rosto.

---- Eu sabia que você ainda ia ser minha... Você não sabe quanto tempo eu espero por isso.

Ele abriu a blusinha social dela de uma vez só os botões voaram espalhados pelo quarto, Tais estremeceu se arrepiando dos pés à cabeça Vitor a empurrou para a cama, Tais caiu deitada ele foi por cima, erguendo sua mine saia, até a cintura até descobrir totalmente sua calcinha, era uma calcinha de renda preta.

----- Gostosa vamos ver essa buceta se está lisinha.

Vitor tirou a calcinha de lado revelando a sua xaninha estava raspadinha do jeito que ele gostava ele então começou a chupar aquela rachinha melada lambeu ela todinha chupou seu grelhinho meteu a lingua nela, Tais fechou os olhos e aproveitou tinha que admitir que ele chupava muito bem.

---- hann hunn... - ela não conseguiu segurar e deu uns gemidinhos que mostraram que ele estava no caminho certo - ahuuh..

Tais esticou os braços e segurou nos cabelos dele apertou firme pra ele não tirar a boca de lá, que delícia de chupada, deixou Tais ainda mais acesa com mais vontade de dar mas já estava se segurando pra não gozar , precisava de um pau bem duro era pra ser o do Marcos mas ia ter que se contentar com o cacete do Vitor fazer o que.

---- Anda me come... Me come agora. - pediu ela disfarçando

---- Você quer?... Ta querendo pau né?

---- Você não quer comer? Quer só chupar tá bom então, melhor pra mim você quem sabe - disse ela tentando não se comprometer.

---- Não eu vou te foder sim cachorra não sr preocupe não e vou te foder agora mesmo vagabunda.

Ele tirou primeiro a camiseta depois abaixou a calça dava pra ver o volume inchado na sua cueca, ela alisava a buceta torcendo pro pau dele ser grande bem grande precisava de um bem grande pra matar a vontade que estava de piroca, ele então baixou a cueca e seu cacete saltou j a totalmente duro, era de um tamanho bom estava inchado com as veias saltando em volta dele e era torto pro lado, os tortinhos davam muito prazer quando entrava parecia que estava entrando dobrado judiava da xoxota e Tais adorava ser judiada no meio das pernas.

---- Ta pronta safada?

Tais arreganhou a buceta pra mostrar que estava prontinha, Vitor foi segurando o pau apontando na rachinha e deu bem no meio dela, e meteu tudo de uma vez, entrou facil que nem manteiga, ela estava melada não podia nem mentir dizendo que não tava querendo sexo.

---- Ahh! Ahh! Ahuu!

Vitor pegou ela de jeito é começou a bombar, Tais continuava arreganhada queria levar tudinho até o talo, Vitor puchou o sutiã dela seus peitos saíram ficaram espremidos pra cima com o sutiã preso a baixo deles, ele começoua chupar e morder os biquinhos enquanto metia nela sem parar.

---- Que delícia, você é gostosa de mais! Valeu a pena esperar.

---- Ah! Ah! Ah! - Tais gemia alto junto com a cama rangendo o coxão de mola.

---- Toma safada! Toma pica nessa buceta ! Sua bucetuda safada! Ta dando pro chefe né então vai dar pra mim também safada! Toma!

Vitor deu uns tapas de leve no rostinho dela, sempre metendo fom força e até o talo, Tais só gemia sem parar estava adorando ser fodida assim que nem puta até os tapas na cara estava gostando mas não podia falar pra não dar moral pra ele.

---- Ahh! Ahhh! Ahiiii.... - ela se contorceu toda não aguentou mais segurar estava gozando.

---- Ta gozando bebê, já? E eu nem comece a te foder direito ainda.

Tais olhou pra ele espantada respirou fundo, Vitor era bom de foda, se soubesse tinha facilitado pra ele, tanto tempo tentando, que surpresa boa, Vitor parou derrepente e puchou o pau dela, Tais pensou que ele ia gozar mas não era isso ele queria outra coisa.

---- Vira. Deita de barriguinha pra baixo e bundinha pra cima.

Tais se arrepiou toda, ele queria comer o seu cue agora?

---- Não, atrás não Vitor, vamos só na frente hoje Ok.

---- Porque não, você não gosta atrás?

---- Gosto ... - disse ela ficando vermelha- mas não com você né... Nossa primeira transa e você já quer meu cú, cufácil assim não tem graça.

--- Tem sim! Pra min tem anda vira logo que eu tô mandando, você tá achando que tem opção? vira esse rabo logo!

---- Ta bom... tá bom eu viro, mas só porque você me fez gozar, eu tava precisando fiquei na seca ontem o Rick não deu conta.- disse ela guiando o corpo e virando a bundinha pra ele.

---- Tem que ser corno mesmo - disse Vitor lhe dando um tapa na bunda.

---- Para! não chama ele assim.

---- A não... espera aí então me diz...

---- Ahhii! - gritou ela sentindo a rola entrando no seu cú.

---- Eu tô fodendo o cuzinho da mulher dele agora se não é corno o que ele é então?

Tais ficou quieta e mordeu o travesseiro pra não gritar enquanto Vitor socava no seu cunessa hora um pau torto não era nada agradável, entrando amassando seu buraquinho, Vitor deitou por cima dela e comeu com gosto pra matar a vontade que sempre teve de foder o rabão daquela ruiva.

Quando estava voltando pra casa Tais sentou de ladinho no banco do ônibus não dava pra sentar direito depois do que Vitor fez com ela seu cuzinho tava ardendo até agora, e ainda teve de comprar uma camiseta porque a outra não tinha mais um botão, quando chegou em casa Rick estava assistindo o jornal.

---- Nossa você demorou...

---- Teve reunião daí não posso sair are terminar, pra caso precisarem de alguma coisa, males do ofício é tem gente que diz que ser secretaria é fácil.

---- Tava pensando da gente sair hoje pegar um cineminha o que acha?

---- Hoje não amora tô cansada vou tomar um banho e dormir.

Coitado do corninho nem imaginava onde ela estava mais cansada mas o que os olhos não vêem o coração não sente.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.