"Os mais excitantes contos eróticos"

 

ELE ME FUDEU SEM PENSAR ...


autor: luah
publicado em: 14/12/16
categoria: hetero
leituras: 2175
ver notas


As bolinhas dentro da bucetinha iam e vinham enquanto andei 100 metros para pegar uma condução, dentro do ônibus parecia que todos sabiam que dentro da minha vagina tinham cinco meninas seguras pelos músculos e amparadas pela calcinha encharcada de uma lubrificação doida pra ser usada.


Chegando ao lugar marcado lá estava um negro alto de camisa pólo azul, com sorriso estampado de um lado ao outro de um rosto expressivo ( negão chega chegando e tomando conta de tudo ).


Ele veio ao meu encontro e de longe já percebi seu pênis querendo saltar da bermuda branca que estava muito bem nele. Me abraçou com pegada de tirar o fôlego e beijou mordendo meus lábios discretamente por estarmos num local público, segurou forte minha mão e me conduziu a um motel perto e com atitude pediu um quarto e me levou sem quase nada falar além de sorrir com total safadeza e promiscuidade, que era uma das características suas mais evidentes.


Chegando no quarto fechou a porta me puxou num beijo devorador já subindo a saia que estava e enfiando a mão para sentir se estava molhada, arrancou a calcinha, branca de flores roxinhas bem pequenas, foi tirando as bolinhas sem piedade, colocou a pica pra fora e penetrou mandando eu ficar em silêncio enquanto me travava com seu longos braços, socando com raiva, sem parar quase que um ato violento se não fosse meu consentimento a entrega total aquele negro com uma piroca de uns 23 cm que ia arrebentando tudo, fazendo arder, esfolando e dando uns dos mais maravilhosos prazeres que já tivera na cama, a pegada do negão realmente é sem igual, deliciosa.


Ele socou na buceta, fez meu corpo entra em êxtase por umas duas vezes , pernas tremerem e corpo desfalecer, aquela sensação de quem chega no limite de não responder aos seus extintos e só relaxa, puta que pariu, fodástico o preto. Me ignorando vi suas veias do rosto pulsarem alto, seu suor escorrer pelo canto do rosto e quando percebi ele gritou se segurando com a pika dentro e deixando aquela porra toda sair, era tanta que com aquela tora dentro senti escorrer pelas minha pernas deliciosamente.


Ele deixou o corpo cair sobre o meu e sorriu com cara de safado o que o fazia mais apetitoso, logo perguntou se eu estava bem, depois de me fazer submissa aos desejos dele, o tratei com indiferença fazendo um drama de mulher romântica e mimada.


Tomamos um banho gostosinho, onde ele me ensaboou com carinho e depois de secos fomos pra cama e ele me deitou, abriu minhas pernas e caiu de boca na minha buceta, lambendo, chupando quase que engolindo enquanto girava a língua por todas as partes e mordiscava o clitóris. O puto colocava o dedo e chupava enquanto seu outro braço travava meu quadril dominando tudo e assim ficou por um bom tempo enquanto eu gritava, gemia e me contorcia de satisfação. Quando eu estava perto de gozar ele girou o corpo e me colocou pra mamar aquela tora que quase não dava pra dar conta de grossa e grande. Eu fiz o meia nove mais gostoso de todos, só de pensar fico molhada e se pensar novamente acho que gozo sozinha onde eu estiver.


Depois de beber meu gozo ele levou a boca na minha e me fez sentir todo meu néctar mandando eu chupar sua língua, eu amarradona naquele beijo com um abraço gostoso e senti uma profunda socada novamente na minha melada vagina, onde ele enfiou até o talo, senti a cabeça do pau dele bater no colo do meu útero, me fazendo berrar, gritos, berros , gemidos que não paravam pois ele socava e me perguntava se eu queria que parasse e cada sim meu ele socava mais e me chamava de vadia, puta , cachorra e quando eu parei por um minuto em silêncio pra dar aquela gozada gostosa, ele percebe e me gira colocando sua pila na buceta de ladinho e espalhando o mel até o cuzinho e nem pergunta nada e enfia um dedo, depois dois abrindo e enfia aquela piroca roliça sem piedade me travando o corpo e mandando eu rebolar, claro que rebolei pra entrar mais fácil pois sabia que ele me arregaçava se não ajudasse e assim ele socou até sentir o meu gozo descer pelas pernas quando já estava de quatro e tirou o pênis e gozou sobre as minhas costas, um gozo denso e muito farto de um preto muito tesudo e delicioso.


Minhas pernas estavam tremendo, estava cansada, o negro era forte e me maltratou me fazendo gozar várias vezes, me deixou de corpo mole e muito relaxada.


Algo me diz que teremos outros encontros, se acontecer depois te conto.












ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.